POLÍTICA

25/08/2018 as 09:48

“Chapinhas”, REDE, PSB e DEM “complicam” disputa por vagas na Alese!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Os candidatos da base do governador Belivaldo Chagas (PSD) tinham razão em reclamar, no momento das definições das alianças políticas visando as eleições 2018, sobre a formação das “chapinhas” por alguns partidos aliados dentro do agrupamento. Mesmo sem muita exposição pública, este colunista tomou conhecimento que setores da oposição liderada pelo senador Eduardo Amorim (PSDB) também eram contrários a esses “pequenos blocos”.

 

Política é algo muito subjetivo: a verdade é que pesa muito a vontade do eleitor, mas a “matemática” também está presente no processo eleitoral, em especial, quanto às projeções feitas na eleição proporcional, para deputado federal e estadual. Hoje, com as candidaturas e coligações bem definidas, com os nomes devidamente postos, este colunista buscou políticos e pessoas com experiência acumulada de outros processos eleitorais para fazer algumas projeções.

 

É evidente que sempre tem que se levar em consideração o resultado das pesquisas registradas, além de evidentemente, ouvir o sentimento das pessoas, “ouvir o som que vem das ruas”. No caso da Câmara Federal, pode-se arriscar que quatro dos atuais oito deputados estarão reeleitos em 2018. Considerando que André Moura (PSC) e Valadares Filho (PSB) estão disputando a eleição majoritária este ano.

 

A tendência é que o grupo de Amorim eleja quatro federais e o grupo de Belivaldo outros três. Vale frisar que na oposição existem mais nomes “competitivos” do que na situação, sendo assim o volume total de votos tende a ser maior. Se atingir o coeficiente eleitoral, a coligação que tem Valadares Filho como candidato a governador elegerá um federal. Já para deputado estadual a disputa tende a ser bastante acirrada, tudo graças às chapinhas, mas também ao PSB e a chapinha do PTB, à REDE e, a depender, do desempenho do DEM.

 

Há uma tendência que gente com menos votos assuma uma cadeira na Alese, enquanto que determinados nomes “mais conhecidos” fiquem de fora. A fatídica história das verbas de subvenção, que prejudicou os mandatos de muitos deputados da atual legislatura, diga-se de passagem. Todos foram absolvidos e a população não demonstra qualquer motivação neste assunto para deixar de votar neste ou naquele candidato. A questão é de matemática mesmo!

 

Este colunista não vai citar nomes até em respeito a todos os candidatos e, principalmente, à vontade soberana do eleitor, que precisa ter liberdade total e irrestrita para decidir em quem vai votar. Mas dá para se fazer algumas projeções pelo tamanho das coligações e chapinhas e pelo “tamanho” dos nomes que estão na disputa. Das 24 cadeiras em disputa, uma delas será da REDE, podendo eleger a segunda; o DEM pode eleger também um nome se houve unidade no partido para que uma determinada candidatura obtenha uma votação expressiva.

 

É importante registrar que a coligação do PSB deve fazer dois deputados, somando mais um da chapinha edificada pelo PTB; a “chapinha” do Podermos e a “chapinha” do PPS devem fazer de um a dois deputados. Restariam de 16 a 18 vagas para o grupo Amorim e a base governista que, para alguns especialistas, elege mais que a oposição. O certo é que como não há vaga para todos, teremos deputados com mandatos possivelmente ficando na suplência. E se as chapinha surpreenderem, as dificuldades para quem busca a reeleição serão ainda maiores. É época de pedir votos e também de fazer cálculos...

 

Banese

Pelo visto a qualidade dos serviços prestados pelo Banco do Estado de Sergipe já é mais a mesma. Falta eficiência de gestão para concorrer com outros bancos privados. Vários candidatos em 2018 estão prejudicados aguardando há mais de uma semana a liberação dos cheques de campanha pelo Banese, mediante orientação da Justiça Eleitoral. Quem vê a propaganda...

 

Impugnações I

O Ministério Público Eleitoral ajuizou no TRE-SE ações de impugnação contra 13 registros de candidatura para diversos cargos. Em 10 ações, as candidaturas foram contestadas devido à Lei da Ficha Limpa, que impede pessoas que tenham condenação transitada em julgado ou em segundo grau, ou contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado ou da União de se candidatar nas eleições.

 

Impugnações II

Outras duas ações foram protocoladas porque os candidatos ocupavam cargos públicos e deixaram de comprovar ou perderam o prazo para desincompatibilização. A última é de um candidato que precisa comprovar que é alfabetizado, visto que o analfabetismo é elencado pela Constituição Federal como causa de inelegibilidade.

 

Pedido

O MP Eleitoral pede à Justiça que os impugnados sejam notificados para apresentar defesa e que as ações sejam julgadas procedentes para indeferir os pedidos de registro de candidatura, em razão da ausência de elegibilidade.

 

Relação

Foram acionados pelo MPE: Ivan Leite (PRB) – Vice-governador; Rogério Carvalho (PT) – Senador; Aguinaldo de Verso (PR), Cláudio Geriatra (PPL) e Ildomário Gomes (REDE) – suplentes de senador; Manoel Sukita (PTC) e Luizão Dona Trampi (PSL) – candidatos a deputado federal; Luciano Bispo (MDB), Goretti Reis (PSD), Professor Adalberto (PT), Vardo da Lotérica (PTB). Sérgio Tavares (PMN) e Luiz Santana (Podemos) – candidatos a deputado estadual.

 

Luciano Bispo

O deputado já orientou sua assessoria jurídica a reunir os documentos que comprovam a sua dignidade enquanto homem público que dedicou sua vida a fazer o bem, e encaminhará ao TER, “confiante que será feita a justiça, do mesmo modo que foi feita em 2014, quando outro pedido semelhante fora feito. Seguimos confiantes nas Instituições, que zelam pelo bem mais precioso da sociedade, a democracia”.

 

Sempre Sukita

Sempre “vítima do sistema”, Sukita pode ter sua candidatura impugnada por condenação criminal transitada em julgado, condenação criminal em segundo grau, condenação por improbidade administrativa, além de contas rejeitadas pelo TCU e TCE. E o “filho do vaqueiro” ainda quer concorrer...

 

Helicóptero I

Fazendo campanha percorrendo o Estado de helicóptero, Sukita chamou a atenção do MPE em dois aspectos: em primeiro lugar, o veículo está plotado, o que iria de encontro à legislação; o outro é quem está garantindo a segurança dos pousos e decolagens desta aeronave. “Vi em um vídeo que o helicóptero chegou em uma cidade e pousou em uma quadra, em plena praça”, disse a procuradora Eunice Dantas.

 

Helicóptero II

Já que perguntar não ofende nunca, como um candidato a deputado federal que alega ter um patrimônio de apenas R$ 55 mil reúne condições financeiras de fazer campanha cortando o Estado com um helicóptero? Quanto custa um simples passeio em uma aeronave como essa? Isso pode Arnaldo?

Silvany & Adelson

Rompida politicamente com Sukita, a prefeita de Capela, Silvany Mamlak anunciou no programa de George Magalhães, na FAN FM, que seu candidato a deputado federal é Adelson Barreto (PR), um “presente de grego” para o ex-marido que “deita e rola” junto às camadas mais populares no município.

 

Falando nela

Além dos estudantes universitários de Capela serem obrigados a pagar pelo transporte para Aracaju, a informação é que na noite dessa sexta-feira (24), um dos ônibus que veio para a capital ficou detido na BR pela Polícia Rodoviária Federal. Desculpe o trocadilho, mas é o “pagou e não levou”! Seria cômico se não fosse trágico...

 

Veja essa!

A ex-presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Irene Ferreira, fez uma avaliação preocupante, em suas redes sociais, sobre o projeto do Executivo Estadual que versa sobre a estabilidade dos servidores públicos da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), que tramita na Assembleia Legislativa.

 

E essa!

“O PL é genérico e só traz previsão de CESSÃO de funcionários da FHS para a SES. Não há garantia de estabilidade para os seus funcionários; há a previsão de concurso público no prazo de cinco anos para provimento de cargos no âmbito estadual, o que significa dizer que a garantia de ocupação dos cargos será de quem prestou concurso público para ingresso nos quadros do funcionalismo estadual, por força do art 37 da CRFB”, pontuou a enfermeira.

 

Vontade política

Ainda segundo Irene qualquer situação admitida dentro dos parâmetros legais, (realização de concurso público é uma delas), poderá ensejar no rompimento dos vínculos empregatícios. “Em uma análise rasa, faz-me dizer: os empregados públicos da FHS sempre estarão à mercê da vontade política e com a guilhotina no pescoço”.

 

Alô servidores!

“.Essa solução apresentada é uma maquiagem que se dissolverá nos primeiros momentos de elevada temperatura. Acordem!!!! Lutem pelos seus direitos, antes que seja tarde demais. O momento é ESTE!”, conclamou Irene que também já presidiu o Coren-SE e já exerceu diversos cargos públicos no Estado.

 

Rabo de palha!

Em entrevista à Rádio Juventude FM, em Lagarto, o candidato a senador e ex-governador Jackson Barreto falou sobre as investigações em torno das licitações públicas para o transporte escolar. “Tem muita imoralidade aí, muita malandragem nessa história! Alguns prefeitos têm rabo de palha!”.

 

Bomba!

“Os responsáveis que assumam a carapuça! E se amanhã me apertarem, eu vou dizer o que os prefeitos fazem com o dinheiro do transporte escolar”, completou Jackson Barreto. Os órgãos fiscalizadores agora têm a obrigação de perguntar a JB o que os prefeitos fazem com esse dinheiro, ou não?

 

Caso do radialista

Este colunista é amigo e não é leviano. Respeita o direito de ir e vir de qualquer um, o direito do contraditório, e prefere esperar uma manifestação pública do radialista George Magalhães sobre as acusações que lhe são impostas. Se errou, ele responderá por seus atos, mas antes que tudo esteja esclarecido, este espaço não será usado para denegrir o profissional e muito menos o Grupo que ele representa.

 

Eduardo Amorim I

O candidato ao Governo de Sergipe, Eduardo Amorim (PSDB), participou de um almoço e de um debate no Sindicato dos Médicos de Sergipe – Sindimed. Eduardo, que também é médico, teve a oportunidade de expor aos colegas de profissão as ações previstas em seu plano de governo para a Saúde, área essencial para a população. O candidato a vice, Ivan Leite (PRB), acompanhou o debate.

 

Eduardo Amorim II

“Feliz em voltar a essa casa que também é minha casa. Sou médico por formação e reafirmo meu compromisso com a Saúde Pública de Sergipe. Todas as áreas receberão atenção, mas a Saúde será prioridade. É preciso valorizar todos os profissionais e oferecer condições para que realizem o exercício pleno de suas atividades”, ressaltou Eduardo.

 

Quadro caótico

Segundo o candidato a governador, Sergipe tem um desafio inadiável, que é o fim do descalabro atual na rede estadual da saúde. “Um quadro caótico de falta de transparência na gestão. Mortes que poderiam ser evitadas, milhares de homens, mulheres e crianças em filas intermináveis à espera de cirurgias. São inúmeros problemas. Isso precisa mudar e nós temos coragem e competência para fazer o que é necessário”, afirmou o candidato a governador.

 

Redes fortalecidas

Para resolver os problemas e oferecer uma Saúde digna e de qualidade aos sergipanos, Eduardo Amorim apontou alguns caminhos que pretende seguir ao assumir o Governo do Estado. “Fortalecer a rede de atenção às urgências e emergências do Estado visando atender às necessidades de cada região. Vamos desenvolver a política de valorização dos profissionais ligados à saúde e realizar concurso público para preenchimento de vagas da rede de saúde”, destacou o candidato.

 

TCE I

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) vai acompanhar a destinação das verbas recebidas pelos municípios sergipanos decorrentes de erro no cálculo da complementação da União ao antigo Fundef, substituído pelo Fundeb. Debatida no Pleno, a ação visa assegurar que não ocorra desvio de finalidade na utilização desses recursos.

TCE II

Responsável por suscitar o tema, o procurador-geral do Ministério Público de Contas, João Augusto Bandeira de Mello, disse ser imprescindível que os valores sejam utilizados na manutenção e desenvolvimento do ensino. “É uma verba que, além de ser extra, significativa, tem que ser aplicada exclusivamente na área de educação; então, os órgãos de controle têm que cuidar para que esse recurso, quando chegar, seja: primeiro, aplicado exclusivamente na educação; e, segundo, que seja aplicado de acordo com as prioridades da educação naquele município”, explicou

 

Irregularidade

O procurador-geral salientou que uma irregularidade já constatada em municípios de outros estados e que será observada em Sergipe consiste na utilização dessas verbas no pagamento de honorários advocatícios. “Temos indicação de municípios sergipanos que receberam esses recursos e vamos fiscalizar o que foi feito, mas acreditamos que a maioria ainda não recebeu e vamos garantir que eles deem a destinação correta”, concluiu.

Equívoco
Conforme informação da Agência Câmara, o cálculo da complementação da União ao antigo Fundef foi, no período de 1998 a 2006, realizado fora das normas constitucionais e legais. A Justiça reconheceu o equívoco e, com o passivo, os Entes começaram a receber os recursos por meio de precatórios. O valor para todo o país chega a R$ 90 bilhões.

 

Seminário

O Conselho Regional de Contabilidade (CRC), o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) e a Receita Federal promoverão na próxima sexta-feira (31), o Seminário eSocial na Administração Pública, destinado a servidores públicos estaduais e municipais. O evento acontece no auditório do TCE, das 8h às 12h, e os interessados podem se inscrever pelo site www.crcse.org.br.

 

eSocial

Com apoio do Programa de Voluntariado da Classe Contábil, o seminário tem o objetivo de instruir os presentes por meio de palestras a respeito da nova ferramenta. Conforme divulgado pela Receita Federal, em processo de implantação desde o início do ano, a adesão ao eSocial já conta com o registro de um milhão de empregadores do país.

 

Título

O vereador Américo de Deus (Rede), ao lado de amigos e familiares, entregou o Título de Cidadão Aracajuano ao radialista Flávio Lima. “Esse título é um combustível a mais, um incentivo para que o Flávio continue desenvolvendo um belíssimo serviço para o Estado de Sergipe, especialmente para Aracaju, como ele sempre fez", afirmou o parlamentar.

 

Flávio Lima I

Bastante emocionado, o mais novo cidadão aracajuano, Flávio Lima, agradeceu a presença de todos os amigos, familiares e profissionais do rádio que foram prestigiar a solenidade. “Faltam-me palavras para agradecer por este título, para uns, pode não ter significado, mas para quem cresceu e viveu superando obstáculos em todas as áreas, principalmente na vida profissional, vale muito. Para a maioria da sociedade, o sucesso do ser humano é medido pelo que se tem, para a minoria é pelo reconhecimento público, principalmente para quem trabalha destinando a informação aos ouvintes e leitores”.

 

Flávio Lima II

“Permitam-me dizer que tenho a consciência tranquila, que ao logo destes mais de 34 anos de comunicação profissional, procurei agir com honra e honestidade, buscando ser fiel aos meus ideais. Encerro a minha fala agradecendo a todos os vereadores, em especial ao vereador Américo de Deus e aos amigos que tanto desejaram que eu recebesse esse título”, agradeceu o mais novo cidadão aracajuano Flávio Lima.

 

Laranjeiras

A Prefeitura de Laranjeiras, através da Secretaria Municipal de Cultura, promoveu nessa sexta-feira (24), uma palestra com a professora e historiadora Izaura Júlia de Oliveira Ramos, que fez uma exposição sobre “O Folclore e seus Desafios”, realizada no Centro de Tradições, dentro das comemorações da Semana do Folclore. A secretária Gardênia Hagenbeck coordenou o evento, representando o prefeito Paulo Hagenbeck (DEM), o “Paulão das Varzinhas”.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

 

 




Tópicos Recentes