18/02/2020 as 05:02

Em carta, governadores dizem que Bolsonaro não ajuda 'evolução da democracia'

O texto foi assinado por 20 governadores.

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Após os recentes ataques do presidente Jair Bolsonaro, vinte governadores assinaram uma carta aberta em que o criticam por fazer declarações que "não contribuem para a evolução da democracia no Brasil". Eles citam os comentários de Bolsonaro em que desafiou que os chefes dos Executivos estaduais para que reduzissem, segundo a carta, "impostos vitais à sobrevivência dos Estados". Recentemente Bolsonaro havia dito que zeraria os impostos federais sobre combustíveis se todos os governadores abrissem mão do ICMS sobre os produtos. A carta também traz os recentes comentários do presidente sobre a investigação em curso do assassinato da vereadora Marielle Franco, em que Bolsonaro, segundo o documento, se antecipa "a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus Governadores". Bolsonaro, disse que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), "mantém fortíssimos laços" com bandidos e que a "PM da Bahia, do PT" era responsável pela morte do ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Adriano da Nóbrega.

O texto pede ainda que se observe "os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem", e cobra: "Equilíbrio, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós". Os governadores também convidam Bolsonaro para participar do próximo Fórum Nacional de Governadores, a ser realizado em 14 de abril. Assinaram a carta Gladson Cameli (Progressistas-AC), Renan Filho (MDB-AL), Waldez Góes (PDT-AP), Wilson Lima (PSC-AM), Rui Costa (PT-BA), Camilo Santana (PT-CE), Ibaneis Rocha (MDB-DF), Renato Casagrande (PSB-ES), Flávio Dino (PCdoB-MA), Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), Romeu Zema (Novo-MG), Helder Barbalho (MDB-PA), João Azevedo (Cidadania-PB), Paulo Câmara (PSB-PE), Wellington Dias (PT-PI), Wilson Witzel (PSC-RJ), Fátima Bezerra (PT-RN), Eduardo Leite (PSDB-RS), João Doria, (PSDB-SP) e Belivaldo Chagas (PSD-SE). Não assinaram o texto Ronaldo Caiado (DEM-GO), Mauro Mendes (DEM-MT), Ratinho Júnior (PSD-PR), Marcos Rocha (PSL-RO), Antônio Denarium (PSL-RR), Carlos Moisés (PSL-SC), Mauro Carlesse (DEM-TO). (Com informações)

MULHER NA POLITICA

Por entender a importância de mais mulheres na política e ocupando espaços de poder, a vereadora Emília Corrêa (Patriota), é autora do Projeto de Lei (PL) nº 45/2020, que institui programa a mulher na política, dispondo de medidas de incentivo à participação da mulher na atividade política no âmbito do município de Aracaju. Durante votação, Emília agradeceu o apoio dos colegas de parlamento pela aprovação e explicou sobre a finalidade. “Quando a gente tem um PL aprovado nesta Casa, a gente se sente mais confortável, pois sabemos da batalha que é. Na maioria das vezes as mulheres não participam por receio, não tendo, inclusive, o apoio da própria família. E o PL desmitifica isso, viabilizando e convencendo às mulheres, através de programas de conscientização, palestras e cursos, sua importância na política”, afirmou.

GRANA

A Prefeitura de Aracaju pagará os salários de todos os servidores da administração municipal, referente ao mês de fevereiro, antecipadamente, nesta sexta-feira, 21. O anúncio foi feito pelo prefeito Edvaldo Nogueira, através das suas redes sociais, na tarde desta segunda-feira, 17. Segundo informou o gestor, todos os trabalhadores ativos e inativos terão o pagamento creditado em conta, na data, pela manhã.  Com a medida, a gestão completa 38 meses honrando com o compromisso do salário em dia, firmado com os servidores. “Hoje quero dar uma bela notícia. O Carnaval se aproxima e resolvemos, com muito esforço e muita economia, pagar a folha dos servidores no dia 21, sexta-feira, antes do feriado prolongado. Logo pela manhã, o pagamento estará na conta de todos os trabalhadores ativos e inativos. É um esforço que estamos fazendo para melhorar, cada vez mais, a vida das pessoas. É um compromisso que fazer questão de honrar com os servidores municipais”, destacou o prefeito.

ALTA TENSÃO

O deputado Luciano Pimentel (PSB), retomou um pronunciamento que fez em 7 de março de 2018, sobre as pessoas que morrem vítimas de acidentes com energia elétrica e riscos com as redes de alta tensão. Na oportunidade ele relembrou a situação de risco com fios de alta tensão que passam na Praça de Eventos do Balneário João Vieira, na cidade de Cumbe. E lamentou estar sendo responsabilizado pela não realização do carnaval na localidade. “Há mais de dois anos, eu fiz alguns requerimentos para a Chesf, pedindo o remanejamento daquela linha de transmissão para que não ocorressem riscos às famílias que frequentam o balneário. Também encaminhei requerimentos ao Ministério Público, ao governo federal e ao Governo estadual, pois os fios cruzam a lagoa em que as pessoas tomam banho. Já se passaram dois anos e até agora nenhuma providência foi tomada”, lamenta.

PARLAMENTARISMO BRANCO

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), iniciou o segundo ano legislativo sem dar trégua para o governo Jair Bolsonaro, demonstrando que a toada de 2020 deve ser de fortalecimento do parlamentarismo branco que marcou o ano passado. Em apenas duas semanas de atividades, o deputado mostrou que manterá o protagonismo sobre a pauta econômica, capitaneando as discussões sobre as reformas tributária e administrativa. Maia também vem deixando claro que tem poder para dificultar a vida do governo em algumas situações. As alfinetadas de Maia ao governo começaram já no discurso durante a sessão solene de abertura dos trabalhos. Nele, Maia frisou a independência do Parlamento. "O Congresso está passando a ocupar um lugar que é seu por direito, como epicentro do debate e da negociação", disse o deputado.

ME DEIXE TRABALHAR

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), publicou em sua conta do Twitter na noite desta segunda-feira, 17, que quer "governar em paz, mesmo sem apoio do governo federal". "Se não vai ajudar, pelo menos me deixe trabalhar em paz", escreveu o governador. A frase também foi dita por Costa durante a transmissão semanal ao vivo do programa Papo Correria no YouTube. Durante o programa, Costa disse: "Eu falo 'se não quer ajudar' porque o governo federal deve a Bahia mais de R$ 450 milhões. Não está credenciando hospitais novos que eu fiz. Só no ano passado, a Bahia deixou de receber mais de R$ 200 milhões em recursos que iriam para a Saúde. Se quer perseguir a Bahia, se não quer me ajudar, pelo menos me permita governar em paz". "Chega de agressão", pediu.




Tópicos Recentes