16/06/2019 as 18:41

Ainda no começo, governo Belivaldo vai dar o ultimo suspiro.

Governador tem a oportunidade de transformar Sergipe no pólo de gás natural. Só precisa chegar chegando.

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Parece que o governador Belivaldo Chagas (PSD) é mesmo um homem de sorte. Na sua juventude até tiro tomou, mas continua vivo e com uma sorte que qualquer político gostaria de ter. Belivaldo foi deputado estadual por três legislaturas ancorado no Partido Socialista Brasileiro, comandado pelo seu grande mentor político e espiritual, o ex senador, ex governador, ex deputado federal e ex secretário de Educação Antonio Carlos Valadares. Belivaldo ainda foi vice governador por duas vezes e quase foi catapultado ao céu, como é chamado o Tribunal de Contas do Estado, ainda sobre a influencia do antigo companheiro. Depois do seu rompimento político com o ex senador, Belivaldo demonstrou ainda ter mais sorte, virou a bola da vez, caiu no seu colo a indicação para se candidatar ao governo do estado, como representante de um grupo político forte e bem estruturado no estado, tanto é, que governa Sergipe há mais de doze anos. Agora o Galeguinho de Simão Dias parece ter a bunda virada para a Lua e parece que a Lua é cheia. A Petrobras teve êxito na exploração de seis reservatórios do gás natural. Sozinho, em cinco anos, o Estado vai ter mais combustível do que o País, hoje, é capaz de importar pelo gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol). Vão ser 40 milhões de m³ por dia, o equivalente a 70% da atual produção interna. Diante de tanta oferta, o governo federal conta com Sergipe para dar o pontapé no 'choque de energia' do ministro Paulo Guedes, da Economia. A aposta é que, em pouco tempo, vai sair do Estado o gás natural mais barato do País.

"Com a entrada de novos atores e ocupação da rede de transporte, vamos ter competição. É o que vai fazer o preço baixar", avalia o secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia, Márcio Felix, envolvido na formação do plano do governo de redução dos preços dos combustíveis. Em Sergipe, a Petrobras fez sua maior descoberta desde o pré-sal, em 2006, diz a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Além disso, os cerca de R$ 200 milhões que a norte-americana ExxonMobil pagou para levar, em leilão, seis blocos vizinhos aos da estatal, e os cerca de R$ 5 bilhões gastos pela empresa Golar Power para importar e consumir gás numa nova térmica a 3 km da capital Aracaju dão a medida do otimismo com a região. "O cenário não é só de aposta. É de confirmação ou de uma aposta com grande probabilidade", afirma Felipe Kury, diretor da agência reguladora. Do conjunto dos seis descobertas da Petrobras, localizado em águas profundas, devem ser extraídos até 20 milhões de m³ por dia em 2025, dois anos após o início da operação, calcula o Ministério de Minas e Energia. Esse volume de produção posiciona a Bacia de Sergipe-Alagoas lado a lado de Campos e Santos, onde está o pré-sal. Apenas para delimitar o reservatório e construir o gasoduto até a costa, a estatal deve gastar US$ 2 bilhões, de acordo com o MME. "A Petrobras é uma companhia com foco em águas profundas e as águas profundas de Sergipe vêm mostrando grande potencial para o desenvolvimento", informou a empresa, por meio de sua assessoria de imprensa, sem dimensionar os investimentos. Disse apenas que estão previstos no plano estratégico dos próximos cinco anos.

Por enquanto, o gás chega ao litoral sergipano por navio, na forma líquida. Investidores da Noruega, Estados Unidos e Brasil formaram uma empresa - a Golar Power - para instalar uma tecnologia submarina que possibilita a importação do produto. Com a nova unidade de regaseificação, que altera o estado do combustível de líquido para gasoso, vai ser possível injetar no mercado interno, já neste ano, o mesmo volume de gás dos seis campos da petroleira estatal. Na prática, esse projeto inaugura a concorrência num mercado até então dominado pela Petrobras. O gás natural é considerado o combustível da transição para uma energia de baixo carbono, até que as fontes renováveis substituam definitivamente o petróleo e o carvão na matriz energética. Nos últimos anos, grandes petroleiras, como Shell e Exxon, investiram especialmente na sua forma líquida, o GNL, uma commodity competitiva e de fácil entrega por navio, em qualquer localidade do planeta. Para entrar na rota de comercialização, basta que o país comprador esteja munido de uma unidade de regaseificação, como a recentemente instalada em Sergipe pela iniciativa privada e outras três mantidas pela Petrobras. Agora é não cruzar os braços, nesta semana em comentário político na Nova Brasil FM, euzinho aqui disse, que agora vale a pena contratar consultorias para fazer como que a cadeia produtiva do gás natural venha para Sergipe. Agora vale a pena, baratear e muito o preço do gás natural para que Sergipe possa despontar como um estado em que vale a pena investir e que possa atrair industrias para melhorar a nossa qualidade de vida. Eitxa Galeguinho de sorte da gota.

Com informações da ASN.

MOLEQUE

O senador Alessandro Vieira (Cidadania  apresentou um panorama sobre a situação política nacional. Sobretudo no tocante, às recentes polêmicas envolvendo o ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro; e a Reforma da Previdência. O congressista que é idealizador da CPI da Lava Toga, para investigar os Tribunais Superiores aproveitou a oportunidade e teceu críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes em entrevista à Revista Época, acusou Moro de ser “o chefe da Lava Jato”e afirmou  que as mensagens divulagadas pelo portal The Intercept, resultariam em implicações diretas das revelações para o desenrolar da operação. “O ministro Gilmar Mendes é um moloque. É fato que precisamos discutir uma lei para discutir o abuso de poder, mas não podemos ser vítimas de pessoas que defendem corruptos e bandidos. Fica claro que há uma ação orquestrada para incriminar procuradores e juízes”.

POSICIONAMENTO

Com o objetivo de ouvir a população sobre o tema da flexibilização do acesso às armas no Brasil, o senador Alessandro Vieira realizou uma live em suas redes sociais. O debate divide opiniões e contou com a participação de cerca de 8 mil usuários das plataformas digitais. Na oportunidade, o senador sergipano falou sobre seu posicionamento com relação aos decretos presidenciais que expandiram o porte de armas de fogo no país. Delegado da Polícia Civil de Sergipe há quase 20 anos, Alessandro votou a favor da suspensão do Decreto 9.785/2019, editado pelo presidente Jair Bolsonaro em maio deste ano, em votação realizada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na última quarta-feira, 12. No entanto, o senador sergipano afirma defender a flexibilização da legislação que trata da comercialização, registro, posse e porte de arma de fogo, mas de uma forma consciente e técnica.“A suspensão é consequência de falhas formais. Os decretos ferem a constituição por invadir competência do Congresso. Mas no mérito, o desordenamento que está sendo promovido, a desregulamentação excessiva, a concessão de calibres muito altos e quantidades muito grandes de munições, só ajuda ao fabricante de arma. Pessoas comuns não se beneficiarão deste excesso em circulação”, destacou.

TÃO RUIM

A ex candidata a presidência da república Vera Lúcia (PSTU), naquela época, já dizia o quão ruim o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL)era como político. Ao avaliar o governo do Estado, Vera Lúcia, que compõe direção executiva nacional do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado não hesitou em comparar a gestão de Belivaldo Chagas a de Jair Bolsonaro. “O governo de Bolsonaro é tão ruim quanto o de Belivaldo. Os dois massacram os trabalhadores, amargam os piores índices de desemprego da história, estão a serviço das grandes empresas, abrindo mão de receitas para grandes redes, como aconteceu recentemente aqui, e depois vem dizer que estão perdendo receita”, analisou. Sobre a greve geral, Vera Lúcia traçou um panorama geral e avaliou como um movimento vitorioso contra o que classifica como “um massacre contra a classe trabalhadora. Essa reforma é indigna e a greve, que está transcorrendo maravilhosamente, estamos dando o nosso grito de basta”, falou.

ENCOLHEU

O presidente Estadual do PSB de Sergipe, Valadares Filho, utiliza as redes sociais para criticar a demora da Prefeitura de Aracaju em lançar a programação do Forró Caju. Ele avalia que a ação tardia dificulta o crescimento do turismo e da economia local no período. Valadares volta a responsabilizar a falta de eficiência na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira. “A divulgação da programação do Forró Caju faltando praticamente dez dias para a realização do evento confirma que Aracaju vive uma gestão sem objetivos definidos, improvisada e com uma total falta de planejamento”. A dúvida do ex-parlamentar é de que forma a prefeitura fará para atrair turistas para a capital e como será feita a divulgação da festa em todo o Brasil. “É um prejuízo enorme para o setor turístico, afetando com isso nossa economia, além de desvalorizar o valor cultural que a festa tem para a cidade. A realidade é que os turistas não terão condições de se programar para passar o São Joao em Aracaju, boa parte das pessoas já decidiu onde irá curtir os festejos juninos”, explica.

SOLTOS

O ex-prefeito da cidade de Carira, João Bosco Machado, e os filhos Diego e Diogo, conseguiram liminar de soltura.De acordo com o Advogado Evânio Moura, a justiça concedeu a liminar de Habeas Corpus.  Eles foram presos na operação Xeque-Mate na tarde de terça-feira, 11. Em Carira, populares comemoram a decisão soltando fogos na cidade.  As fraudes ocorreram no período de aproximadamente 20 anos na Prefeitura de Carira. Dois ex-prefeitos, João Bosco Machado e Diogo Machado e Diego Machado (pai e filhos) foram detidos.  Segundo informações da delegada geral da Polícia Civil, Katarina Feitoza, o grupo atuava em diversas frentes da administração pública com o objetivo de fraudar licitações. “Era um grupo político que se valia do seu poder para desviar dinheiro público da prefeitura. No inquérito policial já apuramos um desvio aproximado de R$ 7 milhões. Nos inquéritos civis, feitos pelo Ministério Público, é apontado desvio de mais de R$ 20 milhões", destacou. “O dinheiro saía dos cofres da Prefeitura de Carira, seguia para a empresa Angular e retornava para a conta do ex-prefeito João Bosco Machado, como também para a conta de seu filho Diogo Menezes, que era o prefeito na época”, destacou a delegada Lara Schuster, que coordena as investigações.

DESCASO

A presidente da Associação Sergipana Mulheres de Peito, Sheila Galba, , desabafou em pôster publicada nas mídias sociais . Disse Sheila, que “o  prefeito Edvaldo Nogueira e a secretária Municipal da Saúde, Waneska Barboza, precisam tomar providências sobre a Saúde Pública de Aracaju. Na manhã deste sábado, 15, visitei o amigo JP, que sofreu um acidente de moto em setembro do ano passado e desde fevereiro deste ano precisa fazer fisioterapia para voltar a andar. É inadmissível que a Prefeitura de Aracaju não disponibilize um transporte adequado para que JP faça seu tratamento. Além disso, a Prefeitura poderia ter um fisioterapeuta domiciliar para atender pessoas que não têm condições de locomoção. Até quando vamos ver o descaso com a Saúde dessa forma, prefeito Edvaldo Nogueira? Com a apalavra o Exmo. Senhor Prefeito de Aracaju< Edvaldo Nogueira (PCdoB) 

 

 

 




Tópicos Recentes