21/12/2018 as 21:05

Natal: O preconceito é o anti-Cristo!

Consciência e (R)Existência, por Linda Brasil

Consciência e (R)Existência

Diversidade e Direitos Humanos
Por Linda Brasil.
Foto enviada pela colunista.<?php echo $paginatitulo ?>

O Cristo Jesus foi o maior libertário de todos os tempos, representação máxima da verdade, do amor, do respeito, da fraternidade, da verdadeira fé e espiritualidade, mas ultimamente, não só a data que comemora o dia do Seu nascimento está sendo usada pelo capitalismo para crescer os lucros das grandes empresas, bem como o Seu discurso está sendo distorcido por pseudocristãos para encobrir preconceitos seculares, baseados em comportamentos e falas hipócritas.

Falas e preconceitos que O levaram a ser tratado como criminoso. Todo um esforço de opressão, ao longo dos séculos vem ocorrendo, como o objetivo de tentar apagar a Sua Mensagem de Serviço ao Bem comum, querendo confundir as pessoas sobre o que Representa Jesus, distorcendo Sua mensagem salvadora para manter a dominação, a castração e o controle das vidas de pessoas.

Jesus em sua passagem pelo Planeta foi símbolo máximo de que devemos respeitar as diferenças, vencer preconceitos e usar o poder para servir!

Uma iniciativa que podemos em vários níveis dizer que resguarda o espírito cristão e que por isso deve ser defendida por quem dizem respeitá-lO é a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

No último dia 10/12/2018 foi comemorado o aniversário dos 70 anos da publicação da Declaração, uma conquista muito importante para humanidade, mas que ainda é desrespeitada pela maioria dos países que fazem parte da Organização das Nações Unidas - ONU. Esse documento tão necessário para garantir o mínimo de direitos e dignidade a qualquer pessoa foi elaborado depois de uma das maiores tragédias humanitárias, a segunda guerra mundial, que tirou a vida de milhões de seres humanos.

Vergonhoso ver que pessoas que patrocinaram essa terrível catástrofe agiam como os condenadores de Jesus. Manipulavam a Bíblia e distorciam ensinamentos do Nosso Mestre Jesus, para ganhar apoiadores/as e seguidores/as para os seus projetos de poder e dominação.  

Quando realmente os ditos “cidadãos do bem”, os governos, as igrejas que se dizem cristãs irão se conscientizar da importância da garantia desses direitos básicos para todas as pessoas independentemente do gênero, raça, nacionalidade, orientação sexual, identidade de gênero, crença religiosa ou não?

Para isso acontecer, precisamos urgentemente rever nossos conceitos em relação as questões que envolvem e determinam o que é: “certo” e “errado”; “bem e mal”; homem e mulher; negro e branco; heterossexual e homossexual etc.

Será que precisaremos passar por outro holocausto no nível de conflito bélico entre nações?

Será que estamos cegos? já não estamos vivenciado tragédias na África, no Oriente, na América central e em todos os continentes? Segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em 2016 morreram cerca de 2,6 mil crianças por dia durante as primeiras 24 horas de vida e 5,6 milhões morreram antes de completar cinco anos de vida.

Precisamos diminuir urgentemente os conflitos e as diferenças que separam essas dualidades e que estimulam competições, nessa eterna luta de poder e ganância que gera tanta violência, sofrimento e mortes. Para isso é necessário desconstruir algumas “verdades” e convicções equivocadas. Inclusive os equívocos de pseudocristãos, que ignoram o pensamento e a vivência de Jesus para citarem o velho testamento e algumas passagens dos apóstolos para pintar um quadro distorcido sobre “Deus e família”. 

Deveríamos, realmente, compreender e aplicar os ensinamentos do Nosso Senhor Jesus de forma lúcida e tentar vivenciar realmente o verdadeiro espírito natalino diariamente. Este comportamento requer exercitar o amor autêntico e incondicional e combater o maior anti-Cristo de todos os tempos que é o preconceito e a perseguição às pessoas simplesmente por serem diferentes.

Onde podemos estar sendo preconceituosas(osos)?

Em que medida damos abrigo ao anti-Cristo dentro ou fora de nós?

 *(recomendo aos que gostam com uma visão bíblica sobre o assunto ler o texto “Preconceito - o flagelo antiCristo” de Benjamin Teixeira de Aguiar pelo espírito Eugênia-Aspásia que está no link : http://www.saltoquantico.com.br/2006/04/04/preconceito-flagelo-anticristo/ )




Tópicos Recentes