12/03/2020 as 06:00

Pesquisa em Capela vai parar no MP

Números da pesquisa não mostram a realidade eleitoral do município

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Mais uma vez, o ex prefeito Manoel Sukita tenta ludibriar a boa fé dos Capelenses trazendo a baila uma pesquisa no mínimo, de cunho duvidoso, aonde ele aparece na frente com quase o dobro de percentual de votos dos seus dois principais adversários politicos no municipio, a prefeita Silvany Mamlak e o ex prefeito Ezequiel Leite. O interessante é que o instituto que realizou a pesquisa, no afã de agradar o ex prefeito, senão correria o risco de não receber pelo serviço contratado, ao invés de realizar a pesquisa usando um cenário mais próximo da realidade, levando em conta que o ex prefeito Sukita foi condenado criminalmente, teve o nome lançado no rol dos culpados e ainda teve seus direitos politicos suspensos, preferiu realizar a pesquisa num cenário fictício, aonde o ex prefeito Sukita pode votar e ser votado.

De sorte, que se o referido instituto teve a audácia de realizar a sua pesquisa com base num cenário ilusório, ressuscitando aquele que é eleitor de Japaratuba e que devido a suspensão dos direitos políticos, não conseguirá reativar o seu titulo, imagine transferir seu domicílio eleitoral para Capela, quem garante que o instituto não teve a coragem de usar dados de eleitores ficticios também? Com base em tal situação e a guisa de maiores esclarecimentos, o Ministério Público Eleitoral foi provocado, a fim de investigar a veracidade dessa pesquisa, objetivando que os Capelenses não sejam ludibriados mais uma vez, por aquele que ficará eternizado na história do municipio, como sendo um dos piores administradores que o municipio de Capela já conhceceu e que hoje a todo custo tenta se transformar em um martir para mais uma vez tentar de forma melindrosa enganar o povo da Capela,muncipio que já sofreu com a mente megalomaniaca do grande ditador.
 
PRTB

O ex-senador e também ex-secretário de Saúde, Almeida Lima, esteve nesta terça-feira, 10, em São Paulo, em reunião com os dirigentes do PRTB, partido que tem como principal expoente o vice-presidente da República Hamilton Mourão, para confirmar a sua filiação e, de quebra, ganhou a chancela para comandar a sigla em Sergipe. Almeida buscava um novo partido para garantir a sua pré-candidatura a prefeito de Aracaju no pleito deste ano. “Concretizamos a minha filiação ao PRTB, com o presidente nacional do partido, Levy Fidelix. O PRTB é o partido do vice-presidente da República Hamilton Mourão e passo a assumir o comando em Sergipe. É evidente que em decorrência desse fato nós iremos contar com apoio deste, que é o grande quadro do partido, que é o vice-presidente Mourão, o que nos agrada muito por se tratar de um homem sério, um estudioso conhecedor profundo do nosso país, por ser um patriota, um grande democrata”, enalteceu Almeida.

SAMU

Questionado sobre o recém anunciado processo de gestão compartilhada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o ex-gestor da Saúde fez duras críticas ao governo do Estado. “A questão não é apenas em relação ao Samu. O grupo que governa Sergipe quer privatizar o estado todo. Aliás, o que precisaria mesmo privatizar era a figura do governador, deviam contratar outro para sentar na cadeira deste que está aí como governador. Eles querem privatizar tudo e a saúde mais ainda. Aproximadamente 12 a 13 serviços foram terceirizados na Secretaria de Saúde no governo Marcelo Déda, secretário Rogério Carvalho. Queriam terceirizar o Samu na nossa gestão e nós é que barramos, buscando a alternativa do gerenciamento seguro, firme, comprando veículos, economizando e colocando o serviço do Samu para funcionar”, revelou o ex-secretário. Ele foi mais além: “Terceirizar para eles parece que é bom. Acho que eles gostam de terceirizar, de ter reuniões com empresários, não sei o que é não. Tive que devolver 14 imóveis alugados e isso pode ter contrariado empresários e políticos”.

SOBRE EDVALDO

“O que tenho visto é insatisfação popular. Afinal de contas, embora eu tenha visto obras como pavimentação asfáltica, mas as pessoas não se alimentam de asfalto. Aracaju enfrenta um grave problema que é a falta de emprego. Temos mais de 120 mil aracajuanos que sofrem sem emprego. E até onde eu sei, o trabalho é o meio de levar comida para a mesa. O que tem se visto é a prática do Pinóquio. Mentiu na questão do IPTU, agora mente dizendo que não deu nenhum reajuste no transporte coletivo. Mentira. Ele deu reajuste o ano passado. Não sei se a população vai querer viver sendo enganada ano após ano”, atacou Almeida. Por último, o político aproveitou para convidar outros que queiram somar ao projeto do PRTB em Sergipe. “O PRTB está aberto para a classe política. Quem desejar conversar conosco visando candidatura, estamos abertos. Você pode estar sendo apertado aí no seu município, porque os donos tomaram os partidos todos. Estamos abertos”, finalizou Almeida Lima.

TAXAS

Pressionado pelos reajustes das mensalidades escolares gastos com educação, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,25% em fevereiro, depois de ter registrado uma taxa de 0,21% em janeiro, segundo divulgou nesta quarta-feira (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar da aceleração, trata-se da menor taxa para meses de fevereiro desde 2000, quando o índice foi de 0,13%. No ano, o IPCA acumula alta de 0,46% e, em 12 meses, a taxa acumulada é de 4,01%, abaixo dos 4,19% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores, ficando bem próxima do centro da meta do governo para o ano, que é de 4%, o que deve contribuir para aumentar as apostas do mercado sobre a possibilidade de novos cortes na taxa básica de juros.

ATAQUES

O inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) aberto para investigar fake news identificou empresários bolsonaristas que estariam financiando ataques contra ministros da Corte nas redes sociais. O Estado apurou que as investigações estão adiantadas e atingem até mesmo sócios de empresas do setor de comércio e serviços, todos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Embora o inquérito, que tramita sob sigilo, seja destinado a investigar ameaças, ofensas e calúnias dirigidas a ministros do STF e suas famílias, as informações são de que o mesmo grupo de empresários também está ajudando a convocar os atos do próximo domingo, tendo como alvo o Congresso e o Judiciário. O custo dos ataques virtuais pode chegar a R$ 5 milhões por mês. As apurações indicam que esses empresários bancam despesas com robôs - programas de computador que podem ser usados para fazer postagens automáticas nas redes - e produção de material destinado a insultar e constranger opositores de Bolsonaro nas mídias digitais.




Tópicos Recentes