SAÚDE

30/05/2018 as 09:45

Campanha de vacinação contra gripe pode ser prorrogada, diz ministro da Saúde

Prevista para encerrar nesta sexta-feira (1º), ação poderá ser estendida por mais 15 dias devido à greve dos caminhoneiros

Foto: (Rovena Rosa/Agência Brasil).<?php echo $paginatitulo ?>

O Ministro da Saúde, Gilberto Occhi, declarou que a campanha de vacinação contra a gripe será estendida por pelo menos 15 dias. As informações são do jornal Folha de S.Paulo .

Segundo o ministro, a decisão de ampliar campanha de vacinação contra gripe foi tomada diante das dificuldades enfrentadas por parte da população para acessar as unidades de saúde devido à paralisação dos caminhoneiros somada aos baixos índices de vacinação nos postos de saúde até o momento.

Anteriormente, o prazo da ação seria encerrado na sexta-feira (1º) . Porém, conforme o último levantamento feito pelo Ministério da Saúde, 21 milhões de pessoas que fazem parte dos grupos prioritários ainda não teriam recebido o imunizante até o dia 24 de maio.

Esse número é equivalente a 40% das gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, idosos, crianças de seis meses e menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores, indígenas e pessoas privadas de liberdade em todo o país.

“Vamos prorrogar com certeza”, informou Occhi à Folha . “Não tínhamos previsão de prorrogação, mas em função disso [paralisação] as pessoas não têm tido condição, e às vezes há dificuldades no transporte público”, afirmou o ministro, que ressaltou o fato de todas as doses de vacina já terem sido enviadas aos estados e estão disponíveis nas unidades de saúde.

Apesar de não informar qual a data de prorrogação da vacina, a previsão é de que a campanha funcione por mais 15 dias, até meados de junho.

Grupo prioritário

Entre as turmas com menor índice de vacinação, as crianças lideram, com apenas 46% imunizadas.

“A gripe não é uma doença grave, mas entre os grupos prioritários pode se agravar, sim, e a vacina é uma das melhores formas de evitar que isso aconteça” afirmou o secretário da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Gama.

Já o público com a maior taxa de imunização é o das puérperas, com 74,2%, seguido pelos idosos, 71%, trabalhadores da saúde, 67,8%, e professores, 67,7%. Entre os indígenas, a cobertura ficou em 53,5% e, nas gestantes, 51,8%.

As doses aplicadas durante a 20ª Campanha de Vacinação contra a Influenza, programada pelo Ministério da Saúde, imunizam contra os três subtipos de gripe que mais circulam no inverno: A/ H1N1 , A/H3N2 e Influenza B.

"Estamos entrando na época de maior circulação do vírus no território fluminense, que é o inverno, e precisamos que a população procure um posto de saúde para se vacinar, a fim de evitar o aumento das chances de transmissão, além das formas mais graves da doença entre os grupos suscetíveis. É importante que todo público-alvo se vacine, mesmo os que já se vacinaram em outra ocasião", comenta a subsecretária de Vigilância em Saúde, Cláudia Mello.

Tira-dúvidas

É uma doença viral febril, aguda, comumente conhecida como gripe, geralmente benigna e autolimitada.

Caracteriza-se por sintomas como febre, tremores, dores de cabeça, dor de garganta e rouquidão, além de alterações respiratórias, como tosse seca e coriza. A infecção geralmente dura, aproximadamente, uma semana.

Existem três tipos de vírus Influenza: A, B e C. O vírus Influenza C causa infecções respiratórias brandas, sem causar impactos na saúde pública ou estar relacionado com epidemias. Já os vírus A e B são responsáveis por epidemias sazonais. O vírus Influenza A é classificado ainda em subtipos H1N1 e H3N2, além do H7N9.

Como acontece a transmissão?

Ocorre pelo contato com pessoas infectadas, ao tossir, espirrar ou falar. Pode ser transmitida ainda indiretamente pelas mãos, após contato com superfícies contaminadas por secreções respiratórias.

Quais são os sintomas da doença?

Pessoas com gripe podem apresentar febre, tosse ou dor na garganta, além de dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração (cansaço extremo).

Como se prevenir?

A vacinação contra a gripe é a forma mais eficaz de evitar a doença, mas pequenas ações no dia a dia também podem ajudar, como manter as mãos sempre limpas, principalmente antes de consumir algum alimento; utilizar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; higienizar as mãos após tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; manter os ambientes bem ventilados; evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe.


O Portal Alô News está querendo a sua opinião. Responda nossa pesquisa, clicando aqui e nos ajude a fazer um portal cada vez melhor pra você.

 

 

 

 

Com informações de IG.




Tópicos Recentes