02/06/2019 as 19:21

As licitações e demissões de Paris Piranga são para inglês ver.

Enquanto isto, existem perguntas que não querem calar, as faço no final do texto

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Engraçada a administração do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), depois de prometer e não cumprir a licitação do transporte coletivo, a de prometer também a revogação do aumento do IPTU e também não cumprir, vem aí a única licitação que realmente interessa ao prefeito Nogueira. Na próxima terça-feira, 4, às 9h, a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) abre os envelopes na sede da empresa, no Parque da Sementeira, zona Sul da capital. Mais de 40 empresas retiraram o edital. As informações sobre essa fase do processo foram prestadas pelo próprio presidente da Emsurb Luiz Roberto. Aracaju tem cerca de trinta feiras e após o processo encerrado, segundo o presidente da EMSURB, passará a ter cerce de vinte e cinco. O edital de licitação foi lançado há cerca de um mês e em tempo recorde serão abertos os envelopes para conhecermos as empresas vencedoras do certame. O presidente Luiz Roberto explicou recentemente, que sairão vencedores as empresas que ofertarem o menor preço para cobrança aos feirantes.

No lote 1, estão as feiras do Augusto Franco, Orlando Dantas, Santos Dumont, Costa Nova, Médici e Santa Tereza. No lote 2, estão as feiras do Sol Nascente, Castelo Branco, Grageru e Bairro América. O lote 3 é formado pelas feiras do São José,  18 do Forte, Cirurgia, Bugio e Suíssa. No lote 4, estão as feiras do Santo Antonio, São Carlos, D. Pedro I e Coqueiral. E lote 5 é composto pelas feiras do Batistão, D. Pedro I, Jabotiana, Agamenon, Lamarão e Jardim Esperança. Só faltou o lote do céu.   “Vamos fiscalizar todas as feiras e cobrar, exigindo para que as empresas cumpram o que está estabelecido no edital”, afirmou Luiz Roberto. Recebi do ex vereador e empresário do ramo Bertulino Menezes,  algumas ponderações que foram divulgadas pelo jornalista Habacuque Villacorte e que acho interessante compartilhar neste espaço. “É visível para qualquer um que o prefeito de Aracaju está trabalhando, incansavelmente, via Emsurb (leia Jackson Barreto), para retirar todas as concessões de feiras livres do empresário Bertulino Menezes que, historicamente, tem relação política com a família Valadares. É perseguição pura!  Faltando poucos dias para a licitação das feiras (dia 4), a PMA  manifesta que está buscando uma empresa para montar a feira do Augusto Franco, no próximo dia 5 (depois da licitação), ou seja, uma espécie de “contrato emergencial”, como este colunista já antecipou".

O engraçado é que o presidente da Emsurb, Luís Roberto, se manifesta sobre a feira do Augusto Franco como se o empresário Bertulino Menezes já tivesse sido notificado da decisão que retirou sua permissão pelo uso do espaço público. E já quer colocar outra empresa sem esperar o resultado da licitação? Sei não...  Comenta-se nos bastidores que dois empresários brigam por esse contrato emergencial das feiras livres de Aracaju: um conhecido por Roque, que seria ligado politicamente a Jackson Barreto, e outro de Itabaiana, que teria tomado um empréstimo grande para preparar as barracas para a capital. “Corre por fora” uma empresa de Caruaru (PE). Tudo para tirar Bertulino! Habacuque lembra ainda:  "A comunidade do Conjunto Augusto Franco está preocupada com os rumores de que a Prefeitura de Aracaju pretende tomar a responsabilidade da montagem e padronização da feira do empresário Bertulino Menezes. São quase três anos de uma estrutura totalmente ampliada, garantindo mais higiene e comodidade para feirantes e consumidores. O que mais chama a atenção é que a Emsurb, através do diretor Bira e do presidente Luiz Roberto, notificam o empresário para retirar a estrutura, alegando “o risco de acidentes”. E será que não havia risco nos últimos anos? Com todo respeito que este colunista nutre pelos dois gestores da Emsurb, liderados pelo ex-governador Jackson Barreto e pelo deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), respectivamente, não há outra interpretação para esta postura com Bertulino Menezes que não seja perseguição política. É fim dos tempos em Sergipe".

E Habacuque continua: "não é à toa que Sergipe atravessa um momento financeiro bastante complicado, realidade confirmada pelo próprio governador Belivaldo Chagas (PSD). Nos últimos anos os “gestores de plantão” colocaram a “política partidária” em primeiro lugar, não pensaram com grandeza e os resultados obtidos são medíocres! O desemprego está em alta, a economia local entra em desespero, empresas fechando as portas, muita gente “quebrando” e o dinheiro não circula no mercado. E o pior: quem quer empreender no Estado, se tiver alguma preferência política acaba sendo maculado, execrado, perseguido e “torturado”. Sim, em Sergipe os “governos de esquerda”, que tanto condenam o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), são os primeiros a perseguirem adversários e eleitores que não “rezam na cartilha”. Fazem uma espécie de “tortura psicológica” para terem seus objetivos atendidos. No Estado é quase que um decreto de lei: quem “conversar” com o PSB dos Valadares é quase que um “inimigo mortal” do governador – que “enterrou seu umbigo” entre os socialistas – e, além de não ter espaços dentro de sua gestão – o que é compreensível – é para ser “dizimado” de qualquer outra administração que tenha vínculo com o “galeguinho”.

Em Aracaju a “sangria” é ainda maior: o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) não “destila ódio”, mas uma espécie de “veneno frio”, atuando pelas “sombras”, sempre colocando alguém como “testa de ferro”, sem assumir de fato as perseguições. Estamos no terceiro ano de gestão e já vimos estourarem na capital, escândalos como nos casos do lixo, da saúde e, mais recentemente, dos shows. Estranhamente as investigações parecem não andar em Sergipe, parece que uma “força maior” move as instituições e as faz “recuar” quando estão avançando demais. Com uma licitação do lixo judicializada e uma licitação do transporte coletivo que não saiu do papel, Edvaldo curte férias na Europa, mas deixou com o prefeito em exercício, o vereador Josenito Vitale (PSD), o “Nitinho”, o encargo de cuidar da licitação das feiras livres, cujos lotes serão licitados no próximo dia 4. Pois bem, faltando poucos dias para o processo, a Prefeitura de Aracaju, através da Emsurb, nas pessoas do seu presidente Luiz Roberto Dantas e do diretor de espaços públicos, Ubiraci Barreto (Bira) – sobrinho de JB – subitamente notificou o empreendedor e ex-vereador Bertulino Menezes, a desarmar toda a estrutura que investiu nos últimos anos para manter a tradicional feira do Conjunto Augusto Franco.

Uma feira que foi padronizada garantindo aos feirantes em compras mais espaço e comodidade, facilitando o acesso à higienização e mantendo produtos organizados.  Uma feira tradicional, mantida em parceira com a própria Emsurb, que só agora alega riscos de acidentes por conta da estrutura montada, após vários anos.  Não se teve nem o bom senso de esperar menos de 15 dias para que o resultado da licitação seja sacramentado. Não só passa a impressão, como fica evidente, após tantas perseguições a Bertulino, que a questão vai muito além do interesse público: há interesse político! A retirada da estrutura que “caiu no gosto” da maioria da comunidade, por todos esses anos, pode inviabilizar todo um investimento feito para padronizar aquela feira, que se tornou referência para todo o Estado. Como já vem ocorrendo em outros bairros, a Emsurb “revogou” concessões de Bertulino por politicagem. Edvaldo parece querer mostrar que “manda”, mesmo à distância, porque persegue,  e Nitinho apenas se esquiva. “Coincidências” à parte, a maioria das feiras livres da capital enfrenta um sério risco de “retrocesso”, ficando sob o comando, indiretamente, de Jackson Barreto. Girou, girou e caiu no colo! Melhor, impossível… A análise de Habacuque Villacorte nos permite exibir vídeo produzido pela própria Prefeitura, em 2017, quando da inauguração da nova feira do Augusto Franco. A placa da Emsurb, cravado na entrada da feira, é prova inconteste da satisfação e aplauso da própria administração municipal.  Aí está o modelo de feira livre criada por Bertulino Menezes que o Diretor da Emsurb conhecido por Bira, sobrinho de Jackson Barreto vai acabar.  Ficava na Praça da Creche do Augusto Franco".

Enquanto isto, perguntas que não querem calar. A licitação tem cartas marcadas? O prefeito correu do pau? As demissões de pessoas ligadas a ex vice prefeita Eliane Aquino abortadas pelo menos momentaneamente vão acontecer? Quando os sergipanos terão direito de saber sobre a licitação dos onibus? O IPTU de Aracaju, vai ser revogado? A Saúde vao ser desprivatizada? E por fim, a principal delas, Aracaju tem governo?

EDITAL

Nesta segunda-feira (03), o governador Belivaldo Chagas lançará o edital do Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores (Centelha/SE), por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e a Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec). O objetivo do programa é estimular a criação de empreendimentos, a partir da geração de novas ideias, disseminando a cultura do empreendedorismo inovador em Sergipe. Os recursos financeiros serão aplicados por meio de verba de subvenção econômica, bolsas e capacitações, para incentivar empreendedores a transformarem suas ideias em negócios de sucesso. O financiamento do Centelha é  proveniente de uma parceria entre o Governo do Estado e o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). O investimento total é de R$ 1,2 milhão, sendo R$ 900 mil provindos da Finep, e R$ 300 mil de contrapartida estadual.

AGENDA

Após uma série de discursos em que o presidente Jair Bolsonaro foi poupado, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin encerrou a convenção nacional do partido atacando o governo e classificando o "bolsonarismo" como uma "mentira", comparando o posicionamento de Bolsonaro ao PT. Ele manifestou solidariedade ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), por ter sido criticado pelo presidente da República. "Esses oportunistas políticos por 30 anos numa deslealdade vêm atacar a vida dos homens públicos jogando a sociedade contra suas instituições. Não temos duas verdades, a extrema direita e a extrema esquerda. Temos duas grandes mentiras, o petismo e o 'bolsonarismo'", discursou o tucano, que entregou a presidência do partido ao ex-deputado Bruno Araújo (PE). "Onde está a agenda de competitividade desse governo? Vamos ter coragem de criticar, pôr o dedo na ferida." O ex-governador negou que o PSDB esteja sendo pressionado a dar uma guinada à direita e disse não acreditar que a nova direção do partido se alinhe à pauta de costumes do governo Bolsonaro.

TESTEMUNHA

O ex-governador Jackson Barreto foi ouvido pelo Ministério Público Federal (MPF), como testemunha de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A audiência tratou do processo acerca das medidas provisórias editadas no Governo Lula na época que o ex-governador exercia seu mandato de deputado federal.  A audiência teve foco nas ações da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste - SUDENE, meio de abrangência das medidas provisórias sobre as quais Jackson Barreto foi ouvido. “Sem os incentivos fiscais nós não teríamos chegado onde chegamos e é evidente que essas políticas foram aprofundadas no Governo do presidente Lula. A história mostra para todos nós o que acontece antes e depois do Governo Lula”, ressaltou, comentando acerca dos incentivos fiscais para investimentos no Nordeste.  “É preciso desse tipo de política para incentivar, para estimular, para trazer e para desenvolver essa região”. Na opinião de Jackson, os objetivos eram alcançados pela SUDENE e Lula foi fundamental para o processo de crescimento da região Nordeste.

GÁS NATURAL

Membros da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia estiveram com representantes de mais seis estados em reunião do Comitê de Promoção da Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil. O gás natural desponta em Sergipe como uma das mais promissoras oportunidades para o desenvolvimento do estado nos próximos anos. Entendendo a importância deste combustível, o governo do Estado, por meio do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, e do assessor técnico Marcelo Menezes, esteve nesta quinta-feira (30), em Brasília, para uma reunião do Comitê de Promoção da Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil. O Comitê foi criado pelo governo federal para apresentar soluções à abertura do mercado de gás natural. Além de Sergipe, também foram convidados representantes dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Pernambuco, com o intuito de discutir alternativas para o desenvolvimento do setor, sugerindo propostas que destravem pendências entre os Estados e a União com relação à comercialização do energético.

MDB

O Diretório Municipal de São Cristóvão do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) tem nova direção A convenção confirmou a renovação que vem marcando a atual fase da sigla no estado: sai Wanderlê Correia e assume o prefeito Marcos Santana como presidente e o vereador Adailton Lopes como primeiro vice-presidente e Augustus César Silva como segundo vice-presidente. Na esfera estadual, o partido é comandado pelo deputado federal Fábio Reis e o diretório de Aracaju está sob o comando de Jackson Barreto. Marcos Santana assume o MDB municipal com o desafio de fortalecer a sigla para as eleições do próximo ano. Além dos novos diretores, o partido tem o vereador Vanderlan Correia, que assume como líder do partido na Câmara de Vereadores. Em São Cristóvão, o partido possui, atualmente, 187 filiados.

ANTICRIME

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, pode sofrer um novo revés no Congresso. O grupo de trabalho que analisa seu pacote anticrime na Câmara deve rejeitar duas das principais medidas da proposta. A maioria dos parlamentares é contra manter, no texto, o chamado excludente de ilicitude - que isenta policiais de punição em casos de homicídio em serviço - e o cumprimento de pena após condenação em segunda instância. Dos dez deputados que integram o grupo, seis disseram ser contrários aos dois itens, que foram preservados no relatório do deputado Capitão Augusto (PR-SP). "Sou minoria no grupo. Sei que há questionamentos jurídicos sobre esses dois pontos que podem de fato cair", admitiu o relator. O texto seria apresentado ontem ao colegiado, mas a reunião foi adiada para a terça-feira que vem. Capitão Augusto incluiu no pacote de Moro o aumento da pena máxima de prisão de 30 para 40 anos, como é hoje na Colômbia. A proposta do ministro não entrava nesse tema. Apresentado em fevereiro, o pacote anticrime motivou atritos entre o ministro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Cobrado publicamente por Moro a dar celeridade à análise da proposta, o deputado revisou e tratou o pacote do ex-juiz da Lava Jato como um "copia e cola" de outro projeto, apresentado no ano passado por uma comissão de juristas encabeçada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

 

 

 

 

 




Tópicos Recentes