EXCLUSIVA

04/08/2018 as 18:00

Entrevista do Alô com Francisco Toró, candidato a dep.estadual pelo PPL

Filho do sertão, Francisco Toró está animado com seu ingresso na carreira política

<?php echo $paginatitulo ?>

Com 32 anos, José Francisco de Oliveira Santos, mais conhecido como Francisco Toró é nascido em Lagoa da Volta, povoado de Porto da Folha, onde também se criou e sempre buscou estabelecer laços com a comunidade local, se tornando bastante conhecido no sertão sergipano.

Toró não é ligado a sindicatos ou associações, mas construiu sua fama promovendo torneio de corridas de cavalos, proporcionando  a satisfação e a diversão do público apaixonado por esta prática em todo o estado.

Em 2018, ele decidiu se candidatar a deputado estadual pelo PPL (Partido Pátria Livre) e está organizando sua plataforma de propostas que tem como carro chefe o estímulo à geração de emprego e renda.  Nessa entrevista ao Alô News, ele fala como surgiu a ideia de entrar na política e sobre seus propostas políticas.

Confira a entrevista, a seguir:

Portal Alô News - (A.L.): Como surgiu a ideia de lançar a candidatura a deputado estadual? Quais fatores lhe motivaram a se engajar neste projeto?

Francisco Toró - (F.T): Isso foi um pedido de amigos e parentes, que querem um político em que possa confiar e que seja um bom representante do povo, Considero que o clamor da população por saúde e o desespero por empregoforam os fatores que me estimularam a se candidatar.

(A.L.):  O senhor é natural de Porto da Folha, município situado no Sertão sergipano. A sua pré-candidatura a deputado estadual possui um foco especial no atendimento das demandas da população sertaneja?

(F.T): O sertanejo está abandonado pelo poder público e precisamos olhar mais para esta população que passam por muitas dificuldades; o que pretendo é elaborar projetos que ajudem além do sertanejo toda a população sergipana

(A.L.): A sua candidatura se dará pelo PPL. A escolha por este partido ocorreu por causa de uma afinidade ideológica, ou foi uma escolha meramente oportunista? Como aconteceu a aproximação com o PPL?

(F.T):Ocorreu em virtude da afinidade ideológica, pesquisei o partido através da internet e assim procurei o presidente do partido para saber mais, e assim mim filiei.

(A.L.): O PPL apoiará nas eleições para governador do estado o nome de Valadares Filho do PSB e inclusive indicará o presidente licenciado da OAB em Sergipe, Henri Clay, como um dos senadores da chapa. Acha que as duas escolhas foram corretas? Por quê?

(F.T): Sim, foram corretas, o pré-candidato Valadares Filho é o novo que estamos precisando com uma boa trajetória na política, com ficha limpa e projetos que vão melhorar muito nosso estado .Henri Clay, também é ficha limpa ,honesto e já vem com histórico de presidência brilhante na OAB SE, também é o novo que a população Sergipana deve apostar.

(A.L.): Em conversa com correligionários, o senhor tem apontado que vai concentrar seu discurso de campanha na questão do aumento do número de empregos no estado. Quais medidas, então, pretende apresentar para ampliar a geração de trabalho nas diferentes partes de Sergipe?

(F.T): Os projetos para diminuir nossas taxas de desemprego, abrange a agricultura ao turismo assim também como taxas e impostos para empresas, então estamos intensificando nossos estudos e projetos nesta área.

(A.L.): O senhor também fala que o aumento da geração de emprego vai contribuir para diminuir consideravelmente o caos na saúde e segurança pública sergipanas. De que maneira isso ocorreria?

(F.T): Acredito que cada cidadão quando está trabalhando, se sente feliz ,realizado e cheio de esperanças.  Sem emprego, o psicólogico é o primeiro a adoecer e depois vem o corpo, com tantas preocupações, desânimo e nisso se torna uma pessoa doente. Então quando se está trabalhando tudo melhora e contribui para uma vida boa. É com desemprego que muitos pais de família não podem dar uma boa estrutura e educação para seus filhos e com isso, colocam eles para vender balas e etc, para ajudar na renda da família. E nas ruas, os meninos aprendem muitas coisas ruins , não estudam , então o desemprego afeta todo o corpo familiar.

(A.L.): O descrédito com a política nunca esteve em um nível tão alto no país, acredita que aqui em Sergipe, este fator pode influenciar nas eleições para o legislativo e gerar uma grande renovação de deputados na Alese? Acha que esse fator pode lhe favorecer eleitoralmente, já que não é um político considerado tradicional?

(F.T): Sim este é o ano da mudança, o povo já cansou dos mesmos nomes na política; então, a população vai apostar em novas idéias, em novas caras fichas limpas. Quanto a essa segunda questão, não só eu mas todos os novos candidatos vão se beneficiar do momento ruim da nossa política, no qual todos estão desacreditados do velho e pedem com fervor o novo

(A.L.): Caso venha a ser eleito, como o senhor pretende estabelecer pontes de diálogo com a população e ouvir seus interesses?

(F.T): Pretendo manter lideranças, para buscar informações em cada cidade e bairros do nosso estado, para que eu possa ficar sabendo da carência e do que necessitam em cada local. Além disso, há as redes sociais onde eu mesmo poderei interagir com todos.




Tópicos Recentes