05/02/2019 as 07:19

O pescoço grosso do bom Belivas

Os números do governo de Sergipe não permitem ao governador se isolar do poder central

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O apoio dos governadores é considerado pelo governo federal fundamental para aprovar a reforma da Previdência, mas eles querem colocar na mesa de negociação com a equipe econômica um novo socorro para ajudar os Estados em crise. A pressão é para que as demandas sejam atendidas caso a caso. O aviso já foi dado ao time do ministro da Economia, Paulo Guedes. Um governador que participa da frente de coalizão pró-reforma, que falou na condição de anonimato, disse que o apoio à reforma vai implicar o atendimento de demandas regionais, como perdão ou renegociação da dívida. Dos 27 governadores, 20 apoiam incondicionalmente as mudanças na regra de aposentadoria, mas sete têm "circunstâncias fiscais agudas" e exigem algum tipo de compensação. Com a renovação política nas eleições, a avaliação é de que aainfluência dos governadores na mobilização das bancadas foi reforçada. Enquanto isto, o governador sergipano Belivaldo Chagas resiste a um entendimento com o governo federal. Em recente reunião realizada em Brasília, o bom Belivas nem participou e muito menos mandou um representante a Brasilia; lá estavam a maioria dos governadores e representantes dos estados, menos o de Sergipe. O pescoço do governador deve afilar, Sergipe não vai aguentar quatro anos de penúria por causa da falta de diálogo com o poder central, o governador precisa pensar grande, as economias que serão possíveis com o decreto editado por Vossa Excelência, representam uma gota de água salgada em um oceano que se mostra revolto para o governo de Sergipe, nós os sergipanos de nascimento e coração não podemos ficar a mercê de questiúnculas políticas locais. Tenho certeza que o pescoço grosso do bom Belivas vai afinar pelos interesses de Sergipe.    

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em entrevista depois da vitória para a sua reeleição, defendeu uma reforma da previdência pactuada com os governadores. "Precisamos modernizar as leis, simplificá-las. E precisamos comandar as reformas de forma pactuada junto com todos os governadores, prefeitos e partidos políticos. Nada vai avançar se não trouxermos para o debate aqueles que estão sofrendo pela inviabilização do Estado." O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), disse que para ter apoio dos governadores é fundamental que a União dê fôlego aos Estados para que "possam respirar". "Que o ministro Paulo Guedes nos dê oportunidade de abrir uma válvula de empréstimo, podendo avalizar esses governantes que chegaram agora", pediu. "O governante vira gestor de massa falida: hospitais fechados, sem dinheiro para deslocar as viaturas e pagar os salários de professores. A gente se esforça, mas não tem como sair", reclamou. O Ministério da Economia está conversando com vários Estados, fazendo missões técnicas de cooperação, mas não há de imediato nenhuma possibilidade de socorro a Estados, sobretudo para pagar a folha de pessoal - o que é inconstitucional. Segundo fontes da equipe econômica, a questão dos Estados é complicada por causa do alto volume de contas a pagar deixado pelas administrações anteriores e pela falta de dinheiro em caixa. Para essas fontes, a receita para os governadores é controlar o orçamento dos poderes Legislativo e Judiciário, ter instrumentos para reduzir a folha de pessoal ativo e uma reforma da Previdência que inclua os funcionários estaduais, como professores e PMs. Só depois dessas medidas, segundo um integrante da equipe econômica, o governo federal pensará em algo novo para os Estados. "Acho importante que o governo federal abra o diálogo com os Estados. Afinal o tema é complexo e a realidade dos Estados e Municípios é bem diferentes que a do governo federal", defendeu o secretário de Fazenda de Alagoas, George Santoro.

Brasília

O governador Belivaldo Chagas nomeou e anunciou através do twitter o nome do advogado Manoel Dernival Santos Neto para o cargo de chefe do Escritório de Representação do Governo de Sergipe em Brasília. Segundo o bom Belivas, Dr. Manoel tem larga experiência no serviço público com passagens pela antiga Sergiportos, Emurb, Codise e Cohidro. Até dezembro, Dernival estava como diretor administrativo e financeiro do FNDE em Brasília.

DECISÃO

O prefeito da cidade de Areia Branca, Alan de Agripino, obteve decisão na Justiça pela improcedência de Ação Investigação Judicial. A ação tramitava no Tribunal Superior Eleitoral e foi relatada pelo Ministro Edson Fachin. De acordo com a decisão, “não há elementos consistentes” que comprovem participação e compra de votos no caso referido. Nisso, ausentes indícios mínimos de que o candidato participou, a ação foi julgada improcedente.

MDB

O deputado federal Fábio Reis (MDB) disse no Twitter que defende “um MDB com a mesma modernidade e agilidade do ambiente virtual”. Ele adverte que, se isso não acontecer, o partido perderá sua importância no cenário político.

Fabio Reis

✔@fabioreis1515

 1/3 É preciso renovar, dar espaço às novas ideias, a novos projetos que proporcionem uma transformação para melhor na vida de cada brasileiro. Somos um partido grande e forte, mas que deve acompanhar as mudanças promovidas pelas novas tecnologias e canais de interação.

Fábio também diz que a sociedade não aceita mais o tradicional debate público.

Fabio Reis

✔@fabioreis1515

1/2 A oportunidade é abandonar a forma tradicional de fazer política, adotando uma postura ágil e moderna, com um diálogo mais próximo do cidadão. Defendo um MDB com a mesma modernidade e agilidade do ambiente virtual, sob risco de perder sua importância no cenário brasileiro.

CARRETA

O contrato com a empresa Morumbi, que construiu a Carreta do Câncer, será rescindido e o governo irá apurar possíveis irregularidades por parte da contratada. Foi o que ficou definido na audiência no Ministério Público de Sergipe. Sheyla Galba, do Grupo Mulheres sem Peito, compareceu e lamentou a falta de entendimento. “Vim para esta audiência pensando que fosse resolvido, mas nada! E as mulheres que precisam de exames, como ficam?”, questionou Sheyla Galba. E o secretario Sales Neto disse ontem que o secretário de Estado da Saúde já tem orçamentos de outras unidades móveis semelhantes à Carreta do Câncer construída pela Morumbi em valores menores. “Temos um orçamento de uma carreta semelhante a unidade de Barreto no valor de R$ 1.800 milhão”, disse Sales Neto. Quanto à estimativa do tempo de entrega dessas unidades, o secretário esclareceu que irá repassar ainda hoje.

JEGUINHA

Um vídeo mostrando um homem com uma “jeguinha” dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA)  que circulou nas redes sociais   chamou a atenção das pessoas, Segundo o Centro Médico do Trabalhador, responsável pela gestão da Unidade de Pronto atendimento “Nestor Piva”, era tudo Fake News. Mas parece não ser esta a verdade dos fatos, o repórter policial Sandoval Noticias conseguiu localizar o homem que se identificou como “Carlinho” e que aparece no vídeo, e ele confirma que esteve na unidade de saúde porque segundo ele “ela é minha esposa”, disse se referindo ao animal que estava a seu lado no momento em que foi gravado o vídeo. Ele diz ainda que teria procurado outra unidade hospitalar, inclusive um motel, onde ele foi fotografado tentando entrar.

REJEITADO

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello rejeitou nesta sexta-feira (01) a reclamação protocolada pela defesa do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para suspender as investigações sobre movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar e ex-policial militar. A decisão foi tomada após o fim do recesso do Judiciário. Queiroz era lotado no gabinete do deputado estadual e senador eleito. Ele é investigado pela Justiça Federal no Rio de Janeiro. Com a decisão, a ação deve correr na primeira instância de Justiça. Marco Aurélio não entrou no mérito de anular as provas colhidas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).




Tópicos Recentes