25/02/2019 as 07:44

Vazamento de informações prejudicou Operação Leak

o prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), e seu genro, Igor Ribeiro Costa Aragão, foram levados para o Presmil – Presídio Militar, em Aracaju.

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Os promotores do Gaeco e a Policia Civil sergipana cumpriram na ultima sexta-feira a Operação Leak, que tinha como objetivo cumprir quatro mandados de prisão preventiva em desfavor do Prefeito JOSÉ VALMIR MONTEIRO, de seu genro IGOR RIBEIRO COSTA ARAGÃO e os sócios da empresa JLM, JOEL DO NASCIMENTO CRUZ e GILDO PINTO DOS SANTOS. Foram  alvo de buscas a sede da Prefeitura de Lagarto, as Secretarias Municipais de Finanças e Administração, o Matadouro de Lagarto, a sede da empresa JML COMÉRCIO ATACADISTA DE FUMO LTDA  e as residências do Prefeito, do genro e de laranjas dele e o administrador do Matadouro Municipal. O nome da Operação se dá em razão da notícia de vazamento dos pedidos de prisão e buscas que estão sendo apurados, além da notícia de que os principais alvos de prisão saíram de seus domicílios para evitar serem capturados pelas equipes do GAECO e das Polícias. O advogado criminalista Evanio Moura, o mago dos HCs, pedirá na Justiça nesta segunda-feira, 25,  o propalado  Habeas Corpus para o prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), preso na última sexta-feira. O prefeito, ao lado de seu genro, Igor Ribeiro Costa Aragão, está preso no Presmil, Presídio Militar, em Aracaju. Se não for beneficiado pela medida jurídica, Valmir pedirá licença para evitar que, depois de dez dias de prisão, seja afastado do cargo de prefeito. O MP e a Policia Civil devem investigar ainda, de onde saiu o vazamento que permitiu aos acusados a limparem os locais onde estavam farta documentação que comprovavam os desvios de recursos públicos.  

Segundo revelou o promotor de Justiça Bruno Melo, “ao chegar na prefeitura, tivemos a informação que há dois dias o gabinete do prefeito tinha sido limpo”. Não havia mais documentos que pudessem comprometer o prefeito. Mensagens de WhatsApp, revelam que o prefeito de lagarto Valmir Monteiro, já sabia da operação policial que culminaria com a sua prisão desde a ultima terça feira, segundo a mensagem divulgada para a imprensa um interlocutor dizia que “soube que ele está corrido desde anteontem”. O prefeito e seu genro se apresentaram ao Deotap, Departamento de Combate aos Crimes Administração Pública e Tributários, antes das 11h desta sexta-feira, 22. Os dois empresários ainda não foram localizados nem se apresentaram. Logo após em entrevista coletiva o promotor Bruno Melo disse que  “existe o esquema do matadouro onde há violação aos crimes da lei de licitação. O local funciona sem licenças ambientais, que também é crime, há sonegação fiscal, ou seja, o que era para ir apara os cofres dos municípios do Matadouro Municipal ia para os bolsos dos gestores, no caso o prefeito. Isso foi dito pelo próprio gerente do Matadouro. Então, se você recebe dinheiro de origem ilícita você passa a ocultar patrimônio, por isso passamos a fazer essa segunda parte da investigação. A lavagem de dinheiro foi à aquisição de patrimônios por pessoas que não tinham renda suficiente, que são o Igor e os sócios da empresa  ML Comércio Atacadista de Fumo LTDA, Joel do Nascimento Cruz e Gildo Pinto dos Santos.” A Prefeitura de Lagarto, através da Secretaria de Comunicação, informou através de nota,  que ocorreu uma operação investigativa nas dependências na sede administrativa da cidade. Todos os funcionários que se encontravam ou que chegaram para cumprir seu expediente de trabalho, atuaram de forma a garantir total acesso aos agentes para a operação em questão. Ao final da ação, foi comunicado pelos agentes que apenas a documentação do contrato da Prefeitura com uma empresa denominada CAOL fora apreendida. Depois do exame de corpo de delito, o prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), e seu genro, Igor Ribeiro Costa Aragão, foram levados para o Presmil – Presídio Militar, em Aracaju.

RADAR

O governador Belivaldo Chagas fez um pronunciamento duro na solenidade de posse do engenheiro Carlos Melo na presidência do Deso. Belivaldo deixou claro que é necessário se fazer uma gestão na empresa voltada para alcançar um superávit, que dê para investir na melhoria tecnológica, avançando na qualidade do serviço para população.“Não está no meu radar a privatização da DESO mas, tem que ter gestão”, disse o governador.

CONVERSAS

Belivaldo fez referências aos deputados estaduais, Zezinho Guimarães e Garibalde Mendonça, presentes na solenidade, dizendo ao primeiro que não quer briga de hipótese alguma, por mais que especulem no meio político e na imprensa. Já para Garibalde, o governador disse que nunca teve qualquer problema com o parlamentar, e que sabe compreender o momento recente da eleição da Mesa diretora da Alese, ainda mais, tendo ele vivido algumas eleições ali quando deputado esteve.O governador explicou que ainda falta conversar com alguns deputados aliados, e que isso vai acontecendo entre uma pauta e outra mas, também deixou bem claro que precisará contar com a enorme compreensão e colaboração dos demais poderes e seus membros.

COMDEM

O prefeito Edvaldo Nogueira voltou a se reunir com o Conselho Municipal do Desenvolvimento Econômico. “Conseguimos superar dificuldades gigantescas e operar uma transformação jamais vista em Aracaju. Regularizamos os salários dos servidores, a limpeza pública voltou a funcionar, retomamos e iniciamos obras, fortalecemos a Assistência Social, a Saúde e Educação tiveram melhora significativa, colocamos ações de sustentabilidade em prática, fortalecemos o calendário cultural da cidade, atuamos na área da Segurança, entre outros grandes avanços. O quadro ainda é difícil, mas as estratégias adotadas por nós foram fundamentais para que trilhássemos um caminho promissor”, destacou Edvaldo.

Estância

No último sábado, 23, lideranças e militantes de várias correntes internas do PT de Estância realizaram um seminário com o propósito de se unificarem em torno da construção de uma candidatura majoritária petista no município de Estância. O seminário também materializou um documento intitulado Carta de Fevereiro: Lula Livre, essa carta será apresentada nas instâncias partidárias, ao conjunto da militância e ao povo estanciano. Na carta, além dos eixos de atuação, foi aclamado por unanimidade o nome do presidente municipal DOMINGUINHOS como pré- candidato a prefeito na cidade de Estância.

FUNDO ELEITORAL

Na semana em que um ministro foi demitido e outro está ameaçado de ter o mesmo fim por causa de um esquema de candidaturas de laranjas do PSL, o líder o partido no Senado, Major Olímpio (SP), apresentou um projeto de lei que propõe a extinção do fundo especial de financiamento de campanha. O fundo eleitoral, como é mais conhecido, foi usado para abastecer as candidaturas sob suspeita. Atualmente, as campanhas políticas são financiadas por recursos deste fundo, do fundo partidário e de doações de pessoas físicas. Ao justificar a proposta, Olímpio argumenta que o fundo, criado em 2017, retira recursos que seriam destinados a emendas parlamentares, dinheiro usado por deputados e senadores para fazer obras em seus redutos eleitorais.

NEGOU

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, negou seguimento a uma ação contra o aumento de 16,38% aos ministros da Corte aprovado no Senado Federal, que entrou em vigor ainda em novembro de 2018. Além dos integrantes do STF, a medida gera um efeito cascata no Judiciário. A ação popular foi movida em agosto, quando o STF aprovou o envio da proposta de aumento para o Congresso. O autor, Carlos Alexandre Klomfahs, pedia para que fosse "sustado o andamento do ato administrativo".O aumento foi sancionado em novembro, pelo então presidente Michel Temer. No mesmo dia, o ministro Luiz Fux, da Corte, revogou o pagamento do auxílio-moradia para juízes, integrantes do Ministério Público, defensorias públicas e tribunais de contas.




Tópicos Recentes