07/10/2019 as 05:56

Confira como serão os cálculos da aposentadoria na reforma da Previdência

A renda mensal terá o acréscimo de 2% para cada ano de contribuição a mais a partir do 16º ano, para a mulher

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Funcionários "Gasparzinhos, ouça comentário de Ewerton Júnior na Nova Brasil FM - Programa Nova Manhã.

Os brasileiros passarão a calcular o valor das suas aposentadorias de um novo jeito a partir da reforma da Previdência. A partir da promulgação da emenda constitucional 6, os benefícios pagos pelo INSS passarão a corresponder a 60% da média salarial para trabalhadores que se aposentarem com a carência de 15 anos de contribuição. A renda mensal terá o acréscimo de 2% para cada ano de contribuição a mais a partir do 16º ano, para a mulher, e do 21º, para o homem. O novo sistema é mais simples do que o utilizado hoje. O fator previdenciário, a fórmula 86/96 e a diferença entre os cálculos de aposentadorias por tempo de contribuição e por idade deixarão de existir.  Considerando que a reforma obrigará o trabalhador a se aposentar com idades mais elevadas, a nova conta para chegar ao valor do benefício será desvantajosa para a maior parte dos aposentados, que conseguiriam mais rapidamente a aposentadoria integral com a fórmula 86/96. De acordo com o texto aprovado pelos senadores, o benefício sem desconto só se tornará possível para quem contribuir por 35 anos, se for mulher, ou por 40 anos, no caso dos homens. A reforma ainda mudará o cálculo da média salarial, que passará a considerar 100% dos salários de contribuição desde julho de 1994. Hoje o INSS considera 80% dos recolhimentos com valores mais altos. Ao não descartar recolhimentos baixos, o novo cálculo acrescentará um redutor a mais às aposentadorias.Com a nova fórmula, o governo vai passar a considerar salários menores, como os do início da carreira, que costumam ser mais baixos. Na regra atual, o trabalhador tem a chance de descartar esses valores  do cálculo da média salarial. O mesmo vale para quem pagou só por um período as contribuições pelo piso.

Com o sistema atual, um trabalhador que fez 80% das suas contribuições pelo teto previdenciário (de R$ 5.839,45, neste ano) e 20% sobre o salário mínimo teria uma aposentadoria de R$ 5.478. Mas se a fórmula da reforma já estivesse valendo, o benefício cairia para R$ 4.495, segundo cálculos do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários). Há uma fórmula para o benefício por idade e outra para a aposentadoria por tempo de contribuição. A base do benefício é o valor médio das 80% maiores contribuições desde julho de 1994.Aposentadoria por tempo de contribuiçãoA média salarial é multiplicada pelo fator previdenciário correspondente ao perfil do segurado. O fator varia conforme a idade e o tempo de contribuição no momento da aposentadoria. A expectativa de sobrevida por idade, estimada pelo IBGE, também compõe o fator. Quanto mais cedo o trabalhador se aposenta, maior é o desconto do fator na renda.Regra 86/96Permite a aposentadoria sem desconto do fator previdenciário. O trabalhador tem direito se a soma da idade e das contribuições resultar em 86 pontos, para mulheres e 96 pontos, para homens.Aposentadoria por idadeComo é hojeA base da aposentadoria por idade corresponde a 70% da média salarial. Cada ano de contribuição acrescenta 1% da média salarial ao benefício. Com 30 anos de INSS, é possível ganhar 100% da renda (70% + 30%).Como vai ficarA média salarial será calculada sobre todas as contribuições feitas desde julho de 1994. O INSS deixará de descartar as 20% menores contribuições dos trabalhadores. A mudança deve reduzir a média salarial e a aposentadoria. Quem tiver mais tempo de contribuição do que o exigido poderá excluir contribuições que resultem em redução no benefício. A renda será de 60% da média salarial para quem se aposenta com 15 anos de contribuição. O benefício terá o acréscimo de 2% da média salarial para cada ano a mais de recolhimentos. Com 35 anos de contribuição para a Previdência, a segurada terá direito ao benefício integral. O homem que se aposentar com tempo de contribuição de 15 a 20 anos receberá 60% da média salarial. A partir do 21º ano, a aposentadoria aumentará 2% para cada ano a mais de recolhimento. Com 40 anos de contribuição, o trabalhador se aposentará com 100% da média salarial.

Com informações da Folha

GASPARZINHO O FANTASMINHA CAMARADA

Desde o inicio da manhã deste domingo (06) que circula nas redes sociais a informação de que o MPE teria instaurado dois inquéritos para investigar a nomeação de comissionados na Alese. Um deles verifica a existência de servidores que estariam recebendo sem ir trabalhar. A outra investigação apura a suspeita de um esquema conhecido com o “rachadinha”, onde comissionados estariam devolvendo parte dos salários aos deputados. A denúncia foi feita a partir de um aumento na quantidade de nomeações e o crescimento na folha de pagamento do Poder Legislativo. As informações são de que um levantamento do MPE aponta cerca de 1.100 nomeações entre janeiro e agosto de 2019. No final da manhã, a assessoria da Alese emitiu uma nora onde diz que “Nomeações da Alese: Nova Legislatura, novos deputados, novos assessores”.

NOTA

Sobre a informação que está circulando relacionada ao número excessivo de assessores na Assembleia Legislativa de Sergipe, informamos que no ano de 2019, deu-se início a uma nova legislatura, onde foram eleitos 12 novos deputados estaduais. Além disso, fizemos uma completa reformulação, num constante diálogo com o MPE, no sentido de organizar a estrutura administrativa da Casa Legislativa. Neste sentido, no início do exercício de 2019, foram exonerados todos os servidores, e nomeados os novos integrantes das assessorias parlamentares dos 24 deputados eleitos e reeleitos. Informamos também que sempre mantivemos um diálogo aberto e transparente com o Ministério Público de Sergipe, sempre visando ajustar todos os procedimentos. Informamos também que o Sr. Promotor responsável pela área administrativa tem tido por parte da Assembleia Legislativa toda a atenção e mantemos um excelente diálogo. Direção de Comunicação Assembleia Legislativa de Sergipe

JMDB

Na tarde do último sábado (05), em Brasília, ocorreu o Encontro Nacional da Juventude do MDB. Representando Sergipe, a presidente estadual da JMDB/SE, Luana Oliveira, e o segundo secretário-geral, Francisco Carlos Filho (Chicão), participaram das discussões sobre o futuro do partido e a importante representatividade dos jovens dentro do partido. Luana, como única mulher presidindo a JMDB nos estados, foi convidada a compor a mesa do evento e representar todas as mulheres do MDB. “É importante entender que as mulheres estão conquistando seu espaço todos os dias. De modo que os ventos sopram no sentido do reconhecimento do seu papel também na vida pública e, portanto, no fortalecimento da igualdade de gênero na vida político-partidária”, registrou. O evento contou ainda com a participação do presidente nacional do MDB, Romero Jucá, e demais diretores e representantes do partido nos estados.

MDB

Com o objetivo de reunir líderes para a escolha do novo presidente do MDB Nacional, aconteceu na manhã deste domingo, 6, a Convenção Nacional do partido, em Brasilia.  O MDB tem proposto em suas ações se fortalecer e se preparar para o futuro. Com isso, tem reunidos suas bases, fortalecido os núcleos e recebe o seu novo presidente, o deputado federal Baleia Rossi. “Fazer diferente” é o lema dessa nova era do MDB. Em Brasília, acompanhado e participando das discussões do novo MDB, o presidente do diretório estadual em Sergipe, Fábio Reis, o vice-presidente, Sérgio Reis, e diversos integrantes dos núcleos do partido representaram o estado no evento.

ILEGAL

O presidente Jair Bolsonaro disse que as mensagens e gravações que vêm sendo divulgadas pelo The Intercept Brasil, trocadas entre autoridades do Ministério Público e do Judiciário por meio do aplicativo Telegram, não devem ter validade. Para o presidente, as mensagens foram obtidas de forma ilegal e, por isso, não podem ser incluídas em processos pela Justiça. As mensagens citadas pelo presidente vêm sendo divulgadas pelo The Intercept Brasil em parceria com outros veículos de imprensa. “O que é criminoso é criminoso. Respeita a lei. Igual a quebra de sigilo. Se seguiu a lei, tudo bem. Não seguiu, está errado”, disse Bolsonaro nesta manhã ao deixar o Palácio do Alvorada. A afirmação foi feita dois dias após conteúdos das matérias terem sido lidos pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, durante seu voto sobre a ordem das alegações finais, no julgamento do habeas corpus do ex-gerente da Petrobras Márcio de Almeida Ferreira. O ex-gerente da estatal foi condenado, na Lava Jato, a 10 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

VISITA

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reuniu-se hoje com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio Alvorada.  A visita, que não estava prevista na agenda de Bolsonaro, foi rápida: Maia chegou às 9h e saiu às 9h50. O teor da conversa não foi divulgado e Maia entrou e saiu sem falar com a imprensa.

 

 

 

 




Tópicos Recentes