POLÍTICA

26/03/2020 as 15:30

Estudos não dão aval a pronunciamento de Bolsonaro

Entidades divulgaram notas rebatendo a fala do presidente e reforçando a necessidade de distanciamento social para conter o coronavírus

<?php echo $paginatitulo ?>

pronunciamento feito na noite de terça-feira, 24, em rede nacional, pelo presidente Jair Bolsonaro contra medidas de isolamento da população para o combate ao novo coronavírus repercutiu de forma negativa nos meios médico e científico. Entidades divulgaram notas rebatendo a fala do presidente e reforçando a necessidade de distanciamento social para conter a pandemia. Atualmente, 2,6 bilhões de pessoas convivem com regras de confinamento mais ou menos rígidas, a depender do país. No Brasil, governadores de vários Estados adotaram medidas a fim de diminuir a circulação de pessoas para tentar reduzir a propagação do vírus.

 "Assistimos estarrecidos ao pronunciamento do presidente da República em direção contrária às recomendações do próprio Ministério da Saúde, de organizações de saúde internacionais, como a Organização Mundial da Saúde, de cientistas e de governos de todo o mundo", afirmou a Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC).

O uso do termo "gripezinha" pelo presidente para falar sobre o coronavírus também foi questionado. "Tais mensagens podem dar a falsa impressão à população de que as medidas de contenção social são inadequadas e que a covid-19 é semelhante ao resfriado comum, esta sim uma doença com baixa letalidade. É também temerário dizer que as cerca de 800 mortes diárias que estão ocorrendo na Itália, realmente a maioria entre idosos, seja relacionada apenas ao clima frio do inverno europeu. A pandemia é grave", declarou em nota a Sociedade Brasileira de Infectologia.




Tópicos Recentes