25/11/2019 as 08:20

O pé frio e o pé quente da Capela

Confira as diferenças entre Sukita e Cristiano Cavalcante

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Pé Quente


O Presidente da Fames e Prefeito de Ilha das Flores, Cristiano Cavalcante, comandou a festa flamenguista em Capela no último final de semana. Ao lado de sua esposa  a Prefeita Silvany Manlak, Cristiano demonstrou entrar com o pé direito em Capela ao brindar a torcida organizada Fla-Capela com um telão e 50 dúzias de cervejas.

 

Cristiano assistiu ao jogo ao lado da Prefeita, Vereadores e lideranças políticas do município.

 

O Pé Quente como foi apelidado pelo povo chegou dando o seu recado para 2020. Com  a vitória de virada do Mengão por 2X1, o Flamenguista de Carterinha, Cristiano Cavalcante e a Prefeita Silvany Manlak saíram em carreata pelas principais ruas de Capela. 2020 promete e muito, é só esperar.

PÉ FRIO

Já o antes todo poderoso Sukita, o que já não é tão filho do vaqueiro assim, deixa a impressão, que após ter deixado a carceragem do presídio de Glória beneficiado pela reforma do entendimento sobre a prisão em segunda instância feita pelo STF, Sukita acabou escolhendo aproveitar essa liberdade provisória para iniciar uma afrontosa campanha difamatória contra seus adversários Frustrado pelo pouco estardalhaço causado pela sua soltura, Sukita não engoliu o fato de nenhum dos seus “aliados” ter ido recepcioná-lo na saída do presídio de Glória, e sem o amparo das lideranças que outrora faziam questão de andar de mãos dadas com o tal filho do vaqueiro, Mané partiu pra cima dos seus adversários utilizando a velha tática do vitimismo.

A impressão que se tem do ex-prefeito Manoel Messias, é que após ter deixado a carceragem do presídio de Glória beneficiado pela reforma do entendimento sobre a prisão em segunda instância feita pelo STF, Sukita acabou escolhendo aproveitar essa liberdade provisória para iniciar uma afrontosa campanha difamatória contra seus adversários. Frustrado pelo pouco estardalhaço causado pela sua soltura, Sukita não engoliu o fato de nenhum dos seus “aliados” ter ido recepcioná-lo na saída do presídio de Glória, e sem o amparo das lideranças que outrora faziam questão de andar de mãos dadas com o tal filho do vaqueiro, Mané partiu pra cima dos seus adversários utilizando a velha tática do vitimismo.

Demonstrando sintomas de um mau caratismo incurável, Sukita vem ocupando espaços na imprensa para mentir descaradamente, proferindo um repertório de ataques contra a Prefeita Silvany Mamlak com o objetivo de iludir a opinião pública, fazendo crer que ele (Sukita), foi vítima de uma trama urdida por seus adversários que desejavam tirá-lo de cena. Mas o fato é que Sukita acabou sendo vítima de si mesmo, e da cigana que o ilidiu convencendo-o que o tal filho do vaqueiro estaria predestinado ao sucesso na vida pública. O problema foi que ao acreditar na cigana, que já morreu, Mané imaginou que como seu futuro estava escrito nas estrelas, poderia ele então se insurgir contra tudo e todos, desrespeitando a lei e a ordem pública, para garantir a manutenção do seu projeto de poder. Acabou que o seu próprio ego o trancou atrás das grades.

Agora, em condição de liberdade provisória, Sukita vem tentando reconquistar espaço no cenário político sergipano através do achincalhe midiático promovido contra a Prefeita Silvany Mamlak, inclusive com ofensas de ordem pessoal. Mas nas “tabuletas” de Moisés também está escrito que é pecado levantar falso testemunho. Portanto não há o que se dizer a respeito das mentiras inventadas descaradamente por Sukita, quando toda cidade de Capela sabe o quão “bom marido” foi o ex-prefeito Manoel Messias. Essa onda de mentiras contadas por Sukita escondem na verdade o seu real objetivo, que é retomar o comando da Prefeitura de Capela elegendo um laranja.

Mas felizmente o discurso vitimista não convence mais ninguém, porque inegavelmente Sukita enganou poucos por muito tempo e muitos por pouco tempo, mas se deparou com o fato de não ser capaz de continuar enganando todos por todo tempo mesmo, e da cigana que o ilidiu convencendo-o que o tal filho do vaqueiro estaria predestinado ao sucesso na vida pública. O problema foi que ao acreditar na cigana, que já morreu, Mané imaginou que como seu futuro estava escrito nas estrelas, poderia ele então se insurgir contra tudo e todos, desrespeitando a lei e a ordem pública, para garantir a manutenção do seu projeto de poder. Acabou que o seu próprio ego o trancou atrás das grades.Agora, em condição de liberdade provisória, Sukita vem tentando reconquistar espaço no cenário político sergipano através do achincalhe midiático promovido contra a Prefeita Silvany Mamlak, inclusive com ofensas de ordem pessoal. Mas nas “tabuletas” de Moisés também está escrito que é pecado levantar falso testemunho. Portanto não há o que se dizer a respeito das mentiras inventadas descaradamente por Sukita, quando toda cidade de Capela sabe o quão “bom marido” foi o ex-prefeito Manoel Messias. Essa onda de mentiras contadas por Sukita escondem na verdade o seu real objetivo, que é retomar o comando da Prefeitura de Capela elegendo um laranja. Mas felizmente o discurso vitimista não convence mais ninguém, porque inegavelmente Sukita enganou poucos por muito tempo e muitos por pouco tempo, mas se deparou com o fato de não ser capaz de continuar enganando todos por todo tempo.

Por BTR 

 

 




Tópicos Recentes