03/10/2018 as 05:20

Uma orquestra desafinada

O “REGENTE” sabe que não sou de arregar e se me mandar documentos que comprovem o fato, publico sem pestanejar

Política Online

Política
Por Junior Valadares
<?php echo $paginatitulo ?>

A orquestra montada para disseminar denúncias contra a honra e a dignidade do deputado federal e candidato ao governo do estado Valadares Filho (PSB), parece ter um melancólico fim programado, pelo menos foi o que deixou claro para mim, um dos seus principais regentes.  Desde sexta-feira, peço ao “REGENTE” em questão, os documentos que supostamente comprovam a participação de VF por uso indevido de verbas de gabinete e até agora nada. O “REGENTE” sabe que não sou de arregar e se me mandar documentos que comprovem o fato, publico sem pestanejar, mas parece que a tal da propalada bomba não passa de um traque bebé, daqueles mesmo que estralam quando batem no chão.  O certo é que a orquestra parece estar desafinada, o vídeo, o comentário no portal, a repercussão em outro portal e as baixarias das redes sociais parecem não ter surtido o efeito pretendido e Valadares Filho continua surfando na liderança das pesquisas de opinião, sempre fui contra Fake News, acho que esta mesma orquestra, é  a mesma que tentou jogar o nome do Alô na lama, estou investigando e se descobrir estampo o nome de um a um, sem pestanejar.

Não houve reversão de valores, Valadares Filho continua como denunciante, ele mesmo procurou pessoalmente  o MPF e a PF entrando com uma representação junto à Polícia Federal para a apuração da responsabilidade por falsa imputação de fatos criminosos divulgados por apoiadores de outra  coligação. Por envolver um Deputado Federal, a Polícia Federal encaminhou a sua representação para a Procuradoria Geral da República (PGR) em Brasília.  Segundo Valadares Filho,  “o caluniador é que foi representado por mim e vai responder na PF, em inquérito que será aberto, e, em razão da falta de provas, será punido pela justiça em virtude da prática de reiterados crimes contra mim, sob o beneplácito do seu chefe. Quem não deve, não teme. Toda e qualquer matéria ofensiva à minha honra, terá igual destino: o seu autor será representado, na busca de uma punição exemplar por parte da Justiça. Abomino a conduta covarde que usa a calúnia como arma para agredir adversários políticos. A minha condição de ficha limpa jamais eles tirarão, por mais que tentem. O povo vai responder nas urnas e as pesquisas estão confirmando a sua repulsa às baixarias”, disse um Valadares Filho revoltado em nota destinada a imprensa.

INSOSSO E SEM SAL

A TV Sergipe,  promoveu nesta terça-feira (02) um debate entre os sete candidatos a governador do Estado, Dr. Emerson (REDE) ficou de fora, porque as regras do debate não permitiam a sua presença. O debate chegou a ser cancelado por causa de uma liminar da justiça que dava ao candidato da REDE o direito de participar do debate. Durante mais de duas horas os candidatos debateram temas importantes como Economia, Educação, Emprego, Moradia, Saúde, Segurança, geração de emprego, combate às drogas e igualdade de gênero. A jornalista Susane Vidal foi a mediadora e os participantes foram Belivaldo Chagas (PSD), Eduardo Amorim (PSDB), Eduardo Cassini (PSL), Marcio Souza (Psol), Mendonça Prado (DEM), Milton Andrade (PMN) e Valadares Filho (PSB). O debate ocorreu em cinco blocos, sendo dois de perguntas livres, dois de temas escolhidos por sorteio e as considerações finais, e foi insosso e sem sal.

FHS

O Governador Belivaldo Chagas sancionou nesta terça-feira, 02 de outubro, a Lei 8.470, que garante estabilidade aos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). Com isso, os servidores da FHS passam a integrar o Quadro de Pessoal Especial, de Natureza Provisória e em Extinção, vinculado à fundação.  Além disso, fica garantido aos profissionais o vínculo funcional com a FHS e o mesmo regime celetista atual, assegurando-lhes a irredutibilidade de vencimentos, outros direitos, vantagens e obrigações previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e nos respectivos contratos de emprego. O Projeto de Lei Ordinária já havia aprovado por unanimidade no dia 27 de setembro pelos deputados da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) e aguardava a sanção do Governo do Estado. Com a lei, os profissionais serão cedidos à Secretaria de Estado da Saúde, nela permanecendo até o rompimento dos seus vínculos por qualquer das hipóteses legalmente permitidas. (SECOM)

EMILIA

A vereadora e candidata a deputada federal  Emília Corrêa (Patriota), usou a Tribuna da Câmara Municipal De Aracaju (CMA) para pedir atenção redobrada por parte dos eleitores e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesses últimos dias de campanha.“É preciso estar muito atento, porque o que eu tenho visto de prefeito com caderninho nas ruas anotando os pedidos do povo, mas não senta com os médicos para negociar enquanto o dinheiro corre solto nessas campanhas ricas. Eu sei que o TSE está atento e a gente quer muito ver esses corruptos serem pegos com a boca na botija, um dos meus maiores sonhos é ver esses ladrões de Sergipe atrás das grades”, afirmou.

CPI

O vereador e membro da Comissão Parlamentar de Inquérito, Cabo Amintas (PTB), falou na manhã desta terça-feira, 2, durante o Grande Expediente, na Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA). O parlamentar iniciou sua fala comentando sobre o recebimento de um ofício da presidência da Casa Legislativa, assinado pela Assessoria Jurídica e encaminhado ao vereador Seu Marcos (PHS), presidente da CPI da Saúde. “O ofício da Assessoria Jurídica que não prestou assessoria alguma, orientou o presidente desta Casa a acabar com a CPI da Saúde. O que eu entendi aqui é que nós teríamos que votar, no plenário, a prorrogação por mais 90 dias. Querem acabar com a CPI da Saúde? Eu não reconheço esses advogados que assinaram o documento como partícipes em momento nenhum da CPI. Não fizeram nada, não orientaram ninguém! Quem representa o povo e está lutando contra as maracutaias da saúde pública não aceita isso!”, afirmou Amintas.

FAKENEWS

Com a proximidade das eleições, o número de Fake News criadas para tentar enganar os eleitores aumentam exponencialmente. O TRE-SE orienta que tais mensagens não sejam compartilhadas e conta com a colaboração de todo o eleitorado sergipano para que sejam garantidos a segurança e o sigilo do voto. Entre as centenas de informações falsas há uma que afirma ser necessário votar em todos os cargos, pois caso o eleitor vote apenas para Presidente, por exemplo, tornaria todos os votos nulos, inclusive o de presidente. A Justiça Eleitoral esclarece que tal afirmação é falsa. Exemplificando com um caso concreto, caso o eleitor decida votar apenas para deputado federal, é possível deixar os outros votos em branco, ou mesmo anular os demais, mantendo-se íntegro o voto inserido na urna. O mesmo raciocínio se aplica para os demais cargos. Outra Fake News que está circulando pela internet orienta que o eleitor anote no caderno de votação o número do seu candidato de predileção. O TRE-SE alerta que esta atitude é proibida e pode configurar a prática de crimes eleitorais como boca de urna, desobediência e desordem.

TRIBUNA LIVRE

A Tribuna Livre desta terça-feira, 2, recebeu a primeira secretária do Sindicato dos Enfermeiros  do Estado de Sergipe, Gabriela de Carvalho para falar sobre a situação do reajuste salarial dos enfermeiros e  situação do trabalho. De acordo com a enfermeira, em 2016 o sindicato recebeu o então candidato a prefeito Edvaldo Nogueira o popular Foguinho Zabumbeiro  para uma conversa a fim de enumerar as necessidades da categoria. “As condições de trabalho e a necessidade do reajuste salarial foram falados nessa reunião. Edvaldo fez uma carta compromisso e quando assumiu não nos recebe para tratarmos sobre o assunto”, resumiu. Gabriela completou que a paralisação da categoria foi necessária pois, já estão há dois anos sem reajuste salarial e que foram barrados por uma liminar da justiça. ”Alegaram critérios que não estávamos fazendo. Sempre respeitamos todos os trâmites legais. Em 26 de junho como não tivemos nenhuma resposta precisamos paralisar de novo. Já que, não existiu mesa de negociação”, ressaltou. A enfermeira lembrou que a tentativa de negociação foi feita com uma comissão de sindicatos da Saúde juntamente com o secretário Municipal da Fazenda, Jeferson Passos.




Tópicos Recentes