SAÚDE

07/11/2018 as 10:43

Oposição precisa se “reinventar” para ter chances na eleição de 2020!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Não precisa ser especialista para concluir que, dividida, a oposição “facilitou” as coisas para o governador Belivaldo Chagas (PSD) e seu agrupamento conquistarem a reeleição em 2018. Como a política é muito dinâmica e como o tempo não para, vários setores já comentam e especulam sobre possíveis pré-candidatos e alianças para as eleições futuras. Este colunista vai mais além e conclui: se aqueles que fazem oposição em Aracaju não se “reinventarem” desde já, dificilmente terão chances de impedir a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).

 

O primeiro desafio é unificar um discurso para 2020 após o “racha” entre as principais lideranças ao longo desse ano. O PSB do senador Valadares e do deputado federal Valadares Filho, o PSDB do senador Eduardo Amorim, o PSC do deputado federal André Moura, o DEM de Mendonça Prado e a REDE do senador eleito Alessandro Vieira e do ex-vereador Emerson Ferreira precisam avaliar suas respectivas estratégias. Há de se considerar ainda, neste contexto, o PMN de Milton Andrade e o Patriota da vereadora Emília Corrêa.

 

Todos esses partidos, teoricamente, estarão fazendo oposição ao prefeito Edvaldo Nogueira. Pelos encaminhamentos recentes, até o Partido dos Trabalhadores pode apresentar mais uma alternativa à população. Mas se entrarem no processo eleitoral “fragmentados”, divididos, só estarão beneficiando a atual gestão e aumentando as chances de reeleição do pré-candidato do PCdoB, que já entrará na disputa com certa “vantagem” por ter mais “estrutura” do que os principais concorrentes. Foi assim que, sem chances no início da campanha, Belivaldo “construiu” sua vitória nas urnas.

 

O eleitorado aracajuano é bastante crítico, não tem muito a história do “voto de cabresto”, mas a teoria dos “cargos comissionados” pesa bastante em qualquer processo. Edvaldo Nogueira não faz uma gestão de “encher os olhos”, Aracaju é, de longe, a “capital da qualidade de vida”, mas não pode ser subestimado. Depois de um “discurso alinhado”, a oposição vai precisar reinventar a forma de fazer política. Precisa de uma campanha mais profissional e crítica, mais estruturada, que tenha densidade eleitoral, mas que, principalmente, consiga transmitir sua mensagem para a população.

 

De nada adianta a oposição combater à gestão até 2020 e, no momento da campanha eleitoral, entrar dividida, revolucionária e apostando em um “marketing sulista”. Os problemas de Aracaju são reais, são visíveis e a gestão “que veio para mudar” até agora traz como principal feito “pagar os salários dos servidores em dia”. Não deixa de ser algo positivo, mas é muito pouco para quem tem um orçamento como o da capital nas mãos. Mas mesmo fazendo o “feijão com arroz”, Edvaldo terá tudo para vencer caso seus adversários continuem “batendo cabeça”, como aconteceu em 2018...

 

Abate final I

O Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) da Polícia Civil, em parceria com a Promotoria do Patrimônio Público e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), cumpriram na manhã desta quarta-feira (7) mandados de prisão e busca e apreensão na cidade de Itabaiana.

 

Abate final II

A Operação Abate Final investiga um desvio anual de quase R$ 2 milhões da Prefeitura Municipal de Itabaiana em decorrência de desvios de taxas recolhidas no matadouro da cidade. O Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) também deu apoio à operação.

 

Alvos
Os principais alvos são o prefeito de Itabaiana, Valmir dos Santos Costa, mais conhecido como Valmir de Francisquinho, e o secretário de Agricultura de Itabaiana, Erotildes José de Jesus. Também foram presos Jamerson da Trindade Mota, Breno Veríssimo Melo de Jesus e Manoel Messias de Souza.

 

Taxas
Segundo os investigadores do Deotap, entre os anos de 2015 a 2017 foram abatidos, por ano, entre 2.500 a 3.900 animais, recolhendo entre R$ 24 mil a R$ 39 mil. Investigação preliminar mostra que era cobrada aos boiadeiros a taxa de R$ 50 sem observar as formalidades legais, mas na prática apenas R$ 10 eram recolhidos para os cofres da Prefeitura. O valor recolhido envolve também o recolhimento dos resíduos dos animais. 

Cobrança indevida

Os investigadores identificaram excesso de exação qualificada (cobrança indevida de tributos), lavagem de dinheiro, associação criminosa e crime de licitação, todos comprovados no andamento do inquérito policial. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas residências dos cinco alvos a fim de apreender documentos e dispositivos, dinheiro em espécie e objetos de valor.

 

Bens indisponíveis

Com base no inquérito 27/2018, ainda não concluído, também foi solicitada a indisponibilidade de bens de todos os investigados. Às 10 horas desta quarta-feira, na sala de imprensa da SSP, a delegada-geral, Katarina Feitoza, dará os primeiros detalhes sobre a investigação do Deotap.

 

Exclusiva!

Desde 2007 a frente da liderança do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Francisco Gualberto (PT) não deverá continuar na função a partir de 2019. Comenta-se que ele vai dar oportunidade a outro colega de bancada e deve ocupar alguma função na Casa. A liderança requer uma dedicação maior do parlamentar e gera um desgaste muito grande também.

 

Veja essa!

Este colunista encontrou o ex-governador Jackson Barreto no aniversário da afilhada e, em uma entrevista bem a vontade, ele avaliou o processo eleitoral de 2018, alfinetou alguns adversários e não perdoou nem alguns aliados do governo. Confirmou que não deve disputar mandatos eletivos, mas que vai continuar atuando politicamente.

 

E essa!

Jackson confirmou que não vai mudar de partido político. Reconhece o tamanho do MDB, em todo o País, e disse que seu projeto agora é reestruturar a legenda em Sergipe, já de olho nas eleições de 2020.

 

Zezinho Guimarães I

Questionado sobre a relação com o deputado estadual reeleito Zezinho Guimarães, que manifestou o desejo de sair do MDB, magoado com algumas situações da campanha de 2018, JB polemizou: “Zezinho é um político desleal, que engana todo mundo. Ele e o prefeito de Itabaianinha (Danilo de Joaldo) que procurem seu caminho”.

 

Zezinho Guimarães II

Visivelmente irritado com o deputado estadual, Jackson Barreto disse que “eu, enquanto governador, levei água para os povoados de Itabaianinha. Infelizmente não pude comparecer a algumas inaugurações. Esse deputado disse ao povo que foi ele quem levou a água! É desonesto!”.

 

Pesquisa em Itabaianinha

Jackson diz que faz a crítica baseado nas pesquisas de consumo interno que mandou fazer em Itabaianinha. “Eu era o senador mais votado. Depois caí para terceiro porque tiraram meus votos. A pesquisa interna com o povo dos povoados revelava que as pessoas achavam que ele (Zezinho) tinha levado a água e não eu”.

 

Presidência da Alese

Questionado sobre as chances de Zezinho Guimarães ser eleito o presidente da Assembleia Legislativa, como alguns setores da imprensa revelaram, Jackson Barreto respondeu com outro questionamento: “e quem vota nele?”, provocou.

 

Albano Franco

JB também comentou que uma geração de políticos está “aposentada” após a eleição de 2018, mas fez um registro sobre o ex-governador Albano Franco. “Os dois candidatos do peito de Albano Franco foram derrotados nessa eleição: Valadares Filho para o governo e André Moura para o Senado. Ele fica em cima do muro, no PSDB, mas todos nós sabemos”, ironizou.

 

Edvaldo Nogueira

Sobre as críticas de aliados ao prefeito Edvaldo Nogueira, JB fez a defesa do gestor. “Cada político tem sua forma de atuar, e foram as pessoas dele (Edvaldo) que coordenaram as carreatas de Belivaldo na capital”.

 

PT em 2020

Jackson Barreto acredita que, pela movimentação nos últimos dias, o PT tenha um candidato próprio a prefeito de Aracaju e que este nome não será o senador eleito Rogério Carvalho. “Não acredito que Rogério vá ‘queimar o cartucho’ já em 2020. Mas o PT trabalha sim com esse objetivo (candidatura própria)”.

 

Rogério Carvalho

Jackson reconheceu a força do PT e da campanha do presidenciável Fernando Haddad em Sergipe. Para ele foi determinante para a eleição de Rogério. “As pesquisas mostravam outra realidade, outro cenário. A vitória de Rogério está ligada diretamente à campanha de Haddad aqui no Estado. A eleição presidencial influenciou diretamente”, justificou.

 

Luciano e Gualberto

Na entrevista, Jackson reconheceu a lealdade de Luciano Bispo e o trabalho de seu líder na Alese, Francisco Gualberto. “Existem pessoas que fingem ser amigas. Luciano é um amigo verdadeiro, presente. E Gualberto é um homem com ‘H’. Tem sido um grande líder desde Marcelo Déda (in memoriam)”.

 

Eduardo Amorim

Sobre o senador do PSDB e seu adversário na eleição de 2014, Jackson disse que “não acredito em futuro algum para Eduardo na política. Acho que acabou! Dessa vez ele não teve o irmão (Edivan) para investir em sua campanha, que não tinha dinheiro. Mas tinha a sombra dele ainda muito presente”, provocou.

 

Valadares Filho

Jackson Barreto revelou mágoa com o candidato a governador pelo PSB e disse que ele acumula quatro derrotas consecutivas em Aracaju. “Perdeu para João Alves, perdeu para Edvaldo Nogueira, e duas vezes (1º e 2º turnos) para Belivaldo Chagas. Não acredito que ele disputará em 2020”.

 

João Alves Filho

Apesar de ter sido um adversário ferrenho de João Alves Filho, JB amenizou o tom com o também ex-governador dizendo que “João Alves merece o respeito do povo de Sergipe. Todos nós temos nossos acertos e defeitos, mas não posso deixar de reconhecer que ele fez muito pelo Estado. Nesta hora, em que ele está recolhido, só nos resta pedir a Deus que dê saúde a ele e a sua família. Tem o meu respeito”.

 

Heleno e Fábio Henrique I

Jackson disse que o governador agora é Belivaldo, mas “alfinetou” Heleno Silva, Fábio Henrique, o PRB e o PDT. “Nós ganhamos a eleição sem eles. Não vejo necessidade do apoio deles agora! Estavam com benesses do governo até o último momento e depois saíram para a oposição. Foram desleais”.

 

Heleno e Fábio Henrique II

O ex-governador provocou a candidata a vice-governadora e deputada estadual Sílvia Fontes (PDT). “Foi uma vice anônima, que foi escondida ao longo de toda a campanha. Já a coligação de Belivaldo tinha orgulho em expor Eliane Aquino”, disse, rechaçando qualquer aproximação com o PRB e o PDT.

 

Jony Marcos I

Em seguida, JB negou as declarações de Jony Marcos sobre o Senado. “Nunca se discutiu no nosso grupo a vaga de Heleno Silva para o Senado. É mentira! Ele tinha pendência judicial e só resolveu bem perto da eleição. Essa história de que eu peguei a vaga de Senado dele não procede!”.

 

Jony Marcos II

Ainda sobre o PRB e as declarações de Jony Marcos, JB foi ainda mais “acido”, dizendo que “Heleno tramava contra Belivaldo; Jony fazia o mesmo enquanto coordenador da bancada federal. Usaram a estrutura do governo e depois saíram. Heleno e Jony devem fazer reflexões na mesa de um bar”.

 

Direito de Resposta

A coluna está aberta para ouvir a todos os políticos citados pelo ex-governador Jackson Barreto nessa entrevista e assegura o espaço necessário em casos de direitos de resposta nas próximas publicações.  

 

Revelações impublicáveis

Na entrevista polêmica, e informal, durante o aniversário da afilhada, Jackson fez essas e outras declarações polêmicas, muitas delas “impublicáveis”, até porque não possuem a sua devida autorização. Basta dizer que ele trouxe revelações dos bastidores da política local, da eleição de 2018, de disputas anteriores e até do mundo empresarial. Sergipe é, de fato, uma “terra de muro baixo”...

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes