POLÍTICA

30/03/2019 as 16:17

Base dividida: PSD quer a Reforma da Previdência e o PT não quer nem ouvir!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

O início do segundo mandato a frente do Poder Executivo sergipano tem sido, no mínimo, bastante desafiador para o governador Belivaldo Chagas (PSD). Normalmente quem vence uma eleição prometendo demais, acaba sendo cobrado pelo povo na mesma ou até em maiores proporções quando assume o mandato. A pressão em cima do “galeguinho” tem sido intensa, seja da oposição, que faz seu trabalho de fiscalizar o governo, seja da própria situação, insatisfeita com a falta de diálogo e pouca participação na administração.

 

Talvez por não ter uma base aliada completamente “alinhada”, até agora o governador não tenha enviado para a Assembleia Legislativa projetos de lei “duros”, medidas “antipáticas”, que geram profundo desgaste político, tanto para quem propõe (e principalmente) quanto para quem vai votar. Certamente virão medidas que trarão cortes, seja na prestação de serviços públicos, e talvez se tente retirar algumas “garantias”, algumas conquistas dos servidores que, por sinal, estão há sete anos sem qualquer proposta de reajuste salarial...

 

Como se não bastasse a insatisfação de muita gente com o governo, sua base aliada também diverge sob aspectos nacionais. Enquanto o “galeguinho” estende o “pires” para o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), aqui em Sergipe alguns de seus aliados o condenam e afrontam o chefe do Executivo Nacional. Sobre a Reforma da Previdência, por exemplo, os posicionamentos são públicos: o PSD (partido do governador) defende a Reforma como alternativa para o País sair da crise e o PT e outros partidos a condenam com veemência.  

 

Fortalecido, o PSD é hoje o maior partido em Sergipe do ponto de vista do “volume”. O presidente da Executiva Nacional, Gilberto Kassab, esteve em Aracaju, avaliando de perto e tendo a percepção da importância e do tamanho de sua legenda aqui no Estado. Por sua vez, ninguém pode deixar de reconhecer a densidade eleitoral do Partido dos Trabalhadores no Nordeste como um todo e, principalmente, por aqui. É uma legenda que não precisa do “atacado” para fazer barulho: tem uma militância forte que é “resistência” mesmo no “varejo”...

 

É bem verdade que o cenário nacional é um e a situação política nos Estados pode ser completamente outra. Mas no “meio-termo” está a Reforma da Previdência. Na hora da votação, não existirá muito “zelo” de um lado ou do outro. Quem votar a favor da proposta do governo federal será duramente cobrado pelos petistas e demais segmentos; por sua vez, quem ficar contrário, certamente será criticado pelo PSD por ficar contra a retomada do crescimento, o desenvolvimento e a geração de empregos. A política é mais ampla do que podemos imaginar...

 

Essa semana, o ex-líder (mas ainda parecer continuar na função) e deputado Francisco Gualberto (PT), ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa e “sentou o pé” no presidente Jari Bolsonaro. Lembrou os tempos em que atacava o ex-governador João Alves Filho (DEM), quando “batia para deixar fofo”. No mesmo horário, mas em BSB, por ironia do destino o “galeguinho” Belivaldo Chagas buscava apoio do mesmo governo federal para Sergipe. Vindo ou não a Reforma da Previdência será um bom “teste” para avaliar esta relação dos partidos na base aliada do governador...

 

Veja essa!

Segundo o blog da jornalista Denise Rothenburg, do Correio Braziliense, o “galeguinho” Belivaldo, que chegou para resolver, e que havia assinado o manifesto dos governadores do Nordeste contra a Reforma da Previdência, na quinta-feira (28), em Lagarto, durante a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, mudou o discurso e defendeu a proposta do governo Bolsonaro.

 

E essa!

Segundo a jornalista, em seu discurso, o governador foi claro: “sem a reforma, não vamos deslanchar. Com a reforma da Previdência, teremos recursos para educação, segurança, infraestrutura”, disse ele, prometendo esforços no Congresso para ajudar na articulação.

 

Belivas & Bolso

Feito esse discurso, ainda segundo Denise Rothenburg, a ministra, logo depois, colocou o presidente Jair Bolsonaro ao telefone com o governador Belivaldo Chagas. “Isso é política”, resumiu a colunista. Resta saber o que fez o “galeguinho” mudar de ideia assim tão repentinamente, em menos de 15 dias?

 

Sergipe é show I

Tem coisas que acontecem em Sergipe que são do conhecimento de muita gente, das autoridades, dos órgãos fiscalizadores, da polícia e da imprensa. “Negociatas” envolvendo contratos de shows de artistas não soam como “novidade”, mas o anúncio de uma reportagem feita pelo jornalista Roberto Cabrini, a ser exigida nacionalmente, nesta segunda-feira (1º), está deixando muita gente sem sono...

 

Sergipe é show I

O problema é que a maioria dos veículos de comunicação em Sergipe faz “vistas grossas” ou não pode tratar de determinados assunto. Em alguns casos, as redes sociais já ocupam esse espaço. Neste caso específico, vai ser necessário Cabrini “estourar” alguns “nomes sonoros” para que sejam deflagradas operações policiais. Se não “botarem o dedo”, vai ter muita gente presa nos próximos dias...

 

Anote!

Há muita gente que se beneficia dos shows em Sergipe e não são apenas os empresários, como algumas pessoas querem propagar. Em alguns casos eles são apenas “laranjas” de gente muito maior e mais influente, de autoridades políticas e chefes de Poder. A sensação é que se trata de uma “avalanche” de dinheiro desviado...

 

Coisas da Saúde I

Em um direito de resposta publicado por este colunista, essa semana, a Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju explicou que “o contrato com a ACL não foi fruto de dispensa de licitação, como descrito na nota, e sim por pregão presencial 22/2017, que ensejou no contrato que ficou vigente de fevereiro 2018 a fevereiro 2019. Apenas 21 dias antes do término do contrato, que se daria em 8 de fevereiro de 2019, a própria empresa, através do ofício 02/2019, manifestou oficialmente desinteresse na continuidade da prestação dos serviços”.

 

Coisas da Saúde II

Como este colunista é curioso, e adora pesquisar as coisas, ele continua achando estranha essa desistência da empresa faltando 21 dias para o término do contrato. Em sua própria nota, a Prefeitura de Aracaju deixa no ar que não houve qualquer planejamento na Saúde. Como perguntar não ofende, já que o contrato ia expirar, antes de fazer outro “emergencial” por seis meses, por que a PMA não programou, com antecedência, outro processo licitatório?

 

Acorda MPE!

Mas este colunista ainda tem outro questionamento, mas desta vez para o “sonolento” Ministério Público: se a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria de Saúde, “foi surpreendida” com a desistência da empresa, faltando 21 dias para o término do contrato, não fica configurada uma “estreita relação” entre as partes? Um “casamento” assim se desfaz a toa? O que teria “abalado” esta “parceria”?

 

Tem alguém aí?

Diante do “direito de resposta” da PMA, este colunista questiona: o que anda fazendo o Ministério Público Estadual? E a Câmara Municipal de Aracaju? Qual a sua finalidade? Se Edvaldo Nogueira teve que fazer um contrato emergencial de seis meses para manutenção dos postos de Saúde, já que a ACL suspendeu o contrato faltando apenas 21 dias para seu término, que tipo de trabalho de manutenção vinha sendo feito? Quanto foi gasto? Para onde foi o dinheiro investido?

 

Edvaldo e os emergenciais

A gestão do prefeito Edvaldo Nogueira caminha para ganhar um título nacional: deve ser uma das que mais promover contratos emergenciais. Teve emergencial do lixo, emergencial do Nestor Piva, emergencial da manutenção dos postos de Saúde. E o povo sofrendo com a omissão do MPE e da CMA...

 

Falando na Saúde I

O “direito de resposta” da PMA partiu de um comentário deste colunista onde foi dito que a ADOCON foi contemplada com um contrato de manutenção de quase R$ 7 milhões e dois nomes foram “ventilados” em conversas sobre o assunto: “Carla” e “Juliana”. Foi dito ainda que não sabe, exatamente, quais as funções e se ambas fazem parte do quadro de servidoras da SMS, mas que tudo seria apurado.

 

Falando na Saúde II

Sabe-se apenas que a “dupla” tem uma “mente brilhante” pensando por elas, alguém que coordena todas essas “travessuras” na Saúde de Aracaju, e que já são conhecidas do mercado por não levarem em consideração nem a situação econômica/financeira, e muito menos, técnico/operacional das empresas concorrentes, prestes a serem contempladas.

 

Inove Notícias

Um dos programas jornalísticos mais comentados nos bastidores da política, no seu fim de tarde, é o “Inove Notícias”, apresentado pelos comunicadores Nivaldo Cândido e Kléber Alves, na Liberdade AM. Muitos “furos de reportagem” que andam sendo propagados, já foram noticiados pela dupla que vive em busca de informações. A produção é do dinâmico e competente Elder Santos.

 

Bomba!

Talvez seja parte do plano de Saúde da Câmara Municipal de Aracaju: para ter uma vida mais “saudável”, os vereadores Cabo Didi (REDE) e Zé Valter (PSD) não tiveram direito a um carro locado, como os demais parlamentares da capital. Há quem diga que é porque eles chegaram agora ao parlamento. Esse tratamento desigual é lamentável...

 

Olha o G4!

Os “meninos” do G4 da Assembleia Legislativa seguem incomodando: na quinta-feira (28), à noite, os deputados visitaram o prédio onde funcionava a Plantonista Sul e o prédio que está respondendo pela Delegacia Plantonista da Grande Aracaju, no Santos Dumont. Devem expor a realidade, “nua e crua”, sobre as condições dos plantões, no plenário da Alese, na próxima semana.

 

Nestor Piva I

O colegiado do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) aprovou no Pleno a emissão de medida cautelar determinando que a Secretaria de Saúde de Aracaju apresente uma solução definitiva para a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nestor Piva, evitando, assim, que se perpetue o contrato emergencial em vigência.

 

Nestor Piva II

A análise da matéria na Corte de Contas foi provocada por denúncia do Sindicato dos Médicos de Sergipe, que levou a 3ª​ Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI) a protocolar pedido de auditoria especial. Ao apontar irregularidades, os sindicalistas pedem que o contrato seja sustado, mas o TCE entendeu que tal medida comprometeria os serviços de saúde ofertados à população, além de enfatizar que esta seria uma competência da Câmara de Vereadores.

 

Faltou planejamento

As determinações do colegiado seguem o opinamento da equipe técnica da 3ª CCI, que é a Unidade Técnica de Fiscalização e Instrução processual responsável por jurisdicionar as unidades gestoras que integram a 5ª Área, da qual faz parte o município de Aracaju. A unidade técnica destaca em seu relatório ser justificável a contratação emergencial, em função do risco da não prestação de assistência à saúde da população; no entanto, entende que a situação emergencial foi ocasionada por falta de planejamento da gestão municipal.

 

10 dias

Ainda na cautelar, relatada pelo conselheiro Luiz Augusto, o TCE determina à gestora da Secretaria de Saúde que, em 10 dias, encaminhe planilha detalhada para análise da formação dos custos do contrato emergencial, incluindo quantitativo de pessoal contratado, bem como servidores efetivos e comissionados que atuam na UPA. Há, também, determinação para que o município constitua uma equipe multidisciplinar para acompanhar a execução do objeto contratado.

 

Glock superfaturada?

O pleno do Tribunal de Contas também estabeleceu um prazo de cinco dias para a Secretaria de Segurança Pública se posicionar sobre a denúncia de superfaturamento na aquisição de pistolas Glock pelo governo de Sergipe. Segundo o conselheiro Carlos Alberto, a acusação pontua que a empresa Glock não tem exclusividade no produto e que pela existência de outros fabricantes, a SSP tinha que ter feito a licitação. O prazo dado é para a Secretaria explicar as razões da compra e o preço aplicado...

 

Encontro do PSD

A Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) recebeu o Encontro Democrático do PSD, evento organizado pela Fundação Espaço Democrático, braço de estudos políticos do partido, e recebeu centenas de pessoas. O objetivo era aproximar e fortalecer o partido no Estado, por meio de palestras de importantes nomes da legenda, como Gilberto Kassab, presidente nacional, e João Raimundo Colombo, vice-presidente. Prefeitos, vice-prefeitos e ex-prefeitos foram filiados ao partido.

 

Carlos Pinna I

O conselheiro Carlos Pinna, do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), foi empossado como membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGS), em sessão solene ocorrida no auditório da instituição. Também estiveram entre os presentes na oportunidade o conselheiro Clóvis Barbosa, que compôs mesa representando a Corte, e a diretora técnica do TCE, Patrícia Verônica, que é membro do Instituto. 

 

Carlos Pinna II

Conforme a presidente do IHGS, professora Aglaé d' Ávila Fontes, a chegada do conselheiro Pinna engrandece a instituição, por seu conhecimento cultural e disposição em propagar a história sergipana. “Para nós, é uma honra”, comentou. Comemorativa aos 164 anos de Aracaju, a solenidade empossou ainda como membros do IHGS o ex-governador Albano Franco e o médico Antônio Carlos Souza, além de outras personalidades.

 

Areia Branca I

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reverteu a cassação dos mandatos do prefeito de Areia Branca, Alan Andrelino Santos, o “Alan de Agripino”, e de seu vice, José Francisco Filho, que foram acusados de compra de votos na campanha de 2016. Os ministros consideraram um vídeo (sem áudio) com os envolvidos e os depoimentos contraditórios das testemunhas do suposto episódio como provas insuficientes para atestar a captação de voto de um eleitor e afastar o titular da Prefeitura.

 

Areia Branca II

Ao rejeitar um recurso (agravo regimental), o Plenário do TSE confirmou a decisão individual do ministro Edson Fachin, que proveu recurso ajuizado por Alan Andrelino e seu vice contra suas condenações. Na decisão, o ministro julgou improcedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije), apresentada por um dos adversários dos candidatos eleitos.

 

Capela I

Diante dos inúmeros problemas administrativos facilmente identificados no município de Capela, o ex-prefeito Ezequiel Leite (PR) volta a questionar o “perfil” da gestora Silvany Sukita. Para ele a cidade está abandonada, com problemas crônicos em áreas vitais como Saúde e Educação, além de não se verificar qualquer avanço do ponto de vista da infraestrutura. Ezequiel lamenta que, “enquanto Capela continua sendo um caso de polícia, o povo está sofrendo, sem gestão, sem perspectivas”.

 

Capela II

O ex-prefeito pontua que Silvany foi eleita em 2016 e, até onde se tem conhecimento, não foi forçada a exercer o cargo. “Ela (Silvany) não demonstra aptidão, não tem carinho com o povo de Capela. Parece carregar um fardo (ser prefeita) e eu sinto que ela não vê a hora disso acabar em 2020. Mas ela colocou seu nome à disposição da população e depois veio a traição. Faltam medicamentos e atendimento nos postos, as escolas estão caindo aos pedaços e a prefeita até agora não disse a que veio”.

 

Ezequiel Leite I

Ezequiel decidiu fazer um questionamento público: “quando Silvany vai assumir a Prefeitura de Capela? Não só eu, mas o povo quer saber! Perdemos o matadouro, a prefeita é omissa em relação à SSP com a violência, o consumo de drogas só aumenta e não há uma política de assistência”, denuncia o ex-prefeito. Segundo ele, tudo isso se deve ao “populismo” promovido durante a campanha eleitoral. “Fui muito criticado por ser gestor. Essa turma não tem vergonha de mentir para o povo”.

 

Ezequiel Leite II

Por fim, Ezequiel Leite cobrou, mais uma vez, o cumprimento das promessas feitas nos comícios de 2016. “Temos tudo gravado! Prometeram demais na campanha e até agora não cumpriram nada! Até o transporte gratuito dos universitários de Capela eles cortaram! A juventude, que foi enganada por essa gestão, hoje se sente traída. Hoje não enganam os jovens nem com festas. A festa da Padroeira foi uma lástima! Muito triste essa falta de planejamento! Hoje o povo de Capela sofre com desemprego. Tem gente passando fome e a prefeita não sabe o que fazer. É muita incompetência”, criticou.

 

Ditadura Militar I

O deputado estadual e professor Iran Barbosa (PT) vai promover um amplo debate sobre os 55 anos do Golpe Militar, sob o tema “Para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”, no plenário da Assembleia Legislativa, na próxima segunda-feira (1º), a partir das 8h30.

 

Ditadura Militar II

O evento terá como palestrantes o professor Doutor José Vieira da Cruz, historiador e vice-reitor da Universidade Federal de Alagoas; e professora doutora Andréa Depieri, do Departamento de Direito da UFS e Secretária-Executiva da Comissão da Verdade em Sergipe.

 

Iran Barbosa I

Segundo Iran Barbosa a ditadura civil-militar que subjugou o Brasil por 21 anos permanece uma ferida aberta de nossa sociedade. “As graves violações de direitos humanos perpetradas pelo Estado, a partir de 1964, ainda pairam, ameaçadoras, sobre a vida política nacional”.

 

Iran Barbosa II

O deputado petista pontuou ainda que o regime perseguiu e encarcerou milhares, que fez da tortura uma prática oficial, que assassinou e provocou desaparecimentos, “insiste em investir contra a memória nacional e afrontar a história de nossa frágil democracia”, acrescentou. 

 

Garibalde Mendonça I

Logo depois que tomou conhecimento da desmobilização da Força Nacional no estado de Sergipe após mais de dois anos, o deputado estadual Garibalde Mendonça (MDB), opinou positivamente sobre o serviço prestado pela Foça Nacional, principalmente, na capital Aracaju.

 

Garibalde Mendonça II

“Não apenas os índices que comprovam a redução da violência, mas também, as ações de presença nos bairros de Aracaju, o que fez inibir de forma muito positiva a redução da criminalidade”, frisou o parlamentar. O emedebista também fez louvor as polícias sergipanas, que segundo ele, soube interagir grandemente com a Força Nacional, priorizando a necessidade da segurança da população, desarmados de qualquer bairrismo e, ou vaidade.

 

Confiança

“Temos uma polícia muito bem comandada pelo secretário da segurança pública, João Eloy, e confiamos que os índices do combate à criminalidade continuarão melhorando cada vez mais com o empenho dos nossos guerreiros que fazem a segurança dos sergipanos”, finalizou Garibalde. 

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes