MUNDO

11/07/2018 as 14:15

Líderes da Otan se comprometem com meta de gastos após crítica de Trump

Trump pede que países invistam 4% de seu produto interno bruto em defesa

Foto: (Murat Cetinmuhurdar/Presidential Palace/Handout via Reuters).<?php echo $paginatitulo ?>

Os líderes da Otan - aliança de 29 países - declararam seu "compromisso inabalável" com um acordo sobre metas de gastos com defesa na cúpula desta quarta-feira (11), em Bruxelas, e enfatizaram suas preocupações com as ameaças representadas por Rússia, Irã e Coréia do Norte.

Em um claro aceno às críticas do presidente dos EUA, Donald Trump, de que os parceiros da Otan estavam gastando muito pouco em defesa, a aliança militar disse em uma declaração da cúpula:

"Estamos comprometidos em melhorar o equilíbrio de compartilhar os custos e responsabilidades da filiação à aliança".
Na cúpula, Trump pediu que os aliados aumentassem seus gastos em defesa para 4% do produto interno bruto. "O presidente Trump, que falou primeiro, levantou a questão de não apenas atingir 2% hoje, mas [defrinir] uma nova meta de 4%", disse o presidente da Bulgária, Rumen Radev. A informação foi confirmada pela Casa Branca.

Uma autoridade britância disse à agência Reuters que Trump pressionou os líderes para que os aliados gastem mais com defesa. "Ele certamente disse que queria que mais dinheiro fosse gasto em defesa", disse a repórteres.

Preocupações

Os aliados da Otan também expressaram preocupação com as recentes atividades da Rússia, dizendo que elas reduziram a estabilidade e a segurança, e disseram que "são solidários" com a avaliação britânica de que a Rússia é culpada por um ataque com agentes nervosos na cidade britânica de Salisbury.

Também disseram estar preocupados com os "testes de mísseis intensificados" do Irã, sua gama e precisão. E reiteram seu "total apoio ao objetivo de desnuclearização completa, verificável e irreversível da Península Coreana".

A aliança também concordou em convidar a Macedônia para iniciar as negociações de adesão para se juntar à Otan.


 

 

 

 

Com informações de Reuters.




Tópicos Recentes