14/10/2019 as 05:58

Bate boca nas mídias sociais colocam direita em xeque

Tudo começou quando Caros Bolsonaro escreveu, mais cedo, que o Major era um "bobo da corte" que "diz absurdos"

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Um dia após a Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) ter destacado a necessidade de unidade da direita, que vive disputas internas um ano após a eleição de Jair Bolsonaro, apoiadores do presidente discutiram entre si nas redes sociais. Neste domingo, 13, o senador Major Olimpio, líder do PSL no Senado, e o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), trocaram mensagens críticas via Twitter. As rusgas começaram quando Carlos escreveu, mais cedo, que o Major era um "bobo da corte" que "diz absurdos". "Conheço sua laia, canalha", afirmou o vereador, sugerindo que Major Olimpio seria ingrato por ter apoiado Márcio França (PSB-SP) na corrida para o governo de São Paulo e posteriormente ter procurado o governador João Doria (PSDB-SP), que venceu a disputa. Major Olimpio, por sua vez, declarou que o Carlos Bolsonaro ofende quem deseja ajudar o presidente Bolsonaro. "Vá ser vereador no Rio de Janeiro que sua ausência ajudará muito o Brasil", afirmou, também em sua conta oficial no Twitter. "Não vou permitir molecagem comigo e assistir calado os 'príncipes' prejudicando o governo do pai", completou, classificando as postagens de Carlos como "baixaria" e "desespero". "Sou Senador graças ao presidente Bolsonaro, apoio-o e continuarei apoiando, mas não vou permitir molecagem comigo e assistir calado os 'príncipes' prejudicando o governo do pai! 'Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é negá-la'. São Tomás de Aquino", respondeu Olimpio.

A carta em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, divulgada na última quarta-feira, 9, por membros do PSL, aprofundou as disputas internas do partido. Neste domingo, os deputados federais Filipe Barros (PSL-PR) e Bia Kicis (PSL-DF) divulgaram vídeo no qual chamam Joice Hasselmann (PSL-SP) de desinformada, com uma fala repleta de "artifícios utilizados pela esquerda". A presença de Bia Kicis e Filipe Barros nas redes sociais é uma resposta à ação de Joice Hasselmann (PSL-SP) que, neste sábado, também em manifestação por meio do Twitter, chamou a carta dos parlamentares do PSL de "coisa idiota". "A cartinha foi feita por um grupelho que se juntou e sequer comunicou o partido como um todo. Foi uma malandragem, uma armadilha", declarou a parlamentar, que também é líder do governo no Congresso Nacional. Joice não está entre os signatários do documento. Para Filipe Barros e Bis Kicis, "pessoas de má-fé estão nos atacando, como se nós quiséssemos dividir o partido, o que não é verdade". "Se tem alguém que está trabalhando pela união somos nós, e não pessoas que estão fazendo alarde nas redes sociais e por baixo dos panos querem outras coisas", completou Filipe Barros. Joice Hasselmann busca apoio para ser a candidata do PSL à prefeitura de São Paulo nas eleições de 2020, mas tem enfrentado resistências. Em entrevista exclusiva ao Estadão/Broadcast, na semana passada, a deputada afirmou que, se for não for indicada pelo partido, tem o salvo-conduto de outras siglas para disputar o pleito. Filipe disse, no vídeo, que nem ele nem Bia Kicis têm interesse de mudar de partido, mas, sim, "corrigir os rumos" tomados pela sigla. "Nós tivemos que nos manifestar - depois de uma reunião com o presidente - que estamos com o presidente Bolsonaro. Isso não quer dizer que estamos contra o PSL, nem atacando alguém do PSL", declarou Bia Kicis.

ESCÂNDALO

Uma liderança política de Rosário do Catete enviou uma foto do Portal da Transparência da Prefeitura Municipal do município, que revela um escândalo. A primeira dama, Maria das Graças Resende Rocha Barreto (Nena), promoveu um aumento em seu próprio salário, nesse mês, com gratificação integral ‘generosa’ superior a R$ 6 mil. O prefeito de Rosário é Vino Barreto (DEM) e, segundo o vereador, o município vem sendo investigado pela Polícia Federal através de uma operação que combate fraudes em várias cidades de Sergipe. A primeira dama é lotada na Secretaria da Educação e designada para o gabinete do prefeito: “ninguém sabe o horário que ela trabalha, porque só aparece quando há festas de programas sociais, mas ninguém a vê trabalhando, disse a fonte. Na atual administração, a primeira dama é “a única que tem gratificação altíssima”, revelou a fonte, acrescentando que “na soma chega a aproximadamente R$ 14 mil, quase igual ao salário de vice-prefeito e maior que os de secretário municipal e vereador, os quais são de R$ 7,5 mil.

EMBARGOS DECLARATÓRIOS

Com transmissão ao vivo da TV ALÔ no próximo dia 15, terça feira, o governador Belivaldo Chagas (PSD) e a vice-governadora Eliane Aquino (PT) voltarão a ser julgados pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral Serão julgados os embargos declaratórios do governador e da vice à condenação de seis votos a um no julgamento em que foram condenados à cassação de mandato e, Belivaldo, também, à inelegibilidade. Depois das duas derrotas na Tribunal, Belivaldo já se prepara para correr a maratona de Brasilia, tentando a todo custo se manter no poder.

SALVAÇÃO

O jornal O Globo publicou um levantamento sobre quanto cada Estado receberá do leilão do pré-sal se o Senado confirmar o que foi aprovado ontem pela Câmara. De acordo com o levantamento, Sergipe poderá receber quase R$ 300 milhões, o que seriam um alento para os cofres púbicos da desastrosa administração do governador Belivaldo Chagas. Confira o levantamento: Rio de Janeiro – R$ 2,3 bilhões, Minas Gerais – R$ 847 milhões, Bahia – R$ 762 milhões, Pará – R$ 704 milhões, Mato Grosso – R$ 664 milhões, São Paulo – R$ 631 milhões, Maranhão – R$ 563 milhões, Pernambuco – R$ 507 milhões, Ceará – R$ 506 milhões, Paraná – R$ 493 milhões, Rio Grande do Sul – R$ 449 milhões, Alagoas – R$ 391 milhões, Goiás – R$ 382 milhões, Amazonas – R$ 358 milhões, Piauí – R$ 348 milhões, Espírito Santo – R$ 331 milhões, Rio Grande do Norte – R$ 328 milhões, Paraíba – R$ 311 milhões, Acre – R$ 308 milhões, Sergipe – R$ 297 milhões, Tocantins – 286 milhões, Rondônia – R$ 276 milhões, Amapá – R$ 265 milhões, Mato Grosso do Sul – R$ 265 milhões, Roraima – R$ 226 milhões, Santa Catarina – R$ 188 milhões e Distrito Federal – R$ 64 milhões

LARANJAL

As investigações que têm como foco a candidatura de Marleide Cristina (MDB) ocorrem sob comando da Superintendência da Polícia Federal em Sergipe. O inquérito apura como foram gastos quase R$ 500 mil. Os recursos são do Fundo Especial de Financiamento de Campanha e foram destinados para a campanha da candidata. A suspeita é que parte dos recursos tenham sido desviados para abastecer outras campanhas, além de possível lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito. No inquérito, a PF analisa a relação entre a candidata, o empresário e jornalista Cícero Mendes, dirigentes partidários, empresas prestadoras de serviço à campanha e, como consequência dessa associação, o possível desvio de recursos. A candidata e o jornalista já foram alvos de operação da PF. Aqui em Sergipe, a PF conseguiu até agora, uma operação para coleta de provas e espera o resultado da quebra de sigilo. Uma fonte segura revela que, por aqui, o esquema foi mais aperfeiçoado que em Minas. Por esse motivo, tem levantado a curiosidade de investigadores de outros estados.

ROGAI POR NÓS

O prefeito Edvaldo Nogueira participou, das homenagens à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, em Aracaju. Assim como faz todos os anos que está governando Aracaju, o gestor municipal acompanhou a tradicional procissão pelas ruas do bairro Bugio, zona Norte, em meio a uma multidão de religiosos, ao lado da imagem da santa, como sinal de devoção e fé. Ao final, Edvaldo também esteve presente na missa solene, presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom João José Costa, assim como demais autoridades, a exemplo do governador Belivaldo Chagas e do empresário Albano Franco. “É com muita alegria que participo, mais uma vez, desta linda festa para Nossa Senhora Aparecida. Desde o primeiro ano desta procissão que participo porque meu pais moravam aqui no Bugio e tenho um carinho muito grande por este bairro. Todos os anos, sem exceção, venho para essa festa que encerra o Dozenário, e que considero a maior festa religiosa da nossa cidade”, afirmou Edvaldo

CAMISETA

O deputado federal Eduardo Bolsonaro publicou, uma foto em que ironiza a sigla LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). Na imagem, ele usa camiseta em que a sigla da comunidade foi substituída por Liberdade, Armas, Bolsonaro e Trump.  Para ele, a camiseta mostra que "o conceito de LGBT foi atualizado com sucesso". A deputada federal Bia Kicis publicou um vídeo em que mostra o deputado, seu companheiro de partido, usando a camiseta e no qual explica a "atualização do conceito".  Os deputados ironizam a sigla enquanto o relatório População LGBT Morta no Brasil em 2018, realizado pelo Grupo Gay da Bahia, revelou que a cada 20 horas uma pessoa LGBT é assassinada no Brasil, o que torna o país o recordista mundial de crimes contra minorias sexuais e de gênero, incluindo os países onde a homossexualidade é ilegal.  O relatório também aponta que os assassinatos de pessoas LGBT se destacam pelos "requintes de crueldade, muitos golpes, múltiplos instrumentos, tortura, latrocínio e destruiçãoincêndio do cadáver e patrimônio característicos".

 

 

 




Tópicos Recentes