POLÍTICA

17/04/2018 as 23:40

Jackson deixou governo “doente” e sem “identidade” para Belivaldo gerir!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Este colunista lembra a sociedade sergipana que o governador Belivaldo Chagas (PSD), que recentemente assumiu o comando do Executivo, já fazia parte da administração desde o princípio e foi eleito pelo voto democrático das urnas, em 2014, como vice-governador ao lado de Jackson Barreto (MDB). O “galeguinho” pode até argumentar, como tem feito, que não tinha poder de decisão, que não tinha “poder de fogo” para fazer com que a gestão andasse do seu modo, mas jamais poderá afirmar para o povo que não tinha conhecimento da realidade em que o Estado se encontrava.

 

Além de ser vice-governador, Belivaldo respondia pela Casa Civil, uma “secretária-chave” dentro da administração, que fica no Palácio de Despachos, onde ele acompanhava toda a movimentação política e diretiva da gestão. Dizer que “não sabia” vai soar como “desinteresse” ou “descaso” com a administração, como se não tivesse compromisso algum com o projeto de governo e que só agora passou a ter interesse diante da real possibilidade de disputar a reeleição. Por sua vez, apenas justificar com a teoria de que não podia decidir também é perigoso porque pode ficar subentendido como “omissão” do “galeguinho”.

 

É uma situação difícil (se correr o bicho pega, se ficar o bicho come) e Belivaldo Chagas terá que fazer valer sua experiência para encontrar alternativas e um bom discurso para sair deste impasse. Agora, justiça seja feita, este colunista entende que é preciso deixar claro para a sociedade sergipana a “herança maldita” que o agora ex-governador Jackson Barreto deixou para seu sucessor administrar. O fato do “galeguinho” não ter poder de decisão no governo é algo grave sim, que precisa ser repensado e que não pode ficar “por isso mesmo”, mas é injusto que JB não tenha que responder por esse “ônus” também.

 

Nos bastidores agora, Jackson por enquanto apenas descansa um pouco, buscou logo tratar da saúde e tentar repor as energias. Os últimos meses foram muito desgastantes e sua rejeição atingiu picos altíssimos junto à população. Sua saída, independente de pré-candidatura, oxigenou um pouco a máquina e, muito possivelmente, a ele próprio. JB é um político extremamente popular, que gosta de conviver em contato com as pessoas, que sempre caminhou tranquilamente pelas regiões periféricas e que conhece bem todos os rincões deste Estado. Pode recuperar um pouco de sua popularidade agora longe do Poder.

 

Mas, para Belivaldo, ele deixou algumas “batatas assando” e que precisavam ser resolvidas. O governo atravessa um momento de saúde financeira difícil, com salários atrasados do funcionalismo, aposentados e pensionistas; JB também deixou um governo “doente”, com problemas inúmeros na rede pública de Saúde e com um secretário que montou um “governo paralelo” dentro da administração; agora, vem uma Operação do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) desarticulando uma quadrilha de falsificação e venda de RGs (registros gerais), que atuava dentro do próprio Instituto de Identificação de Sergipe. Em síntese, sobrou para Belivaldo, com todo respeito pelo trocadilho, um governo sem identidade, sem uma marca, cheio de problemas...

 

Coisas do governo I

Na Educação o ex-secretário Jorge Carvalho comparou a Pasta com o inferno; no Turismo ficou claro que a falta de recursos emperrou os investimentos porque hoje Sergipe, Estado litorâneo, não tem uma grande política de fomento em andamento;

 

Coisas do governo II

Na Saúde ficou claro que Almeida Lima montou um governo paralelo dentro da gestão estadual e transformou o Hospital de Urgência em um “campo de concentração”; na SSP, além do desvio de combustíveis, dos RGs falsos, do assassinato do Capitão da Caatinga sem solução, Sergipe figura entre um dos Estados mais violentos do Brasil.

 

Veja essa!

Durante a sessão dessa terça-feira (17), foi feita a leitura do ofício do governador Belivaldo Chagas (PSD), comunicando a Assembleia Legislativa que o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) segue na liderança do governo na Casa, tendo como vice-líder o também deputado estadual Róbson Viana (PSD).

 

E essa!

Muita gente não entendeu a escolha de Róbson Viana como vice-líder do governo na Alese por entender que ele tem compromisso com uma possível pré-candidatura de André Moura (PSC) para o Senado Federal. Há quem veja essa postura da gestão como mais um indicativo de que parte do grupo não votará em Rogério Carvalho (PT) para senador.

 

Bomba!

Sem muito barulho chega a informação que o secretário da Saúde, Almeida Lima, conseguiu colocar em funcionamento o setor de Nefrologia, exigido por Belivaldo Chagas para ficar a disposição da sociedade até a próxima sexta-feira (20).

 

Exclusiva!

Falando em Almeida, chega a informação exclusiva de que Jackson e Belivaldo estiveram reunidos nessa segunda-feira (16), no Palácio de Veraneio. Comenta-se que JB acha imprescindível para seu projeto político a continuidade de Almeida na Saúde.

 

Não vai mais

Dentro do Palácio de Despachos é forte o rumor de que o presidente do Ipesaúde, Christian Oliveira, não vai mais assumir o comando da Secretaria de Estado da Saúde. Como ele é ligado a Rogério Carvalho, o petista não tem interesse em perder o comando do Ipesaúde e o “acúmulo de poder” geraria problemas para o governo.

 

Ela de volta

Diante das interrogações sobre a saída ou não de Almeida Lima, até o próximo dia 20 (dia “D” para o secretário), um nome que passou a ser ventilado para voltar a assumir a Saúde Estadual foi da enfermeira Maria da Conceição Mendonça Costa. Ela geriu a Pasta em 2016.

 

Barrados no baile I

Membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) foram barrados no Hospital Cirurgia e não tiveram acesso à unidade. Nada contra a diretoria da unidade de Saúde, mas o acesso deveria ter sido assegurado para os parlamentares.

 

Barrados no baile II

Com todo respeito, a culpa também é dos vereadores que não impuseram as prerrogativas de seus mandatos eletivos. Temos hoje uma Câmara Municipal confusa, que se esforça, mas não consegue demonstrar autonomia e que, infelizmente, parece não ter o respaldo e a confiança da sociedade.

 

Auditoria

Diante de denúncias apresentadas por vereadores da capital sergipana acerca de supostas irregularidades nos contratos e na folha de pagamento do Hospital Cirurgia, o conselheiro Luiz Augusto Ribeiro, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), informou nessa terça-feira (17), que vai autorizar a realização de uma auditoria especial na unidade. 

 

No TCE

Membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, os vereadores estiveram na reunião do Fórum Permanente de Combate à Corrupção de Sergipe (Focco/SE), ocorrida no TCE, da qual participou o conselheiro relator dos processos da área de controle da qual fazem parte os órgãos da Saúde no Estado e na capital.

 

Luiz Augusto Ribeiro

“Como conselheiro da área, avisei na reunião que vou autorizar esta auditoria especial para que o Tribunal possa realmente ter um panorama da situação desses contratos. E, no final, vamos enviar o resultado do relatório para a CPI da Saúde, instalada na Câmara de Vereadores”, disse o conselheiro Luiz Augusto Ribeiro.

 

Seu Marcos I

Para o presidente da comissão da CPI da Saúde, vereador Marcos Antônio Soares de Souza, o Seu Marcos, existe uma "má vontade" por parte da direção do Hospital Cirurgia, que não permitiu uma visita dos parlamentares às instalações da unidade de saúde essa semana.

 

Seu Marcos II

Segundo ele, a ideia era tentar entender como é realizada a triagem no atendimento, esclarecendo as localidades dos municípios dos pacientes, e quem pagaria a conta. "Temos notado que eles querem protelar a CPI; A prova maior foi ontem que não deixaram a gente fazer a visita", colocou. 

 

Heitor Alves I

Coordenador estadual do Focco e procurador-chefe da República em Sergipe, Heitor Alves Soares disse durante a reunião do Fórum que a CPI tem poderes próprios de autoridade judicial, ou seja, tem poder de requisição. Diante disto, ficou acordado que, mediante o requerimento da CPI, o Focco vai disponibilizar o trabalho que foi realizado no âmbito da oncologia no Hospital Cirurgia. 

 

Heitor Alves II

“É preciso saber como o dinheiro está sendo aplicado e como resolver os problemas. Imputar desvio é muito fácil. O problema é corrigir esta estrutura para que o sistema funcione de forma adequada e preste um serviço de forma eficiente e de forma econômica ao poder público", explica o procurador.

 

Ulices Andrade

Em resposta aos acontecimentos, o presidente do TCE, Ulices Andrade, deixou claro que "quem mexe com o dinheiro público tem que dar satisfação, sim". E foi apoiado pelos representantes do Ministério Público Estadual e Federal de que os parlamentares precisam fazer valer a força do poder legislativo.

 

Fábio Henrique

Não se sabe o teor, mas este colunista foi informado que o presidente estadual do PDT, Fábio Henrique, pré-candidato a deputado federal, esteve reunido com Belivaldo Chagas no final da tarde dessa terça-feira (17), com Belivaldo Chagas, no Palácio.

 

Heleno e o tempo

Enquanto muito se veicula que o PRB do Pastor Heleno Silva entregou os cargos e vai trilhar com a oposição, a informação de uma fonte governista é que ele, por enquanto, apenas “pediu um tempo” ao governador para que o partido chegue a um consenso sobre o futuro político. É aguardar...

 

Gualberto líder

Ao fazer uso da tribuna, Gualberto lembrou que já vem exercendo a liderança do governo na Alese desde os governos de Marcelo Déda (in memoriam) e que chegou a assumir a função em duas situações distintas já com o ex-governador Jackson Barreto (MDB). “Agora recebo o convite do governador Belivaldo Chagas que me solicitou que eu fique no cargo até o final do ano, até o final dessa gestão. Não teria nenhuma lógica em não aceitar este convite”.

 

Disposição

Em seguida, Gualberto disse à disposição para ficar na liderança do governo continua sendo a mesma e que mantém compromisso com o projeto que sempre defendeu. “Sigo com o mesmo perfil e reconheço a mudança de composição aqui na Casa, no plenário, após a janela que permitiu as trocas partidárias e onde alguns companheiros foram para outros partidos. Nosso bloco pode sofrer algumas alterações e vamos ter que recompor as comissões dentro das normas estabelecidas pelo regimento da Casa”.

 

Mandato é consequência

O petista disse que se acontecerem embates serão normais e acredita ter acertado mais do que errado na Alese. “Vou prosseguir na liderança, temos responsabilidade e quem já foi líder sabe quem nem sempre as coisas caminham como nós projetamos. Deixo claro que faço política e que o mandato é consequência. Quem faz política com medo do resultado é vítima da própria política. Digo o que faço e penso”.

 

Venâncio Fonseca

Gualberto foi aparteado por vários deputados que elogiaram sua postura como líder governista e que lhe desejaram sorte nos próximos meses. Para Venâncio Fonseca (PSC), por exemplo, o governo reconheceu que o petista é um deputado inteligente e competente. “Gualberto sempre foi um opositor combativo e leal, defendendo seu governo e seus ideais com respeito e autenticidade”.

 

Georgeo Passos

Outro que elogiou sua postura foi o ex-líder da oposição, deputado Georgeo Passos (REDE). “Gualberto sempre manteve o respeito por mim e sempre me superou com sua capacidade e com sua experiência. Com boa articulação ele conseguia me superar. Espero que ele tenha êxito no próximo ano para que esteja na Alese liderando a bancada de oposição”.

 

Capitão Samuel

Também desejaram sorte a Gualberto os deputados Antônio dos Santos (PSC), Maria Mendonça (PSDB), Sílvia Fontes (PDT), Luciano Pimentel (PSB) e Capitão Samuel (PSC). “Quero parabenizar Gualberto e dizer que o governo provou confiar no seu trabalho e acerta pela forma como ele dialoga com os colegas, pela forma como conduz a liderança, mantendo um bom relacionamento com todos. O respeito da oposição é tão grande que todos nós ficamos aqui para reconhecer e exaltar o papel de Gualberto como líder do governo”.

 

Obras inacabadas I

No Brasil existem hoje cerca de 22 mil obras públicas paralisadas. Em Sergipe, há também registros de várias obras, pagas com recursos públicos, também iniciadas e não acabadas, e sem previsão de conclusão. Esse quadro gera um prejuízo incalculável ao erário público estadual, ao país e, sobretudo, à sociedade que fica privada de ter acesso aos serviços que essas obras poderiam gerar.

 

Obras inacabadas II

Diante disso, o Café com Debate, organizado pela 7SET Comunicação Estratégica, promovido pelas jornalistas Katia Santana e Magna Santana, vai abordar o tema, com autoridades no assunto. A ideia é discutir o impacto gerado pela paralisação dessas obras e encontrar alternativas que visem um prejuízo menor para o estado brasileiro e sergipano. O evento acontece no próximo dia 26 de abril, no auditório do Hotel Sesc Atalaia, às 19 horas. Informações e inscrições pelo telefone (79) 99113-3016.

 

Valadares I

O Senado realizou Sessão Temática para debater o Projeto de Lei nº 330 de 2013, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), sobre proteção, tratamento e uso de dados. A reunião, de iniciativa do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) que é o relator do projeto em análise na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), reuniu especialistas para discutir a criação de uma lei para regular o trânsito e manejo de informações pessoais.

 

Valadares II

Em seu discurso, Valadares, que apresentou o projeto em 2013, defendeu que, diante do cenário internacional e nacional em que a importância do tema cresceu enormemente, é imprescindível a aprovação de uma lei brasileira sobre o assunto. “Minha proposta é, justamente, a criação de uma lei de proteção assegurando às pessoas instrumentos de maior controle sobre seus dados, além de proporcionar transparência das operações de coleta, processamento e uso pelos gestores desses dados, sejam eles públicos ou privados”, explicou.

 

Marco Civil

O senador lembrou que o Marco Civil da Internet, que entrou em vigor em 2014, não tratou de forma adequada a proteção de dados pessoais na internet e regras mais claras sobre o uso dessas informações. “Devemos nos manter atentos à nova realidade do mundo globalizado. Diversos países têm elaborado leis com o objetivo de conferir maior proteção a esses direitos”, afirmou citando o Regulamento Geral de Proteção de Dados que entrará em vigor em maio na União Europeia.

 

Não pode se eximir

Valadares acredita que o Brasil precisa estar alinhado com essa postura. “O Congresso brasileiro está dando a sua contribuição. E o governo federal, também, não pode se eximir da responsabilidade de adotar e seguir regras, sob a pena de enfraquecer relações comerciais e diplomáticas, com repercussões de ordem econômica”, ressaltou.

 

Garantir proteção

Valadares conclui afirmando que em um momento que parlamentos se movimentam pela aprovação de leis protetoras da vida privada, o Congresso brasileiro precisa garantir proteção ao cidadão brasileiro. “Não podemos deixá-lo desprovido de mecanismos que façam valer o direito fundamental à privacidade”, disse.

 

Laércio Oliveira

O deputado federal e presidente da Fecomércio/SE, Laércio Oliveira, participou da reunião com Representação Internacional para Avaliação da Universidade Tiradentes (Unit), que ocorreu na reitoria do Campus Farolândia e contou com a presença de representantes de classes, empresários, políticos, e autoridades de diversas áreas, a exemplo, do Ministério Público, Tribunal de Contas e Sociedade Médica de Sergipe. O convite para participar da reunião foi feito pelo reitor da instituição, Jouberto Uchôa de Mendonça.

 

Unit

O processo de internacionalização da Unit teve sua ação mais concreta até hoje na estruturação do Tiradentes Institute, em Boston nos Estados Unidos. Nesse segundo estágio, a entidade pretende estabelecer laços ainda mais fortes no continente europeu. Para isso é que aconteceu essa reunião de avaliação com Representantes das Organizações Internacionais da Inglaterra, Portugal, Noruega, Lituânia e Bulgária.

 

Internacionalização

A internacionalização é importante para a disseminação de diversas culturas entre a comunidade acadêmica, além de realizar intercâmbio permanente entre professores e estudantes para que o conhecimento científico e as pesquisas sejam cada vez mais importantes e preponderantes no âmbito da Universidade Tiradentes.

 

André Moura I

A Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária (ANTEFFA) se reuniu com o deputado federal André Moura (PSC/SE) em Brasília. A instituição solicita ao parlamentar que interceda para a reestruturação do Plano de Carreiras dos Cargos de Atividades Técnicas e Auxiliares de Fiscalização Federal Agropecuária (PCTAF) em trâmite no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

 

André Moura II

O Plano dos Cargos de Atividade foi aprovado em 2016 e inclui algumas distorções nos cargos de níveis intermediários que ainda não foram corrigidas. A ANTEFFA requer readequação das atribuições, isonomia dentro do PCTAF e inclusão da categoria no reajuste salarial previstos aos servidores públicos federais para os anos de 2019 e 2020.  

 

Reconhecimento

André Moura se prontificou a ajudar o pleito da ANTEFFA e ressaltou que a atuação dos auditores e dos técnicos de fiscalização garante a qualidade dos produtos agropecuários aos brasileiros e também sua competitividade no mercado internacional. “É fundamental reconhecer o trabalho desses profissionais. Eles asseguram as mercadorias que chegam aos consumidores e posicionam nossos produtos em pé de igualdade no exterior”, afirmou o parlamentar.   

 

União de Forças 

Além do deputado André Moura, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e a Frente Parlamentar de Agropecuária se manifestam a favor dos pedidos da associação. Todos entendem que esses servidores executam atividades primordiais à economia.

 

Emília Corrêa I

A vereadora Emília Corrêa (Patriota) destacou na CMA a vitória do cidadão de Aracaju com a suspensão do edital  do  Processo Seletivo Simplificado (PSS) publicado pela  Secretária Municipal de Educação,  para contratação de Assistentes de Alfabetização para Rede Pública Municipal. “Vários pontos do edital atentavam contra o povo dessa cidade, um deles era o prazo exíguo. Como se publica um edital no dia em iniciava o prazo de inscrição e dois dias depois estava encerrado? É muito estranho, ainda mais em ano eleitoral”, explicou. 

 

Emília Corrêa II

E a falta de divulgação no edital de contratação temporária não foi o único problema, segundo vereadora. “O contrato é de seis meses, mas os requisitos precisam ser preenchidos. Além de não ter ampla divulgação, o que tiraria chance de professores e assistentes de alfabetização de concorrerem em igualdade, o edital não explicitou os requisitos de excepcionalidade.  Em um ano eleitoral isso não cai bem. Parecia mais um chamamento de cabos eleitorais”, considerou.

 

Thiaguinho Batalha

O vereador Thiaguinho Batalha (PMB) esteve reunido com representantes dos taxistas de Aracaju para discutir as principais necessidades da categoria e ouvir reivindicações ligadas ao Plano de Mobilidade, como a implantação do Prótáxi.  A reuniãova aconteceu na sede do Sindicato dos Taxistas (Sintaxi).

 

Reivindicações

Thiaguinho disse que já levou as reivindicações ao prefeito Edvaldo Nogueira e ao superintendente de Transportes e Trânsito, Aristóteles Fernandes, e se pôs à disposição da categoria. "Medidas que abrangem um grande número de pessoas, como o Prótaxi, precisam de uma atenção maior pois se trata de um serviço que trará benefícios não apenas para a categoria, mas para a população que irá usufruir de melhores serviços", ponderou.

 

Prótaxi
O Prótaxi faz parte do Plano de Mobilidade Urbana, que foi assinado pela Prefeitura Municipal de Aracaju em fevereiro deste ano. A medida consiste na regulamentação do lotação zona sul da nossa capital, migrando os táxis bandeiras para táxi especial lotação. Contempla também sinal de internet grátis (wi-fi) nos veículos, ar condicionado e motoristas uniformizados.

 

Sarcomas I

A clínica Onco Hematos esteve bem representada durante o evento de Sarcoma de Partes Moles, em São Paulo, no último final de semana. Estiveram presentes o hematologista Carlos Guimarães e os oncologistas clínicos Thiago Menezes e André Peixoto.

 

Sarcomas II

O Sarcoma é um tipo de câncer que se desenvolve a partir de certos tecidos, como osso ou músculo. Os sarcomas de partes moles podem se desenvolver a partir de tecidos, como músculo, gordura, nervos, tecidos fibrosos, vasos sanguíneos ou tecidos mais profundos da pele. Eles podem ser encontrados em qualquer parte do corpo, mas a maioria se desenvolve nos braços ou pernas.

 

Partes Moles

De acordo com o oncologista Thiago Menezes, o evento serviu para realizar o lançamento de uma nova ferramenta para tratamento de sarcoma de partes moles avançado. “Foi lançada uma nova quimioterapia com anticorpo monoclonal que bloqueia receptores localizados nas células tumorais com ganho de sobrevida global de quase um ano comparado aos tratados com o tratamento anterior”, explicou.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

 




Tópicos Recentes