POLÍTICA

10/04/2019 as 10:28

Sem coligação para vereador, turma sem mandato não quer ser “escada” em 2020!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

No momento em que pré-candidaturas a prefeito de Aracaju em 2020 começam a ser “costuradas”, publicamente ou nos bastidores, este colunista chama a atenção para um “impasse” muito maior e que está gerando diversos debates internos: mesmo com o descrédito do povo com a classe política, há ainda muita gente pensando em ser candidato a vereador da capital, só que com o fim das coligações para a disputa proporcional, quem está sem mandato não quer concorrer com os atuais parlamentares e só aceita ir para a disputa com a condição de “não ser escada” para ninguém.  

 

Alguns ex-vereadores e novos nomes na política estão sendo estimulados a disputar a eleição do próximo ano. Muitos, inclusive, foram convidados para se filiarem em diversos partidos, mas só aceitam o desafio se participarem de uma disputa mais equilibrada, por entenderem que é desigual concorrer com quem já possui mandato e uma estrutura de trabalho montada. Já existe, inclusive, a formação de grupos com o objetivo de fortalecer esta ou aquela legenda, com nomes conhecidos da população. A conta é fácil: acham que têm mais chances articulando desta forma.

 

O fim da coligação proporcional em questão acaba com algumas distorções onde determinados candidatos, com uma quantidade bem inferior de votos, eram beneficiados por alguém que “estourou” nas urnas, deixando de fora pessoas melhor avaliadas pelo eleitorado. Em um primeiro momento a aposta era que a mudança na legislação eleitoral beneficiaria quem atualmente é detentor de mandato. Isso até a turma que tem “mais experiência” perceber que entraria na disputa do próximo ano mais para reeleger os atuais e ajudar a legenda, do que beneficiar aos próprios.

 

A mudança do cenário é irreversível: se antes quem tinha mandato buscava apoios e lideranças de bairros e comunitárias para fortalecer sua base, hoje essa preocupação se estende para a necessidade de filiar e promover candidaturas competitivas, gente que tenha um percentual de votos capaz de ajudar o partido e aumentar o coeficiente, elegendo mais correligionários. O problema é que os atuais vereadores não estão conseguindo convencer a quem está fora da Câmara Municipal – e que reúne chances reais de ser eleito em 2020 – de concorrer em determinadas legendas.

 

Quem tem uma estrutura montada e aposta alto na vitória no próximo ano quer um “caminho mais fácil”. Avaliam que ficando em partido “A” ou partido “B”, podem trabalhar muito e terminar beneficiando candidato “C” ou “D”. Em síntese, haverá um processo de “migração” onde esses pré-candidatos tendem a “fugir” das legendas mais “tradicionais”, onde a concorrência naturalmente será maior. A nova legislação também vai influenciar diretamente a eleição majoritária para prefeito, porque quem encabeçar a chapa terá que ter habilidade para “costurar” esses apoios entre os partidos aliados.

 

Em síntese, não existem mais coligações para as disputas proporcionais, apenas para a eleição majoritária (prefeito). Sendo assim, além de estruturar sua própria pré-candidatura a gestor (a), o (a) postulante terá que fazer um trabalho de convencimento para fortalecer os partidos aliados, para não perder apoios importantes para uma possível pré-candidatura da oposição. Nesse caso, por mais próximo que o candidato a vereador seja de quem vai disputar a prefeitura, aí é natural que ele procure aquele partido ou agrupamento que lhe dê mais condições de se eleger. A dúvida é como essa turma vai se comportar na urna, digo, sobre a “fidelidade”...

 

Veja essa!

Segundo publicação no Diário Oficial do Estado, o governador Belivaldo Chagas (PSD) exonerou o chefe do gabinete militar Eduardo Henrique Santos, vinculado à Secretaria de Estado Geral do Governo.

 

E essa!

Tem gente dentro da Polícia Militar querendo fazer festa com a exoneração assinada pelo governador. Eduardo Henrique, salve engano, vinha chefiando gabinetes militares desde a gestão do então prefeito Marcelo Déda (in memoriam) em Aracaju. Uma turma na PM está preparando um “foguetório”...

 

Caso Clautenis

O Ministério Público Estadual e o próprio governador querem rigor nas investigações em torno da abordagem policial que resultou na morte do designer de interiores, Clautenis José dos Santos. A informação é que a SSP já afastou os policiais envolvidos de suas atividades.

 

Clima quente I

Mesmo sem projetos polêmicos na pauta de votação, situação e oposição não chegaram a um consenso durante a sessão dessa terça-feira (9), no plenário da Assembleia Legislativa, e a reunião das Comissões Temáticas foi cancelada por falta de quórum regimental.

 

Clima quente II

O líder da oposição, deputado Georgeo Passos (REDE), não concordou com o regime de urgência para apreciação dos projetos do Executivo. Aprovando o requerimento neste sentido, os parlamentares não podem pedir vistas dos projetos que estiverem na pauta de votação.

 

Clima quente III

Sem acordo com o líder governista Zezinho Sobral (PODE), Georgeo orientou a bancada de oposição a sair do plenário e retirar o quórum da sessão. Além dos deputados do “G4”, também saíram no momento Gilmar Carvalho (PSC) e Janier Mota (PR). Diante da ausência dos deputados governistas, a votação não foi realizada.

 

É regimental!

Pode-se dizer que a oposição fez uso do regimento da Casa para retirar o quórum e impedir a votação. Neste caso a falha foi do governo que não articulou sua bancada, apesar de contar com 18 deputados na base aliada. Aliás, a falta de diálogo tem sido uma deficiência constante da gestão...

 

Bomba!

Funcionários da empresa It Consulting, que presta serviços de informática à Secretaria de Estado de Administração, estão desesperados porque já são 10 meses sem depósitos do FGTS. O contrato da empresa está prestes a vencer e o governo está na iminência de renová-lo. Detalhe: a conta da empresa está bloqueada por decisão judicial. Renovar esse contrato é, no mínimo, surreal, ou não?

 

Exclusiva!

Os alunos do Colégio Estadual Tobias Barreto, no centro de Aracaju, reclamam da interminável obra de reforma do prédio que vem que se arrastando por vários anos. O barulho tem atrapalhado o andamento das aulas e professores e diretores estão sendo cobrados. E a merenda servida aos alunos da unidade é “broa seca” e nada mais! Assim não dá, galeguinho!

 

TCE I

O presidente do TCE, conselheiro Ulices Andrade, entregou ao secretário de Administração do Estado, George Trindade, uma relação com cerca de 450 servidores que possuem ao menos três vínculos junto ao Estado e prefeituras sergipanas. O ato ocorrerá na Corte de Contas. A lista é fruto da primeira etapa da auditoria iniciada pelo TCE na folha de pagamento do Estado, após deliberação do colegiado na última sessão do Pleno.

 

TCE II

O objetivo é detectar irregularidades que possam ser sanadas, proporcionando economia aos cofres públicos. A auditoria foi solicitada pelo governador Belivaldo Chagas, após tomar conhecimento das inovações tecnológicas desenvolvidas pela Diretoria de Modernização e Tecnologia (DMT) da Corte de Contas.

 

Queiroz na Sefaz

Segundo informação do jornalista André Barros, o ex-superintendente da Caixa Econômica Federal em Sergipe, Marco Antônio Queiroz, foi convidado e aceitou o desafio de ser o novo secretário de Estado da Fazenda. Este colunista apurou que se trata de uma decisão pessoal do governador Belivaldo Chagas.

 

Capela I

Diante das recentes declarações feitas pela prefeita de Capela, Silvany Sukita, o ex-prefeito Ezequiel Leite (PR) decidiu se manifestar e saiu em defesa não apenas de si ou do agrupamento que lidera, mas da população como um todo. Segundo ele a prefeita e seu ex-marido promoveram mais um “estelionato eleitoral” na campanha de 2016 e hoje o município está a deriva, com uma série de problemas que parecem insolúveis e uma gestora ausente, que pouco é vista pela cidade.

 

Capela II

Segundo ele, a prefeita Silvany Sukita traiu o povo de Capela. “Já fiz isso uma vez e vou afirmar de novo: Essa turma não tem vergonha de mentir para o povo! Li a entrevista da prefeita onde ela tem o cinismo de falar em retrocesso das gestões anteriores. Capela foi vítima sim, mas de uma quadrilha que me antecedeu, que roubaram o patrimônio público. O mesmo grupo que a elegeu em 2016. Por que agora Silvany está renegando Sukita e seus aliados? Acabou o amor?”, questionou.

 

Ezequiel Leite I

Para Ezequiel enquanto a prefeita tenta “escorregar” de suas responsabilidades, o desemprego só aumenta em Capela, famílias estão passando dificuldades e o município é carente deu uma política social. “Eu ando em Capela, eu conheço as pessoas, eu converso, ouço problemas e vejo gente passando fome! Sei que existem problemas, mas quem mais precisa do poder público está muito desassistido. Quem lê a entrevista dela pensa que o município está plenamente organizado. É muita mentira e pensam que o povo acredita! Silvany brinca com a inteligência do povo de Capela”.

 

Ezequiel Leite II

Segundo o ex-prefeito enquanto o povo “está a mercê de Deus”, a gestora é vista na capital, em eventos e restaurantes cheios de requinte. “Essas pessoas não têm o mínimo de sensibilidade. O comércio de Capela acompanha essa crise geral e os pequenos, que tentam criar alternativas para fazer um dinheiro extra, são perseguidos e pressionados pela administração. Silvany e Sukita cometeram mais um grande estelionato eleitoral em 2016. Mentiram para o povo, criaram muita expectativa e a realidade hoje é de miséria”.

 

Números positivos

Ezequiel respondeu as declarações da prefeita com dados efetivos: “deixamos Capela com os salários dos servidores rigorosamente em dia, inclusive o 13º; pagamos também aos fornecedores; deixamos uma frota de mais de 70 veículos funcionando normalmente; realizamos várias obras na cidade e sem desviar um centavo do tesouro. Todas as acusações feitas contra mim estão sendo derrubadas na Justiça, por não terem veracidade e por não terem base legal. Mentem descaradamente!”.

 

Manuel Marcos I

O vereador Dr. Manuel Marcos (PSDB) apoia a causa dos candidatos execedentes do concurso da Polícia Militar de Sergipe (PM/SE), realizado em 2018. Após o Estado convocar 300 classificados para a inspeção de saúde e pré-matrícula no curso de formação de soldados e oficiais, surgiu um imbróglio entre os classificados. De um lado, os convocados e do outro os excedentes que defendem a chamada de mais candidatos e formação de nova turma.

 

Manuel Marcos II

“Um estudo divulgado no último domingo (8), na revista Exame, realizado pela organização Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal do México apontou Aracaju como a 25ª cidade mais violenta do mundo. Já a análise do Fórum Brasileiro de Segurança Pública aponta Sergipe como o sexto estado mais violento do país. Ou seja, segurança pública ainda deixa a desejar em nosso território. O estado precisa ampliar o contingente e chamar esses indivíduos aprovados que suprir a demanda a qual necessitamos para reverter o cenário. Precisamos tirar Sergipe e nossa capital dessa estatística tão negativa”, avalia o vereador Dr. Manuel Marcos.

 

Marcos Aurélio

O jornalista e radialista Marcos Aurélio Costa, pré-candidato a vereador de Aracaju, está estudando a melhor condição para disputar o pleito do próximo ano. Entre suas preferências de filiação estão o MDB do deputado estadual Luciano Bispo, o Podemos do líder do governo Zezinho Sobral e o PSD do deputado federal Fábio Mitidieri. Marcos passou os últimos anos na militância do PPS em Sergipe.

 

William Fonseca

Também pré-candidato a vereador de Aracaju, o coordenador do projeto “Augusto Franco em Ação”, William Fonseca (SD), solicitou à Emurb que promova o recapeamento asfáltico da rua Maria Pastora, no bairro Farolândia. “Os reparos são necessários porque as condições da via estão causando danos nos veículos dos moradores da região”, justificou.

    

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes