10/06/2019 as 05:55

Não vai ter dinheiro, disse o presidente

Bolsonaro usou o Twitter para criticar a oposição por tentar adiar a votação do projeto na Comissão Mista de Orçamento

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer neste domingo, 9, que se o Congresso não aprovar o Projeto de Lei nº 4 (PLN 4), que prevê a concessão de um crédito suplementar para o governo no valor de R$ 248,9 bilhões, não haverá dinheiro para o pagamento de benefícios para aposentadorias, Bolsa Família, Pronaf e Plano Safra. "Se não aprovar teremos problema. Não é que eu não queira pagar ninguém, não vai ter dinheiro", afirmou. Questionado sobre se o recurso destinado ao pagamento dos benefícios já não estava previsto no Orçamento, o presidente respondeu: "Está, mas a receita está bem abaixo do previsto". Mais cedo, Bolsonaro usou o Twitter para criticar a oposição por tentar obstruir e adiar a votação do projeto na Comissão Mista de Orçamento (CMO) no Congresso nesta semana. "A oposição está trabalhando para inviabilizar o pagamento de beneficiários do Bolsa Família, idosos com deficiência, Plano Safra e Pronaf. Para alcançar seus objetivos vale até prejudicar os mais pobres", escreveu o presidente em sua conta na rede social, citando uma publicação em que o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) comemorou a obstrução.

A CMO suspendeu a sessão marcada na quarta-feira, 5, para votar o crédito extra de R$ 248,9 bilhões que o governo solicitou ao Congresso. A reunião foi interrompida para uma tentativa de acordo entre deputados e senadores, que conversam a portas fechadas na sala da presidência do colegiado. A oposição tenta derrubar a votação por meio de obstrução e exige do governo a garantia de R$ 11 bilhões para recompor orçamentos da Educação e do Minha Casa, Minha Vida, entre outros. Bolsonaro também disse estar confiante com a aprovação da proposta de reforma da Previdência. Questionado sobre sua expectativa, afirmou ser "total". O presidente respondeu a algumas perguntas de jornalistas ao chegar ao Palácio da Alvorada, depois de passar a noite deste sábado e a tarde deste domingo na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência, com a família. Bolsonaro foi recebido no Alvorada por apoiadores e parou para cumprimentá-los e tirar fotos. O presidente ainda foi questionado sobre sua avaliação quanto à permanência do deputado Luciano Bivar (PSL-PE) na presidência nacional do partido. "Eu não acho nada", afirmou. Segundo a revista digital Crusoé e o jornal "Folha de S. Paulo", Bivar apresentou notas fiscais frias para a Câmara dos Deputados e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

TURISMO

O senador Alessandro Vieira promove uma reunião ampliada para discutir “Os Caminhos para o Turismo Sergipano”, nesta segunda-feira (10), a partir das 9h30, no auditório do Shopping Casa Design, localizado na avenida Augusto Franco, 2980 – Ponto Novo, Aracaju. O objetivo é dialogar com os principais atores do trade turístico sobre as soluções e perspectivas para o setor. Dentre os convidados estão parlamentares sergipanos, representantes do governo e de associações ligadas ao tema.

GINÁSIO

O governador Belivaldo Chagas, acompanhado da vice-governadora Eliane Aquino, entregou a reforma do Ginásio de Esportes Governador Marcelo Déda Chagas, em Pinhão. O projeto de recuperação do Ginásio de Esportes foi concluído para proporcionar a prática de esportes, oferecendo melhores condições à qualidade de vida da população do município, bem como um espaço bem equipado, que atende as normas vigentes. Na ocasião, Belivaldo recebeu o título de cidadão pinhãoense da Câmara de Vereadores do município. O governador ainda se comprometeu com a realização de um projeto para a rodoviária da cidade e com a recuperação das rodovias que ligam a BR 235 a Pinhão e Pinhão a Simão Dias.

FAKE NEWS

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse que as informações fraudulentas já fazem parte do processo eleitoral em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil. A declaração foi dada noite de hoje (24) no seminário Fake News: Desafios para o Judiciário, organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, que debateu o papel da Justiça frente às notícias falsas, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. “Pesquisa realizada pelo Ideia Big Date e divulgada neste mês revelou que mais de dois terços das pessoas receberam fake news pelo Whatsapp durante a campanha eleitoral de 2018”, disse Toffoli ao classificar o fenômeno das fake news como abrangente e complexo. “Esse processo de desinformação pode colocar em risco os processos e os valores democráticos”.

CIDADE INTELIGENTE

O “planejamento” da gestão atual chega a “impressionar”! Enquanto os bairros da cidade estão sofrendo com tantos buracos, a PMA decide “renovar” o asfalto de toda extensão da Avenida Beira Mar (onde menos precisava), gerando um “caos” no trânsito com serviços sendo realizados durante o dia e durante o período de chuvas. Edvaldo só esqueceu de “planejar” o Forró Caju. Estamos em  junho, faltando menos de 15 dias para o São João e o São Pedro, e hotéis e pousadas, bares e restaurantes, o comércio local, ninguém sabe qual a programação e até se o evento será realizado! Como atrair turistas assim? É assim que Aracaju é uma cidade “inteligente”?

CHAMOU, VOLTOU PAPAI

A semana terminou com um cenário triste para Aracaju. Em menos de 48 horas de chuvas contínuas, a capital da “qualidade de vida”, tão prometida em 2016 e tão propagada de lá para cá, ficou “submersa”. Ruas alagadas e bloqueadas, congestionamentos, veículos danificados, semáforos intermitentes e comerciantes e moradores prejudicados. A periferia que cantou e dançou o hit do marketing de Edvaldo, acordou na “lama” e o inverno nem chegou ainda. “La cidade de Papel” não resistiu a tanta água e “se desmanchou”. Aracaju chamou, Edvaldo voltou e o que esse “mar de lama” não levou?

PACTO

Após reunião com Jair Bolsonaro na manhã deste domingo, 9, na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o presidente "revisou mais uma vez o texto" do "Pacto entre Poderes" e fez "algumas sugestões". A assinatura do texto, explicou, depende agora de uma nova conversa com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli. "Ao longo do dia de hoje eu converso com o presidente Rodrigo Maia, com o presidente Davi Alcolumbre e amanhã devo voltar a conversar com o ministro Toffoli para a gente ver se nesta semana ou na próxima a gente consegue fazer a assinatura do pacto", disse a jornalistas.




Tópicos Recentes