01/11/2018 as 07:34

Moro deve ser convidado para ser superministro

Convite deve ser feito hoje em encontro com o presidente eleito Jair Bolsonaro

Política Online

Política
Por Junior Valadares
<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), vai oferecer ao juiz Sérgio Moro uma versão turbinada do Ministério da Justiça. A pasta vai somar as estruturas da Justiça, Segurança Pública, Transparência e Controladoria-Geral da União e o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), estrutura hoje ligada ao Ministério da Fazenda. O convite será feito pessoalmente na manhã de quinta-feira (1º), no Rio de Janeiro. O juiz responsável pela Lava Jato no Paraná visitará o presidente eleito no Rio de Janeiro. Ao remodelar o ministério, Bolsonaro pretende reforçar seu discurso de Segurança Pública e de combate à corrupção.

Moro é visto como juiz linha-dura por sua atuação na Lava Jato. Partiram dele decisões que levaram à cadeia figurões da política e do meio empresarial, como Marcelo Odebrecht, o ex-presidente Lula e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. Em entrevista a emissoras de televisão, um dia depois de ser eleito, Bolsonaro disse que gostaria de ter Moro à frente da Justiça ou como ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Na verdade, com este convite, que deve ser oficializado hoje,  o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pretende demonstrar a sociedade brasileira que não vai compactuar com desvios de conduta no seu governo, difícil mesmo vai ser colocar os futuros ministros Alberto Fraga e Sergio Moro na mesma foto, se acontecer deve ser a força do novo governante.  

EMENDAS

A bancada federal de Sergipe está reunida em Brasília para fechar as emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2019. Junto a bancada está o governador reeleito  Belivaldo Chagas, prefeitos, deputados estaduais e representantes de instituições públicas para discutir a destinação destas emendas. De acordo com o deputado federal André Moura será destinado a Sergipe seis emendas impositivas no valor total de R$ 169 milhões. Quatro delas já foram definidas "Foi consenso geral a indicação de R$ 20 milhões para a Saúde de Aracaju; R$ 69 milhões para a Educação do Governo do Estado; R$ 20 milhões para a Segurança Pública distribuídos entre as polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e as Guardas Municipais; R$ 20 milhões para a Universidade Federal de Sergipe (UFS)", explicou André. O prazo para aprsentação destas emendas termina hoje e os parlamentares ainda estão discutindo sobre a indicação de R$ 20 milhões para construção de um Centro de Imagens em Saúde que será administrado por meio de um consórcio municipal; e R$ 20 milhões para a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

NUMBER ONE

O governador reeleito Belivaldo Chagas (PSD), tem reagido às provocações da imprensa e de seus adversários quando o assunto é a nova composição do seu secretariado. Perguntado pelo repórter Douglas Magalhães se nomearia o ex-governador Jackson Barreto (MDB) e o deputado federal André Moura (PSC) para o seu secretariado, Belivaldo reagiu e disparou: "eu disse na campanha e vou repetir: Jackson e André não serão secretários. Essa foi mais uma mentira de Valadares Filho (PSB). Aliás, Valadares Filho é o mentiroso número 1", respondeu o Galego, simples assim.

MEDÍOCRE, VIL E DESRESPEITOSO

O ex-candidato a governador de Sergipe Milton Andrade (PMN),  considera que o ex-governador Jackson Barreto (MDB), tem um comportamento “medíocre, vil e desrespeitoso” com os que, de alguma forma, o contrariam.  “É profundamente lamentável que um homem público, que ocupou grandes cargos na política de Sergipe, comporte-se com tanta pequenez. Ele apequena a política de Sergipe e nos envergonha como sergipanos”, disse Milton, ao ser questionado, durante entrevista na FM Barra (em Barra dos Coqueiros) sobre os ataques proferidos, publicamente, pelo ex-governador contra alguns políticos, como o delegado Alessandro Vieira e o deputado federal Valadares Filho. “Infelizmente, Jackson é desprezível e, como cidadão, envergonha-me tê-lo tido como governador do meu Estado”, disse, ressaltando que o emedebista conseguiu ser infeliz em tudo o que fez nos últimos anos. “Ele conseguiu ser infeliz na gestão, consegue ser infeliz nas colocações que faz e é infeliz no exemplo que dá aos sergipanos”, disse, reportando-se ao vídeo que Jackson fez ao lado de um grupo de amigos, após a eleição, com um telefone em mãos simulando uma ligação para o deputado federal Valadares Filho, segundo colocado na disputa sucessória estadual.  “Tem uma frase antiga que diz que ‘não se debocha nos jazigos dos falecidos’”, ensinou.

BAIXA E ODIENTA

Milton, que obteve pouco mais de 35 mil votos no primeiro turno do pleito, observou que o derrotado tem que respeitar a vontade popular e o vencedor dever se comportar com altivez.  Ele ressaltou, no entanto, que neste caso, Jackson, que age com tanta arrogância, como se fosse um imperador, não venceu a eleição. Ele foi derrotado pelo eleitorado; foi aposentado à força nas urnas, mas age como se a vitória do governador Belivaldo Chagas fosse mérito seu. Belivaldo  Chagas venceu, por ter descolado dele. Se estivesse ficado ao lado de Jackson enfrentaria dificuldade. Tanto é que se estivesse confortável não teria usado como slogan de campanha “chegou pra resolver’. Como era vice e estava ao lado dele, poderia usar algo do tipo ‘no rumo certo’”, falou.  Na avaliação de Milton Andrade, é reprovável sob todos os aspectos o comportamento “mesquinho desse cidadão que não tem noção da sua responsabilidade como homem público”. Para ele, Jackson deveria preservar as pessoas e não sair por aí falando imprópérios, agredindo-as de forma vil.   “Jackson, emudeça, silencie, tenha vergonha, não fique vibrando com a derrota alheia e se comportando como se tivesse sido vencedor. Quem venceu a eleição, apesar de você, foi Belivaldo”, enfatizou Milton Andrade, completando que historicamente, o ex-governador sempre se comportou de forma “baixa e odienta”.

SAIA JUSTA

O vice-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Márcio Macedo, disse que o PT  precisa ser respeitado pela história e força políticas comprovadas nos votos que recebeu nessas eleições. “Não tem candidatura posta agora, mas tem um debate posto pela respeitabilidade do partido. Estamos na pista”, afirmou o ex-deputado. Ele acrescentou que a partir de agora será iniciado um processo de discussão para as eleições municipais e o PT não pode ficar de fora. “Se mais adiante pudermos estar juntos com uma candidatura, podemos ter candidatura, faz parte do debate, qual problema disso”, questionou, para em seguida informar que não rompeu relações com o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira, o popular Foguinho Zabumbeiro, que de agora em diante está em uma saia justa.

EMENDA BELIVALDO

O governador Belivaldo Chagas viajou à Brasília e participou de reunião com a bancada federal de Sergipe para tratar das emendas orçamentárias que deverão ser liberadas em 2019. Ele conseguiu aprovar, junto aos parlamentares, uma emenda impositiva no valor de R$ 69 milhões para a educação que irá auxiliar o seu plano de governo que priorizará essa área. Pela nova legislação orçamentária, existe a obrigatoriedade de ter pelo menos uma emenda para Educação, uma para Saúde e uma para Segurança. A proposta do governo do Estado aprovada foi que dos R$ 169 milhões disponíveis para as emendas impositivas fosse direcionada uma emenda de R$ 69 milhões para infraestrutura em Educação. Os recursos, de acordo com o chefe do Executivo, deverão ser aplicados na infraestrutura das escolas. “Temos cerca de 350 unidades escolares e temos que garantir aos nossos alunos uma escola atrativa e isso passa pela infraestrutura que precisa ser adequada. Esses recursos servirão para reformar e ampliar a rede de escolas”, garantiu.

 

 

 

 

 




Tópicos Recentes