MUNDO

12/12/2018 as 10:19

May enfrenta moção de censura de seu próprio partido

Premiê britânica corre o risco de perder o cargo, após forte rejeição ao acordo de Brexit negociado com Bruxelas

Foto: (AFP).<?php echo $paginatitulo ?>

A primeira-ministra britânica Theresa May enfrentará nesta quarta-feira (12) uma moção de censura apresentada por deputados rebeldes de seu próprio Partido Conservador, determinados a afastá-la do poder e da negociação com Bruxelas, em um novo obstáculo político provocado pelo Brexit.

"Lutarei contra esta votação com tudo que tenho", disse May em uma breve declaração à imprensa, pouco depois do anúncio da votação.

"Estou firmemente decidida a terminar o trabalho", completou, um dia depois de viajar a várias capitais europeias em busca garantias que permitissem a sobrevivência de seu polêmico acordo do Brexit.

Para organizar um desafio de liderança à chefe de Governo e líder do partido era necessário que 15% dos deputados de seu partido, ou seja 48, apresentassem um pedido neste sentido ao Comitê 1922, responsável pela organização interna dos 'tories' (conservadores).

Um grupo de rebeldes eurocéticos, irritados com o acordo do Brexit que May negociou com Bruxelas por considerar que o texto faz concessões inaceitáveis à União Europeia, tentava reunir este número há algum tempo. E eles finalmente conseguiram depois que a primeira-ministra cancelou na última hora, na segunda-feira (10), a votação sobre o texto que estava prevista para terça-feira (11) no Parlamento e que deveria ratificar ou rejeitar o documento de 585 páginas acordado com os líderes de outros 27 países europeus.

A estratégia arriscada, uma tentativa desesperada de salvar um acordo que estava condenado ao fracasso, provocou a revolta dos deputados britânicos, incluindo os parlamentares que desejavam votar contra o texto, fruto de 17 meses de duras negociações com Bruxelas, que desagrada tanto os eurocéticos como os pró-europeus.

Para prosperar, a moção de censura precisa do apoio de pelo menos metade mais um dos 315 deputados conservadores, ou seja 158.

A votação acontecerá entre 18h e 20h (16h e 18h de Brasília), anunciou Graham Brady, presidente do Comitê 1922 do Partido Conservador na Câmara dos Comuns.

"Os votos serão apurados imediatamente e o resultado será anunciado o mais rápido possível durante a noite", afirmou Brady.

Se for derrotada pela moção, May será obrigada a deixar o comando do partido e, consequentemente, o cargo de primeira-ministra.


 

 

 

 

Com informações de France Presse.




Tópicos Recentes