MUNDO

27/12/2018 as 12:12

Coreia do Norte reconhece dificuldades em sua agricultura

Fome pode voltar a ameaçar o país do ditador de Kim Jong-un

Foto: (KCNA/via REUTERS).<?php echo $paginatitulo ?>

A Coreia do Norte, que não tem o hábito de comentar seus fracassos, reconheceu que sua agricultura enfrentou dificuldades neste ano, duas semanas após a ONU ter anunciado uma queda na produção de alimentos do país.

A produção agrícola é insuficiente para as necessidades da Coreia do Norte, onde as terras cultiváveis registram queda e o material é obsoleto. O país sofreu vários episódios de fome nos últimos anos, com milhares de vítimas - algumas estimativas citam milhões - em meados da década de 1990.

O primeiro-ministro Pak Pong Ju mencionou na semana passada, durante uma reunião com dirigentes agrícolas em Pyongyang, as dificuldades em algumas granjas e unidades de produção, informou nesta quinta-feira a agência oficial KCNA.

"Disse que não conseguiram realizar as atividades de produção e gestão de sementes de maneira responsável", declarou Pak, segundo a KCNA.

Além disso, destacou "a necessidade de alcançar os objetivos de produção de sementes" estabelecidos no plano quinquenal que termina em 2020.

Em seu relatório trimestral publicado há duas semanas, a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) indica que Pyongyang deve aumentar as importações no próximo ano.

A Coreia do Norte terá que importar 641.000 toneladas de alimentos em 2019, contra 458.000 este ano.

A FAO calcula que 10,3 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária neste país de 25 milhões de habitantes.


 

 

 

 

Com informações de France Presse.




Tópicos Recentes