25/04/2019 as 08:00

A Saúde pública de Sergipe está na UTI II

Denuncias podem comprometer o andamento de projetos da saúde estadual.

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Não é de hoje que o povo sergipano sofre com problemas relacionados à saúde pública. Em Aracaju, a questão da terceirização do postos de saúde ainda tem sido tema de debate e críticas à administração de Edvaldo Nogueira. No âmbito estadual, o cenário não é diferente. Depois das complicações com a compra da Carreta do Câncer, da falta de insulina nos Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case), uma outra denúncia, desta vez referente ao Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE), chegou à redação do Alô News. O paciente Cícero Vicente procurou nossa equipe de jornalistas para falar sobre as más condições em que se encontram o prédio do principal hospital do estado. Cícero Vicente esteve internado por 12 dias no HUSE e denunciou vários problemas em relação à estrutura do prédio. Desde a falta de materiais básicos para curativos e medicamentos para dor, Cícero também reclama do estado das macas, que estão precárias e praticamente todas apresentam defeitos. Segundo Cícero as paredes do hospital apresentam rachaduras, estão com pintura descascando e nos banheiros é bastante comum encontrar pias que não funcionam e assentos sanitários soltos. Além disso, a limpeza do prédio deixa a desejar: “(as) paredes sujas, os banheiros sebosos e caindo, o assento sanitário em tempo de quebrar e cometer outro acidente e as torneiras vazando..”

Outro foco de atenção apontado pelo relato de Cícero, diz respeito às obras de manutenção do hospital, que além de serem insuficientes, parecem nunca terminar. O paciente cobra fiscalização: “a empresa precisaria de uma fiscalização lá. Daquela empresa que tá fazendo manutenção e reforma do Hospital, porque trabalha a passo de tartaruga. (...) a obra, começa hoje aqui nessa parte, aí trabalha hoje, faz aquela partezinha ali, deixa a outra parte aberta e vai pra outro canto. O hospital é todo mexido de umas obras que estão fazendo lá, de acabamento para aqui e para acolá e não termina nenhuma de ponta a ponta. De ponta a ponta o hospital é todo mexido." Cícero, no entanto, ressalta a boa vontade do corpo médico e dos funcionários do HUSE, que segundo ele, são verdadeiros guerreiros: “seria inverídico e covarde da minha parte se falasse mal de um médico, de um enfermeiro e de qualquer outro funcionário lá dentro. Os funcionários trabalham não porque precisam, porque tem amor à profissão”. O HUSE é o maior hospital de Sergipe, atendendo também ocorrências de estados vizinhos. Não é incomum ver notícias de superlotação das alas, que acumulam pacientes à espera de procedimentos médicos. Essa situação também foi presenciada por Cícero, que ressalta, novamente, que a culpa não é dos funcionários do hospital.

“Os médicos são poucos mas são guerreiros, são abnegáveis, não tem o que falar. Mas começou chegando gente, chegando gente, eu fiquei numa maca... outra coisa: a falta de material, a falta de humanidade não é dos médicos, é da falta do sistema, do governo que tá falido, que não faz nada. Eu fiquei numa maca por 8 horas de relógio, imóvel, sem poder me mexer, sem ter como mexer a cabeça, sem ter como fazer nada. Pense o que é você ficar numa maca daquela com fome, com sede, vai operar, não pode... deitado lá... aí é que você fica como uma tortura, aquilo é uma tortura... e não é culpa dos médicos, é culpa do governo do Estado”. As cobranças direcionadas ao governo do estado se estendem ao poder legislativo que, teoricamente, é responsável pela fiscalização do emprego das verbas públicas e das ações do poder executivo ao atender as necessidades da população. A denúncia de Cícero Vicente retrata uma realidade recorrente na vida dos sergipanos que dependem da saúde pública e dos servidores que encontram condições precárias de trabalho. Direitos básicos que, assim como a educação e segurança pública, não estão sendo assegurados pelo poder público.

Recentemente recebi um vídeo da militante Sheila Galba, coordenadora do Grupo Mulheres de Peito que também denuncia a falta de respeito com a população que utiliza os serviços do Hospital de Urgência de Sergipe. No vídeo, disponibilizado nas redes sociais, Sheila conta um drama de uma paciente oncologica que está “internada” nos corredores do Hospital para tratamento, jogada ao léu, deitada em uma maca, sem os devidos cuidados e exposta a qualquer tipo de infecção por ser uma paciente com câncer e por isto ter a imunidade muito baixa. E assim continua a Saude de Sergipe. Ontem fui ao Fórum Gumersindo Bessa, tive acesso a Ação Civil Publica que solicitou a intervenção o Hospital de Cirurgia, entreguei os processo a decisão do juiz que autorizou e nomeou a interventora da Hospital. Também recebi uma denuncia muito grave com relação a este casa de saúde, vou investigar e trarei para este espaço o resultado das investigações, segundo a denuncia que recebi existe a ponta de um novelo de linha que deve ser investigado. Estamos á disposição da Ascom do Huse ou da Secretaria de Estado da Saúde através do telefone 999567445, para disponibilizar os áudios do paciente e também para qualquer esclarecimento.

INDICAÇÃO

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) é fiel escudeiro do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB). Pelo menos até agora é dele o direito de indicar o vice de Edvaldo na disputa pela reeleição em 2022. Alguns chegam até a falar em seu próprio nome para vice, o que ele nega. Fábio está em dúvida sobre se é bom fazer a indicação. “Fazer a indicação significa compromisso”, já comentou o deputado em roda de amigos (NE).

SÃO CRISTÓVÃO

“Uma gestão que ficou abaixo da média e só serve para beneficiar os parentes e amigos de Marcos. O nepotismo não cabe mais”, esta é a avaliação do Coronel Rocha, que foi candidato a deputado federal pela REDE e milita politicamente no município. O coronel  pretende disputar a prefeitura de São Cristóvão em 2020 pelo Cidadania. Ele lembrou que o vereador Lilo Abençoado (DEM) vem fazendo denúncias contra o prefeito Marcos Santana. “Os secretários de Marcos são amigos e parentes, estamos nos unindo para combater essa forma de fazer gestão que é antiga, antiquada e imoral”, avaliou Rocha que garantiu que outros encontros acontecerão para construir uma proposta de governo.

SONHO

O sonho da casa própria se tornará realidade para 1.102 famílias em Aracaju. O prefeito Edvaldo Nogueira sancionou, ao lado dos vereadores, a lei que autoriza a contratação da operação de crédito de R$ 116,7 milhões junto à Caixa Econômica Federal para, através do programa Pró-Moradia, realizar a construção de casas para famílias de baixa renda, que atualmente residem na Ocupação das Mangabeiras, a maior da cidade. A autorização foi aprovada pela Câmara Municipal de Aracaju. Os recursos para esta grande obra são oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O financiamento é de R$ 116.767.847,00, com contrapartida do município de R$ 7.934.400,00. Com esta operação de crédito, a gestão do prefeito Edvaldo Nogueira implementará políticas públicas voltadas para a construção das habitações, além de realizar ações de melhoria da infra estrutura urbana, da mobilidade e do saneamento básico, assim como a regularização de sua ocupação, garantindo aos seus moradores condições dignas de moradia e mais qualidade de vida.

GREVE GERAL

O presidente da CUT/SE, professor Dudu revelou que os dirigentes estaduais deram ânimo e energia positiva para a direção nacional estimulando a construção da greve geral. “Sindicalistas de todo o Brasil se pronunciaram em sintonia para afirmar que a greve geral é necessária e estamos no momento certo. Não podemos passar batido. Haverá reunião com outras centrais sindicais e faremos esta defesa. Esperar para agosto é muito tarde. A Reforma da Previdência pode estar num estágio de debate avançado no Congresso. Todos os trabalhadores brasileiros precisam se juntar e parar o Brasil em defesa do nosso direito à aposentadoria e à Previdência Social Pública. Gerar um clima na base é importante para que tenhamos uma greve geral forte. Todo mundo entende que o momento é crucial. Ou todo mudo reage coletivamente, ou não sobrará nada do ponto de vista da conquista dos trabalhadores”.

TROCA DE APOIO

O deputado federal João Daniel (PT/SE) externou sua preocupação com a denúncia publicada no jornal Folha de São Paulo desta quarta-feira, dia 24, de que o governo de Jair Bolsonaro ofereceu R$ 40 milhões em emendas parlamentares aos deputados que votassem favoráveis à reforma da Previdência. Deputados da base de apoio ao governo partiram para o bate-boca e quase agressões pela citação à matéria publicada, que ganhou rapidamente repercussão nacional. Segundo a reportagem, a oferta teria sido feita pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em jantar na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Os mais R$ 40 milhões em emendas parlamentares seriam até 2022. “Este é o preço que Bolsonaro está impondo a esta Casa para aprovar um projeto contra o povo trabalhador. Esta reforma vai trazer miséria, desemprego e, para ser aprovada, a denúncia está nos jornais em nível nacional”, disse o deputado João Daniel, ao ser interrompido com pelo deputado José Medeiros (Pode/MT), tendo desrespeitado o seu direito de fala.

GUSTINHO RIBEIRO

“O Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou recursos apresentado pela defesa do deputado federal Gustinho Ribeiro (SD)” . Um portal de Aracaju publicou na segunda-feira (22), notícia apenas com o esse enfoque, dando ênfase ao fato do deputado ter sido simplesmente condenado. A informação é da assessoria de imprensa do parlamentar, que explica todo o andamento do processo. Segundo ainda a assessoria, o site diz ainda que “com a rejeição, o STJ permitiu ao Tribunal de Justiça de Sergipe que aceitasse denúncia de improbidade administrativa contra o deputado. A denúncia aponta irregularidades na aplicação de recursos de subvenção da Assembleia Legislativa, quando Gustinho Ribeiro era deputado estadual”, diz a publicação.




Tópicos Recentes