EXCLUSIVA

07/07/2018 as 12:55

Exclusiva do Alô com Luize Correa, designer de ambientes e paisagista

Confira a entrevista exclusiva do Alô News, com a designers de interiores e exteriores Luize Corrêa e entenda mais sobre a área, está imperdível

<?php echo $paginatitulo ?>

Titular da coluna Arquitetura e Decoração no Portal Alô News, Luize Correa, designer de interiores e exteriores e pasagista é a personagem da entrevista exclusiva do Alô, nesta semana.

Formada há 25 anos pela Escola Bahiana de Decoração e Arte, Luize, é uma das profissionais mais requisitadas do mercado no estado da Bahia, e além de possuir vasta experiência no planejamento de projetos no segmento da decoração, ministra aulas com foco na utilização de tecnologias avançadas de desenho.

Ao longo da entrevista, ela, que também já participou de mostras de decoração em lojas renomadas do segmento, falará sobre como surgiu o amor por design de ambientes, as semelhanças e diferenças da área com a arquitetura, sobre a forma como desenvolve seus trabalhos e da importância da junção entre arte e decoração para gerar mais harmonia no ambiente de empresas.

Confira a seguir, a conversa do Portal Alô News, com a profissional:

Alô News (A.N): Como surgiu em você o interesse por trabalhar com o design de interiores e exteriores?

Luize Correa (L.C): Quem prestou primeiro a atenção no meu interesse na área foi meu pai, que aos 8 anos me levou a Punta Del Leste para olhar os telhados das casas, e sempre me incentivou à arquitetura. Há 27 anos atrás eu pesquisando para o vestibular descobri o curso de Designer de interiores que na época se chamava Decoração. Não era um curso muito divulgado e as pessoas não entendiam muito bem o que significava, mas foi paixão a primeira vista. As matérias eram fascinantes. Ai eu tive certeza que isso faria o resto da vida e seria feliz.

(A.N): Muitas pessoas ainda confundem as atividades desenvolvidas por designers com as de arquitetos; quais são os principais elementos diferenciadores entre esses dois profissionais?

(L.C):As profissões têm algumas características muito parecidas e outras nem tanto. Na Arquitetura o curso é mais amplo, pegando matérias de engenharia e urbanismo, permite o profissional a projetar prédios, casas, hospitais, ruas, e praças ... no Designer de Interiores é mais voltado para o conforto e estética, projetos como detalhamento de móveis, psicologia, história da arte e do mobiliário, paisagismo, conforto, ergonomia, detalhamento de pisos e forros e outras coisas. As profissões são semelhantes em muitos aspectos e diferentes em outros. Os Designes de Interiores, Exteriores e Paisagismos são mais especificos, os dois cursos habilitam o profissional a fazer tudo dentro da área de interiores e exteriores. Basta o cliente escolher o bom profissional.

(A.N):Na coluna que possui em nosso portal, você escreve sobre diversas tendências e inovações ligadas à temática de decoração de ambiente. Acredita que o espaço dedicado na imprensa brasileira a esse tema atende às expectativas do mercado e do público consumidor?

(L.C): Acredito que sim, hoje em dia a informação corre o mundo em segundos, as fontes de pesquisa são inúmeras. A minha única ressalva é que nem tudo serve para todos os lugares, vemos hoje várias ferragens, materiais e técnicas usadas em outros pais com cultura e climas diferentes que aqui no nosso estado não temos como atender ou não é funcional.

(A.N): Desde que você iniciou sua trajetória na área de design quais foram as principais mudanças observadas no desenvolvimento de projetos deste segmento?

(L.C): Quando comecei a 27 anos a estudar, trabalhávamos em pranchetas, papel manteiga, réguas, grafites e nanquins, se errássemos um pedacinho tínhamos que começar de novo e as perspectivas eram todas a mão. O tempo de trabalho era muito grande. Hoje com a maravilha da tecnologia temos, Autocad, VDMax, Promob, Revit, sketchup, e muitas outras ferramentas para facilitar a vida.

(A.N): Todo mundo gosta de estar ou viver em ambiente bonito e agradável, mas muitas vezes teme investir em mudanças em um determinado espaço com receio de altos custos. É possível repaginar um local sem gastar tanto e ficar satisfeito com o resultado?

(L.C): Sim com certeza, hoje podemos fazer diversas mudanças com o custo que caiba no bolso do cliente.

(A.N): Na sua opinião, de que maneira um designer de ambientes pode influenciar no desempenho dos funcionários de uma empresa?

(L.C): De diversas maneiras, o funcionário que trabalha em um ambiente confortável, funcional e ergonômico, se sente respeitado e valorizado, e começa a tratar seu local de trabalho como sua casa, afinal muitas vezes o funcionário passa mais tempo dentro da empresa do que em casa. Funcionário satisfeito traz mais lucro para a empresa.

(A.N): Como você trabalha a relação das preferências do cliente com as suas ideias, que possuem um caráter mais profissional e menos afetivo? É possível estabelecer uma linha de equilíbrio?

(L.C): Tem uma linha de equilíbrio sim, primeiro tenho que ouvir as ideias que o cliente tem e entender o funcionamento do local, para depois começar a construir o projeto do cliente, se adequando aos seus desejos, com um porém.... nem sempre o que o cliente quer pode ser feito tecnicamente. Existem normas e medidas a serem seguidas que não temos como mudar.

(A.N): Todo profissional, independente da experiência e do nível de conhecimento, possui certas inclinações em sua área de atuação. No seu caso, em quais ambientes você prefere trabalhar?

(L.C):Não tenho ambiente preferido, gosto do desafio, só me dou por satisfeita quando eu vibro com o projeto. Quanto mais inusitado e diferente, mais eu gosto. Não gosto de fazer a mesma coisa todos os dias, acredito que por isso amo tanto o que faço.

(A.N): Para finalizar, em termos gerais, quais os aspectos que mais devem ser levados em conta na decoração de um espaço?

(L.C): Funcionalidade, beleza, ergonomia, conforto, estética e o principal, ver meu cliente muito feliz no seu lar ou na sua empresa.




Tópicos Recentes