POLÍTICA

06/09/2018 as 02:04

Ditadura! Edvaldo “martela” a democracia “amolando a foice” para o servidor!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

A última gestão do ex-prefeito João Alves Filho (DEM), a frente da Prefeitura de Aracaju, deixou muito a desejar em vários aspectos, dentre eles, o fato de, do meio para o fim, deixar de pagar ao funcionalismo público dentro do mês trabalhado. Isso gera sim um impacto na economia, os trabalhadores ficam acuados, passam dificuldades e o dinheiro não circula. Por conta de equívocos como esse que o democrata findou tendo uma votação pífia nas urnas, ao tentar sua reeleição, e foi a partir daí que se criou uma esperança com a volta de Edvaldo Nogueira (PCdoB) para a PMA.

 

O comunista retornou ao comando da gestão assumindo uma série de compromissos, dentre eles, o de garantir o pagamento dos salários dos servidores sempre no último dia do mês vigente. Justiça seja feita, isso vem sendo feito, mas Edvaldo passou a “enxergar” o funcionalismo como “empregado” e não mais como “parceiro” da gestão, fato que transformou e conflitou a relação de trabalho. O servidor não quer “só comida”, ele também deseja “diversão e arte”, ou seja, a tão propagada “valorização” vai muito além do pagamento de salários em dia.

 

Em alguns casos, as condições de trabalho são as piores possíveis, são dois anos de gestão sem qualquer reajuste salarial e o pior: a Prefeitura de Aracaju, na gestão de Edvaldo Nogueira, limita o diálogo com os trabalhadores. Quem pelo referencial histórico deveria “esticar a corda”, promover o diálogo incansável, justo quem “nasceu” no movimento social, que passou pelo parlamento municipal, que deveria fazer valer o “parlar”, o falar, quando questionado se defende com o silêncio, com o desprezo e, muitas vezes, com o descaso.

 

Em greve há quase 50 dias, os médicos da PMA não estão sozinhos. Dia desses 11 categorias de servidores anunciaram a paralisação de seus trabalhos por falta de valorização, por falta de diálogo. Se a gestão passada era ruim, ao menos as negociações entre as partes se estendiam, se flexibilizavam até que se encontrasse um senso comum. E essa conversa não é favor, é respeito! Dignidade para este trabalhador e para a sociedade que precisa de sua prestação de serviço. Foi preciso uma categoria recorrer à Justiça para dialogar com a PMA, que insiste em não ceder.

 

Depois de algumas decepções com João Alves Filho, certamente muitos servidores não esperavam esse tratamento de Edvaldo Nogueira na gestão atual. Um homem público que instituiu uma verdadeira “ditadura” dentro da administração que comanda, “martelando” a democracia, “amolando a foice” do PCdoB para o trabalhador. O comunista esquece que o mandato é passageiro, que o poder que emana do povo tanto elege quanto afasta do Poder. Personalizar a relação, desafiar e expor o servidor não vai trazer “qualidade de vida” para ninguém. Nem para o prefeito...

 

Veja essa!

Setores do governo dão como certo que o governador Belivaldo Chagas (PSD) irá para o segundo turno contra Valadares Filho (PSB). Aliados do governo ignoram a candidatura de Eduardo Amorim (PSDB), que pelas pesquisas divulgadas, segue consolidada em segundo lugar.

 

E essa!

Para muitos aliados do governador, políticos que estão na coligação de Eduardo, verdadeiramente votam e ajudam Belivaldo. A turma quer se eleger, mas não quer abrir mão dos espaços que mantém no governo. Quem quer tudo, vez ou outra, acaba sem nada...

 

Fato!

O prefeito Edvaldo Nogueira não demonstra qualquer empolgação com a candidatura de Belivaldo Chagas. Talvez o gestor esteja esperando a definição do 2º turno para começar a trabalhar. Está de olho em sua reeleição...

 

Incomoda!

Muitos governistas que conversam com este colunista sempre desabafam e reclamam da postura de Edvaldo Nogueira. Dizem que ele só é prefeito graças a “torre de amigos” que investiu em sua candidatura e que agora o comunista, supostamente, apenas assiste a tudo...

 

DESO I

Este colunista questionou alguns pagamentos feitos fora da ordem cronológica pela DESO. A informação repassada é que os mesmos só existem em caráter emergencial, como para garantir o fornecimento de energia e para a aquisição de produtos químicos, por exemplo.

 

DESO II

A nova diretoria da entidade também foi questionada sobre alguns quadros da gestão anterior que teriam continuado em suas funções e que poderiam resultar em problemas futuros. Outra informação da Companhia é que só continuam os gerentes regionais. Os cargos de diretor, coordenador e gestores de gerência foram todos renovados.

 

Almeida Lima I

Provocado em um grupo de whatsApp, o ex-secretário de Saúde, Almeida Lima, disse que enquanto esteve na Pasta, viabilizou junto ao Tribunal de Contas do Estado a doação de R$ 6 milhões para a aquisição de duas unidades móveis de atenção à saúde. “O governo desviou o dinheiro para outras despesas e não pagou à empresa uma das unidades”.

 

Almeida Lima II

Em seguida, o ex-secretário disse que a unidade da mulher, de prevenção contra o câncer, está pronta há três meses e a empresa Morumbi Industrial, sediada no Rio de Janeiro, não a envia para Sergipe por falta de pagamento. “O dono veio a Sergipe essa semana e esteve, inclusive, no TCE”, disse Almeida Lima. Com a palavra a Secretaria de Estado da Saúde…

 

Exclusiva!

A informação que chega a este colunista é que determinada autoridade, conhecida no Estado, recebeu uma “missão” que, no mínimo, é bastante inusitada: tem que levantar valores milionários, a título de “doação”, até a eleição de 7 de outubro. Quem manda quer o resultado; quem recebe a ordem já não sabe o que fazer. Agora, como perguntar não ofende, para quê esse dinheiro? Abra do olho Eunice…

 

Bomba!

Nos corredores do Banese um assunto deixou muitos servidores abismados: um pagamento milionário feito pelo governo do Estado para uma empresa que já vinha há muito tempo sem qualquer movimentação bancária. Este colunista não vê irregularidade nisso, mas estranha pelo fato da gestão sequer ter concluído a folha de pessoal de agosto ainda, sem contar que vários fornecedores estão na “fila” a espera da autorização do pagamento pela Sefaz e justo agora houve “sobra no caixa” para efetuar este pagamento antigo.

 

Mais de R$ 2 milhões

O comentário é que o pagamento supera a margem dos R$ 2 milhões. Assim que tomou conhecimento este colunista aposta que só pode ter sido uma decisão judicial, porque neste caso não se discute, cumpre-se. Com a palavra o Secretário da Fazenda que é quem tem autonomia para determinar quem deve receber ou não do governo de Belivaldo Chagas. É cada história que aparece durante o período eleitoral…

 

Apoio a JB

O vereador de Aracaju, pastor Carlito Alves, juntamente com outros parlamentares da CMA, anunciou o apoio à candidatura de Jackson Barreto (MDB) ao Senado. Meses atrás o vereador acusou o então governador de ser um “péssimo gestor”. A dúvida é se agora o “trabalho” que ele vai prestar para JB este ano será político ou religioso...

 

Adriano Taxista

O ex-vereador de Aracaju, Adriano Taxista, convida seus amigos e seguidores, em especial aqueles que sentem sua ausência na CMA na luta pelos rodoviários e taxistas, para uma reunião, nesta quinta-feira (6), a partir das 18 horas, no Bairro América, quando vai apresentar seus candidatos à comunidade para a eleição de 2018.

 

TCE I

O Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE) apresentará aos órgãos jurisdicionados o novo recurso tecnológico desenvolvido pela Diretoria de Modernização e Tecnologia (DMT): o “Processos e Comunicações Eletrônicas”. A apresentação acontecerá no próximo dia 11 de setembro, às 9h, no auditório da Corte de Contas.

 

TCE II

O recurso poderá ser acessado pelos usuários previamente cadastrados por meio do Portal do Jurisdicionado. Além dos serviços já existentes, como recebimento de avisos e encaminhamento de prestação de contas mensais, os jurisdicionados poderão consultar a situação dos protocolos e processos em tramitação no TCE e serão notificados sobre as comunicações processuais. De acordo com o coordenador da DMT, Miguel Melo, esta última novidade “permite maior celeridade e controle dos prazos processuais”.

 

MPE I

O Ministério Público de Sergipe, por intermédio da 1ª promotoria de Justiça Cível e a Promotoria Especial, ambas da Comarca de Itabaiana celebrou Termo de Ajustamento de Conduta – TAC com a Administração Pública itabaianense, com o objetivo de atribuir eficácia sociológica ao Princípio da Ampla Acessibilidade aos Cargos e Empregos Públicos no âmbito do Poder Executivo de Itabaiana. O TAC regulamenta as contratações para cargos e empregos públicos naquele Município.

 

MPE II

De acordo com os promotores de Justiça, Amilton Neves Brito Filho e Cláudia do Amaral Calmon, respónsáveis pela assinatura do documento, houve informações acerca de irregularidades nas contratações temporárias no quadro funcional do Município de Itabaiana, ou seja, apesar de haver concurso público vigente, algumas pessoas contratadas estariam exercendo funções de cargo efetivo.

 

TAC

O Termo de Ajustamento de Conduta celebrado, regulamenta a contratação temporária e afasta a possibilidade de irregularidades pela Administração Municipal. Numa das cláusulas, o prefeito municipal se compromete a, no prazo de 5 dias, encaminhar projeto de lei à Câmara Municipal regulamentando e adequando às contratações aos ditames constitucionais.

 

Acordo

Além disso, o Município deverá rescindir, até 31 de dezembro de 2018, todos os contratos temporários vigentes e não poderá recontratar os atuais servidores comissionados. E, ainda, se comprometeu a somente efetuar novas contratações temporárias mediante adoção de procedimento simplificado de seleção pública, observada a impessoalidade e isonomia, e a realizar concurso público para preenchimento das vagas que se abrirão com a saída dos atuais contratados. Caso haja descumprimento de quaisquer cláusulas firmadas no TAC, será cobrada multa pessoal ao Prefeito de Itabaiana.

 

Neópolis I

Acompanhando parecer do Ministério Público Eleitoral, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE) cassou os mandatos de Luiz Melo de França e José Miguel Lobo, candidatos eleitos pelo Partido da República (PR) para os cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente, do município de Neópolis.

 

Neópolis II

França, conhecido como Dr Luizinho, foi cassado por ter atendido pacientes gratuitamente no município durante a pré-campanha, ato que configura abuso de poder e compra de votos. Os dois candidatos estão inelegíveis por oito anos.

 

Neópolis III

De acordo com o parecer do MP Eleitoral, durante a investigação, Dr Luizinho confirmou que, após se desincompatibilizar do cargo público que ocupava no hospital local, continuou receitando as pessoas em casa até a data das convenções partidárias. Para o MP, no período em que já era amplamente conhecido como pré-candidato, França realizou atendimento médico “fora das hipóteses de urgência e emergência por candidato às eleições municipais, justamente no município em que se candidatura”.

 

Desequilíbrio

Assim, a conduta do candidato “configurou em vantagem ao eleitor com o objetivo de angariar votos, desequilibrando a corrida eleitoral”. Da decisão, cabe recurso. Apenas após o julgamento dos recursos no TRE, poderá haver o afastamento do prefeito e do vice-prefeito do cargo.

 

Eduardo Amorim

O candidato ao governo de Sergipe, Eduardo Amorim (PSDB), viajou a Brasília para votar contra o veto do presidente Michel Temer que retira o possível reajuste salarial dos Agentes de Saúde e Endemias. Eduardo foi o relator, junto com o deputado André Moura, desse relevante projeto para essa categoria tão importante ao país. O senador disse que a derrubada do veto fará justiça aos Agentes de Saúde e de Endemias.

 

Venâncio Fonseca I

Preocupado com os números da violência que assustam os sergipanos de uma forma geral, o deputado estadual Venâncio Fonseca (PSC) defende que o governo do Estado, através da Secretaria de Segurança Pública, promova ações de abordagens fiscalizando os principais acessos terrestres e fluviais a Sergipe.

 

Venâncio Fonseca II

O parlamentar entende que a questão da violência é um problema em ascensão e que requer toda a atenção do poder público. “Por três anos consecutivos o nosso querido Estado figurou como o mais violento do Brasil e esta realidade precisa mudar. Os bandidos estão agindo sem medo, desrespeitando e atacando a autoridade policial. É preciso dar um basta nisso para a gente retomar a nossa história de paz e tranquilidade”.

 

Venâncio Fonseca III

Para Venâncio, muitos crimes acontecem com frequência no interior, em especial, pela falta de uma fiscalização mais eficiente nas divisas com a Bahia e com Alagoas. “Sergipe não é um Estado de grandes dimensões territoriais. Você corta o nosso território com um veículo em pouco tempo. A fiscalização das divisas deve ser constante e também precisamos de um efetivo maior nas ruas”, completou, enfatizando que Sergipe precisa de um governo forte e que tenha coragem para tomar algumas medidas mais enérgicas.

 

Língua espanhola I

Por uma iniciativa da deputada estadual Ana Lula (PT), a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Sergipe promoveu em seu plenário, a Audiência Pública “Língua Espanhola na Educação Pública”, com o objetivo de promover um debate amplo sobre a implementação da língua espanhola no currículo da educação pública. O evento foi prestigiado por estudantes universitários do curso de espanhol e alunos da rede estadual de ensino.

 

Língua espanhola II

Participaram do debate o secretário de Estado da Educação, Josué Modesto do Passos Subrinho; a professora doutora e coordenadora do Colegiado de Letras Espanhol do Departamento de Letras Estrangeiras da UFS, Doris Cristina Vicente da Silva Matos; a professora doutora de Espanhol do Departamento de Letras Estrangeiras da UFS, Joyce Palha Colaça; o professor Mestre de Espanhol da SEED, Antônio Carlos Silva Júnior; além do vereador de Aracaju, Iran Barbosa (PT), representando a CMA.

 

Doris Cristina I

Ao fazer sua exposição, a professora Doris Cristina disse que seria bom que todos os alunos pudessem escolher a língua que decidisse aprender. “Temos no Estado cerca de 142 professores de espanhol e o campo de trabalho como fica? Nós redigimos a minuta de um projeto de lei sobre a garantia de concursos futuros para professores de espanhol e de um mercado de trabalho para os estudantes do presente. Pensamos na língua como uma oportunidade para que a gente possa se relacionar com os outros. A ideia é de encurtar as fronteiras”.

 

Doris Cristina II

Desde 2005 que foi sancionada uma nova lei tornando obrigatórias as aulas
de espanhol nas escolas públicas e particulares. A professora questionou a reforma do ensino médio de 2017 que estabeleceu o Inglês como disciplina obrigatória, considerando que o governo desconsiderou todos os aspectos históricos e fronteiriços do País. “Cada um que tá aqui deve manter esse nosso movimento de resistência, preservando a identidade sul-americana e latino-americana, resistindo ao modelo que querem nos impor”, disse Doris.

 

Joyce Palha I

Por sua vez, a professora Joyce Palha Colaça entende que a língua é uma questão de política. “A questão da língua é uma questão do Estado, onde as decisões são tomadas. Políticas de língua ficaram nas academias e isso deveria ser discutido com toda a comunidade escolar e social, de uma forma plural, com todos os atores sociais, e quando há uma exclusão de qualquer direito, prevalece o autoritarismo. Existem questões econômicas e fatores sociais que determinam a discussão sobre as línguas”.

 

Joyce Palha II

Em seguida, a professora pontuou que muitas vezes esquecem que as pessoas são “seres sociais” e que vão muito além dos números do IBGE. “Vivemos em uma globalização falseada. Que globalização é essa que limita os estudos para uma única língua? Voltemos ao Império! É um regresso histórico! Temos um processo de migração dos estudantes brasileiros para os países vizinhos. Que internacionalização é essa do ensino?”, questionou Joyce.

 

Antônio Carlos I

Já o professor Antônio Carlos demonstrou a preocupação para quem atua na rede pública de ensino. “Sete anos da sanção da lei que houve uma efetivação da disciplina em Sergipe. Há uma necessidade e nem todas as escolas de Sergipe tem professores de espanhol. Alguns colegas estão em três escolas aqui em Aracaju e outros atuando em três cidades diferentes. Eu gostaria de estar lutando por mais vagas e mais horas, mas estamos juntos lutando agora pela permanência do espanhol na Rede”.

 

Antônio Carlos II

Em seguida, ele explicou que os professores da Rede Estadual têm qualidade e estão buscando ampliar o trabalho, ir além da permanência. “Queremos estar presentes, de uma forma obrigatória. O aluno que não quiser fazer uma aula de espanhol, vai ter que fazer duas aulas de inglês. E como será a aplicabilidade disso? Estamos na escola não apenas para falar de estrutura linguística, mas para ajudar os nossos alunos a serem cidadãos críticos e autônomos”.

 

Josué Modesto do Passos I

O secretário de Educação pontuou que ficou impressionado com o que ele entende por “fracasso da escola brasileira” em ensinar línguas estrangeiras. “A sociedade demanda muito pouco e nem mesmo as escolas mais privilegiadas dão ênfase a isso. Nossa sociedade cobra pouco das escolas”.

 

Josué Modesto do Passos II

“A UFS foi pioneira em instituir o curso de Licenciatura de Espanhol, o que aumentou a possibilidade de termos professores na rede pública. É importante frisar que o marco legal ainda não foi revogado e a reforma do ensino médio não foi regulamentada ainda. Não há nada de concreto! Mas abrir mão de aprender outras línguas é deixar de abrir portas para outras culturas. Não podemos nos contentar com apenas uma língua estrangeira”, completou o secretário.

 

Ana Lúcia

Ficou estabelecido na audiência pública que a deputada Ana Lúcia vai apresentar uma indicação encaminhando a minuta do projeto para a SEED, já elaborada pelos professores para apreciação e, consequentemente, para que o Executivo encaminhe um projeto para a apreciação da Assembleia Legislativa.

 

Senador Valadares I

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) subiu à tribuna do Senado, nesta tarde, para falar sobre a importância da participação dos jovens na construção do futuro do País e da necessidade da inclusão das demandas dos jovens nas políticas públicas. “Nas andanças pelo meu querido Sergipe, vi no rosto do povo a esperança de um futuro melhor. Vi que minha gente não está disposta a abrir mão de seu destino. Vi no olhar de centenas de jovens o desejo ardente de romper barreiras e conquistar um futuro”, disse.

 

Senador Valadares II

Apesar do cenário desanimador, que mostra que 32 milhões de brasileiros com até 17 anos vivem hoje em restrições de direitos, Valadares incentivou os jovens à ocuparem seus lugares, a ter uma posição protagonista neste momento em que as eleições definirão os rumos do País. O senador destacou que, na condição de presidente no Senado da Frente Parlamentar de Apoio ao Protagonismo infanto-juvenil, assinou o documento “Pacto pela Juventude”. A proposição de organizações da sociedade civil busca incentivar os postulantes aos cargos eletivos a incorporarem as demandas da juventude.

 

Senador Valadares III

“Lutem, jovens, para a inclusão de suas causas nas propostas eleitorais. Não aceitem menos do que a inserção definitiva da pauta de sua geração nos espaços da política pública”, defendeu Valadares.

 

Afirmação de direitos

Para ele, não é momento de omissão. “É normal a desconfiança, diante de tantos desmandos e negligência dos poderosos com o povo. Mas, somente acharemos formas de afirmar nossos direitos se nos dispusermos a isso. E é a vontade do povo, a vontade de nossos jovens, que deve pesar nas urnas”, concluiu.

 

Kitty Lima I

Uma norma implementada pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) sobre a política de distribuição gratuita de medicamentos nas unidades de saúde do município foi duramente criticada pela vereadora Kitty Lima (Rede) na Câmara Municipal de Aracaju (CMA). De acordo com o novo regulamento, os estabelecimentos não poderão mais entregar medicamentos aos pacientes que apresentarem receitas médicas oriundas da rede particular de saúde.

 

Kitty Lima II

A justificada apresentada pela PMA é de que a medida auxiliará no atendimento mais eficaz aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), de forma que todos tenham acesso aos medicamentos padronizados. A prefeitura alega ainda estar amparada pelo art. 28 do decreto nº 7.508/2011, que em seu inciso II diz que para liberação de medicamento, ele precisa ser “prescrito por profissionais de saúde, no exercício regular de suas funções no SUS”.

 

Kitty Lima III

“Isso quer fizer o quê? Que se o paciente não conseguir marcar uma consulta pelo SUS e recorrer ao atendimento particular, ele nãopode ter acesso gratuito aos medicamentos fornecidos pelo SUS? A prefeitura pode e deve estender a oferta desses medicamentos, pois nem sempre as guias de receita são de uma unidade de saúde pública. Não dá para querer cortar gastos simplesmente retirando do cidadão o acesso à medicação”, questionou Kitty, reforçando que no mesmo decreto apresentado pela PMA, o inciso I assegura que “os entes federativos poderão ampliar o acesso do usuário à assistência farmacêutica, desde que questões de saúde pública o justifiquem”.

 

60 dias

A parlamentar lembrou que é comum que usuários do SUS esperem 60 dias ou até mais para conseguir agendar uma consulta médica, e que por conta disso muitos deles acabam fazendo uma ‘vaquinha’ entre familiares e amigos para pagar uma consulta particular com preço popular para não ficar sem o atendimento necessário. Aos vereadores presentes, Kitty ressaltou ainda que mais de 80% dos procedimentos realizados no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) deveriam ser feitos nos postos de saúde e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

 

Carroceiros I

O vereador Palhaço Soneca (PPS) comemorou a rejeição do Projeto de Lei que previa a extinção das carroças em Aracaju. No início da manhã, Soneca liderou uma manifestação ao lado dos carroceiros que pedia o apoio de outros parlamentares para que votassem contra a medida de autoria de Kitty Lima. O protesto alcançou o resultado esperado e acabou rejeitado na Câmara de Vereadores.

 

Carroceiros II

Desde o início da discussão, Palhaço Soneca defendeu a legalização da atividade de carroceiros. Por outro lado, a vereadora Kitty Lima queria acabar com as carroças sob justificativa de que os cavalos eram maltratados, oferecendo cursos de capacitação aos carroceiros.

 

Palhaço Soneca

Soneca entende que mesmo depois da qualificação, a inserção no mercado de trabalho desses trabalhadores aconteceria a longo prazo, por isso sempre foi contra a iniciativa. “O brasileiro precisa trabalhar diariamente para levar o pão para casa. A capacitação em outras áreas é sempre bem vinda, mas para esta categoria não iria resolver o problema de imediato. Na verdade, a legalização das carroças seria o projeto mais adequado, com a devida orientação de trânsito e melhores condições de trabalho”, observa.

 

Desemprego

De acordo com Soneca, da forma que o projeto foi apresentado certamente resultaria num imediato desemprego de aproximadamente 300 trabalhadores na capital sergipana. "Felizmente, nosso ato hoje de manhã surtiu efeito. Conseguimos sensibilizar alguns vereadores a votar contra. Agora, podemos dormir de cabeça tranquila", festeja.

 

Nilton Pedro

Desabafo do leitor Zenóbio Melo: “Nilton Pedro faleceu, uma excelente pessoa, inteligente, criativo, grande mestre da UFS, proativo, ótimo companheiro, foi perseguido no regime militar, sempre pronto a uma boa conversa, assim como a ensinar os seus grandes conhecimentos em qualquer ocasião, um honestíssimo militante de esquerda, esteve exilado no Chile, era um brizolista assim como eu. Uma irreparável perda”.

 

Ciro em Aracaju

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) chegará a Sergipe nesta madrugada e dormirá em Aracaju. A agenda será realizada, a partir das 10 horas desta quinta-feira (6), no Real Praia Hotel, com uma coletiva para a imprensa, seguido de ato público. No início da tarde, Ciro seguirá para Caruaru/PE.

 

Rômulo Daltro

O programa “Transamérica Notícias” que é dirigido e ancorado pelo radialista Rômulo Daltro está em festa! “Neste ano em uma nova emissora pude aprender muito com os colegas e na convivência com novas pessoas nas diversas cidades onde temos uma grande audiência e em especial pelos convidados que passaram pelo nosso programa que nos fez aprender bastante. Já passei por grandes emissoras, e em todas elas os nossos programas serviram para colaborar com a população, mas também como um grande aprendizado profissional. Agradeço a DEUS por me conceder esses momentos de alegria e felicidade”, destaca o radialista.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 




Tópicos Recentes