BRASIL

11/07/2018 as 13:22

Ministério Público investiga site que vende CPF e outros dados pessoais

As investigações revelaram que basta ter cerca de R$ 30 para comprar créditos e visualizar os dados pessoais fornecidos pelo site

Foto: (Reprodução).<?php echo $paginatitulo ?>

O site "Tudo sobre todos" será investigado por conta de um inquérito aberto pela Comissão de Proteção de Dados Pessoais do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). A página vende ilegalmente os dados pessoais de brasileiros, e os usuários podem procurar qualquer pessoa pelo nome completo ou pelo CPF. Apenas com essas informações iniciais, é possível descobrir endereço, nomes de pessoas que moram na mesma casa, perfis em redes sociais e até nomes de vizinhos.

As investigações revelaram que basta ter cerca de R$ 30 para que uma pessoa compre créditos para visualizar os dados fornecidos pelo site, sobre qualquer cidadão brasileiro. De acordo com o próprio site, diversas fontes alimentam os registros, como cartórios, decisões judiciais publicadas, diários oficiais, bureaus de informação, redes sociais e sites públicos na internet.

Os créditos eram comercializados pelo site Mercado Livre, que já foi notificado para que suspenda o perfil pelo qual a venda de dados é realizada. Além disso, a plataforma de compras terá que enviar ao MPDFT informações sobre os cadastros do vendedor de créditos de acesso ao "Tudo sobre todos" e dos compradores.

Segundo o ministério Público, os créditos também eram adquiridos com bitcoins. Os principais sites de busca – como Google, Yahoo, Baidu e Bing – terão que remover o “Tudo sobre todos” de seus resultados de pesquisa.

Em fevereiro deste ano, o MPDFT obteve o congelamento do domínio do site "Consulta Pública", que fornecia dados pessoais de brasileiros, como nome, data de nascimento, nome da mãe, endereço residencial, CPF e telefones.

O promotor de Justiça Frederico Meinberg destacou que esses sites afrontam o direito constitucional à privacidade e, consequentemente, causam danos materiais e morais: “A Comissão está atenta às violações e atua para garantir a privacidade dos dados pessoais dos brasileiros, com ações judiciais e extrajudiciais”.


 

 

 

 

Com informações de Agência Brasil.

 




Tópicos Recentes