10/12/2018 as 15:04

A nipo-brasileira que cobre política

Ponto de Vista, por Ivan Valença

Ponto de Vista

Política
Por Ivan Valença
Foto: (Reprodução/Prefeitura de Aracaju).<?php echo $paginatitulo ?>

Se você é leitor assíduo do “Jornal da Cidade”, já deve ter sua atenção chamada para  textos da área política assinada por Mayusane Matssunae. Náo, não é pseudônimo, mas o nome próprio de uma jovem de 35 anos, baiana de nascimento, filha de pai cearense e mãe potiguar, neta de japoneses  que moravam no Brasil. Foi por influência do seu avô paterno, que recebeu este nome, um tanto quanto complicado para nós, brasileiros, tanto que ela é tratada na redação do “JC” tão simplesmente como Maju.

Maju é uma moça prendada e trabalhadora. Formada duas vezes – uma vez em Direito, a outra em jornalismo – ela mora em Aracaju praticamente sozinha, sem a presença de familiares. Não tem sequer um namorado – o que tinha ela mandou embora, livrando-me de um sujeito pouco confiável. Tem uma vontade louca de ir ao Japão, mas para isso é preciso ter bastante dinheiro, coisa que el não tem.

Atualmente divide sua atividade profissional entre o “Jornal da Cidade”, onde dá expediente pela manhã, e o portal de notícias do Canal 8, TV Atalaia.  Correndo sempre atrás da noticia, Maju vai para a Câmara de Vereadores e depois para a Assembléia Legislativa, na parte d manhã antes de se dirigir à redação do “Jornal” para escrever suas matérias. A tarde é mais folgada, no portal de noticias do Canal 8 mas quando sai de lá não pensa em mais nada senão ir pra a própria casa ode só quer descansar.

Maju  começou na reportagem geral, onde fazia de tudo, mas aí apareceu uma vaga no setor de política. Embora sem nenhuma experiência nesta área, resolveu encarar e topou preencher a vaga. “E estou adorando, você não imagina quanto”, apesar da correria entre os dois Legislativos, o estadual e o municipal.  O avô mora em Natal, juntamente com sua mãe. O seu pai mora em Aracaju mas é casado com outra mulher que não sua mãe. E ela pouco o vê.

Quando veio para Aracaju ela foi trabalhar como free lancer na Emurb. Era a gestão de Marcelo Deda, mas por lá passou pouco tempo. Passou uma temporada como produtora  na TV Ponta Negra, em Natal, mas voltou depois já com o emprego efetivo na própria Emurb. Foi também assessora da vereadora Lucimara Passos. Atualmente não tem cargo público. Então quando você se deparar de novo com o nome  Mayusane Matsunae encimando uma matéria política no “Jornal da Cidade”  saiba que ali está uma jovem brasileira, com poucos traços dos seus ancestrais japoneses, bonita, trabalhadora que sempre corre atrás de um furo.                                                                                                                                                       




Tópicos Recentes