POLÍTICA

24/05/2019 as 07:28

Incertezas sobre o Forró-Caju desanimam vários segmentos em Sergipe!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), faltando pouco mais de um mês para o São João, festa junina tradicional da região Nordeste, anunciou que este ano teremos sim mais uma edição do Forró Caju, disse que os recursos financeiros foram assegurados, mas que até o dia 10 de junho anunciaria a programação. O gestor apenas confirmou que serão quatro dias de festa (23, 24, 28 e 29) na Praça que divide os mercados, no centro. Feito esse anúncio Edvaldo seguiu para uma viagem de descanso com a família para a Europa.

 

A informação trazida pelo prefeito é bastante animadora, sim, é positiva e agradou aos foliões, mas principalmente diversos segmentos da economia que se sentem estimulados com um evento deste porte, porque gera empregos e, principalmente, uma renda extra. Ganha o taxista, ganha o motorista de aplicativo, o dono de lanchonete e restaurantes, os donos dos bares, pousadas e hotéis. Enfim, um evento desta natureza movimenta a cidade, influenciando, inclusive, as vendas no centro comercial. Faz parte da cultura nordestina...

 

Só que ao mesmo tempo em que este colunista contempla o prefeito Edvaldo Nogueira pelo esforço para realizar o Forró Caju, há também de se fazer uma crítica a sua postura, no mínimo “descansada”, em só tratar da programação de um evento dessa magnitude quando retornar de suas férias, já no início de Junho. Enquanto outras capitais e até cidades do interior com tradição nos festejos, como Itabaiana (SE), Caruaru (PE) e Campina Grande (PB), já anunciaram as atrações por datas, em Aracaju, em que pese a confirmação da festa, não há qualquer atração anunciada.

 

Em um período de crise financeira, onde nossas pousadas e hotéis não possuem nenhum estímulo do poder público, onde muitos empresários do setor estão “quebrando” e ameaçando fechar as portas, e que já foi pujante neste período junino, o anúncio de uma programação do Forró Caju, “de última hora”, atrapalha qualquer planejamento, dificulta a “venda” do destino Sergipe no sentido de atrair turistas. É evidente que, ainda assim, alguns setores vão ser beneficiados e, já por isso, a festa é positiva. Mas para quem verdadeiramente gera emprego – o maior problema na atualidade – essa “incerteza” desencanta e desemprega...

 

Veja essa!

Chega a informação de que o deputado federal Fábio Henrique (PDT) esteve reunido, essa semana, com o superintendente da SMTT de Socorro, José Toledo Neto. Nada demais, até então, porque o gestor respondeu pela Pasta durante os oito anos do mandato de Fábio na Prefeitura da Grande Aracaju.

 

E essa!

O detalhe é que quando da saída de Fábio Henrique da Prefeitura, ventilou-se a informação que a relação dele com Toledo estava “estremecida” por conta de sua aproximação e continuidade na gestão do atual prefeito Padre Inaldo (PCdoB). Diante dessa “reaproximação” entre Fábio e Toledo, fica a dúvida: o gestor da SMTT está se reaproximando do ex-prefeito ou será que é Fábio e Inaldo que já estão se entendendo politicamente?

 

Feiras livres

O diretor de espaços públicos da Emsurb, Ubiraci Barreto (Bira), entrou em contato após o comentário anterior feito por este colunista externando perseguições do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), sobre a questão das feiras livres, contra o empresário Bertulino Menezes. Aqui foi dito que as feiras da capital estariam ficando, indiretamente, sob o comando do ex-governador Jackson Barreto.

 

Direito de Resposta I

Questionado por este colunista sobre a notificação da Emsurb para o empresário desarmar toda a estrutura que investiu nos últimos seis anos, aproximadamente, para manter a tradicional feira do Conjunto Augusto Franco, Bira disse que a PMA atende uma recomendação do Ministério Público Estadual e que aquele espaço ocupado é uma praça pública.

 

Direito de Resposta II

“Por várias vezes eu conversei com ele (Bertulino). Orientei a mudar suas feiras, a fazer as coisas certas, mas ele não me ouviu. No Augusto Franco nós não queremos acabar com a feira, mas que ele retire a estrutura permanente. E não é só toldo: domingo (19) eu fui fazer minha feira no mercado e fui até a praça da creche e registrei com fotos ganchos não recolhidos, tudo amontado. Até a Igreja Católica reclamou da feira dele”, disse.

 

Bira da Emsurb

Em seguida, o diretor de espaços públicos disse que “eu te convido a percorrer qualquer feira comigo. Vou te mostrar como eram as feiras dele (Bertulino) e como são as feiras hoje! Esse rapaz não tem estrutura para montar feiras! Agora Aracaju tem feira! Esse rapaz tinha um esquema na Emsurb desde a gestão de João Alves Filho e que foi interrompido quando nós entramos! Eu não entro nesse jogo! Eu posso não entrar na política, mas enquanto eu estiver na Emsurb não existe mais esquema!”.

 

Politicagem

Por fim, Bira da Emsurb diz que são descabidas as denúncias de perseguição de Bertulino e disse que sua insatisfação é com o resultado da eleição. “Ele (Bertulino) não aceitou a derrota de Valadares Filho (PSB). Você não conhece quem é esse rapaz! Eu só garanto que meu nome é limpo e vai continuar sendo limpo!”, desabafou o diretor de espaços públicos.

 

Bertulino não fala!

O colunista também procurou o empresário Bertulino Menezes, para comentar as declarações feira por Bira da Emsurb a seu respeito, mas ele preferiu se manifestar. “Na hora certa a verdade vem a tona. Não quero me manifestar e vou dar continuidade ao meu trabalho”.

 

Violência em Sergipe I

Apesar dos números da SSP celebrar a redução do número de mortes violentas em Sergipe, a sensação de insegurança voltou a crescer. Alguns fatos demonstram a articulação e a coragem dos bandidos que não estão muito preocupados com os locais onde cometem assaltos.

 

Violência em Sergipe II

Semana passada, dois homens com quase R$ 200 mil em espécie dentro de um carro, foram cercados por homens fortemente armados enquanto abasteciam o veículo, em um posto em uma região movimentada na capital. Isso por volta do e meio dia. O dinheiro foi levado e, por pouco, o incidente não teria sido pior...

 

Violência em Sergipe III

Nessa quinta-feira (23), também no início da tarde, no estacionamento de um shopping da capital, o funcionário de uma joalheria foi rendido e teve o malote de dinheiro e e outros bens levados por bandidos. O funcionário foi solto na região do Jardins. Essa “onda de crimes” está assustando a população...

 

Coisas de Sergipe

Uma certa autoridade sergipana, que adora se expor publicamente como se fosse a “sumidade” da ética e da moralidade, até onde se tem conhecimento (pasmem), foi “laranja” na aquisição de uma emissora de rádio no Estado. Em Sergipe, meu amigo, tudo se sabe...

 

TCE I

A conselheira Susana Azevedo, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), acompanhada da equipe técnica, realiza nos quatorze municípios sob a jurisdição da Terceira Área de controle e inspeção, uma coleta de dados e informações que subsidiarão auditorias nas feiras livres. O foco principal é contribuir com melhorias para os feirantes, comerciantes e população, promovendo adequações para que esse tipo de comércio seja regulamentado e atenda aos padrões estabelecidos pela legislação nacional.

 

TCE II

As condições de higiene, a ocupação dos espaços públicos, setorização dos produtos, organização e padronização das feiras serão observadas, além da acessibilidade, mobilidade e instalações dos banheiros. A conselheira documentou o início das atividades com um ofício entregue ao prefeito de Aquidabã, Mário Lucena. Em seguida, visitou a feira livre da cidade para constatar pessoalmente os principais problemas. Todos dados coletados serão analisados pelos técnicos do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e posteriormente apresentados aos prefeitos.

 

TCE III

“O foco é conscientizar os gestores sobre a importância do cumprimento das leis, por meio de modelos positivos e, se for o caso, por Termos de Ajustamento de Gestão”, Sérgio Augusto Mendonça, coordenador da Primeira CCI. As visitas também visam o aprimoramento da legislação do TCE-SE, que deve passar por atualizações sobre o tema, estabelecendo as novas normas e padrões no auxilio dos jurisdicionados.

 

Georgeo Passos I

A Polícia Militar do Estado de Sergipe vai gastar pouco mais de R$ 70 mil só para a contratação de serviços em fotografia. A reclamação foi feita pelo deputado estadual Georgeo Passos, Cidadania, que criticou a decisão do Comando da instituição. O parlamentar apresentou o julgamento do pregão eletrônico publicado no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (23) com o resultado da licitação para a contratação de uma empresa para a realização de serviços de cobertura fotográfica com impressão de fotos para a Polícia Militar. O custo é de R$ 71.519 por um ano de contrato. Para Georgeo, esse serviço não é essencial.

 

Georgeo Passos II

“Mas são R$ 70 mil anuais que serão gastos com cobertura fotográfica – em um serviço que não é imprescindível nesse momento. A gente respeita os profissionais da área, mas a Polícia deveria era estar se preocupando com os seus prédios, com suas viaturas, com as condições de trabalho dos seus profissionais e não com o que o Comando quer fotografar”, argumentou o deputado. Georgeo também destacou o período de dificuldades financeiras enfrentada pela Polícia Militar sergipana e solicitou que o Comando da entidade reveja essa decisão.

 

Goretti Reis I

O Ministério Público do Estado de Sergipe, por meio da 2ª Promotoria de Justiça Cível, protocolou na Comarca de Lagarto uma Ação Civil Pública por improbidade administrativa com pedido de compensação por dano moral coletivo em face à deputada estadual Goretti Reis (PSD). Segundo o documento protocolado pelo MPSE, a parlamentar fez repasses por meio da Subvenção Social da Assembleia Legislativa, os valores de R$ 549.000,00 no ano de 2012; R$ 569.000,00 no ano de 2013 e de R$ 733.000,00 no ano de 2014, totalizando R$ 1.851.000,00, a Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e à Infância de Lagarto – Maternidade Zacarias Júnior.

 

Goretti Reis II

“O simples exame das estatísticas acima mostram claramente que o Município de Lagarto é o reduto eleitoral da Deputada ré, como na verdade é fato notório, já que a mesma é integrante de família política muito conhecida na região. Mas os números acima são necessários para evidenciar o quanto a Deputada ré se beneficiava particularmente em remeter de forma totalmente desproporcional a verba de subvenção para a Associação que é controlada por sua própria família, entidade esta dirigida por seu esposo, o qual também já foi doador de campanha da mesma”, denuncia o documento.

 

Improbidade

O Ministério Público relatou ainda que Goretti se beneficiava “claramente destinando verba pública com o intuito de atender exclusivamente seus interesses pessoais”. Com isso, o MP requer ação seja recebida, autuada e processada na forma e no rito preconizado no art. 17 da Lei n.º 8.429/92, atentando-se às disposições do seu parágrafo 7º no sentido da notificação prévia dos requeridos para a defesa. O MP fala em ato de improbidade administrativa,

 

Do pedido

O MP pede o ressarcimento integral do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.

 

Valadares Filho

Durante entrevista no programa Sergipe no Ar, da TV Atalaia, o presidente estadual do PSB, Valadares Filho, confidencia ainda existir nele a vontade de disputar a eleição para prefeito de Aracaju. “Governar Aracaju ainda é um sentimento muito forte em meu coração”, confessa Valadares Filho, mas não confirma que será candidato nas eleições em 2020.

 

Mais pra frente

O ex-deputado revela que faz uma grande avaliação da situação e que a decisão será tomada mais à frente. “Ainda não tomei essa decisão, vou consultar o povo de Aracaju, a minha família e meus amigos, mas, principalmente, o sentimento da sociedade”, garante. Mais experiente, Valadares acredita que ainda é cedo para apresentar algum nome para a disputa, mas garante que o PSB participará do processo. “De uma coisa o aracajuano pode ter certeza: o PSB irá apresentar um projeto alternativo ao que está aí”, afirma.

 

Crítica a Edvaldo

Para ele, o atual prefeito é um dos maiores responsáveis pelos problemas da capital. “Edvaldo Nogueira é o prefeito que governou a cidade de Aracaju por mais tempo na história e, se nossa capital passa por graves problemas na saúde, na falta de empregos, educação e de mobilidade urbana, Edvaldo é sim um dos principais culpados”, julga.

 

Crítica a Bolsonaro

Valadares Filho comenta ainda sobre os primeiros meses de gestão do governo Bolsonaro. “Estou muito preocupado, o governo não passa um dia sequer sem ter uma crise, seja em um discurso do próprio presidente ou em decreto. Não tem uma semana que uma pessoa importante não seja demitida no Ministério da Educação. Além da forma como estão trabalhando para a aprovação da reforma da previdência que tira muitos direitos dos pobres e não mexe com os mais ricos”, lamenta.

 

Manuel Marcos I

O vereador Dr. Manuel Marcos (PSDB) cobrou mais atenção do Poder Público no atendimento pediátrico. Na avaliação do parlamentar, a atual oferta de serviços não atende a demanda e o ideal é construir um hospital infantil. “O sistema público de saúde de Sergipe não tem um local específico para atender as crianças. Atualmente, contamos com pequenos setores de pediatria no Hospital de Urgência de Sergipe e unidades regionais que vivem tento que atuar acima da capacidade que os espaços comportam”, disse o vereador.

 

Manuel Marcos II

“Não acredito que esta seja melhor maneira de ofertar o serviço para o público infantil. Nossa população está crescendo e é preciso que quem administra nossos recursos tenham esse olhar”, opina. Na percepção de Dr. Manuel Marcos, a crise nos setores de pediatria se atenua ainda mais na atual estação, ou seja, o período chuvoso. “Com a proximidade do frio, as pessoas se concentram mais em locais fechados, o que facilita a propagação de vírus e bactérias que causam inúmeras doenças. Crianças são as que mais sofrem, por terem um sistema imunológico frágil”, salienta.

 

Melhor assistência

O parlamentar ainda reforça que “precisamos olhar para os filhos do povo assim como olhamos os nossos. Dando a melhor assistência e tratando com zelo. Afinal, o erário público é da população e ela precisa que os recursos sejam aplicados conforme as necessidades coletivas. Não possuir um hospital infantil é uma falta de atenção dos gestores públicos, é condenar as crianças a ter um desenvolvimento comprometido por doenças”, completa.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes