POLÍTICA

27/11/2018 as 09:14

O povo elegeu Bolsonaro! Esquerda e “imprensa golpista” precisam respeitar isso!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Eleito o presidente da República com mais de 55 milhões de votos, Jair Bolsonaro (PSL) ainda “rende” muitas discussões nas rodas políticas, nos ambientes de trabalho, nas mesas de bar ou em encontros familiares. Há muito tempo o País não se “dividia” tanto em um processo eleitoral. Dessa vez as pessoas se envolveram, foram mais participativas, onde de um lado estava quem já não acreditava no “sistema atual” e do outro quem, mesmo insatisfeito, foi “provocado” pelo “terror e pelo medo” para combater uma candidatura “com unhas e dentes”.

 

Aqui este colunista não vai nem entrar no mérito se o candidato Fernando Haddad (PT) e os demais tinham condições de presidir o País, e não apenas do ponto de vista administrativo, mas, sobretudo avaliando aspectos éticos. Mas é preciso fortalecer o discurso de que o presidente eleito em outubro, para comandar a Nação brasileira nos próximos quatro anos, foi Jair Bolsonaro. Gostando ou não, preparado ou não, sua eleição se deu graças ao voto popular. Foi a “vontade da urna” que se manifestou. Pelo menos foi o desejo da maioria e isso é democracia!

 

Fazer oposição ao futuro governo é uma opção natural do Partido dos Trabalhadores e de outras legendas. Apesar de não concordar, até a “oposição sistemática” chega a ser compreensível. É do jogo! Só que é preciso esperar o início da gestão! Jair Bolsonaro, por enquanto, apenas acompanha os trabalhos da equipe de transição. Até 31 de dezembro quem tem “a caneta nas mãos” ainda é o presidente Michel Temer (MDB). Muita gente que não ficou satisfeita com o resultado do pleito, já iniciou o “combate”, já “inunda” as redes sociais de muitas críticas.

 

Tão combatida ao longo dos últimos anos, a “imprensa golpista” – assim batizada pelo Partido dos Trabalhadores após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) – parece caminhar, “de mãos dadas”, com setores da Esquerda brasileira no combate a Jair Bolsonaro. Alguns dos principais veículos de comunicação do Brasil “jogaram no lixo” a credibilidade que “venderam” por décadas, quando escancararam uma vontade politica, quando manifestaram de todas as formas que não havia limites para impedir a vitória do Capitão reformado.

 

Parece ironia, mas é pontual: petistas e setores da imprensa bem “alinhados” após a saída de Dilma. Tentaram interferir no resultado da eleição, inclusive com “fake news”, e chegou-se ao extremo do “ódio” com a “facada” que felizmente não matou, mas elegeu um presidente da República. Esse comportamento antidemocrático não contribui, não soma, não ajuda a Nação. O Brasil entrou em um “lamaçal”, em um “brejo de corrupção” e dará muito trabalho para tirar o nosso País de lá. E, com todo respeito, não dá para tirar o “gigante” de lá com as “mãos sujas”...

 

É preciso mudar o foco, redirecionar o discurso, fazer uma reflexão e uma autocrítica sobre o resultado da eleição. A democracia se propaga e o seu direito se evidencia quando você começa respeitando a vontade do próximo. O povo brasileiro elegeu Jair Bolsonaro. Não existem denúncias de compra de votos ou de doações ilegais. Ele tem um grande desafio pela frente e todos nós temos a obrigação de torcer para dar certo! “Boicotar” o novo governo prejudica a todos, verdes, amarelos e vermelhos! A Esquerda e a “imprensa golpista” precisam respeitar isso...

 

Veja essa!

Ao anunciar como vai montar sua equipe de trabalho, baseada em critérios técnicos, o senador eleito Alessandro Vieira (REDE) decepcionou ontem na FAN FM: a ideia de escolher “gente capacitada” e de querer “trabalhar com os melhores” é algo bem vindo, mas não a postura de abrir esse “campo” para profissionais de outros Estados.

 

E essa!

Alessandro será um senador da República, mas só chegou lá graças ao voto de confiança do povo sergipano. Se ele quer ser “criterioso” em sua equipe de trabalho, quer escolha os melhores, mas que dê preferencia a Sergipe.

 

Gauchada

Alessandro, que é natural de Passo Fundo (RS), disse que só vai usar 15 dos 50 cargos que seu mandato terá a disposição. Tem muito sergipano precisando de uma oportunidade para destacar seu potencial.

 

Sugestão

Se Alessandro Vieira quer ser uma referência no Congresso Nacional, poderia doa parte do seu salário ou até da sua estrutura de mandato para instituições de caridade. O brasileiro está cansado de tanta demagogia e verborragia...

 

Olha a Adecon!

Bastou este colunista relembrar a relação amistosa entre as gestões de Edvaldo Nogueira e o Grupo Adecon para logo surgirem mais informações a respeito. Uma fonte bem avisada explicou que a empresa tem uma espécie de “padrinho” que seria um “doutor” em gestão...

 

Olha a onda!

Outra fonte passou uma informação ainda mais curiosa sobre o Grupo: se passar por uma forte investigação, esse “castelo de areia” não resiste a uma onda do mar; se fosse um jogo de baralho, seria uma “carta marcada”. Confesso que não entendi...

 

Bomba!

Como Sergipe é “terra de muro baixo” e “todo mundo se conhece” não custa deixar tudo às claras: a prisão do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PR), partiu de uma auditoria feita no município por determinação do conselheiro do Tribunal de Contas, Clóvis Barbosa, que depois encaminhou a documentação para o MPE.

 

Exclusiva!

Este colunista não tem motivos para defender o prefeito de Itabaiana, mas descobriu que existiu sim uma “engenharia” para afastá-lo do cargo. Clóvis Barbosa, inclusive, parece andar bem “determinado” em sua cassação. Recebeu, semana passada, farta documentação sobre informações do município...

 

Gosta de polêmica

Depois que deixou a presidência do TCE, Clóvis Barbosa parecia ter “descansado sua ira” e vivia numa espécie de “exílio”. Parece ter adotado um estilo diferente, atuando sem muito barulho e sendo “fatal”. Pela quantidade de Pastas que recebeu, vai ter muito trabalho pela frente...

 

Matadouro

A informação é que o DEOTAP decidiu intensificar as investigações sobre o assunto “matadouro” em Sergipe. Vai vasculhar a arrecadação dos montantes em diversos municípios. Percebeu que tem muito “lobo” disfarçado de “ovelha”...

 

Olha a ré!

Este colunista recebeu a informação de que tem muita gente em Sergipe esvaziando os estoques de Lexotan nas farmácias. Antes de deixar o comando da Polícia Federal em Sergipe para se somar à equipe de Sérgio Moro, a superintendente Érika Marena, parece determinada em deixar sua “marca” no Estado.

 

Clima tenso

Em determinados setores de Sergipe o clima é bastante tenso. A coisa piorou diante da informação que uma Operação da Polícia Federal pode acontecer a qualquer momento em nosso solo. Tem muita gente sem dormir. O susto foi tão grande que tinha gente “pisando fundo” e, de repente, resolveu engatar a “marcha ré”...

 

Feira-livre

Este colunista cobrou e a Emsurb escutou: na sexta-feira (23), os empreendedores que administram as feiras-livres da capital foram convocados para uma reunião e devem começar a pagar uma taxa mensal pela exploração do solo público. A informação é que isso se dará pelos próximos seis meses até que seja concluído o processo de licitação. A coluna vai se aprofundar...

 

Flávio Albuquerque

O Delegado de Polícia, Flávio Sandro de Albuquerque Souza, recebeu no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), o Título de Cidadania Sergipana. A propositura, de acordo com o Projeto de Resolução Nº03/2010, aprovado pela Casa Parlamentar no dia 07  de abril do ano de 2010, é de autoria do ex-deputado estadual Pastor Mardoqueu Bodano.

 

Luciano Bispo

Na oportunidade, o presidente Luciano Bispo congratulou o homenageado pelos relevantes serviços prestados em Sergipe, e frisou a importância de se ter uma boa relação entre os Poderes. “Em termo de segurança pública, onde se fala o nome de Dr. Flávio, é muito bem aceito. Ainda mais fazer segurança num país que é difícil”, salientou Bispo acrescentando: ” a Casa Legislativa lhe torna agora, de fato e de direito, cidadão sergipano”.

 

Acolhimento

Para Flávio Souza o sentimento da honraria  é de pertencimento. “A homenagem significa a confirmação do que o meu coração já sentia, que era ser filho de Sergipe, se tornando agora oficial”, ressaltou o delegado. Ainda em seu discurso, o homenageado disse que foi em Sergipe, que foi acolhido, constituiu família e se descobriu  como profissional.

 

Gratidão

“Tenho muito a agradecer. Meu coração é todo gratidão neste momento. Sintam-se todos reverenciados e guardados em meu coração. A gratidão é um sentimento querido e aprendido no seio familiar, e me foi dada pelos meus pais”, disse Flávio.

 

Jeferson Andrade I

Reeleito com 34.736 votos em outubro passado, o 1º secretário da Assembleia Legislativa, deputado estadual e presidente do PSD em Sergipe, Jeferson Andrade, não esconde sua gratidão com o eleitorado sergipano que lhe conduziu para mais um mandato. O jovem parlamentar diz ter consciência que a cada reeleição sua responsabilidade aumenta ainda mais e planeja ampliar sua atuação, tentando minimizar os problemas da coletividade. Ele também reforça seu compromisso com o governo de Belivaldo Chagas (PSD) e Eliane Aquino (PT).

 

Jeferson Andrade II

Sobre o resultado da eleição, Jeferson avalia que foi muito gratificante. “A gente tem consciência do nosso potencial, daquilo que realizamos para o coletivo, das necessidades daqueles que precisam da assistência do poder público. Falo com propriedade do povo pobre do meu querido Sertão, de gente trabalhadora que precisa de atenção, sobretudo em tempos de crise financeira e forte seca. Nós estamos sempre presentes, levando esse apoio, e nosso trabalho foi reconhecido”.

 

Jeferson Andrade III

Em seguida, Jeferson explica que sua surpresa foi ser o terceiro mais votado do Estado. Segundo ele, muitos duvidavam de sua reeleição pelo estilo mais “sereno” de fazer política no parlamento. “Somos eleitos e reeleitos para exercer o mandato de deputado ao longo de quatro anos. Não sou parlamentar apenas no plenário da Assembleia. Tenho consciência do tamanho da minha responsabilidade e sei da expectativa que as pessoas têm do nosso mandato. Sou grato ao povo de Sergipe por mais uma expressiva votação”.

 

Projeto para 2019

Questionado sobre sua atuação e seus projetos a partir do novo mandato que se inicia em fevereiro de 2019, Jeferson diz que pretende ser cada vez mais atuante, que vai continuar fazendo a “ponte” entre as demandas das comunidades e o poder público, sendo um parceiro dos colegas de Assembleia Legislativa e do governo do Estado como um todo.

 

Ajudar Belivaldo

“Tenho acompanhado as transformações na política, tenho conversado com alguns especialistas e pretendo ser ainda mais participativo dentro da Casa. Estamos vivendo uma forte crise financeira, nossos colegas deputados estão somados e minha proposta é de fortalecer ainda mais o Poder Legislativo, auxiliando o presidente e amigo Luciano Bispo (MDB), além de ajudar Belivaldo (Chagas) a governar, a superar os problemas. Essa é a nossa forma de fazer política, sendo amigo dos amigos” pontuou.

 

PSD

Sobre seu partido, Jeferson, que é o presidente do Diretório Estadual, disse que a ideia é buscar fortalece-lo ainda mais nos próximos anos. “A cada eleição o PSD é uma das legendas que mais crescem em Sergipe. Somos reconhecidos nacionalmente pelo presidente Gilberto Kassab. Temos o governador, o deputado federal mais votado, deputados estaduais, vereadores na capital e no interior, além de fortes lideranças políticas. Vamos trabalhar para que o PSD amplie seus quadros e saia ainda mais vitorioso nos pleitos de 2020 e 2022”, anunciou.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 




Tópicos Recentes