POLÍTICA

25/09/2018 as 10:12

Mesmo “sem grupo”, os Valadares surpreendem liderando governo e o Senado!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

É inegável que com a aproximação das eleições no próximo dia 7 os ânimos e o suspense entre os candidatos estejam inflamados. A própria “torcida” fica contagiada e trabalha para que seus “times” saiam vencedores. É a “parte boa” das campanhas eleitorais, onde o eleitor acredita e aposta em determinado projeto político, muitas vezes pensando em benefício próprio, mas em alguns casos focando no interesse da coletividade. O lado ruim é quando “interesses escusos” ganham forma e quando a “ação de terceiros” influencia diretamente no resultado final. 

 

É fato que ninguém entra em uma disputa para perder! Todos querem vencer. Apesar de cada eleição ser uma “caixinha de surpresas”, também sempre há quem já se considere eleito e agora trabalhe para “convencer” com boa votação na urna. O processo eleitoral tem mudado radicalmente, o formato das campanhas está diferente, mas a cabeça do eleitor ainda não mudou. Muitos estão decepcionados e revoltados com a classe política em geral e outros só irão votar mediante alguma compensação.

 

O “voto consciente” continua escasso, que tem boas intenções e propostas repensa muito em entrar na política, alegando que não tem estrutura financeira para investir, e até quem fez um bom mandato tem dificuldade em se reeleger. Mas diferente de tudo o que se propagou no início da campanha eleitoral, em Sergipe há de se reconhecer o potencial do Grupo Valadares (PSB), que segundo quase todos os levantamentos feitos no Estado até agora, lideram a corrida para o governo, com Valadares Filho, e para o Senado Federal, com Valadares “Pai”.

 

Isso não quer dizer que ambos estão, eleito e reeleito, respectivamente. As pesquisas de intenção, como bem disse o governador Belivaldo Chagas (PSD), recentemente, “refletem o momento”. Mas mesmo sem um forte agrupamento apoiando, sem uma “coleção de partidos” em sua base e sem uma forte estrutura financeira patrocinando o projeto político do Grupo, o DATAFORM e o IBOPE dessa quinta-feira (20) ratificaram que ambos estão bem, que são competitivos e não será mais “surpresa” para ninguém se terminarem a corrida eleitoral vitoriosos.  

 

Eleição tem dessas coisas! Apesar de a política cada vez mais se aproximar de uma “ciência exata”, ainda existem algumas “nuances” que tornam o “jogo” ainda interessante. No momento decisivo ainda é o eleitor quem decide, por maior que seja a densidade desse ou daquele grupo, por maior que seja o volume financeiro de uma campanha adversária. A disputa para o Senado prova que o cenário ainda está indefinido, que existe disputa por uma das vagas. O DATAFORM trouxe Jackson Barreto (MDB) em segundo, mesmo com uma rejeição de quase 50%; já o IBOPE consolidou André Moura (PSC).

 

Neste embate, o senador Valadares se mantém um pouco a frente, com boa vantagem, buscando mais uma reeleição; já para o Governo é inegável a evolução de Belivaldo nas duas pesquisas, mas isso não significa uma “constante”. Ainda faltam pouco mais de 15 dias para a eleição e é preciso ver como se comportam os adversários Valadares Filho, que lidera em todos os cenários do 1º e 2º turnos, e Eduardo Amorim (PSDB) que, segundo o IBOPE, mantém-se “estável” na corrida eleitoral. A disputa está em aberto, tudo pode acontecer ainda, mas a surpresa até agora tem sido a liderança do Grupo Valadares, mesmo “sem grupo”, como muita gente insistia em dizer...

 

Números do Dataform I

Registrada na Justiça Eleitoral sob o número SE-06583/2018, a pesquisa DATAFORM ouviu 1.200 pessoas entre os dias 17 e 19 de setembro, onde o nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 2,9%. A pesquisa foi contratada pela Central de Informações Eireli/Dataform. A consulta foi realiza de forma induzida, na qual os nomes dos nove candidatos ao governo do Estado são apresentados aos entrevistados.

 

Números do Dataform II

Para o Governo Valadares Filho lidera com 30,33%; seguido de Belivaldo com 26,50%; Eduardo Amorim com 18%; 9,42% de indecisos; 5% de brancos e nulos; Dr. Emerson com 4,42%; Mendonça Prado (DEM) com 2,25%; João Tarantela (PSL) com 1,50%; Márcio Souza (PCB) com 1,08%; Milton Andrade (PMN) com 0,67%; 0,58% não souberam ou não quiseram responder; e Gilvani Santos (PSTU) com 0,25%.

 

Rejeição/Dataform

No quesito rejeição, Amorim lidera com 30,08%, seguido de Belivaldo com 25,83%; Valadares Filho com 13,92%; Indecisos somam 10%; Mendonça Prado com 7%; João Tarantela com 5,33%; Dr. Emerson com 3,5%; Milton Andrade com 2,42%; Márcio Souza com 1,25%; e Gilvani Santos com 0,67%.

 

2º turno/Dataform

No caso de um 2º turno, Valadares Filho teria 45,17% contra 31% de Belivaldo; 18,67% votariam nulo ou em branco; 2,92% não sabem ou não responderam; e 2,25% estão indecisos. Em outro cenário, Valadares tem 45,50% contra 25,75% de Eduardo Amorim; 22,42% anulariam ou votam em branco; 4,17% não sabem ou não responderam; 2,17% estão indecisos.

 

Números do IBOPE I

Registrada na Justiça Eleitoral sob o número SE-09362/2018, a pesquisa IBOPE ouviu 812 pessoas entre os dias 17 e 19 de setembro, onde o nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 3%. A pesquisa foi contratada pela TV Sergipe.

 

Números do IBOPE II

Para o Governo Valadares Filho lidera com 21%; seguido de Belivaldo com 20%; Eduardo Amorim com 17%; 9% de indecisos; 23% de brancos e nulos; Dr. Emerson com 3%; Mendonça Prado com 2%; João Tarantela com 2%; Márcio Souza com 1%; Milton Andrade com 1%; e Gilvani Santos (PSTU) com 1%.

 

PSL

A candidatura de João Tarantela do PSL foi indeferida pelo TSE após o registro dessa pesquisa, portanto seu nome consta na pergunta de intenção de voto estimulada. Já candidatura de Eduardo Cassini (PSL) foi protocolada junto ao TSE após o registro dessa pesquisa, portanto o nome dele não consta nesta mesma pergunta.

 

Rejeição/IBOPE

No quesito rejeição, Amorim lidera com 31%, seguido de Belivaldo com 26%; Valadares Filho com 26%; Mendonça Prado com 25%; João Tarantela com 23%; Márcio Souza com 19%; Milton Andrade com 18%; Dr. Emerson com 17%; e Gilvani Santos com 17%.

 

2º turno/IBOPE

No caso de um 2º turno, Valadares Filho teria 42% contra 29% de Belivaldo; 23% votariam nulo ou em branco; 6% não sabem ou não responderam. Em outro cenário, Valadares tem 37% contra 29% de Eduardo Amorim; 27% anulariam ou votam em branco; 7% não sabem ou não responderam.

 

Senado/IBOPE I

No levantamento para senador, Valadares lidera com 26%; consolidado em segundo lugar está André Moura com 21%; em terceiro vem Jackson Barreto com 18%; Heleno Silva (PRB) tem 15%; Rogério Carvalho (PT) tem 12%; Alessandro Vieira (REDE) tem 10%; Sônia Meire (PSOL) tem 5%; Henri Clay (PPL) tem 4%; Jossimário Mick (PSOL) e Adelson Alves (Patriota) têm 2%; Cadu Silva (PSL) e Reynaldo Nunes (PV) têm 1%; Clarckson Messias (PSTU) não foi citado.

 

Senado/IBOPE II

No cenário da primeira vaga a senador 23% disseram votar em branco ou nulo; no caso da segunda vaga esse percentual sobe para 34%; 26% não sabem ou não responderam a pesquisa encomendada pela TV Sergipe. O candidato Betinho do PMB teve sua candidatura indeferida e não recorreu. Diante disso, o nome dele no foi pesquisado.

 

Alô MPE!

Este colunista chama a atenção para a denúncia publicada pelo jornalista Cláudio Nunes em seu blog no PORTAL INFONET: o governo do Estado teria feito o pagamento a um fornecedor da ordem de R$ 11 milhões, em plena campanha eleitoral. Isso precisa ser apurado e devidamente justificado.

 

Tem sido comum

Aqui na coluna os órgãos fiscalizadores têm sido, constantemente, avisados sobre pagamentos fora da ordem cronológica que estão sendo executados pelo governo. Dia desses um empresário que tinha um montante para receber superior a R$ 5 milhões, em causa que se arrastava há anos, foi contemplado e “desapareceu”. Não pagou uma cerveja para os amigos alegando que o recurso ficou “Rasgadinho”...

 

Ordem cronológica I

O que chama a atenção é que este mesmo governo que não tem dinheiro para pagar os servidores dentro do mês trabalhado, que não prioriza os aposentados e pensionistas, conseguiu essa “sobra no caixa” para pagar a estas empresas em tempos de crise, como os atuais.

 

Ordem cronológica II

Outro aspecto que deve ser levado em consideração: se o governo estimava honrar seus compromissos, por que ao invés de privilegiar estes dois empresários, estranhamente não “dividiu o pão” com dezenas de fornecedores que estão fechando as portas por muito menos? Com esse volume de dinheiro dava para fazer muito milagre...

 

Galeguinho milagreiro

Falando em milagre, a campanha à reeleição de Belivaldo tem sido construída com o discurso que “ele veio para resolver”. Ao menos, o “galeguinho” já andou fazendo uns “milagres” junto a sua equipe financeira e ao “supersecretário”, que “bate o escanteio, corre para cabecear, divide a comemoração do gol com os amigos e ainda lava o uniforme para o próximo jogo”.

 

Incra I

As famílias assentadas de Sergipe estão injetando cerca de R$ 15 milhões na economia do estado através dos recursos liberados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Os benefícios, oriundos do Crédito de Instalação nas modalidades "Fomento Mulher", no valor de R$ 5 mil, “Apoio Inicial”, de R$ 5,2 mil e “Fomento”, de R$ 6,4 mil, têm provocado bons momentos para quase três mil famílias assentadas sergipanas. 

 

Incra II

Dados divulgados pelo Incra mostram que a Superintendência em Sergipe está em segundo lugar na distribuição de investimentos do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA). Desde dezembro de 2017 assentados de Poço Redondo, Porto da Folha, Gararu, Carira, Malhador, Itaporanga, Estância, Macambira e diversos outros municípios foram contemplados com o benefício e também com Concessão de Uso do Solo, Títulos Definitivos de propriedade e parcerias para assistência técnica. 

 

André Moura

O superintendente regional do Incra, Gilson dos Anjos, destacou a atuação do deputado federal André Moura para viabilização dos benefícios, que auxiliam e contribuem com a melhor redistribuição agrária e produtividade dos pequenos produtores. “Esse valor que o deputado André viabilizou foi recebido pelas famílias e ajudou na economia de cada município,  fazendo com que o dinheiro circulasse. Além disso, os beneficiários puderam investir em suas próprias terras e incrementar suas produções”, explicou.

 

André Moura II

“Sou totalmente contra o foro privilegiado, tanto é que na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados (CCJ), já me posicionei claramente contrário a esse privilégio. Defendo o fim do foro privilegiado, inclusive para todos, não somente para a classe política”, disse o candidato ao Senado Federal.

 

Foro privilegiado I

O parlamentar entende que o fim do foro privilegiado contempla o “Princípio da Igualdade” previsto no art. 5º da Constituição Federal. “Todos são iguais perante a lei”, justifica o parlamentar. André quer o fim do foro especial por prerrogativa de função (foro privilegiado) para todos: políticos com mandato, juízes e promotores de Justiça, ministros federais, a fim de que as autoridades tenham o mesmo tratamento de um cidadão comum.

 

Foro privilegiado II

“Sou um deputado que estou antenado com o momento político que vivemos. A sociedade deseja o fim desse privilégio e sou a favor de acabar essa prerrogativa para a classe política, Ministério Público, Poder Judiciário e todos os setores da Administração Pública. Durante meu mandato parlamentar, sempre defendi e continuarei a defender o fim o foro privilegiado”, concluiu André.

 

Laércio Oliveira I

O deputado federal Laércio Oliveira recebeu o apoio do Movimento Brasil 200, um grupo importante no Brasil e em Sergipe com a finalidade de mudança de mentalidade política do Brasil, defesa de pautas liberais que foquem na geração de empregos por meio do empreendedorismo.

 

Laércio Oliveira II

O coordenador nacional do Brasil 200, Lúcio Flávio Rocha, declarou que o movimento tem em Laércio um homem de confiança e que tem atenção com os reais interesses do Brasil produtivo.  “O Brasil precisa de mais homens como Laércio na Câmara dos Deputados, e em Sergipe, precisamos que ele continue, pois seu trabalho ético, responsável e focado no desenvolvimento econômico é a saída que temos para poder ter mais produtividade, gerar empregos e mudar a realidade econômica de nosso povo”, disse Lúcio Flávio.

 

Turismo

Atendendo a um pleito da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Sergipe (ABRASEL/SE), foi aprovado através de uma reunião ordinária do Conselho da Administração da Emsetur, a correção dos valores de aluguéis dos bares e restaurantes da Orla de Atalaia e o Refis para todas as pendências com a Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur). A decisão ocorreu com os membros do conselho, no gabinete da Secretaria de Estado do Turismo (Setur).

 

Manelito Franco I

Para o secretário Manelito Franco Neto que preside o conselho, a decisão representa a preocupação do governo em apoiar a classe empresarial que contribui no fomento do turismo. “Assim que assumimos a pasta, os representantes da Abrasel nos procuraram para explanar a difícil situação que o empresariado vem enfrentando, mediante o atual quadro de crise que o país vivencia”.

 

Manelito Franco II

“E, obedecendo a uma orientação do governo, foi feita uma revisão nos valores dos aluguéis dos bares e restaurantes da Orla que eram de 2,5% e passarão para 1%, aplicados em pagamentos de modo regular, além disso, o Refis para todas as dívidas de aluguéis com a Emsetur, com parcelamento em até 48x, pois é um pleito antigo da entidade e que agora foram atendidos”, comemora o gestor.

 

Abrasel

O presidente da Abrasel em Sergipe, Augusto José de Carvalho, se mostrou satisfeito com o resultado da reunião. “É uma vitória da classe empresarial e de todos os agentes que atuam no setor, já que a partir dessa decisão os comerciantes terão um incentivo para regularizar sua situação financeira e continuarem desempenhando suas atividades de forma mais tranquila”, afirmou.

 

Somese

A maneira afirmativa e o conhecimento técnico do candidato a governador Milton Andrade (PMN) sobre os problemas e soluções para resolver os gargalos da saúde pública foram enaltecidos por médicos que participaram do almoço promovido pela Sociedade Médica de Sergipe (Somese).

 

Chico Rollemberg

“Posso dizer, com convicção, que de todos os candidatos que nós já ouvimos aqui, você foi o mais convincente, o mais afirmativo e se mostra o mais preparado para ser o nosso governador”, declarou o médico e ex-senador da República, Francisco Rollemberg, ao confessar que, após ouvi-lo “fiquei desejoso de ter um filho como você”! Chico Rollemberg, como é conhecido, revelou-se surpreso e emocionado com o preparo técnico do candidato, que é o mais jovem do processo político-sucessório sergipano.

 

Márcio Barreto

Para o médico Márcio Barreto, Milton fala com tanta propriedade sobre saúde, que “parece viver isso no dia a dia, o que impressionou muito a mim e aos colegas que participaram do almoço da Somese”. Márcio, que foi responsável pela implantação da Samu em Sergipe, declarou que o candidato expõe de forma técnica e se aprofunda sobre o tema de uma forma que muitos profissionais da área desconhecem.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes