MUNDO

18/10/2018 as 14:02

Papa está disposto a visitar Coreia do Norte, diz Seul

Em visita ao Vaticano, presidente sul-coreano apresentou o convite de Kim Jong-un

Foto: (AFP).<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, recebido nesta quinta-feira no Vaticano pelo papa, informou que Francisco está disposto a visitar a Coreia do Norte se o líder Kim Jong Un fizer um convite oficial.

Questionado pela AFP, o Vaticano não confirmou a informação, assegurando apenas que um "convite verbal" havia sido formulado.

Durante seu encontro com o papa, Moon contou sobre sua visita a Pyongyang em setembro e disse que Kim "expressou seu desejo de receber o papa em seu país", informou à imprensa coreana o porta-voz do presidente sul-coreano.

"Quando o presidente Moon perguntou ao papa se Kim poderia lhe enviar um convite, o papa disse: 'o que você me falou é o suficiente, mas seria bom um convite formal', acrescentando que 'se um convite chegar, responderei sem demora e poderei ir'", explicou o porta-voz.

É frequente que autoridades estrangeiras recebidas no Vaticano convidem o papa para uma visita a seus países.

Em um comunicado mais formal, o Vaticano falou de um "diálogo cordial", informando que o papa expressou "seu grande apreço pelo compromisso comum de promover todas as iniciativas úteis para superar as tensões que ainda existem na península coreana, a fim de permitir uma nova estação de paz e desenvolvimento".

Taiwan

Em um comunicado distinto, o Vaticano avisou que o papa não prevê uma viagem a Taiwan.

Na segunda-feira, a presidência taiwanesa anunciou este convite, dizendo que o papa "sorriu" quando foi formulado pelo vice-presidente Chen Chien-jen, em visita ao Vaticano por ocasião da canonização de Paulo VI no domingo.

A assinatura de um acordo histórico em setembro com Pequim sobre a nomeação de bispos abriu caminho para uma reaproximação entre o Vaticano e a China comunista, levantando questões sobre o futuro das relações diplomáticas entre Taiwan e a Santa Sé, o único aliado oficial da ilha na Europa.

Pequim considera Taiwan parte do seu território e exige que seus aliados não o reconheçam como um país independente.


 

 

 

Com informações de France Presse.




Tópicos Recentes