POLÍTICA

04/12/2018 as 10:52

Acostumado com o “pacote”, MDB recebeu uma “bolacha” de Bolsonaro!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Apesar de muitas especulações, de críticas precipitadas e de indefinições sobre o futuro do País, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) segue a sua caminhada e praticamente já definiu todo o “time de Ministros” que “entrará em campo” a partir de janeiro para decidir os rumos do Brasil. Pelos compromissos assumidos em campanha, foi criada uma grande expectativa para o novo governo e os adversários estão “afiados”, sinalizando que o Capitão reformado não terá “vida fácil” a partir do momento em que tiver a “caneta” nas mãos.

 

Uma das promessas instituídas por Bolsonaro era que daria fim a política do “toma lá, dá cá!”, ou seja, buscaria uma relação amistosa com o Congresso Nacional e com os governos estaduais, mas sem ceder a pressões ou imposições. Por se tratar de uma eleição atípica, o então “pequeno” PSL ganhou “musculatura” em 2018 e ganhou “status”, ampliando consideravelmente sua participação em Brasília (DF). Outros eleitos e reeleitos também já sinalizaram que pretendem “caminhar” em sintonia com o novo governo.

 

Isso é positivo e traz um pouco de tranquilidade para Bolsonaro iniciar seu governo. É uma “estabilidade” necessária pelo tamanho do desafio que terá pela frente. E esse “estilo” do presidente eleito de fazer política vai de encontro ao “modelo tradicional”, onde alguns nomes e determinadas legendas se “perpetuaram” no Poder, mudando de posição de acordo com o “balanço do mar”, usando o tamanho de suas bancadas para “persuadir” os “governantes de plantão” a ampliar o “diálogo” com a Câmara e o Senado Federal.

 

Uma das legendas que mais “sentiu” esse modelo novo de política é o MDB. Talvez não exista partido mais “governista”. Sempre esteve ao lado do presidente da República desde o início da redemocratização do Brasil. Se impôs nos governos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), de Lula (PT) e Dilma Rousseff (PT), até assumir, de fato, o comando do País com Michel Temer (MDB). Em qualquer roda política o assunto é um só: os emedebistas não sabem fazer oposição, não têm esse perfil no País. Sempre foi conveniente ser governo...

 

Ontem o MDB nacional, através do seu twitter, anunciou que a partir de 1º de janeiro adotará uma posição de “independência” (sic), apoiando medidas que buscam o crescimento do País, gestão eficiente e responsabilidade fiscal, mas que em um curto prazo, “não faremos oposição e nem seremos base. Discutiremos caso a caso”. Ou seja, o partido mandou um “recado direto” para o presidente eleito, manifestando a intenção de apoiá-lo, desde que haja uma retribuição. A legenda já terá Osmar Terra (Cidadania) no Ministério, que partiu da cota pessoal de Bolsonaro.

 

Em síntese, historicamente o MDB sempre esteve acostumado com o “pacote”, de espaços e cargos, sempre impôs a força de sua bancada no Congresso Nacional para “barganhar” Ministérios e órgãos, e agora, com a política do novo governo, não é exagero dizer que Bolsonaro ofereceu uma “bolacha” à legenda, com uma escolha propriamente sua, deixando de lado a clássica tradição da negociação partidária. O presidente eleito pode até enfrentar problemas do ponto de vista político, mas a medida contempla uma parcela da sociedade já de “saco cheio” com tantas negociatas...

 

Veja essa!

Dentre desse jogo de “pressão”, o MDB tem em um dos seus principais “caciques” o velho “tutor”: o senador Renan Calheiros (AL), que já trabalha para mais uma vez comandar o Congresso Nacional. Ainda não confirma, mas já sinaliza que vai disputar a presidência do Senado Federal.

 

E essa!

Uma presidência de Renan Calheiros seria uma “resposta” do “velho Congresso” ao presidente eleito Jair Bolsonaro, pontuando que ele não vai governar sozinho, ou seja, que precisa ampliar o diálogo e até “negociar” com os parlamentares federais. Nesse caso a “facada” é no pescoço...

 

MDB

Em sua conta oficial do twitter, já na manhã dessa terça-feira (4), o MDB manda outro “recado”: “a sociedade, através do voto, credenciou o MDB como partido majoritário a indicar o presidente do Senado. Em que pese as opiniões divergentes e tantos capacitados pretendentes este é um direito que foi dado pelos eleitores”.

 

Renan vem aí!

O partido conclui o post dizendo que “e este nome será escolhido pela bancada quando for o momento dessa discussão. Conveniente ressaltar ainda que essa discussão será feita também com os senadores eleitos que tomam posse em fevereiro de 2019”. Alguém duvida que este “nome” não é Renan Calheiros?

 

Belivaldo e a reforma

O governador Belivaldo Chagas (PSD) deu uma resposta imediata aos críticos de seu governo anunciando uma reforma administrativa, extinguindo secretarias, promovendo a fusão de outras, ou seja, diminuindo o tamanho da gestão de 19 para 14 secretárias, além de promover a extinção de 900 cargos comissionados, aproximadamente...

 

Muito cedo

Este colunista acha que o governador acerta em antecipar algo, em se movimentar e tentar acertar, mas ainda não fará juízo de valor sobre a reforma em si porque alguns setores podem ficar prejudicados a partir de 2019 e é melhor avaliar o texto definitivo que será enviado para a Assembleia Legislativa.

 

Economia

Em entrevista coletiva nessa terça-feira, Belivaldo confirmou a redução de secretarias e cargos, mas também a diminuição do aluguel de imóveis e veículos pelo Estado. Nesta quarta (5) o governo promoverá uma licitação para contratar um serviço móvel, tipo Uber, diminuindo despesas com combustíveis, manutenção de veículos e encerrando contratos milionários...

 

Palácio sem piscina

Outra novidade anunciada por Belivaldo na coletiva: o Palácio de Veraneio ganhará outra nomenclatura, sediará o gabinete do governador, a Secom e outras estruturas da gestão. Como o governador não sabe nadar, já determinou que a piscina seja esvaziada. A “fonte” secou...

 

Vai fechar a torneira?

A redução de cargos comissionados é positiva, mas para efetivar de fato a economia que pensa em empreender, o governador pode ratificar a decisão judicial suspendendo o pagamento de horas extras irregulares na SSP e em outros órgãos, como o Samu, por exemplo. Com a “torneira aberta” não há economia que resista...

 

Bomba!

A coluna recebeu a informação que uma parlamentar eleita em 2018 para a Assembleia Legislativa pode ter problemas com a justiça muito em breve. O assunto é guardado com muito sigilo, mas sabe-se que a suplência já anda “esfregando as mãos” na expectativa de assumir o mandato. Seguindo...

 

Exclusiva!

Este colunista já antecipou aqui e vai repetir: um deputado federal eleito em outubro está na mira da procuradora Eunice Dantas, que ainda não anunciou as ações eleitorais com pedidos de impugnação de candidaturas. Vem mais polêmica pela frente...

 

Medalha do Mérito I

Atendendo a uma indicação do deputado estadual Luciano Bispo (MDB), a Assembleia Legislativa concedeu no final da tarde dessa segunda-feira (3), em solenidade bastante concorrida, a Medalha do Mérito Parlamentar para o cardiologista Antônio Carlos Sobral Sousa (Dr. Sousa). Diversas autoridades, amigos e familiares do homenageado foram prestigiar a solenidade, como os ex-governadores Albano Franco e Jackson Barreto.

 

Medalha do Mérito II

Em nome do autor da indicação, o deputado Georgeo Passos (REDE) fez a leitura do discurso, valorando os êxitos do cardiologista. “Este prestígio que lhe conferimos e acima de tudo um reconhecimento pelos seus valorosos 39 anos de formação, desde que se graduou em 1979 no curso de Medicina pela Universidade Federal de Sergipe”, destacou o parlamentar, acrescentando que o homenageado tem formação diferenciada e humanista.

 

Trajetória I

Mais adiante, o deputado tratou de exemplificar um pouco da trajetória profissional do homenageado, enfatizando que ele é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Sergipe, tendo feito um internato em uma Universidade nos Estados Unidos e, em seguida, fez residência em Clínica Médica, no Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo, e em cardiologia no Instituto Dante Pazanesse de Cardiologia.

 

Trajetória II

Dr. Souza formou-se doutor em Medicina pela USP e é membro do Colégio Americano de Medicina, além de ser vice-chefe do departamento do curso da UFS e coordenador do Centro de Ensino e Pesquisa da Fundação São Lucas de Aracaju, focado na pesquisa em ecocardiografia, doença coronariana, cardiogeriatria, síndrome metabólica, fatores de risco e incompetência cronotrópica.

 

Reconhecimento

“O homenageado relata também a necessidade do profissional da medicina ter um olhar mais humanizado no atendimento com o paciente, não apenas observando o resultado de um exame. Reitero a grande personalidade que é Dr. Sousa e toda sua trajetória de vida, que merece ser reconhecida e lembrada por todos os sergipanos”, completou Georgeo Passos, encerrando o discurso feito pelo presidente da Casa, Luciano Bispo.

 

Dr. Sousa I

Recebida a Comenda no plenário da Alese, Dr. Sousa disse não poder esconder a emoção que o envolvia e as vibrações do seu “coração irrequieto”. “Hoje não falo de corpo, falo de alma! Porque somente ela pode exprimir os sentimentos mais profundos de amor, de agradecimento, de gratidão e de respeito que o ser humano pode ter”, disse, acrescentando que “é motivo de rara felicidade e justificado orgulho, receber mais alta Comenda do Legislativo, que foi outorgado pelo presidente Luciano Bispo”.

 

Dr. Sousa II

Em seguida, Dr. Sousa confessou que não se julga merecedor da honraria, mas “a recebo com humildade e como um galardão laconicamente recompensador para quem dedicou parte substancial de sua existência, a serviço da pesquisa, da docência e, sobretudo, da assistência a enfermos de seu Estado. Admito que estou vivenciando um dos momentos inesquecíveis da minha vida, pelo inestimável significado desta honraria conferida de maneira despretensiosa, espontânea e criteriosa”, completou.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes