22/01/2019 as 07:31

Terceiro turno à vista

Entre notas, Belivaldo Chagas e Valadares Filho, discutem calamidade financeira

Política Online

Política
Por Junior Valadares
<?php echo $paginatitulo ?>

O deputado federal Valadares Filho (PSB), criticou  duramente o posicionamento do governador Belivaldo Chagas (PSD),  que anunciou na última sexta-feira (18), que poderá decretar estado de calamidade financeira em Sergipe. O candidato derrotado ao governo do estado, afrimou que a noticia chegou de forma insperada. “Confesso que fiquei surpreso quando li a matéria nos meios de comunicação. Por que isso não foi dito durante a campanha? Não tinha chegado para resolver”, questionou o parlamentar. “O que vemos hoje é a continuidade de um governo baseado na mentira que fiz questão de mostrar para a sociedade durante toda a campanha eleitoral do ano passado. Nos debates eleitorais o governador dizia que as contas estavam sendo ajustadas e que em pouco tempo ele iria recuperar a situação econômica do Estado. É lamentável como em Sergipe utiliza-se da falta de sinceridade com o povo tendo o único objetivo vencer a eleição”, lamenta o deputado. “Os servidores não terão a certeza de receber seus salários. Também não fica descartada a possibilidade de fechamento de escolas, redução do efetivo das polícias militar e civil, e do corpo de bombeiros. Com certeza irá prejudicar o atendimento no Hospital de Urgência de Sergipe e hospitais regionais, caso o decreto se concretize, os danos nos serviços para a população sergipana serão incalculáveis”.

Na boquinha da noite veio a resposta a galope do governador Belivaldo Chagas, que se utilizou de NOTA da Secom para responder ao deputado. Segundo Belivas,  o deputado está inconformado e desnorteado com a vergonhosa derrota que sofreu nas urnas. O quase ex-deputado federal, Valadares Filho, ao seu estilo Fake News e do telemarketing do mal, tenta implantar um clima de terrorismo e mente para a população de Sergipe ao divulgar na imprensa que caso o governo do estado decrete estado de calamidade financeira: “os servidores não terão a certeza de receber seus salários, também não fica descartada a possibilidade de fechamento de escolas, redução do efetivo das polícias militar e civil, e do corpo de bombeiros. Com certeza irá prejudicar o atendimento no Hospital de Urgência de Sergipe e hospitais regionais”, aponta Valadares Filho. Segundo o governo  “é mentira, Valadares Filho sai do ostracismo a que foi jogado pelo povo de Sergipe para mentir, enganar e destilar o mesmo veneno que tantas vezes tentou disseminar durante a campanha eleitoral. Não aprendeu nada com a vida, nem com a derrota". Ainda segundo a nota, nada do que está sendo colocado é verdade. “Primeiro por que, como mesmo disse o governador Belivaldo Chagas, o decreto de estado de calamidade financeira é uma possibilidade, que pode ou não se configurar, segundo, por que nenhum estado que implantou o estado de calamidade implementou nenhuma das ações anunciadas pelo ainda deputado e Sergipe não irá implementar. Belivado Chagas fez uma campanha limpa, ética e transparente. Em nenhum momento vendeu ilusões, nem disse que as dificuldades estariam resolvidas no primeiro mês da sua gestão, como fez o candidato derrotado. O atual governador sempre deixou claro que os sergipanos poderiam esperar dele muito trabalho e empenho para resolver os problemas e que daria seu melhor por Sergipe e isso ele está fazendo. 
A situação financeira do governo do estado é grave, requer cuidados e responsabilidade nas tomadas de decisões, experiência gerencial e pulso firme na condução da politica fiscal, além de um planejamento e uma execução que sejam eficientes na busca de saídas para o estado de desequilíbrio entre as despesas e receitas. Sergipe vai vencer as dificuldades com muito trabalho, planejamento, boas práticas de governança e paciência, e as aves agourentas serão como sempre, apagadas pelo tempo, esquecidas pela história”. Promessa de terceiro turno no ar. 

METRALHADORA GIRATÓRIA

Em entrevista ao radialista Alex Carvalho da Rádio Jornal FM 91,3, o deputado federal Jony Marcos (PRB) comentou as críticas que seu agrupamento político no estado tem sofrido do ex-governador Jackson Barreto (MDB). Nos últimos dias de seu mandato de parlamentar federal, Jony, que não foi reeleito, mas ficou somo suplento, afirmou que Jackson Barreto "atira para todo lado" e "bate em todo mundo". 'As pessoas esperam que eu retruque Jackson Barreto; ele está magoado por não ter sido eleito, mas ele não pode atribuir o não sucesso dele nas urnas ao PRB, a Pastor Jony ou a Pastor Heleno ... aliás, o desejo de lançar uma candidatura ao senado, nasceu quando Jackson afirmou que não seria mais candidato a nada. Alí o PRB viu a possibilidade lançar Heleno e de ter êxito; só que ele não cumpriu com a sua palavra".

BIRA BARRETO

Na contra mão do que solicitou a Asseop na ultima sexta feira (a permanência de Valmor Barbosa) o  governador Belivaldo Chagas (PSD) anunciou no Twitter a nomeação de Bira Barreto para o comando da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurb), fusão da Infraestrutura e Meio Ambiente, comandada por Valmor Barbosa. Bira assumirá o comando da secretaria no próximo dia 1º de fevereiro.O novo secretário foi indicado pelo ex-governador Jackson Barreto (MDB), de quem é primo. Atualmente, Ubiracy Barreto é vice-presidente da Emurb na Prefeitura de Aracaju.

DISCÍPULOS DO FAZ DE CONTAS

A administração do faz de contas resolveu transformar o município de Tobias Barreto em um modelo de aparelhamento político e de cabide de empregos. Não estou discutindo a competência técnica de nenhum dos onze nomeados como secretários adjuntos, pelo prefeito do Faz de Contas, até porque não os conheço, mas o modelo é ultrapassado, arcaico e desmoralizante para a administração publica. O Exmo. Sr. Prefeito parece esquecer o seu povo, nomear secretários adjuntos parece estar na contra mão do momento e do modelo atual. Vivemos uma crise, os municípios sergipanos e o Estado estão em dificuldades financeiras e aí a pergunta que não quer calar: Para que nomear, se até ontem Tobias Barreto mesmo mal, estava sendo governada?  

RETROCESSO

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) Vilma Amorim, declarou em entrevista ao repórter da Rádio Jornal FM 91,3 Alex Carvalho, que uma suposta extinção da justiça do trabalho no país, por decisão do presidente Jair Bolsonaro seria um retrocesso no que se refere à proteção de diretos sociais. "A Justiça do Trabalho tem um processo histórico, nós estamos prestando serviços à sociedade há 70 anos, então não podemos de repente apagar esse processo. Ela é uma justiça especializada que cuida da implementação dos direitos sociais, previstos na Constituição de 1988.", defendeu ela.

REFORMA TRIBUTÁRIA

O projeto que trata da reforma tributária deve chegar ao Senado, ainda, este semestre. A matéria, que foi aprovada em comissão especial, em dezembro passado, antes de ser analisada pelos senadores, será apreciada pelo plenário da Câmara Federal. “É um assunto extremamente relevante e complexo sobre o qual pretendo me debruçar, junto com a minha equipe técnica, de modo a poder contribuir com o debate”, afirmou a senadora Maria do Carmo Alves (DEM), ressaltando que o principal ponto da proposta é a unificação de 9 impostos e tributos no Imposto Sobre Operações de Bens e Serviços (IBS). A senadora ressaltou que o projeto unifica o ICMS, ISS, IPI, PIS, Cofins, Pasep, Cide, IOF e Salário-educação. “Esse formato tem como modelo o imposto sobre valor agregado e já é adotado na Europa e no Canadá, por exemplo”, disse Maria do Carmo, observando que a taxação é recolhida no ato do pagamento, em conta vinculada da empresa junto à Receita Federal. Porém, observou a parlamentar, em seu bojo, a proposta não altera a atual carga tributária, “que é altíssima”.

POSSE

A professora Maria Conceição Vieira Santos tomou posse nesta segunda-feira, 21, do cargo de diretora presidente da Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe (Funcap). Prestigiado por autoridades de Estado, políticos e representantes do cenário cultural sergipano, o ato solene de posse foi realizado no auditório do Banese, em Aracaju, com a presença da vice-governadora, Eliane Aquino, e do presidente do Conselho Deliberativo da Funcap e secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho. Em discurso, após assinar o termo de posse, Conceição Vieira agradeceu ao governador Belivaldo Chagas a confiança depositada em seu nome para ocupar a presidência da Fundação de Cultura e Arte Aperipê e a acolhida que teve dos funcionários do órgão. Agradeceu, também, a contribuição dada à área cultural pelo ex-secretário de Estado da Cultura, João Augusto Gama, e ao trabalho dos ex-diretores presidentes da então Fundação Aperipê, Chiquinho Ferreira – atual diretor de Rádio e Difusão – e Givaldo Ricardo.




Tópicos Recentes