POLÍTICA

09/04/2018 as 14:38

Alto lá! Belivaldo prova para Almeida Lima que não é JB! Mas só agora?

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Desde sábado (7) que Belivaldo Chagas (PSD) é o governador de Sergipe, de fato e de direito. Empossado em solenidade na Assembleia Legislativa, o novo chefe do Executivo prometeu se exigente com seus auxiliares e que cobraria eficiência na prestação dos serviços públicos. Após receber uma espécie de “herança maldita” do ex-governador Jackson Barreto (MDB), o “galeguinho” despertou certa expectativa com as possíveis mudanças no governo que poderiam “oxigenar a máquina” e minimizar a rejeição que JB acumulou.

 

Um dos nomes mais questionados da gestão, o secretário de Saúde, Almeida Lima, é para muitos especialistas um dos auxiliares com os “dias contados” na administração. Outros já apostam que ele ficaria na “cota” de Jackson Barreto e que seria uma das exigências do ex-governador quanto ao compromisso político de Belivaldo. O fato é que o novo governador jamais se encantou pela “floreada” gestão do auxiliar, mas também jamais questionou seus métodos de trabalho. Se percebeu que algo estava em desacordo, simplesmente silenciou...

 

Na quinta-feira (5), ainda sob o governo de JB, o Estado (leia Almeida Lima) “inaugurou” o Centro de Nefrologia e Hemodiálise do Hospital de Urgência e Emergência, “dobrando a capacidade” para 16 leitos de homodiálise e 32 leitos de internamento. No dia seguinte, segundo denúncia da TV Sergipe, quando de uma fiscalização feita pelo Conselho Estadual da Saúde, constatou-se que todo o cenário “vendido” para a população sergipana havia sido completamente desmontado após ser “inaugurado”.

 

É isso mesmo leitor (a): o governo montou um cenário, para supostamente entregar uma obra que não estava concluída, apenas para promoção pessoal do governador de plantão ou do gestor responsável pela secretaria. Isso não pode, de maneira alguma, ficar impune e os órgãos fiscalizadores precisam se atentar para o que está acontecendo. O caso veio a tona após a denúncia feita pelo presidente da Associação dos Renais Crônicos de Sergipe, Lúcio Alves. Ele externou para a TV Sergipe que o Centro de Nefrologia propagado não existe e que o povo foi enganado!

 

Diante do desgaste, enquanto Almeida Lima mais uma vez tentava minimizar as críticas à sua gestão em entrevista no rádio, desta vez ao radialista George Magalhães, na FAN FM, o governador Belivaldo Chagas decidiu ir ao Hospital e verificar, in loco, a verdade dos fatos. Diante do que havia constatado, disse publicamente que “não havia gostado do que viu” e que iria ouvir as explicações de Almeida Lima, ainda nesta segunda-feira (9), em audiência às 17 horas. O secretário, subitamente, encerrou a entrevista e disse que não tinha mais nada a declarar. Percebeu da forma mais dura possível que Belivaldo não tem o mesmo perfil de Jackson Barreto governando.

 

Agora, antes de concluir, este colunista alerta que Belivaldo também não pode esquecer que, durante todo esse tempo esteve exercendo a função de vice-governador de JB, que acompanhava e participava diretamente da gestão, e que apesar de já ter assumido o comando em algumas oportunidades, não tinha poder de decisão. O “galeguinho” acerta em tentar corrigir as deficiências, mas quem levou a Saúde chegar a esse estágio de caos também deve ser responsabilizado, seja o ex-governador, seja o secretário. A resposta enérgica é necessária, fundamental, mas é uma pena que Belivaldo só tenha percebido estes problemas agora...

 

Veja essa!

Que a Saúde Estado mais parece uma “obra de ficção” do que um modelo de gestão, isso toda a sociedade sergipana já vinha sentindo. Setores da imprensa já denunciavam e este colunista sempre foi um dos críticos da gestão do secretário Almeida Lima. Mas o governo parecia não dar atenção...

 

E essa!

Ao levantar da cadeira e ir visitar in loco o Hospital de Urgência, Belivaldo se indignou, fez registros fotográficos e, enfim, se pronunciou. Agora, como perguntar não ofende nunca, as críticas que sempre foram feitas pela oposição eram fundamentadas ou eram politizadas?

 

E a culpa?

É importante, na avaliação deste colunista, que após a constatação que teve hoje cedo, Belivaldo venha a público e reconheça que o governo do Estado promoveu a inauguração de uma obra inacabada, apenas para promoção pessoal do ex-governador Jackson Barreto. Ou não?

 

Alô MPE!

Um órgão fiscalizador e atuante como o Ministério Público Estadual não pode simplesmente silenciar diante da gravidade da denúncia do presidente da Associação dos Renais Crônicos de Sergipe, Lúcio Alves. A obra foi “inaugurada” na quinta e na sexta o prédio estava esvaziado. Ou vai ficar por isso mesmo?

 

Campo de Concentração

Na entrevista aos radialistas pela manhã, assim que saiu do Hospital de Urgência, Belivaldo chegou usar a expressão “campo de concentração” para externar a realidade com que se deparou lá dentro. “Tem paciente esperando a três meses por um procedimento cirúrgico.

 

Explicações

Almeida Lima será ouvido pelo governador ainda nesta segunda-feira e terá que explicar o que aconteceu. “Quero ouvir dele para que eu entenda porque estamos nesta situação”. Também é uma oportunidade para Almeida, a depender, colocar o cargo a disposição do chefe do Executivo...

 

Não é hotel!

Belivaldo se revelou profundamente irritado durante a visita que fez ao Centro de Nefrologia supostamente inaugurado. “Estou cansado dessa história que vai ser resolvido. Não tem nada resolvido. Temos pacientes encostados lá. Aqui é um hospital e não um hotel”.

 

Fala Moraes I

Conhecido crítico dentro da corporação da Polícia Militar, Adelmo Morais não deixou passar o discurso feito pelo governador Belivaldo Chagas, durante sua posse, no sábado (7). “Discurso novo não enche a barriga de ninguém. Nada mudou para o povo, especialmente para os servidores públicos, aposentados e pensionistas”.

 

Fala Moraes II

Em seguida, Moraes emendou dizendo que “até agora os servidores não receberam o salário de março, o que é o resultado prático do descontrole das contas do governo, da falta de transparência, do inchaço da máquina pública e do desgoverno de JB, auxiliado por Belivaldo. Quando os servidores vão receber os salários de Março?”, questiona.

 

É federal!

Everaldo Oliveira (PSDB) esteve reunido nos últimos dias com o senador Eduardo Amorim (PSDB) e confirmou sua pré-candidatura a deputado federal nas próximas eleições. Ex-prefeito de Poço Verde, ex-deputado federal, ex-secretário de Estado em dois governos e ex-superintendente Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento em Sergipe, Everaldo é uma liderança forte no Interior do Estado. 

Gilmar Carvalho I

O deputado estadual Gilmar Carvalho, durante o programa Fala Sergipe, na rádio Mix FM, comovido com os recentes casos de violência em nosso estado fez um desabafo sobre a situação segurança pública em Sergipe. Após a comoção com a morte do capitão Oliveira, comandante da Ceopac, o clima de luto prosseguiu com a morte do guarda municipal Paulo Sérgio, na região dos mercados.

 

Gilmar Carvalho II

Gilmar indignado com a falta de respeito com os profissionais da segurança pública repudiou os recentes crimes. “Eles foram para matar e não escolheram lugar, foram de cara limpa. Um deles depois do episódio da perseguição da polícia reagindo, morreu, o outro não se sabe. Aonde nós vamos parar? Se marginal sequer respeita quem faz segurança pública”.

 

Gilmar Carvalho III

Gilmar completou a sua análise recordando tempos de paz no estado, em que a instituição Polícia Militar de Sergipe e a Guarda Municipal de Aracaju eram respeitadas e temidas por criminosos.  “Eu sou de um tempo em que marginal respeitava a polícia, temia a polícia e, por extensão, pelas próprias atribuições que tem, os guardas municipais”, finalizou.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

 

 

 




Tópicos Recentes