BAHIA

29/11/2019 as 17:20

Desembargadora presa em operação da PF tentou destruir provas

Ela foi gravada pedindo a uma funcionária para impedir a apreensão de um celular pela Polícia Federal.

<?php echo $paginatitulo ?>

Ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, presa preventivamente na manhã desta sexta-feira (29), tentou destruir provas contra ela. Ela foi gravada pedindo a uma funcionária para impedir a apreensão de um celular pela Polícia Federal.

Segundo nota da Procuradoria-Geral da República (PGR), a magistrada descumpriu ordem do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de não manter contato com funcionários do TJ-BA e pediu uma reunião com o irmão da chefe do Ministério Público da Bahia (MP-BA), Ediene Lousado, o advogado Pedro dos Santos Lousado. Ele estaria acompanhando as investigações.

Após a descoberta das conversas gravadas, o STJ avaliou que Socorro tentou destruir possíveis provas contra ela, desobedecendo ordem judicial.

A prisão

A Polícia Federal prendeu preventivamente, nesta manhã, a desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago em nova fase da Operação Faroeste, que investiga um esquema de corrupção e venda de sentenças.

A ordem de prisão foi expedida pelo ministro do STJ Og Fernandes, relator do caso, após pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). O magistrado também converteu, nesta sexta, as prisões temporárias cumpridas na semana passada em preventivas, com exceção do juiz Sérgio Humberto, preso no último sábado (23).

Com informações do BNEWS.




Tópicos Recentes