POLÍTICA

25/05/2019 as 10:55

Oposição só terá êxito em Aracaju se estiver em “sintonia” com a periferia!

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), está muito longe de fazer uma gestão exitosa à frente da PMA. É fato que uma obrigação até certo tempo, hoje acaba sendo “mérito”: o fato de pagar os salários dos servidores dentro do mês trabalhado lhe dá o discurso, pelo menos junto ao funcionalismo, ou seja, ele entrará na disputa pela reeleição com essa linha, mesmo sem reajustar os salários dos trabalhadores desde 2017. Prefere colocar sempre a culpa no ex-prefeito João Alves Filho (DEM) para se “blindar” de algumas críticas.

 

Mas, além do salário em dia, Edvaldo Nogueira adotou duas estratégias que já são visíveis para 2020: a primeira é que ele “politizou” seu secretariado, “fatiando” a administração com partidos políticos e líderes de legenda, trocando abertamente cargos por “apoios administrativos”. Até no marketing ele já promoveu mudanças. Está focado em seu objetivo eleitoral; a outra estratégia, além do fortalecimento político, está no lançamento de ações da PMA em diversos bairros da capital, sobretudo nos mais periféricos.

 

Edvaldo não está preocupado em “afagar” a classe média! Quem “decide” uma eleição na capital, nos últimos tempos, tem sido a periferia. Existem “meios e meios” para contemplar o povo mais pobre. Por enquanto, o prefeito aproveita os recursos ainda viabilizados pelo ex-líder do governo no Congresso Nacional, André Moura (PSC), junto ao ex-presidente Michel Temer (MDB), para iniciar algumas ações em bairros da Zona Norte e da Zona Sul, sobretudo em regiões bem definidas e populosas. É onde, possivelmente, buscará os votos...

 

Sem contar que Edvaldo tem a seu favor três estruturas (cargos comissionados) “trabalhando” para a sua reeleição: a própria PMA, o governo do Estado e a Câmara Municipal de Aracaju. Por sua vez, na oposição, o cenário é ainda bastante indefinido. Muito popular na capital, o Partido dos Trabalhadores ensaia uma candidatura própria. Vai precisar de apoio. PSB, PSC, PTB, Novo, Patriota e Cidadania também vão precisar muito mais do que discurso para entrar na disputa no próximo ano. Para este colunista, a oposição só terá êxito se estiver em “sintonia” com a periferia.

 

Não adianta a oposição apenas “fazer barulho”! É evidente que precisa se unir o máximo possível, fiscalizar e cobrar as promessas feitas na campanha de 2016. Tem que ter um bom marketing e uma estrutura de comunicação que conheça a política da capital. Mas, acima de qualquer coisa, precisa sair do gabinete ou do escritório e “botar o pé” na periferia. Ou a oposição conversa com o povo, sente as necessidades e transmite confiança ou credibilidade junto aos mais pobres, ou no próximo ano vai novamente “chorar” o “peso da máquina”. É hora de começar a trabalhar...

 

Veja essa!

O vazamento de informações sobre processos que tramitam em segredo de Justiça em Sergipe começou a chamar atenção de algumas autoridades. Até onde se tem conhecimento, há uma intenção de se recorrer à BSB para identificar e corrigir a “goteira” que vem “pingando” aqui no Estado...

 

E essa!

Ainda dentro das “investigações” sobre a suposta “Máfia dos Shows”, este colunista interpela o DEOTAP: como anda a apuração sobre os possíveis superfaturamentos na contratação de artistas por órgãos públicos? A delegada que acompanha o caso indiciou algumas pessoas. Mas e os “próximos passos”?

 

Forró Caju

Diante do comentário anterior sobre as incertezas em torno do Forró Caju, um servidor público da SSP pontuou ainda que “pior é que a gente fica sem saber se pode programar e aproveitar os festejos juninos com os nossos familiares ou se vamos trabalhar no Forró Caju, se teremos escala ou não. É complicado!”.

 

Flávio Conceição

Depois do arquivamento da Operação Navalha e a completa nulidade das acusações contra Flávio Conceição, setores da imprensa e blogs criam uma espécie de “nuvem de fumaça” sobre o retorno dele ao Tribunal de Contas. Em síntese, ele foi aposentado, compulsoriamente, por conta das denúncias que pesavam contra ele. Se elas são nulas, ele está no seu pleno direito de reivindicar sua cadeira naquele Tribunal.

 

Totalmente absolvido

É bom esclarecer também, até para que setores da imprensa e blogs não criem uma confusão junto à opinião pública, que não existe “meia absolvição”, ou seja, Flávio Conceição foi inocentado em sua plenitude e, juridicamente falando, está apto para exercer a função de conselheiro.

 

Bomba!

A informação é que, prestes a sair do TCE, com o iminente retorno de Flávio Conceição, o conselheiro Clóvis Barbosa agora está de olho em outra vaga na Casa e teria sugerido que a indicação mais recente seria sacrificada, por sua permanência. O comentário é que estuda recorrer em BSB.

 

Não cola

Especialistas em direito explicam para este colunista que qualquer ação de Clóvis Barbosa não se fundamentará porque, conforme o decreto legislativo 02/2009 da Assembleia Legislativa de Sergipe, só existiu a vaga após a aposentadoria compulsória de Flávio, após uma escolha política feita pelos deputados estaduais e a sanção do governador. A indicação não pode ser transferida para outra vaga.

 

Ação Popular

A juíza da 18ª Vara Cível de Aracaju, Christina Machado de Sales e Silva, solicitou ao Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) cópia da reanálise da exoneração de Flávio Conceição. Na decisão, a juíza dá um prazo de 10 dias para resposta do TCE sobre a ação que tramita em sigilo. A ação popular, de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania), não interfere no trâmite sobre o pedido de Flávio, através do advogado Fabiano Feitosa, de anulação de sua aposentadoria junto ao Tribunal.

 

Alô SSP!

Chega a denúncia que no Marivan, em Aracaju, mais precisamente na rua Arrozal (sem asfalto e próximo à fábrica Oriental), as casas 2 e 3, em construção, estão servindo de suposto ponto de tráfico de drogas e consumo por usuários, inclusive ex-presidiários. São várias casas abandonadas, ruas desertas e os moradores da região estão assustados. Apelam para que as viaturas policiais circulem no local para conter a ação dos traficantes.

Samu I

A Coordenação do Samu Sergipe precisa se atentar para a sala de regulação que, segundo alguns servidores, está muito quente e com muito mau cheiro. Além disso a reclamação que os banheiros continuam interditados, dificultando para quem tem jornadas de seis e 12 horas e, impraticável, para quem trabalha em regime de 24 horas.

 

Samu II

Além de muito mofo, algumas paredes apresentam rachaduras e infiltrações, além de cadeiras velhas e quebradas. Os servidores clamam por uma intervenção urgente e emergencial no sentido de garantir as mínimas condições de trabalho, respeitando o direito constitucional de dignidade da pessoa humana no seu ambiente laboral.

 

Feiras livres

Ainda sobre a polêmica das feiras livres, o empresário Bertulino Menezes decidiu responder ao diretor de espaços públicos da Emsurb, Bira (sobrinho de Jackson Barreto), e encaminhou para este colunista uma nota pública como direito de resposta. Não custa lembrar que a PMA deve promover a licitação dos lotes das feiras livres no próximo dia 4.

 

Bertulino Menezes I

“A truculência e arbitrariedade de um gestor público irresponsável  me ofereceu os rumos de um direito de resposta a acusações levianas levadas à imprensa de Aracaju pelo Diretor de Espaços Públicos da EMSURB, Sr. Ubiraci Rabelo Lima, ou Bira, como é conhecido. Esse cidadão usou de sua truculência para oferecer denúncias falsas e caluniosas a meu respeito, agredindo minha moral, construída ao longo da vida por um comportamento de respeito às leis e à sociedade”, pontua o empresário. 

 

Bertulino Menezes II

Em seguida, Bertulino acrescenta que “meu passado profissional como jornalista ofereceu oportunidades no setor de comunicações, onde ocupei cargos de relevância junto à imprensa da Capital. Durante mais de 40 anos mantenho minha ligação ao Poder Judiciário de Sergipe e, há cerca de 20 anos, desenvolvo  atividades como empreendedor no setor de feiras livres de Aracaju. E ainda servi à sociedade como Vereador e representante do povo. Tenho tranquilidade para dizer que não devo minha cabeça a nenhum político, muito menos a qualquer empresário de expressão de nosso Estado”.

 

Bertulino Menezes III

Mais adiante, o empresário pontua que “não admito, portanto, que esse cidadão adote um discurso arbitrário e mentiroso para atacar minha honra, confundindo meu nome com ‘esquemas’ escusos na Emsurb na época em que João Alves Filho foi Prefeito de Aracaju, ou insinuando que minha amizade com o Senador Valadares e com o filho poderia abrigar ligações corruptas. Meu nome é limpo, senhor Ubiraci, e o de minha família também. Não sei se o senhor teria condições de fazer a mesma defesa. Se a sua intenção é calcada num modelo de propagação de leviandades, calúnia e desrespeito, terá que provar na Justiça e, se necessário for, irei às últimas consequências judiciais contra sua intenção de me destruir pública e financeiramente”.

 

Sobre as feiras

Por fim, Bertulino diz que sobre as feiras “pergunto por que só agora o senhor encaminha notificações mentirosas a meu respeito e sobre minhas ações como empreendedor.  E, pior, às vésperas de uma licitação que será realizada em cerca de dez dias.  Defendo a realização de licitação há muitos anos.  As feiras que idealizei e realizei sempre tiveram como meta principal o respeito ao consumidor e ao feirante. Tanto que ao longo desses 20 anos nunca recebi reclamações dos serviços prestados à população e aos feirantes”.

 

Sem jogo

Bertulino concluiu dizendo que não faz “jogo” de nenhuma autoridade e “não admito atos suspeitos quanto ao meu comportamento pessoal e como empreendedor, sobretudo por que não politizo ações de trabalho. Esse tema das feiras, senhor Ubiraci, deveria ter sido discutido antes com a comunidade, com os feirantes, para que fossem sondados os anseios da sociedade.  Não houve transparência, nem respeito aos comerciantes e muito menos à população. Seus atos são arbitrários e ilegais. Estranha, senhor Ubiraci, sua atitude como gestor, considerando que estamos às vésperas da licitação das feitas livres”, respondeu.

 

Luciano Bispo

Após a reunião com o governador Belivaldo Chagas, o deputado Luciano Bispo (MDB) esteve com o assessor de Políticas de Desenvolvimento do Governo do Estado, Oliveira Jr, para tratar sobre a inauguração da Central de Abastecimento (CEASA), e sobre o Matadouro Municipal de Itabaiana. Estava acompanhado do empresário Messias Peixoto; do presidente da CDL de Itabaiana, Jamisson Ferreira; do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Itabaiana, Givaldo Marcelino; além de Alexandre e Wilson ‘Cajueiro’.

 

TCE I

Além de fiscalizar os atos dos gestores, cabe ao Controle Interno, entre outras funções, levar ao conhecimento do Tribunal de Contas os casos em que houver má administração do dinheiro público. Ciente disso, o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), por meio da conselheira Susana Azevedo, deu início à assinatura de Termos de Ajustamento de Gestão (TAGs) que visam estruturar esse setor nas prefeituras sergipanas.

 

TCE II

A primeira prefeitura a assinar o TAG foi a de Carmópolis. O prefeito Alberto Narcizo da Cruz Neto, o “Beto Caju”, esteve no gabinete da conselheira, onde formalizaram o Termo que estabelece prazos de 30 a 90 dias para implementação de melhorias no controle interno municipal. O TAG assinado foi moldado a partir das constatações presentes em relatório de auditoria elaborado pela equipe técnica da 1ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI), onde são analisados os processos sob relatoria da conselheira. O ato de assinatura teve ainda a presença do procurador Luis Alberto Meneses, do Ministério Público de Contas.

 

Prazos

Conforme o Termo, em até 30 dias, o município de Carmópolis deverá lotar um número mínimo de cinco servidores na Secretaria de Controle Interno, “com formação compatível com as ações de revisão e fiscalização dos procedimentos e processos relacionados às ações de controle interno”. Deverá ainda, em até 60 dias, confeccionar manual de procedimentos com rotinas de fiscalização e auditoria, checklist e papéis de trabalhos que subsidiem as orientações sobre processos e procedimentos, relacionados às ações de controle interno.

 

Relatório

Por fim, no prazo de 90 dias, a Prefeitura terá que confeccionar relatório pormenorizado das ações implementadas do controle interno, com hiato temporal da data de intimação da decisão plenária de homologação do TAG, com assuntos relacionados ao orçamento, ao financeiro e ao patrimônio, com indicativos de achados e propostas de resolutividades.

 

Caueira em debate

O deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) vai promover, no plenário da Alese, no próximo dia 31, às 9 horas, uma audiência pública sob o tema “Caueira: obstáculos e desafios ao desenvolvimento”. Certamente será um amplo debate para tratar de ações e problemas encontrados naquela região.

 

DJ Henrique

Este colunista parabeniza o DJ Henrique, que entre suas atividades profissionais, também exerce a função de assessor de comunicação, mas foi destaque da revista QUEM, de circulação nacional, como uma das atrações do badalado casamento de Carlinhos Maia e Lucas Guimarães, em Canindé do São Francisco, com as presenças de grandes atrações nacionais e artistas renomados. Detalhe: parte da imprensa de Sergipe, que tanto propagou o casamento, “esqueceu” de promover a “prata da casa”. Parabéns DJ Henrique!

 

Live Livre

A ex-deputada Ana Lúcia e o jornalista Christian Góes promovem uma “Live Livre”, na próxima segunda-feira (27), às 18 horas, sobre “o Papel das Ciências Humanas”, que terá como convidados Péricles Andrade (Ciências Sociais da UFS) e Fernando Sá História da UFS). A live pode ser acompanhada ao vivo no facebook da ex-deputada Ana Lúcia.

 

Acese I

Idealizada e fundada há 147 anos, comemorados neste domingo, 26, a Associação Comercial e Empresarial de Sergipe vive hoje um momento de ascensão, voltada ao diálogo e à representatividade da classe empresarial. Prova maior é o reconhecimento do papel histórico e atual da ACESE por parte de ex-presidentes, cientes da importância da entidade para o desenvolvimento econômico de Sergipe.

 

Acese II

Em sua história, a ACESE buscou auxiliar o desenvolvimento do Estado, como explica o ex-presidente Manuel Prado Vasconcelos, o Pradinho, apontando o seu papel como indispensável para a construção da economia no Estado. “A ACESE é a instituição classista mais antiga de Sergipe. Ela possui uma atuação preponderante em toda a sua história. Acredito que, sem a Associação Comercial, muitas das situações que hoje beneficiam o Estado não existiram, pois ela sempre foi uma interlocutora junto ao Poder Público”, afirmou. 

 

Pradinho Vasconcelos

Segundo Pradinho, como é conhecido, nos últimos anos, é notório o crescimento da ACESE. “A partir de uma determinada época, a ACESE se rejuvenesce e passou a ter uma participação ativa por sua iniciativa, passando a participar do que interessa a toda a sociedade sergipana, com um envolvimento maior de maneira muito eficiente, fazendo com que a Associação Comercial seja respeita até hoje”, concluiu. Pradinho foi presidente da ACESE entre 1993 e 1997 e a participação da família de Pradinho ultrapassou gerações. Hoje seu sobrinho, Maurício Vasconcelos, faz parte da diretoria da entidade e a representa no Conselho de Vogais da Junta Comercial de Sergipe.

 

Ancelmo de Oliveira

Já o ex-presidente Ancelmo de Oliveira, presidente da ACESE no período entre 1999 e 2001, a entidade sempre foi responsável pela aglutinação da classe empresarial, não apenas da classe comercial. “O papel de junção de pessoas que têm em comum o interesse pelo desenvolvimento de sergipe, além de representar seus associados junto a autoridades, levando idéias e posicionamentos visando o desenvolvimento do Estado”, explicou. 

 

Marco Aurélio Pinheiro

Para o atual presidente da entidade, Marco Aurélio Pinheiro, este reconhecimento histórico é a prova de que o trabalho da ACESE ao longo dos anos é fruto da seriedade e da força que a entidade representa. Segundo Pinheiro, o papel que hoje a entidade representa a torna mais forte. “Nosso trabalho, atualmente, busca fortalecer o diálogo entre a ACESE e entidades do setor empresarial, Poder Público e terceiro setor pois não é possível enfrentar um momento adverso de forma isolada, ao mesmo tempo que buscamos apresentar projetos e serviços que estimulem a economia no Estado”, explicou.

 

Sementes do Semiárido I

A rede de agricultores/as familiares saiu fortalecida do Encontro Estadual de Sementes do Semiárido. Durante o evento, foi criado um novo espaço de articulação e incidência política pela preservação e incentivo à utilização das sementes crioulas e da agrobiodiversidade: A Rede de Sementes da Liberdade. A articulação envolverá agricultores/as, movimentos sociais, organizações não governamentais e pesquisadores/as.

 

Sementes do Semiárido II

“A semente dá autonomia, liberta e transforma as comunidades”, aponta o coordenador do Programa Sementes do Semiárido em Sergipe, Alex Federle, completando que as sementes crioulas são patrimônio cultural e cumprem papel importante na segurança alimentar da população, na conservação da diversidade biológica e na economia local.

 

Encontro Estadual

Durante os dois dias de atividades, quarta e quinta-feira, 22 e 23 de maio, agricultores/as, pesquisadores/as, gestores/as, representantes de organizações e movimentos sociais que atuam no campo da agroecologia dialogaram e trocaram experiências sobre os avanços e dificuldades na utilização das sementes crioulas. O evento foi realizado pelo Programa Sementes do Semiárido no âmbito de Sergipe, executado pelo Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC), em parceria com a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA) e apoio da Fundação Banco do Brasil (FBB).

 

Bons negócios I

Como você avalia hoje a qualidade dos seus “Relacionamentos”, o seu nível de “Produtividade” e “Sua Capacidade de lidar com a pressão do dia a dia” na vida e nos Negócios? Conheça o seu perfil profissional, torne-se uma pessoa mais confiante, saiba apresentar-se de forma impactante e efetiva e assim garanta que as oportunidades te escolham!

 

Bons negócios II

Você poderá compartilhar conhecimentos, experiências e combinações que geram oportunidades através de palestras, oficinas práticas, rodada de negócios e jogos corporativos no dia 16 de junho, das 8 às 18 horas, no Espaço de Eventos Marlene Andrade, com um investimento de R$ 167 (inclusos Material, Certificado e Coffee Break). Mais informações no (79) 9 9900-0095.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes