13/11/2018 as 06:56

Belivaldo, presente ou ausente?

O governador sergipano ainda não confirmou presença em evento

Política Online

Política
Por Junior Valadares
<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, deverá se encontrar nesta quarta-feira (14), em Brasília, com pelo menos 18 governadores eleitos ou reeleitos. O evento está sendo organizado pelos futuros governadores do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e de São Paulo, João Doria. O encontro, marcado para as 9h, será no Centro Internacional de Convenções de Brasília (CICB), que fica próximo do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), local de trabalho da equipe de transição de governo. Segundo os organizadores, a idéia é que seja um "encontro de aproximação". Os anfitriões ainda aguardam a confirmação do futuro presidente. Além de Bolsonaro, deverão participar do evento os futuros ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A palavra também será aberta aos futuros governadores.

O governador reeleito de Sergipe Belivaldo Chagas (PSD) ainda não confirmou presença no encontro. Até agora, confirmaram presença os governadores eleitos do Acre, Gladon Cameli; Amapá, Waldez Góes; Amazonas, Wilson Lima; Distrito Federal, Ibaneis Rocha; de Goiás, Ronaldo Caiado; Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; Minas Gerais, Romeu Zema; Mato Grosso, Mauro Mendes; do Pará, Helder Barbalho; Paraná, Ratinho Júnior; Rio de Janeiro, Wilson Witzel; Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra; Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; de Roraima, Antonio Denarium; Santa Catarina, Coronel Carlos Moisés da Silva; São Paulo, João Doria; e do Tocantins, Mauro Carlesse. O vice-governador da Bahia, João Leão, que no momento é governador em exercício, virá representando o estado. Os demais governadores eleitos ou reeleitos ainda não confirmaram participação no encontro.

 AFASTAMENTO

A Promotoria de Justiça de Itabaiana pediu o afastamento do prefeito Valmir de Francisquinho (PR), preso desde a semana passada no Presídio Militar. A prisão foi solicitada  pelo promotor de Justiça do município, Amilton Neves Brito Filho. O prefeito foi preso na Operação Abate Final, acusado por desvios de recursos de cerca de R$ 2 milhões anuais. A Operação foi desenvolvida pelo GAECO, do Ministério Público de Sergipe, o Deotap - Departamento de Combate aos Crimes Tributários e Administração Pública , e o COPE.

PAU MANDADO I

As eleições de 2018 continuam mandando ver na política sergipana. Amigos inseparáveis em 2016 os deputados federais André Moura (PSC) e Valadares Filho (PSB) trocam farpas na imprensa local. Ontem André declarou que  Valadares Filho "não tem capacidade para liderar nada. Eu tive 60 mil votos a mais que o pai dele, o senador Antonio Carlos Valadares (PSB)", disse André. André foi ainda mais duro e disparou: “Valadares Filho não manda em nada. É pau mandado do pai. Ele não decide nada, é um joguete nas mãos do pai”, a liderança da oposição ainda vai dar muito o que falar.

PAU MANDADO II

Em nota, Valadares Filho respondeu a André sobre a pecha de Pau Mandado. “André Moura como liderado e pau mandado de um presidiário como Eduardo Cunha não tem moral para falar da minha capacidade de liderança.Tenho notado a sua inveja em me ver chegar onde cheguei nessa eleição,sem ter 1% da sua estrutura política e financeira. Na vida pública liderança não se impõe,se conquista e foi isso que fiz com a minha chegada ao segundo turno,derrotando o seu poderoso grupo político. Também compreendo a sua preocupação diária em a partir de fevereiro ficar sem mandato,ou seja,sem foro privilegiado. Nada melhor que o tempo para demonstrar quem tem condições de liderar um projeto com a marca da independência,credibilidade e compromisso exclusivo com os sergipanos”, emendou Valadares.

REVEILLÓN

Ainda sem pagar aos artistas locais o São João, o meu, o seu, o nosso prefeito Edvaldo Nogueira, o popular Foguinho Zabumbeiro, aproveitou a tecnologia e anunciou a realização do Reveillón de Aracaju através de uma Live na internet. Foguinho informou que parcerias com a iniciativa privada e órgãos públicos estão sendo concretizadas para a garantia da festa.“Eu já tinha anunciado, mas agora estou confirmando que teremos Réveillon em Aracaju. Já estamos conseguindo os recursos para fazer a festa e, assim que eu retornar de viagem, mas precisamente no dia 26 de novembro, vou anunciar as atrações. Fiquem na espera. Assim como aconteceu no ano passado, vamos receber o novo ano com muita alegria”. Bom, ele devia primeiro pagar o que deve antes de fazer outra.

AUDIÊNCIAS

O presidente eleito Jair Bolsonaro desembarca nesta terça-feira (13) em Brasília para dois dias de reuniões. Ele pretende ir ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde a equipe do governo de transição trabalha. Os grupos temáticos voltam a se reunir hoje e amanhã (14). Pela manhã, o presidente eleito deve se reunir com a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), confirmada para o Ministério da Agricultura. Ficou para hoje o encontro que definirá o perfil da pasta, se o ministério englobará agricultura familiar e pesca, por exemplo. À tarde Bolsonaro terá três audiências. Às 13h, será com a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber. Às 14h30, ele será recebido pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Batista Brito Pereira. Às 16h, conversa com o presidente do Superior Tribunal Militar (STM), José Coelho Ferreira.   

DITADURA DA MAIORIA

Em palestra proferida na capital paulista, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes disse , que a Justiça no Brasil tem o papel de exercer a chamada competência “contramajoritária”. Segundo ele, o Poder Judiciário obteve instrumentos na Constituição Federal de 1988 para moderar os demais poderes e, também, evitar o que ele chamou de ditaduras da maioria. “Essa função é importantíssima para garantir estabilidade. Não há estabilidade se a maioria sempre oprime a minoria”, disse, em discurso na abertura do 20º Congresso Brasileiro de Direito Notarial e de Registro. De acordo com Moraes, o fortalecimento da Justiça, e do seu papel moderador, foi o maior avanço da Constituição de 1988.

 

 

 

 

 




Tópicos Recentes