MUNDO

01/01/2019 as 12:15

Equipes interrompem buscas no prédio que desabou por explosão na Rússia

Medida precisou ser tomada, porque edifício corre risco de entrar em colapso

Foto: (AFP).<?php echo $paginatitulo ?>

As equipes de resgate foram forçadas a interromper nesta terça-feira (1º) a busca de dezenas de pessoas desaparecidas em um conjunto habitacional atingido por uma explosão de gás que deixou pelo menos sete mortos em Magnitogorsk (centro-sul da Rússia) devido ao risco da construção entrar em colapso.

Uma parte do prédio de dez andares desabou na explosão de segunda-feira (31) na cidade, que fica a cerca de 1.700 km a leste de Moscou, nos Montes Urais.

Mais de 1 mil pessoas viviam neste edifício construído em 1973. A explosão destruiu completamente 35 apartamentos e danificou outros dez. Os habitantes ficaram desalojados e foram evacuados para uma escola vizinha.

A temperatura caiu durante a noite para -27 ºC, segundo a agência Tass. Apesar das temperaturas glaciais, os resgatistas trabalharam a noite toda para encontrar pessoas desaparecidas e reforçar a estrutura do prédio.

Na manhã desta terça-feira, o ministro de Situações de Emergência, Ievgueni Zinitshev, anunciou que as buscas foram temporariamente suspensas devido a um "risco real de uma parte do prédio entrar em colapso".

"É impossível continuar trabalhando nessas condições", declarou.

Segundo o ministro, as operações para estabilização das estruturas podem levar até 24 horas, e as equipes de resgate estão suspendendo as paredes do prédio com guindastes.

Depois de uma noite de busca, as autoridades indicaram que encontraram os corpos de sete vítimas, todos adultos. Outras 37 pessoas ainda estão desaparecidas.

O governador da região Boris Dubrovski decretou um dia de luto para o dia 2 de janeiro.

O presidente Vladimir Putin viajou na segunda-feira para o local do acidente, que deixou centenas de pessoas desabrigadas.

Localizada na região dos Urais, uma área muito rica em minerais no sul da Rússia, Magnitogorsk tem uma população de mais de 400.000 pessoas e é uma das maiores produtoras de aço do país.

A equipe da fábrica de ferro e aço Magnitogorsk (MMK), uma das maiores fabricantes de aço do país, participou da operação de resgate.

Os voluntários ofereceram dinheiro, roupas e itens essenciais para as vítimas, e alguns disseram que estavam prontos para fornecer lar temporário para os desabrigados.

O bilionário Viktor Rashnikov, que controla a usina, pediu aos moradores da cidade que ajudem as vítimas.

As autoridades abriram uma investigação sobre o acidente, depois que o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) confirmou que o colapso do prédio foi causado por uma explosão de gás.

Este tipo de explosão é relativamente comum na Rússia, onde muitas infraestruturas são da era soviética, devido à falta de manutenção e por muitas vezes ignorarem as medidas de segurança.


 

 

 

 

Com informações de France Presse.




Tópicos Recentes