POLÍTICA

05/10/2018 as 09:36

Debate na TV: Belivaldo tenta fugir da rejeição de JB e abandona Haddad!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Após uma terça-feira (2) tumultuada diante do risco de cancelamento do debate da TV Sergipe entre os candidatos a governador, por conta de questionamentos judiciais de Emerson Ferreira (REDE), que não pode participar, os “ânimos” ficaram ainda mais “acirrados” quando a mediadora Susane Vidal “deu início aos trabalhos”. É inegável que o “galeguinho” e sua gestão tornaram-se “alvos” dos demais postulantes que estão na oposição. Uma série de mazelas da administração estadual foram expostas, com problemas identificados na Saúde, Educação, Segurança Pública, Infraestrutura, Geração de Emprego e Renda, Turismo, dentre outros.

 

Com um perfil mais duro, provocado por seus adversários, Belivaldo partiu para o ataque contra os candidatos Eduardo Amorim (PSDB) e Valadares Filho (PSB). Pena que este embate tenha saído do debate das ideias e propostas para os sergipanos e debandou para críticas desnecessárias e infrutíferas, inclusive de ordem pessoal. Disse que o empresário e irmão Edivan Amorim, “que Sergipe conhece”, é quem manda em Eduardo e que o senador Valadares (PSB) – insinuando suposta traição, além de mandar em seu filho, ainda mudou de lado político, chegando a apoiar o governo de Michel Temer (MDB).

 

Em contrapartida, Amorim rebateu dizendo que ele tem autonomia para decidir seu caminho e que só quem preenche sua mente é sua consciência. Lembrou, inclusive, que Belivaldo fala em mudança política, mas – insinuando suposto oportunismo – disse que o em pouco tempo o “galeguinho” mudou do PSB para o MDB de Michel Temer e agora está no PSD, partido que também dá sustentação ao governo federal; já Valadares Filho – também insinuando suposta traição – disse em alto e bom som que Belivaldo trocou seu agrupamento pelo Poder, e que ele é tão responsável quanto Jackson Barreto (MDB) pelos baixos índices da gestão estadual.

 

Falando em JB, na avaliação deste colunista, ficou claro que Belivaldo durante todo o debate tentou fugir da rejeição de seu antecessor, revelando que “é governador há apenas cinco meses” e que, desde então, segundo ele, só vem colecionando avanços. Com todo respeito ao governador, ele compõe o mesmo agrupamento que comanda Sergipe desde 2007, já foi secretário de Estado e vice-governador por duas vezes e é sim tão responsável quanto Jackson pela ineficiência administrativa de sua gestão. Ou será que o “galeguinho” só recebia seus proventos para ficar em silêncio ou ser uma figura decorativa? Este colunista acredita que isso não combina com seu perfil e, muito menos, com sua história...

 

Também chamou atenção o ataque que Belivaldo fez ao governo de Michel Temer, mas sem defender o presidenciável Fernando Haddad (PT). Coincidentemente, vivemos em um momento de nova ascensão do também presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e, certamente, o “galeguinho” está de olho nesta parcela do eleitorado e já recuou na linha “mais esquerdista”, inclusive depois da delação do ex-ministro Antônio Palocci. Resta saber se, caso chegue ao segundo turno no próximo domingo (7), qual será o comportamento de Belivaldo e da vice-governadora Eliane Aquino (PT). A estratégia está bem definida: afastar-se ao máximo de JB e não priorizar Haddad.

 

Já sobre o debate como um todo, pode-se dizer que entre “vencedores e vencidos”, quem perdeu foi o povo que até ouviu propostas, mas que certamente esperava um pouco mais dos seus candidatos a representante. O candidato Mendonça Prado (DEM), como franco atirador, apostou na rejeição dos três principais adversários para ganhar evidência no debate e a grata surpresa foi o candidato Milton Andrade (PMN), que apresentou mais dados técnicos, apontando deficiências do Estado e a ausência da assistência do poder público para quem mais precisa. O debate é importante para a democracia, mas não interferiu na corrida eleitoral...

 

Veja essa!

O candidato Eduardo Amorim, atacado por Mendonça Prado e Belivaldo Chagas, deixou no ar, durante o debate, que o democrata em alguma eleição do passado, procurou o empresário e seu irmão Edivan Amorim para pedir uma suposta ajuda para uma de suas campanhas. É cada coisa que a gente fica sabendo...

 

E essa!

Já sobre Belivaldo Chagas a “insinuação” de Eduardo foi ainda mais grave: o “galeguinho” teria recorrido ao empresário Edivan Amorim quando tentava ser conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Belivaldo chegou a conquistar alguns apoios importantes, recorreu ao Judiciário, mas não chegou ao TCE…

 

Pelo outro

Sem ter o que perder no debate, na linha “franco atirador”, Mendonça Prado falou em “teleguiados” sobre Valadares Filho e Eduardo Amorim, fazendo alusão ao pai e irmão, respectivamente, mas quando foi falar de Belivaldo, apenas disse que ele é teleguiado “pelo outro”. Esse “outro” é JB, mas por que o democrata não foi mais incisivo?

 

Vaga do TCE

Falando nesta discussão sobre a vaga do TCE, após a declaração de Eduardo Amorim de que Belivaldo teria procurado o apoio de seu irmão, nos bastidores da eleição surgiram rumores de algumas tratativas que ocorreram no passado, em troca de votos, que um dia a sociedade sergipana vai ficar surpresa...

 

Meu governo

Chamou a atenção que sempre quando fazia a defesa da gestão estadual, Belivaldo fazia questão de registrar que “o meu governo só tem cinco meses” e que, “no meu governo, mando eu”. Além de tentar desassociar sua imagem de Jackson Barreto, teria sido uma “direta” para o ex?

 

Liquidação BG

Durante o debate da TV Sergipe, para ironizar o candidato Mílton Andrade, Belivaldo disse que faz propaganda de sua loja com as camisas “BG”, “Belivaldo Governador”. Uma pessoa que conhece a família do candidato do PMN soltou essa: “a preocupação agora é com as vendas dessas camisas na loja deles. Com a rejeição do governo, vai ter que fazer liquidação”. Vôte!

 

Bomba!

Um leitor da coluna entrou em contato para confidenciar que a Polícia Federal e o Banco Central estão atentos a algumas movimentações bancárias que estão sendo realizadas em Sergipe. A Procuradoria da República também já teria sido noticiada. Há uma preocupação com o uso de dinheiro nos dias que antecedem a eleição...

 

De olho!

A coluna não confirma, mas a informação é de que agentes da Polícia Federal teriam chegado de surpresa em uma agência bancária, no centro de Aracaju, nessa terça-feira (2), quando um suposto saque de valor elevado estava sendo realizado. O boato é que chamou a atenção do Banco Central...

 

Exclusiva!

Também chega a informação de que alguns empresários sergipanos estão com algumas gravações que podem “botar fogo” na disputa eleitoral. Se estourar, a “dupla dinâmica” terá muito que explicar. Vai ter gente no Estado perdendo de 30% a 50% da densidade eleitoral…

 

Olha a Deso I

No mundo empresarial a informação é que o governo do Estado vai pagar a todos os fornecedores uma parcela até esta quinta-feira (4). Mas na Deso tem muito prestador de serviço de “cabeça quente” e já entrando em desespero. A turma está condenando o tesoureiro Eduardo e reclamam que não querem mais descontos nos pagamentos efetuados.

 

Olha a Deso II

O que os pequenos fornecedores não entendem é o fato de, em cinco meses de governo, pagamentos vultuosos terem sido realizados para pagamentos via recebíveis pelo Banese. A turma está inconformada e fala que só um desses pagamento supera o volume de R$ 4 milhões. É muito dinheiro…

 

Alô MPE!

A informação é que o Ministério Público já foi acionado para investigar quais os critérios utilizados pela Deso para a quitação dos débitos existentes junto aos fornecedores por duas diretorias, em especial. A turma está preocupada com o fim do governo e promete fazer fortes denúncias temendo uma espécie de “calote”.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 




Tópicos Recentes