BRASIL

05/09/2018 as 13:45

Documentação do Museu Nacional junto aos Bombeiros estava irregular

Corporação divulgou nesta quarta (5), três dias após destruição do acervo, que prédio histórico não estava em dia com segurança de incêndio

Foto: ( Tânia Rego/AgenciaBrasil).<?php echo $paginatitulo ?>

 

Três dias após o incêndio de grandes proporções que devastou o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, o Corpo de Bombeiros divulgou uma nota, nesta quarta (5), admitindo que o local não possuía o CA (Certificado de Aprovação) da corporação.

Na prática, isso significa que o prédio histórico estava irregular no que diz respeito à legislação de segurança contra incêndio e pânico, com exigência de extintores, caixas de incêndio, iluminação e sinalização de segurança e portas corta-fogo, por exemplo.

Denúncias de alunos e funcionários da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) ao Destak mostram que o edifício não possuíam nenhum dos itens de segurança necessários. O próprio reitor da instituição admitiu que não tinha verba para brigadistas 24 horas por dia.

Os Bombeiros não informaram, no entanto, por que o museu permaneceu aberto, mesmo sem estar em dia com a documentação. A corporação se limitou a informar que o cumprimento da legislação vigente "é de responsabilidade dos administradores dos imóveis" e que "é imprescindível a cultura de prevenção na sociedade."

Confira a nota dos Bombeiros na íntegra:

Após análise de toda a documentação relativa ao Museu Nacional, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro confirma que o órgão não tem o Certificado de Aprovação (CA) da corporação, o que significa que está irregular no que diz respeito à legislação vigente de segurança contra incêndio e pânico.

O Certificado de Aprovação é o documento que atesta a conformidade das condições arquitetônicas da edificação (área construída, número de pavimentos), bem como as medidas de segurança exigidas pela legislação (extintores, caixas de incêndio, iluminação e sinalização de segurança, portas corta-fogo).

É importante ressaltar que estar em conformidade com as medidas de segurança contra incêndio e pânico é uma obrigação de todos. É de responsabilidade dos administradores dos imóveis o cumprimento da legislação vigente. É imprescindível a cultura de prevenção na sociedade.


 

 

 

 

Comm informações de Destak Jornal.




Tópicos Recentes