08/01/2019 as 06:37

Tolerância Zero

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O governador Belivaldo Chagas (PSD),  prometeu recentemente que o seu governo terá  "Transparência 100% e Tolerância 0", neste segundo mandato. O governador começou bem no quesito transparência, fazendo uma indicação totalmente política para a pasta da Transparência do seu governo, o secretário será o advogado Alexandre Figueiredo, indicação do MDB e  filho do ex vice governador Benedito Figueiredo, que deixa o governo e continuará comandando a Fundação Ulisses Gumarães. Belivaldo, deverá solicitar aos presidentes dos poderes Legislativo e Judiciário e aos dirigentes do Tribunal de Contas que aceitem receber o repasse no dia 30 de cada mês. A Constituição determina ao Executivo o repasse do duodécimo para a Assembleia, o Judiciário, o TCE e o MP dia 20 de cada mês, mas segundo o governador, "o Estado precisa da união de todos, porque senão não vai aguentar a situação financeira, que é cada vez mais grave", disse Belivaldo. Nesta provável reunião, o governador vai ter que manter o pescoço grosso e tentar convencer aos presidentes dos outros poderes, que a situação financeira do estado é grave e para isto vai ter que abrir as contas do estado.

Para o ano de 2019, o Estado de Sergipe deve buscar a injeção de dinheiro novo. Os valores devem girar em torno de  500 a 700 milhões de reais e nem o governador sabe onde poderá buscar esta injeção de dinheiro. Privatizar a DESO ou o BANESE, parece não ser uma opção. A velha receita da antecipação de royaltes da Petrobrás já foi acionada pelo governo do estado que deve receber cerca de R$ 400 milhões para fazer frente ao pagamento dos aposentados e pensionistas do estado. Recentemente o governo pagou a última parcela da antecipação anterior e está apto a receber dinheiro novo. Dentro das perspectivas atuais, li  um artigo assinado pelo Professor da UFS Ricardo Lacerda ligadíssimo ao atual governo, que irá deixar qualquer sergipano no mínimo com uma grande pulga atrás da orelha. No artigo o Prof. Ricardo, alerta que 2019 será um ano difícil para os brasileiros, especialmente para os sergipanos e pede que “oremos, pois, para que dê tempo para consertar os estragos que serão necessariamente produzidos por uma gente que se mostra despreparada para a convivência democrática e ainda mais para governar, nas mais diversas áreas, inclusive na economia”. Pensando em Sergipe, não seria melhor que o governador Belivaldo Chagas buscasse um entendimento com o atual governo federal, deixando de lado o pescoço grosso e calçando as sandálias da humildade? Segundo a Bisa, caldo de galinha não faz mal a ninguém.   

PRIVATIZAÇÃO

O governador Belivaldo Chagas se reuniu com o prefeito Edvaldo Nogueira para tratar da solução encontrada acerca da paralisação dos médicos que atendem nas unidades de saúde do município. Ao ser recebido pelo prefeito, o governador foi informado que o atendimento nas unidades de saúde será terceirizado. Participaram da reunião, o secretário de Estado da Saúde, Valberto Lima, acompanhado de sua equipe, bem como a secretária Municipal de Saúde, Waneska Barboza e sua equipe.

DOENÇAS RARAS

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) comemorou a inclusão de novos medicamentos para doenças raras à lista do Sistema Único de Saúde para que os pacientes possam ter acesso gratuitamente. A medida, no entender da senadora, reduz os processos de judicialização para adquirí-los e garante mais tranquilidade aos que necessitam fazer uso desses remédios que, em geral, são muito caros. “Para se ter uma ideia, tem um medicamento que passa a ser oferecido pelo SUS que chega a quase R$ 2 mil. Têm pacientes que fazem uso de mais de um e fica difícil manter”, reconheceu a senadora, que há tempos tem abraçado essa causa no Senado Federal, na perspectiva de garantir melhor condição de vida e dignidade aos portadores de doenças raras.

CRÍTICAS

O ex-deputado federal, André Moura (PSC) voltou a fazer duras criticas ao senador Antonio Carlos Valadares e ao deputado federal Valadares Filho (PSB), após a derrota dos três nas últimas eleições. André  disse em entrevista que a reorganização do grupo é quase impossível porque segundo ele, “Valadares Filho não tem personalidade. Eu acreditei num compromisso firmado, mas infelizmente ele mostrou que não tem palavra. Desta forma fica difícil construir qualquer novo entendimento político em um grupo que esteja o ex-senador Valadares”, avisou André.

TRANSPARÊNCIA

O governador Belivaldo Chagas (PSD) voltou a usar o Twitter para informar que o novo secretário da Transparência e Controle será o advogado Alexandre Figueiredo. A nova Secretaria substitui a Controladoria Geral do Estado, extinta com as mudanças que ocorreram para redução de Pastas no atual Governo. Alexandre Figueiredo é do MDB, foi candidato a deputado federal e assume por indicação da legenda. Seu pai, o ex-secretário de Governo, Benedito Figueiredo (MDB), não vai participar da atual gestão e continuará dirigindo a Fundação Ulisses Guimarães em Sergipe.

OPOSIÇÃO

Sem rumo, sem eira e nem beira e ainda totalmente fragilizada, a oposição em Sergipe vai tentar promover uma reunião em fevereiro para tentar recompor o grupo e traçar as estratégias politicas para as eleições de 2020. Segundo as boas e más línguas o Senador Antônio Carlos Valadares (PSB) não terá assento a mesa. Desta forma e sem calçar as sandálias da humildade vem aí mais uma provável e nova acachapante derrota eleitoral, eitxa oposição desarrumada.

PSDB

O PSDB declarou apoio à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara dos Deputados. A sinalização da legenda já havia sido feita na semana passada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Agora, a confirmação foi feita pelo atual líder da legenda na Casa, o deputado Nilson Leitão (MT). "Maia conduziu de forma equilibrada esse momento complicado no Brasil pós-impeachment", afirmou Leitão ao Estadão/Broadcast. Leitão ressaltou que o partido também apoiou a candidatura de Maia na eleição em julho de 2016, após a renúncia de Eduardo Cunha. "O PSDB fez isso durante todo esse período e o apoiou já na primeira eleição. Abriu mão de candidatura própria para isso", disse. O partido elegeu 29 deputados para a nova legislatura.

 

 

 

 




Tópicos Recentes