19/09/2019 as 09:36

As Serras e a falta de visão

Geografando

Educação
Por prof.: Marcus Henrique
Foto: Instituto Chico Mendes<?php echo $paginatitulo ?>

O complexo de serras de Itabaiana estálocalizado a noroeste da capital Aracaju, no agreste e possui climas semiárido e subúmido seco, sua vegetação é característica do cerrado nas regiões mais elevadas, além de alguns resquícios de mata Atlântica nas áreas mais baixas e na mata de agreste a caatinga predomina. São caracterizadas por serem serras residuais, que são estruturas formadas pelo soerguimento do solo através de atividade vulcânica ou pelo tectonismo, formando inicialmente domos, que pela dissecação homogênea, ou seja, processo erosivo pela ação fluvial (chuvas) e pela dissecação diferencial, que ocorre devido aos diferentes tipos de dureza de rocha, fazendo com que aquelas mais resistes, no caso das serras de Itabaiana, seja encontrado o quartzito que são rochas mais resistentes ao intemperismo e estão localizadas ao redor do que antes era apenas uma única estrutura,  além de formarem as mais elevadas altitudes do complexo de serras como a de Itabaiana com uma média de 700 metros e serra da Miaba com uma média de 650 metros de altitude em ralação ao nível do mar, além de outras serras que compõem o complexo como a do Cajueiro, Capunga, Comprida e Quizongo. Já na parte central do domo, onde estão localizada as sedes das cidades de Itabaiana, Moita Bonita, Campo do Brito e Macambira, as rochas em maior quantidade eram compostas de gnaisse que são rochas menos resistentes e mais frágeis as ações do tempo, e por terem essas características, a parte central foi bastante erodida pela dissecação homogênea formando o Planossolo Nátrico, um solo de textura arenosa e argilosa, propiciando o cultivo de hortaliças, por isso a cidade de Areia Branca leva esse nome, devido ao acumulo de arenoso pelo processo de sedimentação na região do município.

Foto: Prefeitura Municipal de Itabaiana.

Foto: Prof. Marcus Henrique

 

Todo esse processo vai resultar no que chamamos de serras residuais, que vai abrigar belas paisagens naturais formadas pelos cursos d´aguas criando regiões de vales e pequenas nascentes que vão integrar sub-bacias do rio Sergipe e rio Vaza-barris. Essas paisagens únicas acabam chamando atenção de aventureiros que buscam curtir ao ar livre ou aqueles praticantes de esportes quesempre buscam superar seus limites e encarar novos desafios, com as belas trilhas de tirar o folego pela caminhada, pela aventura e pela linda paisagem com o inexplicável pôr do sol, o que pode trazer benefícios ou malefícios a região. O Parque Nacional Serra de Itabaiana foi criado em 2005, é uma Unidade de Conservação Federal e foi uma ampliação da Estação Ecológica da Serra de Itabaiana que foi instalada na década de 1970 que tinha como programa preservar os espaços naturas da ação humana e ser utilizado como um laboratório vivo.

Foto: Prof. Marcus Henrique.

 

Uma região que tem um grande potencial turístico a ser explorado de forma consciente é completamente largada ao descaso pelo poder público que poderia promover ações juntamente com as comunidades para fomentar o desenvolvimento não só desses municípios, mas também de todo Estado, poderia incentivar a ida de hotéis e restaurantesdando suporte aos viajantes fazendo movimentar a economia formal e não formal além gerar mais receita para o estado, emprego e renda. Já que se falam em crise, porque não investir nesse setor tão rico, diverso e de retorno imediato que é muito pouco explorado? Por que não investir em pesquisas continuadas fazendo pactos com universidades e escolas? Afinal de contas a natureza já construiu um belo cenário, por que não preservar e ao mesmo tempo lucrar com isso? Devemos abrir nossos olhos e começarmos a unir forças para preservar e recuperar as áreas naturais do nosso estado pois se forem bem utilizadas só irão trazer benefícios para todos os sergipanos.

Foto: Os Caminhantes.




Tópicos Recentes