POLÍTICA

18/08/2018 as 15:58

Pesquisas refletem “fadiga” de bloco Governista após quase 12 anos!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

A semana terminou com a divulgação de duas pesquisas que até revelaram uma pequena evolução para a candidatura à reeleição do governador Belivaldo Chagas (PSD), mas sem rodeios este colunista pontua: os números não mentem e revelam uma espécie de “fadiga” do eleitorado em geral com um agrupamento político que comanda o Estado desde o início de 2007. São quase 12 anos de um projeto político que vem dando sua contribuição, que avançou em alguns aspectos, mas que errou por demais e perdeu muito tempo, contribuindo para o “encolhimento” de Sergipe. Passamos a figurar nacionalmente com muitas referências negativas.

 

Primeiro a ser divulgado, o levantamento do INSTITUTO DATALÔ feito em 35 municípios do Estado e registrado na Justiça Eleitoral sob o número SE-00580/2018, já deu um indicativo desse “desgaste”. Ao ouvir 1.206 pessoas, entre os dias 6 e 10 de agosto, e com uma margem de erro de 2,8% e um intervalo de confiança de 95%, a pesquisa confirmou a liderança de Valadares Filho (PSB) com 15,5%, seguido de Eduardo Amorim (PSDB) com 14,9% e Belivaldo Chagas com 10,9%. Completam a lista Emerson Ferreira (REDE) e Mendonça Prado (DEM), ambos com 3,4%; João Tarantela (PSL) com 1,9%; Milton Andrade (PMN) com 0,66% e Márcio Souza (PSOL) com 0,58%.

 

Já a pesquisa IBOPE, encomendada pela TV Sergipe, está registrada na Justiça Eleitoral sob o nº SE-02253/2018, ouviu 812 eleitores de todas as regiões do Estado, entre os dias 14 e 16 de agosto, com uma margem de erro de 3%, para mais e para menos, em um intervalo de confiança de 95%. Nesse caso o “abismo” do governo é ainda maior: Valadares Filho lidera com 23%, seguido de Amorim com 17%, Belivaldo com 12%, Emerson com 5%, Mendonça Prado com 3% e João Tarantela, Márcio Souza e Milton Andrade com 1% cada. Gilvani Santos (PSTU) não pontuou.

 

No primeiro levantamento 31,76% disseram votar nulo ou em branco e 16,83% não sabem ou não responderam. Estamos falando de mais de 48% do eleitorado. Na segunda pesquisa, 28% disseram votar em branco ou nulo e 9% revelam que ainda estão indefinidos. Não deixa de ser um percentual alto também! Mas o IBOPE foi além e pesquisou a aprovação do Executivo: apenas 18% avaliam o governo como ótimo ou bom; 31% o colocam apenas como regular e 39% como ruim ou péssimo. 12% não souberam avaliar. Sobre a maneira de gerir de Belivaldo, 50% dos pesquisados desaprovam! 33% aprovam e 16% não sabem avaliar.

 

Em síntese, os números confirmam outros comentários feitos por este colunista de que o cenário atual é mais favorável à oposição e menos propício à reeleição do governo. Os levantamentos também reafirmam essa “fadiga” do bloco liderado por Belivaldo Chagas. Tanto que os dois pré-candidatos ao Senado da situação não estão bem colocados: Jackson Barreto (MDB) é apenas o terceiro e Rogério Carvalho (PT) o quarto. Ainda estamos no início da campanha, tudo é possível quando falamos de política e as pesquisas apenas refletem uma realidade de momento. Tudo pode acontecer, mas ou o “galeguinho” tira uma “novidade da cartola” nos próximos 50 dias, ou corre o risco de assistir o 2º turno em cima do muro...

 

Veja essa!

Sem Eliane Aquino (PT) como vice, Belivaldo oscilava entre 7% e 9%. Com ela ao seu lado, ele chegou a 12%. Houve uma evolução, mas ela não “somou” como muita gente esperava. Amorim também conseguiu uma evolução com a chegada de Ivan Leite (PRB). Pelo menos se consolidou como segundo colocado.

 

E essa!

A grande surpresa de longe foi Valadares Filho. Alguns críticos olhavam seu projeto com desconfiança pela ausência de muitos prefeitos e lideranças políticas e houve quem questionou a indicação da deputada Sílvia Fontes (PDT) como vice.

 

Sílvia tem voto

Um aspecto que muita gente não levou em consideração é que, há menos de quatro anos, Sílvia Fontes fez história na Assembleia Legislativa como a primeira mulher eleita na Casa como a mais votada, com 42,6 mil votos. Talvez ela não repetisse o percentual em 2018, mas provou que, muito mais do que o nome, tem voto.

 

Senado I

Ainda sobre o IBOPE, mas para o Senado, Valadares (PSB) lidera com 28% e tem quase o dobro do terceiro colocado, Jackson Barreto, com 16%. Quem vem bem em segundo é o líder do Congresso Nacional, deputado André Moura (PSC), com 21%. Pelo volume de apoios, André tem potencial para crescer muito mais.

 

Senado II

Em quarto lugar aparece Rogério Carvalho com apenas 12%, seguido já de perto da professora Sônia Meire (PSOL) com 9% e de Heleno Silva (PRB) e Alessandro Vieira (REDE), ambos com 7%. Depois surgem Professor Jossimário (PSOL) com 4% e Adelson Alves (Patriota) com 3%. Completam com 2% cada Cadu Silva (PSL), Henri Clay (PPL) e Reynaldo Nunes (PV) e Clarckson Messias (PSTU) com 1%.  

 

Marcha à Ré I

Diante dos desdobramentos da Operação Marcha à Ré, deflagrada no Estado pela Polícia Federal e pela Controladoria-Geral da União (CGU), para investigar suposto desvio de recursos públicos em licitações de transporte escolar pelo Governo de Sergipe, entre os anos de 2014 e 2017, este colunista percebeu que há um movimento para “blindar” um lado da história e “focar” nos empresários em questão.  

 

Marcha à Ré II

É importante frisar que nenhum empresário teria tido acesso a qualquer “tipo de vantagem” na administração estadual se não tivesse a conivência ou uma espécie de “facilitação” por parte de setores responsáveis na SEED. Fazer com que apenas os empresários saiam “mal na fita” parece ser algo inaceitável, mas...

 

TCE em cima I

O conselheiro Carlos Alberto Sobral, vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), autorizou a realização de auditoria extraordinária nas áreas de transporte escolar e locação de veículos na Secretaria de Estado da Educação (Seed) e prefeituras municipais de Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão - órgãos que integram a Área de Controle e Inspeção da qual é relator.

 

TCE em cima II

Conforme foi noticiado, a contratação do serviço de transporte escolar foi realizada pela Seed, por meio do Pregão Eletrônico nº 432/2013, abrangendo os 75 municípios sergipanos, que resultou na celebração de diversos contratos vigentes desde de 2014. Até 2017, os recursos envolvidos na contratação de empresas teriam alcançado o montante de R$ 285 milhões, sendo cerca de R$ 13 milhões oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

 

MPE de Contas

Aprovada pelo colegiado, a proposta do conselheiro teve o apoio do Ministério Público de Contas, através do procurador-geral João Augusto Bandeira de Mello, que antecipou ainda que fará um levantamento acerca das demais localidades sergipanas onde se faz necessária auditoria nos mesmos moldes.

 

Portoserv

Os contratos firmados por órgãos públicos sergipanos com a empresa Portoserv Serviços e Empreendimentos Ltda serão analisados pelo TCE a pedido do MP de Contas. A atuação da empresa, sediada no município de Porto da Folha, é alvo de operação do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), que investiga contratos ilegais e fraudes em licitações municipais.

 

Evento cancelado

O desembargador Roberto Eugênio da Fonseca Porto determinou, por meio de medida liminar, a suspensão do evento (cavalgada e shows), que seria realizado neste domingo (19), no município de Carira, sob pena de multa no valor de R$ 100 mil, em razão da possível natureza política do mesmo.

 

A Denúncia

A representação foi ajuizada pela Procuradoria Regional Eleitoral em face de Marcos Vinícius Ribeiro dos Santos, requerendo o Ministério Público Eleitoral (MPE), em um primeiro momento, a concessão de liminar para obstar a realização da cavalgada e dos shows que seguiriam na sequência, sob a alegação de ocorrência de evento de natureza política.

 

Apoios

O MPE enfatizou que a cavalgada teria o apoio de João Bosco Machado e Diogo Machado, ex-prefeitos de Carira, bem como o estreito vínculo desses com o candidato ao Governo Belivaldo Chagas, a sugerir que esse grupo político é que comandaria o evento. Segundo o MPE, o representado e organizador do evento é filiado ao PT e tem vida empregatícia vinculada à Administração Pública.

 

Festa política?

Além disso, o MPE argumentou ser evidente que o evento tem o fim de alavancar irregularmente candidaturas, por não ser crível que um evento, criado por um particular - o representado, surja do nada e já na sua primeira edição conte com os shows de grande porte, sem previsão de pagamento de ingresso, sob a alegação de que o evento será patrocinado pelos comerciantes locais. 

 

Decisão

Fundamentando sua decisão o desembargador afirmou que “a norma eleitoral de regência (§ 7º do art. 39 da Resolução TSE nº 23.551/2017) proíbe a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos, bem como a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comícios e reunião eleitoral”.

 

Conotação política

Partindo dessa premissa, o magistrado, diante da argumentação exposta pelo MPE, verificou haver fortes indícios de conotação política do evento. “Em cognição sumária convenço-me da probabilidade do direito invocado, considerando os fortes indícios de conotação política do evento. Nesse sentido, verifico a íntima relação que une o organizador do evento, ora representado, a políticos locais, bem como ao candidato a Governador deste Estado”, asseverou o relator do caso.

 

Enfermeiros

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE) convida a imprensa sergipana a participar da assembleia conjunta com os trabalhadores da FHS a ser realizada nesta segunda-feira (20), às 16h, na sede do Sindicato dos Bancários. Na ocasião, os dirigentes sindicais, irão expor para as categorias da área da saúde, a real situação da FHS e  unirem forças para lutarem juntos por uma definição aos órgãos.

 

Caso da FHS

A assembleia contará com a participação dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, psicólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, nutricionistas,técnicos de nutrição, farmacêuticos e técnicos de segurança do trabalho.

 

Hospital Cirurgia

Com o objetivo de garantir o retorno das cirurgias, o Governo do Estado indicou a enfermeira Márcia Guimarães para o cargo de diretora administrativa e financeira do Hospital Cirurgia. Ela é especialista em saúde pública e ocupa a função diretora de Gestão do Sistema da Secretaria de Estado da Saúde (SES). 

 

Mais transparência

O objetivo dessa indicação é buscar a participação efetiva do Governo do Estado na administração da unidade hospitalar, promovendo uma maior transparência dos recursos públicos estaduais aplicados no hospital e garantido sua aplicação nas atividades fins, para que  o Cirurgia possa voltar a atender a população que necessita das consultas, exames e cirurgias de média e alta complexidade.

 

Acese I

“O regime tributário do Brasil é uma das forças motrizes por trás dos grandes problemas do país. São mais de 90 impostos, taxas e contribuições e todos os impostos são baseados em diferentes esferas governamentais de impostos federais, impostos estaduais e impostos municipais. Se isso já afasta investidores estrangeiros, imagine o que isso faz com o pequeno e micro-empresário e com a população de modo geral”, ressalta o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (ACESE), Marco Aurélio Pinheiro.

 

Acese II

Ainda de acordo com o presidente da Acese, abrir um negócio é um exercício de paciência contra a burocracia. “É uma grande aventura empreender no Brasil. Você quer abrir um negócio e tem passar por uma verdadeira romaria. Mais de dois meses, isso se o empresário tiver a sorte de conseguir todos os alvarás. Porque outro problema ainda é a dificuldade de se compreender o que a lei pede, são muitos processos repetidos e licenças similares que precisam ser expedidas por órgãos diferentes”.

 

Poço Verde

O governador Belivaldo Chagas e o secretário de Governo, Benedito Figueiredo, assinaram um decreto de emergência visando garantir suporte necessário ao município de Poço Verde, afetado pela crise da seca. A intenção é dar todo o suporte necessário para beneficiar a população afetada pela escassez de água nos reservatórios.

 

Produção afetada

Sem água para a agricultura, a produção de milho e feijão foram afetadas, interferindo diretamente com a economia, que é principalmente rural. Foi o que disse a secretária municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, Meio ambiente e Recursos Hídricos, Adriana Souza, ao alertar que parte de Poço Verde tem apenas 30% da água necessária para abastecer a população.

 

NAPSS

“Até poucos anos atrás, a Polícia Militar possuía um Núcleo de Assistência Psicossocial (NAPSS). Tal órgão realizava ações preventivas através de visitas às unidades policiais espalhadas pelo Estado, buscando identificar as dificuldades passadas pelo policial militar e lhe dar o apoio necessário através de acompanhamento especializado. Com o fim do NAPSS, aumentaram as demandas médicas e suas respectivas dispensas motivadas ao serviço por causas de caráter psicológico”, explica o presidente da Amese (Associação dos Militares de Sergipe), Jorge Vieira da Cruz.

 

Amese

“Depressão, stress pós-traumático, alcoolismo hoje são uma rotina no seio da tropa e não se visualiza – até o momento - a tomada de nenhuma atitude para dar solução a este problema de fácil solução. Esta associação, por diversas vezes, buscou o secretário de Segurança Pública, Dr João Eloy, para informar ao mesmo os problemas de diversos policiais com sinais de depressão e o mesmo, na medida do possível e sem a estrutura necessária, tem adotado algumas soluções práticas e dignas de elogio por parte desta entidade e de todos aqueles que foram acolhidos” completou Vieira.

 

Apelo

Por fim o presidente da Amese pediu às autoridades de segurança pública do Estado que realizem um esforço conjunto para o retorno do NAPSS, “uma demanda que não beneficiará apenas as forças policiais, mas a toda à sociedade”.

 

Eduardo Amorim

Mesmo cumprindo agenda no Baixo São Francisco, o candidato ao Governo de Sergipe, senador Eduardo Amorim, concedeu entrevista à Juventude FM de Lagarto. “Com o represamento das águas do Rio São Francisco, mudou a economia dessa região. Gerou energia elétrica, mas mudou a agricultura, em especial a rizicultura. Por isso, vamos investir na modernização da citricultura, na fruticultura irrigada e nas demais culturas da região, a exemplo da criação do camarão”, afirmou o candidato. 

 

Revitalização

“Defendemos a revitalização do Rio São Francisco e explorar o turismo na região. A foz do rio, em Brejo Grande, é um exemplo de local a ser explorado turisticamente para atrair gente de dentro e de fora do estado. Também vamos seguir lutando pela implementação da Universidade do Vale do São Francisco (Univasf)”, ressaltou.

 

Café com Debate I

Os nove candidatos a governador de Sergipe confirmaram presença na primeira sabatina promovida pelo Café com Debate, evento que já se consolidou no calendário do Estado por promover discussões sobre temas que estão na pauta nacional e local. A sabatina, organizada pela jornalista Katia Santana e pela radialista Magna Santana, acontecerá na próxima quarta-feira (22), às 19h, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Aracaju, localizada à Rua Santa Luzia, 571, bairro São José.

 

Café com Debate II

“É um espaço democrático, onde todos os candidatos independentemente de densidade eleitoral, poderão expor as suas ideias para os sergipanos”, disse Katia Santana, ressaltando que o intuito é garantir que todos tenham a chance de apresentar as suas intenções e propostas para gerir o Estado, a partir de janeiro de 2019.

 

Primeiro debate

Durante cerca de três horas, os nove postulantes ao cargo de governador (Belivaldo Chagas, Valadares Filho, Eduardo Amorim, Gilvani Alves, Márcio Souza, Milton Alves, João Tarantella, Emerson Ferreira e Mendonça Prado) exporão as suas ideias, farão perguntas entre si, responderão a questionamentos de jornalistas e de nove pessoas da plateia, previamente, sorteadas. 

 

Transmissão

Com transmissão ao vivo pelo Youtube e redes sociais, a sabatina será o primeiro encontro público entre todos os candidatos. Aberto ao público, mediante aquisição do acesso, o evento vai propiciar uma troca de ideias e permitir que a população conheça o que cada um tem para oferecer ao Estado em termos de políticas públicas.

 

Maria do Carmo I

Embora não seja adepta do processo de privatização, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) considera que a notícia de que a Fábrica de Fertilizantes e Nitrogenados (Fafen) não será fechada, é um alento para os trabalhadores que estavam na iminência de perderem o emprego, já a partir de outubro, com o fim das atividades da empresa.

 

Maria do Carmo II

“A informação passada pelo presidente Michel Temer ao ex-governador Albano Franco é que a Petrobrás iniciará um processo de privatização. Essa é uma medida menos pior, pois pode-se discutir uma forma de preservar os empregos desses pais de famílias”, afirmou a senadora.   

 

Fafen

Como vice-coordenadora da bancada federal sergipana, em março passado, a senadora recebeu em seu gabinete, em Brasília, os integrantes da bancada federal sergipana, para discutir o assunto. Na oportunidade, ela revelou a sua preocupação com a incerteza do destino de centenas de trabalhadores diretos e indiretos que ficariam desempregados, caso a unidade fosse fechada no Estado.

 

Estrago grande

“Já nos posicionamos de maneira firme sobre essa questão, pois entendemos que o fechamento da Fafen provocaria um estrago sem precedentes, que iria muito além da perda de postos de trabalho e colocaria em xeque todo o investimento estratégico feito por décadas para que o Estado pudesse transformar em valores os importantes recursos naturais, como o gás, que é abundante”, ressaltou a senadora.

 

Menos nocivo

Para Maria, a privatização é uma “alternativa menos nociva aos trabalhadores e ao Estado de Sergipe”. Ela lembrou que a Fafen sempre se fez presente em ações de inclusão social e digital; de formação e de qualificação profissional para jovens e adultos; de promoção do esporte e de promoção da cultura, com projetos de formação artística e cultural.

 

Maria Mendonça

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) destacou a importância da Universidade Federal de Sergipe (UFS) que chegou ao município há exatos 12 anos, graças à sua luta como prefeita, juntamente com a comunidade que ansiava pela instalação de uma Universidade pública. “O sonho era termos uma faculdade pública que pudesse acolher os estudantes da região do Agreste e circunvizinhança. Hoje, são mais de dois mil sergipanos que estudam na instituição e têm acesso a cursos de graduação e pós-graduação”, celebrou. 

 

Terreno cedido

Ela contou que, em 2005, na sua gestão como prefeita de Itabaiana cedeu a área do antigo Centro de Atenção Integral à Criança ao Adolescente (CAIC) para que o Campus da UFS fosse construído. “Ali começava a realização de um antigo sonho não só dos itabaianenses, mas de todos os sergipanos que residem na região próxima e até pessoas de outros Estados”, afirmou a deputada.

 

Laércio Oliveira I

O deputado federal Laércio Oliveira participou da reunião organizada pelo presidente Associação das Empresas do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro (Assedis), Celso Hiroshi Hayasi, na sede da Associação, com a presença dos associados, do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), José Augusto Carvalho, do diretor-presidente da Codise José Matos, e toda equipe da diretoria.

 

Laércio Oliveira II

A primeira reunião ocorreu na Sedetec no dia 3, com a presença do prefeito Padre Inaldo e do secretário Municipal de Indústria e Comércio, Carlos Álvares. O objetivo é discutir melhorias em todas as áreas para que o Distrito Industrial de Socorro possa ter mais infraestrutura, segurança, iluminação e limpeza. Para que o local volte a ser um gerador de emprego e renda.

 

Kitty Lima I

A demora da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) de Aracaju em dar continuidade ao recadastramento dos carroceiros e ao emplacamento das carroças que circulam pelas ruas da capital foi duramente criticada pela vereadora Kitty Lima (Rede), que voltou a cobrar a realização da segunda etapa do processo. A demora, explica a vereadora, fere o cumprimento das leis municipais e compromete a mobilidade urbana da capital, o meio ambiente e a causa animal.

 

Kitty Lima II

“A SMTT silenciou-se sobre esse assunto. Houve a primeira etapa do recadastramento após muita insistência minha, que batia na porta do superintendente todas as semanas para cobrar a retomada dessa atividade. Percebemos diversas falhas durante a primeira etapa como animais desmaiados e machucados, que mesmo após passar pela avaliação de veterinários eram liberados para voltarem com seus tutores para casa, uma situação inadmissível que não permiti que acontecesse”, completou.

 

Não é favor

Esse e tantos outros pontos negativos foram levados ao órgão que se comprometeu em melhorar o processo, mas há mais de uma semana aguardo esse retorno sobre a data para a realização da segunda etapa do cadastro e até agora a SMTT não se manifestou. Isso não é um favor, está previsto em leis que versam sobre a mobilidade urbana, a preservação do meio ambiente e a garantia de bem estar dos animais utilizados nesta atividade”, pontuou.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

 

 

 




Tópicos Recentes