CIÊNCIA E TECNOLOGIA

06/11/2018 as 10:41

Wi-Fi pública pode acessar localização de usuários desconectados; entenda

Redes de Wi-Fi abertas podem usar seus dados pessoais e de equipamento para mapear sua localização e hábitos

Foto: (Pond5)<?php echo $paginatitulo ?>

Empresas especializadas em serviços de Wi-Fi podem estar usando dados de login e identificadores dos dispositivos para mapear a localização e hábitos individuais dos usuários que acessam redes abertas. Segundo o site PCWorld, essas informações podem ser visualizadas por hackers mesmo quando as redes não estão em uso.

Muito comuns em lugares públicos, como aeroportos, restaurantes, shoppings e diversos estabelecimentos comerciais, redes de Wi-Fi abertas oferecem acesso gratuito à Internet, mas estão associadas a problemas de privacidade e diversas vulnerabilidades de segurança – embora seja possível diminuir esses riscos com boas práticas para proteção das suas informações.

A partir do momento em que o usuário compartilha seus dados para garantir acesso à rede aberta, como número de telefone, perfil em rede social ou e-mail, o provedor também pode ver o endereço MAC do seu dispositivo. Esse código é alfanumérico, único para cada aparelho e classifica o dispositivo quanto ao nome, modelo e marca – uma espécie de CPF digital.

Separadas, essas duas informações não permitem que o provedor do Wi-Fi aberto tenha ideia da sua localização, ou hábitos. No entanto, segundo o PCWorld, empresas especializadas nesse tipo de serviço estão combinando as duas coisas: os seus dados de login usados para acesso à rede aberta com o endereço MAC do seu dispositivo. Essa união permite a criação de um mecanismo que pode identificar os lugares que você visita a partir das redes abertas às quais acessa.

Provedores que usam esses dados podem detectar, por exemplo, quando você usa o Wi-Fi aberto do aeroporto e, dias depois, faz login numa rede aberta de um restaurante. O problema é que essas informações permitem que o responsável pelo serviço tenha acesso a seus hábitos, rotinas e lugares que frequenta. Esse tipo de informação é sensível e pode ser usada para fins de publicidade altamente direcionada, mas também por criminosos, caso caia nas mãos erradas.

As empresas consultadas pela PCWorld se defenderam quanto ao último risco, alegando o uso de mecanismos que tornam as informações individuais anônimas perante o sistema de controle. Dessa forma, nem mesmo um eventual anunciante que adquira o direito aos dados para a realização de ações de publicidade terá acesso ao conteúdo mais pessoal.

O problema para quem deseja garantir mais privacidade é que não existe uma forma de impedir que o endereço MAC do seu dispositivo seja lido e combinado aos seus dados. A única alternativa para evitar que suas informações sejam usadas pelos provedores das redes abertas, muito comuns nos Estados Unidos, é simplesmente não usar o serviço.

Especialistas consultados pelo site indicam ainda que é possível antecipar se uma rede Wi-Fi tira proveito dessas informações lendo com atenção os termos de uso apresentados ao usuário no primeiro login. Em geral, a documentação citará o uso de informações de localização, o que já é o suficiente para que a pessoa saiba que o serviço vai mapear seus logins em redes abertas dali para frente.


 

 

 

Com informações de Filipe Garrett, Tech Tudo.




Tópicos Recentes