MUNDO

16/07/2018 as 14:40

Trump e Putin elogiam diálogo bilateral durante cúpula em Helsinque

Esta é a primeira reunião entre os presidentes dos EUA e Rússia desde 1997

Foto: (Grigory Dukor/Reuters).<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente americano, Donald Trump, elogiou nesta segunda-feira (16) o diálogo direto e aberto mantido com o colega russo, Vladimir Putin, durante a cúpula bilateral de Helsinque.

“Acabei de concluir uma reunião com o presidente Putin sobre uma série de questões críticas para os nossos dois países, e tivemos um diálogo direto, aberto e muito produtivo”, disse Trump na coletiva de imprensa conjunta.

Putin também classificou como bem-sucedida e muito útil a conversa com seu colega americano.

“As conversações transcorreram em uma atmosfera franca e de trabalho. Eu as considero bem-sucedidas e muito úteis”, afirmou Putin na entrevista coletiva conjunta após a reunião.

Para Trump, a cúpula de Helsinque foi apenas um começo para as novas relações bilaterais. “É do interesses dos nossos países que continuemos com nossa conversa, e concordamos em fazer isso. Tenho certeza de que nos reuniremos de novo e vamos nos encontrar de novo no futuro. E esperamos resolver cada um dos problemas que discutimos hoje”, completou.

Trump disse ainda ter comentado com Putin a questão da suposta ingerência russa nas eleições americanas, ao que o presidente russo foi enfático.

“Eu tive que repetir o que já disse muitas vezes: o governo russo nunca interferiu e não pretende interferir nos assuntos internos dos Estados Unidos, inclusive no processo eleitoral” declarou Putin.

Segundo Trump, a investigação conduzida sobre essa suposta interferência é um desastre para os Estados Unidos.

Putin também destacou que não existem razões objetivas para uma relação de tensão entre os países.

“É óbvio para todo o mundo que as relações bilaterais atravessam um período difícil. No entanto, não há razões objetivas para estas dificuldades e o atual clima de tensão”, afirmou.

Putin também elogiou a cooperação que existe entre os serviços secretos russos e americanos, principalmente no terreno da cibercriminalidade.


 

 

 

 

Com informações de AFP.




Tópicos Recentes