08/10/2019 as 04:44

"Covarde e patife", diz Bolsonaro sobre imprensa brasileira

O presidente voltou a fazer acusações contra a imprensa

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente Jair Bolsonaro acusou a imprensa de mentir e difamar e questionou se o objetivo dos veículos de comunicação é derrubá-lo do cargo. Ao deixar o Palácio da Alvorada, onde cumprimentou um grupo de simpatizantes, ele afirmou que a cobertura da mídia ao seu governo não pode continuar com "covardia" e "patifaria". "Eu lamento a imprensa brasileira agir dessa maneira. O tempo todo mentindo, distorcendo, difamando. Vocês querem me derrubar? Eu tenho couro duro, vai ser difícil. Continuem mentindo", disse. As críticas do presidente foram direcionadas à Folha de S. Paulo e ao jornal Correio Braziliense. No domingo (6), a Folha de S. Paulo revelou que um depoimento e uma planilha obtidos pela Polícia Federal sugerem que recursos do esquema de candidaturas laranjas do PSL em Minas Gerais foram desviados para abastecer, por meio de caixa dois, a campanha de Bolsonaro. A partir das informações, a Polícia Federal sugeriu ao Ministério Público a abertura de uma segunda investigação em decorrência do escândalo em Minas Gerais, desta vez especificamente para as contas de campanha do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Segundo reportagem publicada, um depoimento dado à Polícia Federal e uma planilha apreendida em uma gráfica sugerem que dinheiro do esquema de candidatas laranjas do PSL em Minas Gerais foi desviado para abastecer, por meio de caixa dois, as duas campanhas.

O depoimento foi dado por Haissander Souza de Paula, assessor parlamentar de Álvaro Antônio à época e coordenador de sua campanha a deputado federal no Vale do Rio Doce (MG). Ele disse à PF que "acha que parte dos valores depositados para as campanhas femininas, na verdade, foi usada para pagar material de campanha de Marcelo Álvaro Antônio e de Jair Bolsonaro". Em uma planilha, nomeada como "MarceloAlvaro.xlsx", há referência ao fornecimento de material eleitoral para a campanha de Bolsonaro com a expressão "out", o que significa, na compreensão de investigadores, pagamento "por fora". Já o Correio Braziliense, em reportagem nesta segunda-feira (7), afirmou que o presidente encaminhará ao Poder Legislativo projeto de reforma administrativa que deve prever o fim da estabilidade para servidores públicos. "De novo hoje, capa do Correio Braziliense, que eu vou acabar com a estabilidade do servidor. Não dá para continuar com tanta patifaria por parte de vocês. Isso é covardia e patifaria. Nunca falei nesse assunto. Querem jogar o servidor contra mim. Como ontem a Folha de S.Paulo querendo me ligar ao problema de Minas Gerais. Um esgoto a Folha de S.Paulo", criticou Bolsonaro.

Por uma recomendação da área de comunicação, o presidente não tem mais respondido a perguntas dos veículos de imprensa na entrada do Palácio da Alvorada, onde ele costumava promover entrevistas diárias. A mudança ocorreu no final do mês passado, após ele ter se irritado com a cobertura da imprensa brasileira sobre seu discurso na abertura da Assembleia Geral da ONU. A orientação foi para que o presidente converse apenas com os eleitores presentes, destacando pautas positivas e evitando assuntos incômodos de sua administração, como o fato de ele não ter se pronunciado sobre a morte da menina Ágatha Félix, do Rio de Janeiro. Para desviar de pauta negativas, o presidente também suspendeu os cafés da manhã que promovia com veículos de imprensa. No último deles, em julho, Bolsonaro se referiu a nordestinos como "paraíbas" e disse que não havia fome no Brasil. No domingo (6), o chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) da Presidência da República, Fabio Wajngarten, sugeriu um boicote publicitário a veículos de imprensa que produzem, no seu entender, "manchetes escandalosas". O presidente também fez referência às empresas que são anunciantes na Folha. "O que mais me surpreende são os patrocinadores que anunciam nesse nesse jornaleco chamado de Folha de S.Paulo", disse no domingo. Em uma nota conjunta, a Aner (Associação Nacional de Editores de Revistas) e a ANJ (Associação Nacional de Jornais) disseram condenar a manifestação e repudiar a conclamação feita pelo secretário aos anunciantes.

Com informações da Folha

REPUBLICANOS

O presidente estadual do Republicanos em Sergipe, Jony Marcos, esteve em Brasília, nesta segunda-feira, dia 7, em reunião com o presidente nacional do partido, Marcos Pereira e demais executivas estaduais, para dialogar sobre o planejamento das eleições 2020. O partido irá priorizar candidaturas próprias nas eleições do ano que vem em municípios acima de 200 mil eleitores. Jony Marcos destacou a meta do Republicanos de eleger 10% do número de prefeitos em todo o território brasileiro. “As decisões de lançamento de candidaturas ou de apoios a candidatos de outros partidos em municípios acima de 200 mil eleitores serão discutidas juntamente com a Executiva Nacional do Republicano. A sigla nacional pretende acompanhar os municípios, sem retirar a autonomia, a fim de colaborar positivamente nas decisões”, afirmou.

GILMAR

O juiz relator Leonardo Santana mandou citar o PSC a respeito do processo judicial do deputado estadual Gilmar Carvalho, que alega ser tratado com descaso pela direção do partido em Sergipe. Carvalho busca a legalização para a saída do partido. Logo depois, o processo  vai para o Ministério Público Eleitoral (MPE/SE) e essa tramitação deve levar por volta de 45 dias para que possa entrar na pauta de julgamento. Isso significa dizer que a fase de apreciação final do processo acontecerá ainda no decorrer de novembro, se tudo ocorrer dentro do previsto legalmente.

CANIS

A deputada estadual Kitty Lima (PPS), solicitou, através de indicação parlamentar nº394/2019, a construção de abrigos  com canis e gatis, para acolhimento de pessoas em situação de rua acompanhados de seus cães e gatos.  A   sugestão é  direcionada a Prefeitura Municipal de Aracaju. Segundo a deputada, de acordo com justificativa do texto em apreciação na Casa Legislativa, a medida trata-se de saúde pública, uma vez que o cuidado com a saúde e bem-estar dos animais e sua relação com seus tutores é essencial para a promoção da prevenção a zoonoses, bem como deleite da sociedade. “Os moradores de rua, muitas vezes são tratados como pessoas invisíveis da sociedade e muitas vezes deixam de comer para alimentar seus amigos de quatro patas, e o dinheiro que consegue pedindo, primeiro vai para a ração de seus animais”, frisou Kitty Lima

CUT

Além de eleger nova diretoria, o 13º Concut terá como principais desafios defender direitos ameaçados por Bolsonaro e traçar um plano de lutas para a organização dos trabalhadores neste novo mundo do trabalho. Vinte e oito dirigentes sindicais de Sergipe participarão do 13º Congresso Nacional da CUT “Lula Livre” – Sindicatos Fortes, Direitos, Soberania e Democracia, que acontece entre os dias 7 e 10 de outubro, na Praia Grande, em São Paulo. Entre os 25 delegados e 3 observadores, os trabalhadores de Sergipe serão representados por dirigentes do Sindisan (Urbanitários), Sindijus (Judiciário), Sindipema (Professores), Sindtic (Tec. Informação), Sindmina (Mineros), Sindiserv Poço Verde (Servidores Municipais), Oposição Rurais de Aquidabã, Sindsluzi (Servidores Municipais de Santa Luzia do Itanhy) e Sintese (Professores). A delegação de Sergipe se somará aos mais de dois mil delegados e delegadas, homens e mulheres, do campo e da cidade, de todas as regiões do País que participaram do Congresso, assim como mais de 100 sindicalistas de 50 países do mundo e dos movimentos sociais das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

PREVIDÊNCIA

O Senador Rogério Carvalho (PT/SE) criticou a reforma da previdência em uma entrevista na capital sergipana onde falou sobre as enganações que governo federal tem divulgado em propagandas. “O que o governo fala é um conjunto de mentiras para enganar a população. ”, dispara o Senador que esclarece “tapeações” do presidente Bolsonaro. “Vamos ter um grande impacto nos salários dos trabalhadores que ganham menos. Nas economias das cidades, é dinheiro que deixa de circular, e apenas os bancos ganham com esta reforma. ” Segundo o parlamentar, até mesmo os pequenos empresários não foram alertados sobre o risco para o comércio. “Aí vai um recado para os pequenos empresários: são os aposentados que pagam boa parte das compras, e sem eles, como vai ficar o comércio? ”, questiona o Senador Rogério Carvalho.

PETROBRÁS

Ainda sobre prejuízos provocados na economia pela falta de um projeto de país do governo Bolsonaro, o Senador Rogério falou sobre as restrições com o Nordeste. “Em nosso estado por exemplo, Sergipe, a falta de investimentos provocou uma crise nos empregos nunca vista antes.  A hibernação da Fafen, a desmobilização da Petrobras, e a construção civil parada aumentou e muito o número de desempregados. ” Sobre a saída da Petrobrás de Sergipe, o Senador Rogério Carvalho sinalizou que vai buscar esclarecimentos para tentar reverter a situação. “Vamos apresentar nesta terça, dia 8, um requerimento convidando o ministro Bento Albuquerque das Minas e Energia, para tratar sobre a saída da Petrobras do Nordeste.  Em Sergipe, a Petrobras foi responsável pelo desenvolvimento do estado”, finaliza ele.

 

 

 

 




Tópicos Recentes