03/11/2018 as 08:14

Fi do canso Mariano

Rogério afirmou que Foguinho não afinou sua Zabumba

Política Online

Política
Por Junior Valadares
<?php echo $paginatitulo ?>

O senador eleito por Sergipe Rogério Carvalho (PT), disse que antes mesmo de ser diplomado já vem trabalhando para ser a “voz de Sergipe em Brasília”. O senador afirmou que foi “à Brasília por duas vezes e na próxima semana irei mais uma vez. Na primeira fui estabelecer conversas com a consultoria parlamentar, para quando começar o ano iniciar com o pé direito. Solicitei um estudo sobre o Pré-Sal , a Petrobras, afim de entender o porquê de Sergipe não figurar como centro de exploração e área geradora de emprego e renda”. Rogério disse também, que o seu partido foi vitorioso nas eleições estaduais e disse também que irá trabalhar para defender os interesses dos sergipanos, sendo responsável na sua atuação.  "Serei a voz de Sergipe, não farei  oposição por oposição. O fato de eu ter minha posição que na maioria das vezes ser contrário ao governo federal, representa o sentimento do povo sergipano. Espero que no tratar com as esferas federais haja um tom republicano, ainda que durante o pleito, o presidente eleito tenha falado inúmeras barbaridades”, disse o parlamentar eleito. Rogério também condenou o posicionamento do economista Paulo Guedes, escolhido para ser o Ministro da Economia, do governo que tomará posse em 2019, Rogério rechaçou a linha ideológica defendida pelos membros da situação, por segundo ele, tratar-se de um modelo defasado. “O debate do estado mínimo é um assunto superado em todo mundo. Será que o Bolsonaro irá tirar a soberania e a cidadania do povo brasileiro? A sociedade fez uma escolha e iremos respeitar, mas observando o respeito às instituições”.

Sobre o posicionamento do líder do governo Temer no Congresso Nacional e candidato derrotado ao Senado, deputado federal André Moura (PSC), Rogério preferiu “colocar panos quentes” no assunto e assim informou não ter tomado conhecimento do que foi dito pelo deputado, mas disse que “prefire ficar com as críticas e as manifestações de votos dos eleitores que me deram uma vitória com mais de 50 mil votos sobre André. Ele tem o direito de ser manifestar”. Com relação ao presidente eleito Jair Bolsonaro, o novo senador criticou o fato do presidente eleito ter se distanciado dos aspectos democráticos e assim, ter nomeado o juiz federal Sérgio Moro como ministro. ”O Moro sempre esteve posicionado de um lado da política. Ele condenou o Lula sem nenhum fato concreto, apenas para tirar Lula da disputa eleitoral, e favorecer a eleição de Bolsonaro. Preciso dizer mais alguma coisa para os sergipanos? Essa nomeação é 'prêmio' pela atuação dele”. Com relação ao meu, ao seu, ao nosso prefeito  Edvaldo Nogueira (PC do B), o popular Foguinho Zabumbeiro, Rogério disse que  durante os pleitos  de 1º e 2º turno, o gestor municipal, não “chegou junto” e teve “apenas” papel figurativo durante a campanha que o elegeu e pôs Belivaldo Chagas (PSD), como chefe do Executivo estadual. “Político tem que ter lado. Posso dizer que a atuação dele não foi fundamental para a nossa vitória. Em 2016, nos doamos de corpo e alma, mas esse ano não houve a contrapartida. Fui eleito por muita gente e vou trabalhar com muita gente. Temos que romper com essa ideia de que a alianças têm como foco apenas o período eleitoral, ou é grupo ou não é!”, finalizou. Rogerio tem que ir reclamar no PROCON.

PITADAS DE SACANAGEM

No próximo domingo vai ter estréia no Politica On Line. Todos sabem que o domingão é dia de praia, cerveja, carangueijo, futebol e curtição, mas na semana que vem você vai acordar com uma novidade muito bacana para fazer e rir. Não perca, os políticos sergipanos produzem fatos pitorescos não é?  Vou contar aqui com uma boa pitada de sacanagem, e como domingo tem estreia, vem ai uma coluna repleta de sacanagens com a classe política do estado, de Rainha Louca a Ferida Braba você não pode perder, o  que vai rolar no pequeno espaço de prazer e sacanagem. Então, estamos combinados, no domingo que vem não saia pra curtir sem antes ler o que vai lhe dar prazer e boas risadas.

HISTORICA

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, qualificou nesta quinta-feira (1) de "histórica" a decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro de deslocar a embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém."Felicitei meu amigo e presidente eleito do Brasil Jair Bolsonaro por sua intenção de deslocar a embaixada brasileira para Jerusalém, um passo histórico, justo e animador", declarou Netanyahu em um comunicado. Bolsonaro garantiu pelo Twitter que pretende concretizar sua promessa de campanha: "como afirmado durante a campanha, pretendemos transferir a Embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. Israel é um Estado soberano e nós o respeitamos", tuitou Bolsonaro.

PROCURADOR GERAL

Apesar de ser o segundo mais votado, o procurador Eduardo Barreto D’Ávila Fontes, que obteve 58 votos, foi o escolhido pelo governador Belivaldo Chagas, na noite desta quinta-feira (01), para ser o Procurado Geral da República do Estado de Sergipe. A eleição foi realizada com a participação de 139 membros do Ministério Público de Sergipe, na manhã do dia 22, para formação da lista com o nome dos candidatos mais votados para o cargo de procurador-geral de Justiça. Disputaram a eleição, o promotor de Justiça, Manoel Cabral Machado Neto, que obteve o total de 104 votos, e o procurador de Justiça, Eduardo Barreto d’Ávila Fontes, que obteve 58 votos. Votaram os integrantes do quadro ativo da carreira do MP, mediante voto obrigatório e secreto.

BRITO

Para o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres de Brito, a ida do Juiz Sergio Moro para o Ministerio da justiça do governo Bolsonaro compromete "a boa imagem social do próprio Judiciário", que deve zelar pela separação e independência dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.  O Judiciário se define pelo desfrute de uma independência que não pode ser colocada em xeque.  Isso não parece rimar com o "espírito da coisa" de um membro do Judiciário pedir exoneração e já se transportar, com mala e bagagens, para um cargo do Poder Executivo. Ele afirma que, mesmo que a lei brasileira não determine um prazo de quarentena para que um juiz possa se tornar ministro do Executivo federal, deve prevalecer nesse caso uma "cautela", ditada pelo bom senso, "para não comprometer nem a independência do magistrado nem o conceito social do próprio Poder Judiciário".

ELEIÇÃO

O Pleno do Tribunal de Justiça de Sergipe elegeu os Desembargadores que vão compor a Mesa Diretora para o biênio 2019-2021. Eleitos por aclamação, o Desembargador Osório de Araújo Ramos Filho assumirá a Presidência, o Desembargador Alberto Romeu Gouveia Leite a Vice-Presidência, e a Desembargadora Elvira Maria de Almeida Silva será a Corregedora-Geral da Justiça. “Agradeço aos colegas a confiança pela minha condução à Presidência. É uma honra e satisfação, cumulada com as responsabilidades que o cargo exige. Temos a tradição de continuidade nos trabalhos desenvolvidos por todos os presidentes. Na minha gestão haverá continuação e respeito ao Planejamento Estratégico, bem como aos projetos e programas que contribuem para que o TJSE seja reconhecido como um dos melhores do país, além do destaque à priorização do 1º Grau de jurisdição. Sei que vou contar com a colaboração do Des. Alberto Romeu na Vice-Presidência, da Desª Elvira na Corregedoria e de todo o colegiado, que sempre se preocupa com o melhor para o Judiciário sergipano”, comentou o Desembargador Osório de Araújo Ramos Filho, que será empossado no cargo no primeiro dia útil de fevereiro de 2019.

TURISMO

O vereador Elber Batalha (PSB) utilizou a tribuna da Câmara Municipal (CMA) nesta quinta-feira, 01, para fazer um apelo para que o prefeito Edvaldo Nogueira retome a política de turismo na cidade de Aracaju. O parlamentar disse que o turismo na capital sergipana está abandonado e, inclusive, sem secretário à frente da pasta. “Nós tínhamos um secretário super competente, que era Jorge Santana, que tinha vários projetos de fortalecimento do turismo em Aracaju, como a recriação do Conselho Municipal do Turismo. E, desestimulado devido a falta de estrutura de trabalho, ele pediu exoneração e até hoje o município não tem uma representação política de um secretário na pasta do turismo. Enquanto isso, nós do turismo aracajuano, estamos numa concorrência desleal com os grandes centros turísticos que nos circundam”, lamentou o vereador.




Tópicos Recentes