CURIOSIDADES

12/06/2018 as 09:47

Após ser picada por um carrapato, menina de cinco anos fica 12 horas paralisada

Criança não conseguia falar nem andar por conta da toxina liberada da mordida do inseto

Fotos: (Reprodução/Facebook).<?php echo $paginatitulo ?>

Ao acordar a filha para ir à escola na última quarta-feira (6), Jessica Griffin tomou um susto ao ver a garota cair da cama, sem conseguir movimentar as pernas. A situação nunca havia acontecido e a surpresa foi ainda maior quando ela descobriu que o que provocou a reação foi a picada de um carrapato que estava na cabeça da criança.

No primeiro momento, Jessica pensou que Kailyn Kirk, sua filha de apenas 5 anos, estava com dormência nas pernas. Ela então achou que o problema passaria em breve e ajudou a menina a se trocar para que não se atrasassem. Porém, enquanto penteava o cabelo da garota, a mãe notou um carrapato e uma mordida em seu couro cabeludo que chamou a atenção.

Aos poucos, além das pernas paralisadas, a ela também percebeu que a fala da criança estava arrastado e confusa.

Antes de acordar para ir à escola, a mãe disse que não percebeu nada de errado com Kailyn. “Na noite anterior ela estava perfeitamente bem. Chegamos em casa, tomamos banho, lavamos o cabelo e tudo e eu não vi o carrapato", contou ela ao Mississippi News Now.

Assustada, Jessica, que é de Grenada, no Mississippi, nos Estados Unidos, ligou para o marido, que estava no Iraque, e contou sobre o que tinha acontecido. O pai da criança orientou que a mãe colocasse o inseto em um saco plástico e corresse para a emergência do hospital mais próximo, o Centro Médico da Universidade do Mississippi.

Na unidade de saúde, depois de realizar exames de sangue e tomografia computadorizada, os médicos confirmaram a suspeita da mãe e diagnosticaram a menina com paralisia por picada de carrapato , provocada por uma neurotoxina encontrada na saliva do inseto.

Apesar de a causa não ser totalmente compreendida, a literatura médica acredita que essa toxina bloqueia a função nervosa, causando dormência nas pernas, dores musculares e fadiga.
Felizmente, os médicos asseguraram que, uma vez que o inseto fosse removido, os sintomas de Kailyn seriam resolvidos entre 12 e 24 horas - o que, na verdade, durou apenas 12 horas.

Agora, mesmo com a filha salva e recuperada, Jessica decidiu compartilhar sua história nas redes sociais na esperança de alertar outros pais que esse tipo de acidente pode oferecer. O post original no Facebook recebeu mais de 107 mil reações e foi compartilhado mais de 410 mil vezes.

"Por favor, pelo amor de Deus, verifiquem se há carrapatos em seus filhos! É mais comum em crianças do que em adultos!", escreveu ela.
No caso de Kailyn, o carrapato foi removido à tempo, mas caso isso não acontecesse, a criança poderia ter sofrido de insuficiência respiratória, o que levaria à morte.

A agência do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos recomenda o banho dentro de duas horas depois de chegar dentro de casa para ajudar a tirar carrapatos não acoplados e reduzir o risco de contrair doenças.

Paralisia por picada de carrapato

A paralisia que afetou Kailyn é um dos sintomas da doença de Lyme , ou borreliose, como também é chamada. Essa é uma infecção bacteriana comum, transmitida por carrapatos infectados a humanos.

No Brasil, o carrapato-estrela é quem carrega a bactéria que causa a condição. Esses parasitas se alimentam do sangue humano e animal, e suas mordidas, muitas vezes, passam despercebidas - o que pode contribuir para que o inseto permaneça por vários dias devorando o sangue antes de ir embora de seu hospedeiro.

Quanto mais tempo o carrapato é deixado no lugar, maior o risco de transmissão da infecção. No entanto, não há evidências de que a doença seja transmitida de humanos para humanos.

Por ficarem mais próximas ao chão e perto de animais de estimação, as crianças estão mais suscetíveis à doença. Além disso, pessoas que fazem trilha ou outras atividades ao ar livre devem ficar atentas aos perigos da infecção, pois também fazem parte do grupo de risco.

A doença de Lyme pode afetar a pele, as articulações, o coração, sistema nervoso e até levar à morte, se não for tratada.


O Portal Alô News está querendo a sua opinião. Responda nossa pesquisa, clicando aqui e nos ajude a fazer um portal cada vez melhor pra você.

 

 

 

 

Com informações de IG.




Tópicos Recentes